Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

daqui

309 views

Published on

edição 31

Published in: Design
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

daqui

  1. 1. Montes Claros, setembro 2016 0,50 O que faz do voto em Montes Claros um ato especial ‐ OPINIÃO 2 COM A AJUDA DA JUSTIÇA O candidato do Democratas à Prefeitura de Montes Claros, JairoAtaíde, está condenado pela Justiça Federal por improbidade administrativa na execução da obra do Estádio Mocão. Teve os direitos políticos suspensos por três anos e não poderia concorrer à Prefeitura, mas... ANO VIII Nº 31 POLÍTICA 9 O Parque da Lapa Grande é composto por uma extensa área preservada, com complexo de grutas já exploradas, bem como nascentes afluentes do rio Alfeirão, um dos responsáveis pelo abastecimento de água na cidade de Montes Claros. TURISMO 16 Em mais uma tenta va, ACI e amigos do Ateneu tentam resgatar a história de glórias do clube. Primeira providência é reformar o estádio,nobairroSãoJosé. Agora vai? TRE tira Ruy Muniz de cena, mas ele não se dá por vencido e continua em campanha, com base emrecursofeitoaoTribunalSuperiorEleitoral Esforço em vão COTIDIANO 6 POLÍCIA 14 Polícia cidadã Sargento da PM aposentado denuncia perseguição da corporação por defender a desmilitarização da polícia. Pensão de Dona Geny deverá se transformar no Museu da Imagem e do Som HISTÓRIA 9 Maquete da aventura milionária do prefeito afastado Cidade Administrativa é alvo do MP POLÍTICA 7 POLÍTICA 4
  2. 2. PorFelipeGabrich* Aos 68 anos de idade, sou obrigado a confessar a gregos e troianosqueeutenhovergonhadeserjornalista. O país pegando fogo com multidões de milhares de pessoas, apartidárias, clamando nas ruas contra o governo golpistaepedindoeleições-já. E as televisões não mostram cenas do pau quebrando, comoseosincidentesnãoestivessemacontecendo. E os jornais virtuais impressos tentando em suas enganosasnotíciastamparemosolcomapeneira. E as Polícias Militares, a mando dos governos de seus Estados,sentandoaborrachaelançandogáslacrimogêneo contraagentesimplesdopovo. Se as manifestações fossem contrárias aos ex-presidentes Lula e Dilma, ambos do Partido dos Trabalhadores, os holofotes estariam transmitindo imagens do povo na avenidaseruasduranteas24horasdodia. E o presidente usurpador mentindo descaradamente para os 20 maiores países do mundo e para os países integrantes do BRICS que os movimentos populares de protestoestãoreunindo40ou50arruaceiros. E seu ministro Padilha imitando-o, tentando minimizar para 18 pessoas as milhares de vozes eu se ouviam em Brasília, em pleno desfile de 7 de setembro, gritando ao vento Fora Temer. A insatisfação popular é tão grave, que envolve todas as capitais do país, além de inúmeras cidades do interior, atingindo, inclusive, a histórica São João Del Rei, berço da famíliaNeves. E ninguém se dá conta de que o saudoso Ulysses Guimarães, em sua sepultura no infinito do mar,e os inesquecíveis Tancredo Neves, Jango Goulart, JK e Getúlio Vargas estão morrendo pela segunda vez de tristeza com o quevemacontecendonoBrasildehoje. E o Judiciário mudo. De braços cruzados, instituições nacionalistas que até ontem defendiam com unhas e dentes a soberania nacional, como a CNBB, a Maçonaria de Machado de Assis, a OAB de tantos jurisconsultos renomado,dentreoutras. Golpe? Que outra denominação poder-se-ia dar à usurpaçãodopoderviaparlamentos? PS: "Nem em seus piores momentos, o time do Flamengo recebeu uma vaia tão estrondosa como essa que o presidente usurpador levou. Será que as cadeiras do Maracanã estavam superlotadas com gente da burguesia festivadestepaís? 2 *PedroNeto Mais uma lacuna na Imprensa de Montes Claros, do Norte de Minas e, quiçá, do Estado. O setor cultural também está triste. Quem frequenta o "Quarteirão do Povo" já percebeu a ausência do escritor, sonhador, ideologista, amigo e perseverante José Luiz Rodrigues, conterrâneodeMirabela,nossaqueridaeeternacidade da carne de sol e do pequi. Aos domingos, também ficará a saudade da coluna "Cultura & Notícias" do JN e dasjustas homenagensdoPrêmioParnasodeCultura, cuja última edição foi recentemente muito prestigiada noCentro CulturalHermesdePaula. Era um camarada realmente dedicado ao que fazia e não tinha medo de expressar o que sentia. Como poucos, defendia suas idéias, respeitando o próximo e, sem bajular quem quer que fosse, desde que entendesse estar certo de suas convicções em teoria e emprática. Zé Luiz fazia o que a maioria da humanidade não consegue,oupelomenostransmitiaumasobriedadede quem pratica um velho dito popular como poucos: ouvir maisdoquefalar! A passagem de José Luiz Rodrigues, nesta segunda- feira, 19, deixou também lacuna no processo político de Mirabela. Pela primeira vez, iria disputar as eleições municipais naquela cidade. Quem sabe seria eleito Vereador e realizaria seu sonho de revolucionar o setor cultural daquele município. Não teve a chance. Mas Deus é quem confortará os amigos e familiares, neste momento em que a Imprensa, a Cultura e a sociedade de Mirabela e Montes Claros ficam enlutadas mais uma vez!... *Jornalistaeservidorpúblico OPINIÃO Uma eleição logo após a investida contra a democracia, com o golpe que derrubou uma presidente legitimamente eleita e inocente das acusações que lhe foram imputadas - tanto que ela não foi punida com a perda dos seus direitos políticos, mas retirada do caminho, como eles queriam-,nãodeixadeseralentador. O eleitor, como ocorre sempre nessa época, volta a ser o protagonista, o senhor da história, aquele que pode mudar os rumos de uma cidade ou simplesmente respaldar projetos que nada têm a ver com seus anseios. Aliás, disputam as eleições municipais em Montes Claros candidatos que já estiveram no poder, aqui e acolá, sem que seus legados contemplassem os maisnecessitados. São exatamente esses, os que mais precisam da ação do poder público, os pós-graduados na arte de ser enganados, quem novamente decidirão a parada. Solitário, na solidão da cabine indevassável, exercerão o sagrado direito ao voto. Na urna, para sua apreciação e sob seu julgamento, estarão de novo aquelas mesmas figurinhas carimbadas comocarimbodovíciomoraledecaráter. Em contrapartida, há a alternativa representada por três mulheres. Uma delas, a novidade factível, a possibilidade de algo novo ocorrer na administração da cidade. Portanto, o pleito do próximo dia 2 de outubro é uma preciosa oportunidade para que o eleitor promova a mudança real –nãoapenasnaretóricadaquelesquenão têm nenhum compromisso com a causa e osinteressesmaisnobresdaspessoas. O processo em Montes Claros, onde as candidaturasestãomuitobemsituadasem seus campos, possibilita ao eleitor escolher que projeto deseja para a cidade. E demonstra que a nossa democracia, apesar de ameaçada, ainda é a melhor formadeocidadãoexercerseupoder,com livreliberdadeparadecidir. Está tudo muito bem posto. Ninguém poderá dizer que reeditou o caos, recente ouantigo,porfaltadeopção. WALDOFERREIRA Editor CARTA AO LEITOR E X P E D I E N T E Editor Geral: Waldo Ferreira MTb 259 waldoferreiraf@gmail.com - (38) 9967 3932 Tiragem: 5.000 EXEMPLARES Dúvidas e Sugestões: daqui.jornal@gmail.com CLEMENTE DIAS SOARES JÚNIOR - ME CNPJ: 17.415.917/50 - NSC. ESTADUAL 002083711.00-09 Rua Padre Teixeira, 153 - Montes Claros - MG Votar,apesardetudo A Imprensa e a Cultura enlutadas Vergonha é isso aí. * Jornalista
  3. 3. Máscara A campanha já finda e os três candidatos, cujos partidos e eles próprios apoiaram o golpe contra Dilma Rousseff, continuam escondendo isso dos eleitores. Ruy Muniz (PSB), Humberto Souto (PPS) e JairoAtaíde (DEM)deveriamseexplicar. Apropósito Comitiva de 200 empresários e pecuaristas do Norte de Minas desembarcou em Brasília para comemorar o golpe dado contra a democracia, naquele dia fatídico. Ainda comemoravam o impeachment da presidenta quando a PF grampeou o prefeito afastado, que horas antes participara do rega-bofe. Esse pessoal, que se julga dono de Montes Claros, é representado exatamentepeloscandidatoscitadosacima. Tadeu O ex-prefeito LuizTadeu é figura onipresente na política local. De Miami ele articulou candidaturas e continua acompanhando o processo. A entrada de Jairo Ataíde na disputa, para evitar o desfecho ainda no primeiroturno,earenúnciadomédicoDanilo Narcisotêmoseudedo. Águaeóleo Na estratégia de Leite, a desistência do deputado Paulo Guedes teria que ser suprida por outro candidato com algum escopo. As conveniências políticas aproximaram os antigos inimigos. Mais recentemente, a necessidade de levar adianteoacordocomoprefeitoafastadoRuy Munizdetrabalharporsuareeleição. Oquedeuerrado? Tadeu Leite também apostava que o PMDB poderia reeditar na cidade o que fez no plano nacional, quando traiu a presidente Dilma Roussseff, provocando seu impeachment. Apostou que reelegeria Ruy e depois a c o m p a n h a r i a d e c a m a r o t e s e u sangramento para assumir a Prefeitura com Danilo Narciso. Como dessa vez o tempo da Justiça foi menor que o da política, o desgaste de Muniz chegou ao extremo ainda na campanha, com prisão, afastamento e fuga. Como sua reeleição se tornou improvável, os planos tiveram que ser alterados,comaretiradadovice. Laranja? Também deu errada a previsão de que o candidato do Democratas entraria apenas para embolar a campanha. Pelo menos por enquanto sua candidatura ganha fôlego, em contraposiçãoàdeRuy. Covardia Se pudesse prever o que ocorreria no cenário eleitoral, o deputado Paulo Guedes talvez não tivesse se acovardado e desistido de concorrer. Mas, preferiu não arriscar porque, de uma forma ou de outra, ele não t e m n a d a a p e r d e r. P o r i s s o , e irresponsavelmente, impôs Sued Botelho como candidato, que previsivelmente seria impedidodeconcorrerporestarinelegível. Boanovidade Leninha entrou na disputa para valer e em pouco tempo demonstrou capacidade, desbancando os demais candidatos nos debates e entrevistas. O programa de TV, com ela, também melhorou sobremaneira. Conta a seu favor o fato de não ter rejeição, ser simpática e carismática e, claro, ser bem articulada e conhecedora dos dramas e necessidadesdosmaisnecessitados. Duplasertaneja AnastáciodaFuneráriaeMauríciodoCaixão Parece nome de dupla sertaneja de filme de terror, mas trata-se da chapa que concorre à Prefeitura de Manga. Anastácio Guedes, atual prefeito, é irmão do deputado e espécie deteflondele.Poisbem,constaummontede denúncia de malfeitos dele à frente da Prefeitura de Manga, inclusive um tour, com dinheiro do tesouro municipal, com direito a mulheresebebidas. Agressãocontraoservidor O Sindicato dos Servidores Municipais repudiou a atitude do prefeito afastado, que em inserção da sua propaganda eleitoral tentou enxovalhar a imagem do funcionalismo, sugerindo que trabalhadores da Prefeitura seriam preguiçosos. Ainda por cima, colocou um negro como o preguiçoso da vez. Vai ter que se ver com a Justiça, mais umavez. Tudodominado De acordo com informação dada à coluna, Ruy Muniz teria pago R$ 600 mil a cada um dos membros da comissão do PSB que veio a Montes Claros a pretexto de apurar ilícitos cometidos por ele como prefeito da cidade. Dependia dessa “apuração” sua expulsão do partido.Claroqueficouofeitopelonãofeito. Não,não,não E a deputada Raquel Muniz, esposa do dito- cujo? Ela, que costuma pegar mal, justificou que “pegou muito sol” e, por isso, faltou à sessão da Câmara Federal que cassou Eduardo Cunha. Mas, garantiu que votaria a favor dele. Seu voto não faria mesmo diferença,masquealiada... Santander Alvo de inúmeras reclamações desde que assumiu a folha de pagamentos da Prefeitura, o banco Santander não se emenda e continua demonstrando incapacidade de corresponder a demanda que assumiu. Cabe o slogan: Santander, o bancoquenãodáconta. CIDADE3 Jairo Ataíde foi condenado por improbidade administrativa e teve os direitos políticos suspensos por três anos, mas a punição só valerá a partir do trânsito em julgado da sentença condenatória. O crime, na construção do Estádio Municipal de Montes Claros (Mocão), foi cometido há 15 anos, mas só no início deste ano a Justiça Federal procedeu a condenação. Como sete meses depois o caso ainda não foi julgado em segunda instância, ele continua na disputa eleitoral. Em fevereiro deste ano o Ministério Público Federal (MPF) obteve a condenação do ex- prefeito de Montes Claros, Jairo Ataíde Vieira, por improbidade administrativa. Na mesma ação, também foram condenados o ex-secretário de Obras da cidade, João Henrique Ribeiro, e a empresa CROS ConstrutoraRochaSouza. Jairo Ataíde administrou o município por dois mandatos sucessivos, de 1997 a 2004. As irregularidades que resultaram em sua condenação foram praticadas no âmbito de contrato celebrado com o Ministério dos Esportes, em 2001, para a implantação do Estádio Municipal de Montes Claros, o Mocão. O MPF relata que o ex-prefeito e seu secretáriodeobraspromoveramsucessivas alterações no Plano de Trabalho inicial, com majoração expressiva dos valores pagos à empresa vencedora da licitação [Construtora Rocha Souza]. Os acréscimos, além de ultrapassarem o limite de 25% previsto na Lei 8.666/93, ocorreram sem a celebração de qualquer aditivo ao contrato original, obrigação também prevista na Lei deLicitações. Relatório da Controladoria-Geral da União (CGU) apontou majoração de pelo menos 30,15%, sem que fossem produzidos quaisquer documentos que comprovassem ou pelo menos demonstrassem a regularidade dos valores concedidos a título desupostoreajustecontratual. A ação também registrou que os serviços executados pela Construtora Rocha Sousa Ltda limitaram-se, praticamente, à terraplanagem do terreno, cujo valor, no contrato inicialmente firmado, era de R$ 462.099,55, e no Plano de Trabalho aprovado em maio de 2004 passou para R$ 1.512.160,27. De acordo com o MPF, as alterações informais representaram, na verdade, um drible àexigência constitucional delicitação, pois a obra prevista no contrato celebrado com a CROS acabou completamente diversa daquela que passou a ser realizada. "É dizer: licitou-se uma coisa e, ao final, estava se executando algo completamente diverso, e sempre em mutação, tendo em vista o exagerado número de alterações – nenhuma delas motivada ou sequer formalizadaemtermo". Na verdade, as modificações decorreram exclusivamente do "desejo pessoal dos demandados, que alteraram cinco vezes a concepção do projeto original, segundo a s u a v o n t a d e , e n ã o c o n f o r m e eventualmente exigisse o interesse público. Simplesmente resolveram desconsiderar o queforalicitadoe,semformalizarumaúnica alteração, modificaram verbalmente, e radicalmente, o projeto licitado, majorando alguns itens e suprimindo ou reduzindo outros, com consequente incremento do valorcontratual",relataaação. O resultado dessa conduta está exposto a céu aberto, para quem quiser ver e se indignar com o descaso no uso do dinheiro público: 14 anos depois, o que deveria ser o Estádio Municipal de Montes Claros ("Mocão") é mais uma obra inacabada, em verdade mal começada, perfeito retrato da máutilizaçãoderecursospúblicos. Houve dolo evidente, diz Justiça Federal Para o juízo federal, "o dolo na conduta dos requeridos restou evidente, já que o acréscimo ilícito do quantitativo de serviços prestados para a execução das obras é expressamente vedado pelo art. 60, § 3º, da Lei8.666/93". Asentença também rechaçou as alegações da defesa no sentido de que as alterações teriam decorrido de exigências postas pelo Estatuto do Torcedor (Lei 10.671/2003), porque, segundo o magistrado, os réus não indicaram,emmomentoalgum,quaisteriam sido as condições impostas pela nova lei que fizeram surgir a necessidade de se alteraroplanodetrabalhooriginal. «Portanto, afigura-se clara a violação, pelos requeridos, dos princípios norteadores da Administração Pública, em especial, o Princípio da Legalidade e da Moralidade, o que importa em ato de improbidade administrativa",concluiasentença. Jairo Ataíde e João Henrique Ribeiro tiveram os direitos políticos suspensos por três anos. Eles ainda foram proibidos, juntamente com a CROS Construtora, de contratar com o Poder Público ou receber benefícios fiscais ou creditícios por igual período. Os réus também terão de pagar, cada um, multa civil no valor de cem mil reais. Condenação demorou 15 anos e mesmo assim precisa ser confirmada em segunda instância para que ex-prefeito seja punido e impedido de concorrer Lentidão da Justiça mantém ex-prefeito candidato
  4. 4. POLÍTICA 4 Desembargador pede vista de processos e ajuda Ruy Muniz Cândido Ribeiro, do TRF-1, é pai de Ravik de Barros, cujo sócio defende o prefeito afastado de Montes Claros. Medida adiou o julgamento de casos envolvendo o político mineiro O prefeito afastado Ruy Muniz (PSB) está sendo beneficiado por pedido de vistas do desembargador Cândido Ribeiro, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), feito em junho, de dois processos que tratam do suposto envolvimento dele em corrupção. O escritório de advocaciadofilhodelefazadefesadeMuniz. O magistrado se declarou impedido depois que o Ministério Público Federal (MPF) questionou sua imparcialidade para atuar. Os julgamentos foram adiados e, até hoje, um dos casos não foi apreciado. Ruy Muniz foi preso em 18 de abril, suspeito de usar a Prefeitura de Montes Claros para favorecer hospital privado que ele próprio controla. O prefeitoestariaretendopagamentosainstituições de saúde concorrentes, com o suposto intuito de “asfixiá-las” economicamente. O caso ganhou notoriedade quase que instantânea porque na véspera, durante a votação do impeachment de Dilma Rousseff na Câmara, a mulher do prefeito, deputada Raquel Muniz (PSD), citou a gestão do marido como um exemplo de que “o Brasil tem jeito”. Em 29 de junho, foram levados a julgamento da 2ª Seção do TRF um recurso do prefeito contra sua prisão domiciliar e uma nova denúncia por, supostamente, remanejar verbas da saúde municipal para canalizá-las ao seu hospital. Na ocasião, a juíza federal Maria Lúcia Gomes de Souza votava pela aceitação da nova acusação e para que o prefeito continuasse detido em casa. Ela substituía o relator dos processos, desembargador Ney Bello. Por ser o mais julgador mais antigo, Cândido Ribeiro seria o último a se manifestar, mas antecipou os pedidos de vista, o que suspendeu a apreciação dos casos. Desde 28 de abril, tinha procuração para representar Ruy Muniz o advogado e ex- desembargador do TRF-1 Fernando Tourinho Neto.EleésóciodeRavikdeBarrosBelloRibeiro, filho de Cândido Ribeiro, no escritório Bello Ribeiro e Tourinho NetoAdvocacia. O site diz que a banca foi fundada em 2012 por Ravik e, no ano seguinte, “se junta à sociedade o experiente Fernando da Costa Tourinho Neto, à época, recém-aposentado como desembargador do TRF-1”. O procurador regional da República Alexandre Camanho apontou duas situações de impedimento em petição encaminhada a Cândido Ribeiro. Argumentou que, conforme o Código do Processo Civil, cujas regras de aplicam analogicamente ao processo penal, o juiz está impedido de atuar na causa “em que figure como parte cliente do escritório de advocacia de seu cônjuge, companheiro ou parente, consanguíneo ou afim, em linha reta ou colateral, até o terceiro grau”. Além disso, conforme o procurador, Cândido Ribeiro também estava impedido naquele julgamento porque o recurso apresentado era contra a prisão domiciliar decretada por Ney Bello, que é cunhado do desembargador. Os dois teriam,portanto,“parentescoporafinidade”. Em 12 de julho, Cândido Ribeiro se afastou, mas somente da denúncia oferecida contra Ruy Muniz. No dia seguinte, o magistrado tirou férias. O processo em que se discutia a manutenção, ou não, da prisão domiciliar do prefeito continuou no gabinete do desembargador. Passou a analisar o caso, como convocado, o juiz federal Carlos D'Ávila,escolhidoporCândidoRibeiro. Em27dejulho,CarlosD'Ávilalevouà2ªSeçãodo TRF voto para revogar a domiciliar, entendimento que prevaleceu. Não estavam presentes Ney Bello e sua substituta, que antes votara contra a revogação. Na semana passada, num outro processo, a Justiça de Minas decretou a prisão de Ruy Muniz, mas o prefeito não foi encontrado em casa e, agora,éconsideradoforagido. O TRF-1 ainda julgará a nova denúncia contra o prefeito.Asessão para apreciá-la ocorreria em 24 de agosto, mas foi reagendada para a próxima quarta-feira.Depoisdisso,ositedoTRF-1passou a informar que o afastamento de Cândido Ribeiro, que se encerraria no início deste mês, agora vai se estender até outubro. Com isso, o substituto do desembargador poderá atuar no julgamento destasemana. Nos bastidores do TRF-1, houve críticas ao ponto de vista apresentado pelo MPF no pedido de afastamento de Cândido Ribeiro. O argumento é que o impedimento do desembargador deve-se somente ao parentesco dele com Ney Bello, não tendorelaçãocomovínculoentreTourinhoNetoe Ravik de Barros. Alega-se que o filho de Cândido Ribeiro não tem procuração nos autos e, por esse motivo, não atua formalmente nos processos. Não haveria, portanto, razão objetiva para o afastamento. CândidoRibeiroseexplica Em nota enviada, o gabinete de Cândido Ribeiro informou que o desembargador pediu vista dos dois processos “porque não sabia do seu impedimento” em 29 de junho, quando a relatora convocada, Maria Lúcia Gomes de Souza, proferiuosvotos. Na nota, o gabinete explicou que Cândido Ribeiro deu-se por impedido no processo que trata do recebimento ou rejeição da denúncia contra Ruy Muniz porque os autos chegaram ao seu gabinete antes de o magistrado entrar de férias. Com isso, acrescentou,foipossívelanalisarasituação. A assessoria do desembargador alegou que o outro processo, que tratava da prisão domiciliar, só foi encaminhado ao gabinete quando ele já estava de férias. “Não houve e nem haverá atuação do desembargador federal Cândido Ribeiro nesses processos mencionados”, diz o comunicado. O gabinete argumentou que os critérios para a escolha de juiz federal para substituição são “mérito e operosidade”. “O juiz federal Carlos D'Ávila foi escolhido pelo desembargador federal Cândido Ribeiro por indicação dos desembargadores baianos, membros do TRF-1, combasenessescritérios.” O gabinete informou ainda que a convocação de Carlos D'Ávila foi prorrogada devido a uma licençamédicadeCândidoRibeiro,apósopedido deférias. Tentáculos do prefeito afastado e foragido atingem TRF TOMOU NO “COPIM” Sub judice, Ruy Muniz continua fazendo campanha Recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral foi ato contínuo de Ruy Muniz (PSB), para manter a campanha de rádio e televisão, depois que o Tribunal Regional Eleitoral extinguiu, por unanimidade, sua candidatura. Entretanto, seus votos serão computados separadamente e posteriormente anulados. Sua assessoria garante que ele segue a rotina de campanha até o dia da votação. Depois da decisão do TER, analistas políticos tentam decifrar para onde irão os votos que seriam dados a ele. Há o temor de que eles deem substância às candidaturas conservadoras do PPS e do DEM. O candidato do primeiro tem sua história política ligada à ditadura de 1964, além de ser conhecido, também, por anistiar pecuaristas ricos da região, quando exercia mandatos de deputadofederal. Ele, a exemplo do candidato do “DEMO”, apoiou o golpe parlamentar dado contra a presidente Dilma Rousseff. A população da periferia, entretanto, pode optar pela candidatura de uma mulher, que tem sido a surpresa positiva de uma eleição marcada pelo vazio de lideranças e pelo tom morno,quasefrio. Numúltimoesforço,Muniz tentouhaviasolicitado que fosse substituído o vice dele, Danilo Narciso (PMDB), que renunciou ao cargo. Mas os juízes eleitorais indeferiram o pedido. Com isso, foi mantida a decisão do juizAntônio Souza Rosa, da 317ª zona eleitoral, que no dia 16 de setembro, após homologar a renuncia de Narciso, mandou extinguiracandidatura–combasenaleiquefixa o prazo de 20 dias para troca do candidato, o que teriadeseratéodia12desetembro. A única exceção legal para se permitir a substituição do candidato fora do prazo é no caso de falecimento, não se podendo estender os efeitos dessa exceção para a hipótese de renúncia. Prisão – O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) expediu mandado de prisão preventiva contra Muniz no dia 14 deste mês, após a operação Tolerância Zero apontá-lo como o controlador de um esquema montado para desviar recursos da Empresa Municipal de Serviços, Obras e Urbanização (Esurb). Muniz ficou foragido por cinco dias, mas conseguiu um salvo-conduto, que o permitiu andar livremente enquantofazcampanha. Nunca é demais lembrar que o político investigado, afastado do cargo, preso e depois considerado foragido pela polícia é o mesmo que foi elogiado pela esposa, deputada federal Raquel Muniz, durante a votação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Na ocasião, a deputada do “sim, sim, sim” destacou a gestão do marido ao proferir o voto. "Meu voto é para dizer que o Brasil tem jeito, e o prefeito de Montes Claros mostra isso para todos nóscomsuagestão",disse. Ele foi preso horas depois, em casa, depois de comemorar o golpe contra a democracia, juntamente com empresários e pecuaristas do Norte de Minas, que seguiram em comitiva até Brasília, para acompanhar de perto o atentado contra a democracia. Os candidatos do DEMO e do PPS também estiveram representados pelo grupo.
  5. 5. POLÍTICA5 O Distrito Industrial de Montes Claros foi fundado na década de 1970, atualmente abriga 90 indústrias, emprega cerca de 16 mil trabalhadores e representa 25% do PIB de Montes Claros. O local exige atenção c o n s t a n t e , o q u e n ã o v i n h a acontecendo e resultou em inúmeros problemas, tornando-se uma das principais pautas do município e do Estado. Gerente da Lafarge, Nelson Viana, lembra que a empresa, antiga Matsulfur, foi uma das indústrias percussoras do Distrito Industrial. “Temos diversos gargalos que podem ser sanados, como a logística, pois sem acesso ao meu produto, não tenho como exercer minha atividade industrial.Olocaléumaáreaqueabriga comunidades carentes e registra muitas invasões inadequadas. Especialmente, no entorno da mineração, haveria de ter atenção especial com a população”, observa. DeacordocomaFiemgRegionalNorte, durante anos, os distritos industriais de Minas Gerais ficaram abandonados. Em cidades como Belo Horizonte, Betim, Contagem, eles perderam as características especiais de loteamentos industrial e passaram a ser tratadas como área comum, como em Montes Claros.Asolução para todos os problemas parece estar próxima. Em nível local, Reinaldo Landulfo, S e c r e t á r i o M u n i c i p a l d e Desenvolvimento Econômico, reitera que a administra- ção está atenta aos problemas do DI e já tomou algumas iniciativas. “Temos em andamento um projeto de r e v i t a l i z a ç ã o , n u m a g e s t ã o compartilhada com as empresas, que abrange a sinalização, urbanização, iluminação de led, e o prolongamento da Av. Sidney Chaves e da Av. das Indústrias”. Em âmbito estadual, foi dado início ao Projeto de Revitalização dos Distritos Industriais de Minas Gerais, conduzido pela Codemig em parceria com a Fiemg. O objetivo é aumentar a competitividade das indústrias do estado. Em Montes Claros, para nortear o planejamento das ações de revitaliza- ção, primeiramente, será realizado um amplo diagnóstico do distrito industrial e, para que se obtenha um panorama completo, as empresas dos distritos participarão de pesquisa realizada por acadêmicos da Universidade Federal de Minas Gerais. “Além das obras de infraestrutura, iluminação, segurança, asfaltamento, energia elétrica, tem a escassez de água - principal insumo de muitas indústrias -, que depende também da construção da Barragem de Congonhas. No plano de transporte, ainda estamos contando com a logística do Anel Rodoviário Norte, um projeto que ainda está na pauta de reivindicações dos norte-mineiros”, afirmou a diretoria da Fiemg. “Estamos ansiosos para que os estudos do projeto de revitalização terminem ainda em 2016, para serem definidos os recursos para início das obras em 2017. A Codemig dispõe de uma área de 2 milhões de m² na Estrada da Produção, para um segundo DI na cidade. Sendo que 700 mil metros estão reservados para a implantação da CNH - Case New Holand. São obras que devem ajudar a manter os investimentos no município e gerar mais emprego e renda para todos”, reflete Edilson Torquato, presidente da ACI. Fonte:RevistaACI ParceriaentreentidadeseGoverno prevêrevitalizaçãodoDistritoIndustrial Impressos em geral (38) 3015 5013 998472218 GRAFIM C Corrupção De tanto ouvir os corruptos e coxinhas falarem em moralismo e no fim da corrupção, comecei a ficar a favor da desonestidade. Onde eles estãoeunãofico.Vouparaooutrolado. Fariseus Ao colocar a culpa de todos os males sobre o PTe a ex-presidenta, feitos bodes expiatórios, os coxinhas, manipulados por grupos dominantes,ocultam suas próprias perversidades e culpas. Apresentam-se, farisaicamente, como paladinos da moralidade tomados de indignação contra a corrupção. ComentáriodeFelipeGabrich “Fato interessante da recente história política nacional: se os inconfidentes mineiros não fossem tão poetas e democráticos, teriam compreendido, ao seu tempo, que não era a cabeça de Tiradentes que deveria ser exposta em praça pública. Infelizmente somos frutos deheróisarrependidos!”. Moro A Operação Lava Jato entrará para a história como uma praga, como flagelo que afundou um país que ia bem na economia, na democracia e no equacionamento de seus problemas sociais e que mergulhou no caos político, econômico e institucional por moro próprio. Caiu no ridículo por proteger os corruptos do PMDB, PSDB, DEM, PP...e só puniroPT. Leninha Sem dúvida, a maior novidade nesta campanha política de Montes Claros é a candidatura de Leninha, do PT, que substituiu Sued Botelho, depois de ter sido impedido pelajustiçadeformainjusta,naminhaopinião. Inteligente e preparada, ela vem entusiasmando principalmente a militância petista que andava arredia depois que Paulo Guedes monopolizou, juntamente com sua trupe, o partido na cidade. Só pecou em não mudaracoordenaçãodacampanha. Dordecotovelo Quem anda chorando e resmungando por todos os cantos é o deputado das Traíras, distrito de Manga, Paulo Guedes. Depois de se acovardar e não disputar estas eleições em Montes Claros, ele lamenta argumentando que seria eleito, porque a candidatura de seu principaladversárioéinconsistente. MarcadaSadia De muito mau gosto o sim! sim! sim!, da campanha petista que abre seu programa eleitoral em Montes Claros. Esse slogan tornou-se mundialmente conhecido como o sim dos golpistas, especialmente da golpista Raquel Muniz quando votou a favor do pedido de impeachment contra a Presidenta HONESTA da República, Dilma Rousseff. Coincidência ou não, é a mesma marca da campanha em Pirapora. E do mesmo “marqueteiro”.CoisadePaulin... Infernoastral Após aquele insensato voto de Raquel Muniz, sua vida virou de cabeça para baixo. Seu esposo, exemplo de retidão na gestão pública”, como ela disse, foi preso pela Polícia Federal no dia seguinte ao seu espalhafatoso voto, acusado justamente de improbidade administrativa. Como se não bastasse, seu filho segue o mesmo caminho vicioso do pai. Está escorraçado, com mandado de prisão expedidopelaJustiça. Panelavelha O golpista deputado cantor Sérgio Reis, também vive momentos delicados depois do seu voto a favor do impeachment. Ele vem tendo que engolir seco pessoas quebrando seus discos e gritando golpista, nos shows “Tocando Em Frente”, com seus parceiros Almir Sater e Renato Teixeira. Depois de tais incidentes, Renato e Almir já pensam pular foradesseprojeto. Prefeitofujão Aquele episódio envolvendo o ex-prefeito de Januária, Maurílio Arruda, que mesmo sendo escoltado por três agentes da Polícia Federal, conseguiu pular da viatura da PF e fugir, parece história de pescador. Este fantasioso episódio,mesmotendosidofilmado,estáigual os casos de “Wilson Gasta Bala”. Ninguém acredita. Interessante Só a Polícia Militar de São Paulo que agride, prende, bate, arrebenta e joga bomba nos manifestantes “Fora Temer”. Tem alguma coisa de esquisito nessa ação truculenta da PM paulista. Os policiais paulistanos não agiam dessa forma quando os movimentos eram feitos pelos patos da FIESP. Será por que eles não gostam de mortadela? Ou do cheirodopovo? Ispiasó Em todas as ações da malsinada Operação Lava Jato, as Organizações Globo (rádio, jornal, televisões e sites) fazem questão de frisar em seu noticiário que entre os detidos para averiguações, “segundo apurou o Globo, encontra-se fulano de tal, ligado ao PT”. Será que só as pessoas leigas desse país estão enxergandoasórdidaperseguiçãodessarede d e c o m u n i c a ç ã o a o P a r t i d o d o s Trabalhadores. Hein? E o resto? Ave Maria!, suspirariaocarrascoeventual. AlexandreFrota AtéoFaustãoestámetendoopaunessaporra de governo. Responsável direta pelo golpe parlamentar de 2016, a Globo deu seu primeirosinaldeinsatisfaçãocomosrumosdo governo Temer, que, até agora, só produziu recessão e déficit público. A crítica veio no "Domingão do Faustão" e teve como tema a reforma do ensino médio, proposta por Mendonça Filho, assessorado pelo artista pornô Alexandre Frota. "Então, o país que mais precisa de educação faz uma reforma com cinco gatos pingados que não entendem porra nenhuma, que não consulta ninguém e aí, de repente, tira a educação física, que é fundamentalnaformaçãodocidadão» Rateu Essa turma do Ministério da Educação é a mesma que isentou recentemente aquele ladrãodamerendaescolardeMontesClarose que vive escorraçado em Miami para não ser preso.ParaoMEC,eleéinocente. www.emcimadanoticia.com - luiscarlosgusmao@gmail.com twitter:@emcimadanoticia - 38 9 9963 0718 Luís Carlos Gusmão
  6. 6. COTIDIANO Palco de tantas alegrias para montes- clarenses, o Estádio João Rebello, no bairro São José, região central de Montes Claros, se transformou em lote vago, cheio de mato e entulho. Mas a história gloriosa do estádio que abrigou, por décadas, um dos clubes mais tradicionais dofutebollocal,podevoltaraserescrita A Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Montes Claros (ACI) é parceira no projeto de revitalização do Ateneu. Nesse sentido, a entidade está fazendo tratativas com o empresário e presidente do clube, Cássio Aquino. A remodelação do estádio é capitaneada por grupo de ex-jogadores e torcedores, que busca parcerias nas esferas pública eprivada. Cássio Aquino conta que o principal desafio é viabilizar as reformas do estádio, desativado há mais de 10 anos, além de promover o retorno das atividades esportivas do clube mais tradicional da cidade. Para Edilson Torquato, presidente da ACI, o Ateneu tem uma história marcante e o espaço no Bairro São José é importante para a comunidade. “A ACI é uma entidade que, entre várias finalidades, tem a missão de fomentar o desenvolvimento. Por isso, estaremos juntos na luta pelo empreendimento do estádio voltar a ser realidade, apoiando a Associação DesportivaAteneu”.Torquato também participou de reunião entre a diretoria do Ateneu era, para fortalecer o compromisso de iniciar as obras no estádio, visto que os recursos já foram aprovados pelos vereadores, em reunião ordinária. O total a ser investido na revitalização do espaço está orçado em torno de R$ 2.135.000,00, investimento do tesouro municipal que, em contrapartida, receberá, sob a forma de comodato, a novaArenaAteneu para ser administrada pelo Município por 10 anos, podendo ser renovado por igual período ao fim do contrato.Aempresaqueforlicitada,ainda em setembro, deverá reformar o campo, alambrados, arquibancadas, banheiros, cabines de transmissão, corrigir os detalhes deteriorados e colocar em ordemaentradaprincipal. O prazo para conclusão das obras é de 8 meses. A Associação Desportiva Ateneu foi fundada em 1º de maio de 1947 e tem como patrimônio o Estádio João Rebello com capacidade para 3.200 pessoas. Atualmente o departamento de futebol profissionaldoclubeestádesativado. “A volta do Ateneu representa mais que ativar um estádio. Significa resgatar a história do time para as novas gerações. AlémderevitalizarobairroSãoJosé,com mais segurança, infraestrutura e espaço de lazer e esportes”, defende Edilson. “O Ateneu será um empreendimento social, para gerar renda, recursos, empregos, socializar os jovens, promovendo a inclusão social e avanços para a cidade”, projeta. Fonte:RevistaACI Esperança de que saia do papel mais um projeto de reconstrução do Ateneu Ateneu pode renascer das cinzas THONBAR Linguiça caseira com provolone, linguiça defumada frita no champagne, bolinhos de mandioca recheados acompanhados de dois molhos especiais. Rua Humaita, 50 - Bairro: Santa Rita Montes Claros, MG (38) 3212 4068 3212 4547 CASA DE CARNES SUMARÉ Edna e Ivan (38) 3212 5572 Rua Boa Esperança, 345 Sumaré Montes Claros - MG
  7. 7. POLÍTICA 7 Cidade Administrativa é alvo do MP O prefeito afastado e foragido deixa dívida milionária para sucessor. Investimento de R$ 80 milhões está sendo investigado pelo promotor Felipe Caires Maquete da aventura milionária do prefeito afastado A criação da Cidade Administrativa de Montes Claros está sendo investiga pelo Ministério Público, através de iniciativa do promotor Felipe Gustavo Gonçalves Caíres, da Curadoria do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa, que através da Portaria 77, de 15 de junho passado, quer esclarecer se o valor da aquisição do prédio da Coteminas seguiu todos os procedimentoslegais. Ele explica que o investimento total de RS 80 milhões para a obra, com dispensa de licitação, precisa ser investigado. O Município comprou o imóvel do do Grupo Coteminas, em maioúltimo. No dia 22 daquele mês, a Prefeitura de Montes Claros publicou a dispensa de licitação 2/2015. de compra por RS 48 milhões do imóvel da Coteminas e que serão necessários RS 20 milhões de investimentos e mais RS 10 milhões para montagem dos mobiliários e equipamentos. O promotor afirma que a transferência da Prefeitura para a Cidade Administrativa ficará em aproximada mente RS 80 milhões. “cifra bastante expressiva, a recomendar o acompanhamento pelo Ministério Público da lisura dos pagamentos a serem despendidos, da escolha dos respectivos fornecedores e da coibição de desvio de finalidade em quaisquer dessascompras°. Ele lembra ainda que o Ministério Público ao agir, colabora para evitar superfaturamentos em compras, direcionamento em licitação ou favorecimento de agentes públicos ou familiares, numa cidade como Montes Claros, carente de recursos na área de saúdeeeducação. Felipe Caíres esclarece que o Ministério Público não entra no mérito da transferência da Prefeitura para a Cidade Administrativa, pois entende queissoéfunçãodaadministração,dos vereadores e dos cidadãos de Montes Claros. O promotor solicitou que a Prefeitura encaminhe a cópia de todo processo licitatório de dispensou, inclusive com as avaliações imobiliárias e os estudos de viabilidade econômica da transferência: editais de licitações para compra dos mobiliários, equipamentos e ainda da reforma da unidade, assim como de possível venda das áreas circunvizinhas, como anunciada pela Prefeitura. Ele determinou que os servidores do Ministério Público compareçam ao local e façam o registro fotográfico de todo imóvel, visando resguardar o material paramaisesclarecimentos. Josué Gomes da Silva (no meio), dono da Coteminas, tem motivos de sobra para sorri O jornalista João Figueiredo ainda aguarda providências da Justiça contra Thiago Felipe, o “X-9” da polícia e “bate-pau” do prefeito afastado e de sua esposa, a deputada Raquel Muniz. Figueiredo foi ameaçado de morte há 3 anos, mas até hoje a audiência para tratar do caso não foi realizada. Suspeita-se que os Muniz tenham atuado para, supostamente, corromper funcionários do cartório do Juizado Especial para alterar data da audiência, sem prévioavisoàvítima. Em maio de 2013, Thiago Felipe, na época segurança particular da então chefe de Gabinete de Ruy Muniz, Raquel Muniz, ameaçou João Figueiredo de morte no plenário da Câmara Municipal de Montes Claros. No local na condição de repórter fotográfico do jornal Daqui e revista Tuia, o jornalista fotografou o “bate-pau” quando ele se encontrava conversando com a vereadora Marli,motivoalegadoparaaameaça. Thiago Felipe foi preso e conduzido à delegacia de plantão da Polícia Civil. Lá, enquanto Figueiredo fazia a representação criminal, foi procurado por Diran Rodrigues de Souza Filho, funcionário do gabinete do prefeito atualmente afastado, que lhe sugeriu não dar sequência ao processo, haja vista que seria uma perda de tempo, pois o prefeito e seus advogados estariam defendendo o “alcaguete” e, assim, a denúncianãodariaemnada. João Figueiredo se recusou a retirar a queixa- crime. Porém, ao comparecer ao Juizado Especial no dia 8 de junho de 2013, data marcada para a primeira audiência, foi informado de que tal audiência ocorrera três dias antes, no dia 5. Ao apresentar o mandado de intimação que tinha em mãos, no qual constava a data correta, o cartório do Juizado reconheceu que houve um erro na convocação e que seria marcada uma nova data. Ficou, então, a suspeita de que o prefeito Ruy Muniz e seus funcionários haviam conseguido junto a funcionários do cartório que se forjasse um erro nas datas para que o fato caísse no esquecimento e beneficiasse o réu. Até hoje nãohouvenenhumasolução. Thiago Felipe é aquele que gravou imagens do ex-prefeito Athos Avelino cumprimentando um pastor evangélico em um evento religioso durante a campanha eleitoral de 2008. As imagens teriam sido vendidas a Tadeu Leite que, juntamente com a assessoria de Jairo Athayde, as utilizou num processo movido contra Athos na Justiça Eleitoral, sob alegação de que tal fato constituía irregularidade na campanha eleitoral, o que resultou na condenaçãodeAvelino. Coincidência ou não, como resultado das negociações pelas imagens, Thiago Felipe trabalhou no governo de Tadeu Leite e continuou no atual governo durante o primeiro ano; depois passou a atuar como parte do grupo que faz a segurança de Raquel Muniz. Suafunçãoéobservaroambientefrequen-tado por Raquel e repassar informações aos seguranças da mesma (sobre quem está presente e se o clima é favorável ou hostil a ela). Alémdafunçãode“bate-pau”deRaquelMuniz, Thiago Felipe é conhecido no meio policial como “X-9”. Segundo consta, ele costuma se infiltrar entre criminosos e os delata para a polícia. Segurança dos Muniz e informante da polícia ainda não foi punido Conhecido como “X-9” ou “alcaguete” da polícia, Thiago Felipe responde por ameaça a jornalista. Ele serviu ao ex-prefeito Tadeu Leite e hoje é “bate-pau” da deputada do “sim, sim, sim” Decreto de nomeação foi o prêmio recebido de Tadeu pela arapongagem na campanha de 2008. Thiago Felipe: “Bate-pau” e “alcaguete” Fazemos cópias, aberturas, troca de segredos e amolamos alicates (38) 3212 6146 - 9977 3990 Rua Dr. veloso, 1.398 - Centro
  8. 8. 8CULTURA 7 De “repente”, o cordel montes-clarense Professor Carlos Azevedo se dedica a escrever cordel como forma de resgate da História escrita e oral do Norte de Minas Apresentação de cordéis na comunidade de Espigão de Cima, município de Montes Claros Fotos: João Figueiredo Por João Figueiredo Professor de História, especiali- zado em Cultura Afro-brasileira, o montes-clarense Carlos R e n i e r A z e v e d o v e m s e aprimorando na escrita da literatura de cordel como forma de resgate da história do Norte de Minas. Começou há pouco mais de um ano: seus dois primeiros cordéis, “Vapor Benjamin Guimarães” e “Ouro Preto e o Conto do Vigário” foram escritos em maio de 2015. Depois deles vieram mais 17. Desde então viajou por várias cidades do Nordeste, São Paulo, Rio de Janeiro e Norte de Minas, participando de eventos culturais e divulgando o seu t r a b a l h o . É a m a n t e d o “Repente” (modesta-mente se define como aprendiz de r e p e n t i s t a ) e d e o u t r a s modalidades musicais nordes- tinas como “Martelo agalopado”, “Galope à beira do mar”, “Quadrão”, “Mourão” e “Oitavão rebatido”. O artista popular pratica repente nas modalidades regionais como “Calango de Montes Claros”, “Caninha Verde” e “Martelo mineiro”. Costuma cantar ou declamar seus cordéis em ritmos variados. É também contador de casos criados e recriados a partir de seus cordéis e de fatos reais. Ganhou um prêmio pelo recorde de vendas de cordéis na cidade de Feira de Santana-Ba, onde r e c e b e u u m a e s t a t u e t a produzida pelo artista plástico, alagoano (poeta, xilogravador, pintor, desenhista e escritor), L u i z N a t i v i d a d e , e f o i homenageado pelo seu trabalho durante o Psiu Poético de Francisco Sá.. A z e v e d o t r a b a l h a n u m a dependência de sua casa, onde outrora fora uma lanchonete; é um cantinho exclusivo para a produção dos cordéis. Ele mantém contatos permanentes, através de redes sociais, com Oliver Brasil, de Feira de Santana (que ele diz ser seu mestre do cordel), com Ednaldo Santos, do Rio de janeiro, Dulce Esteves, de Recife-Pe, Silvano Lyra (seu professor de repente), de Olinda-Pe (atualmente nos EUA) e outros, que o ajudam no aprimoramento da sua arte. Carlos Azevedo vem de uma família ligada ao mundo artístico - r e p e n t i s t a s , p o e t a s , trovadores, pintores, etc. Destaques para seu pai,Antônio Augusto Azevedo, já falecido, que era músico, poeta e compositor, militar integrante da Banda de Música do 10º Batalhão da Polícia Militar em Montes Claros; e para seu tio, o poeta, compositor, cantor, escritor, cordelista e repentista, Theo Azevedo, natural de Alto Belo, município de Bocaiuva. “Meu trabalho é resgatar e preservar a história do Norte de Minas através do cordel”, declara. Escreve seus cordéis d a f o r m a t r a d i c i o n a l , observando rigorosamente a rima e a métrica em estrofes de 6 versos (sextilha) e versos de 1 0 s í l a b a s p o é t i c a s (decassílabos); costuma escre- ver também “Glosas”, versos com motes que se repetem no final de cada estrofe, sobre temas que envolvem questões comporta-mentais e fatos da História Universal, às vezes com uma leve pitada de humor. Seus projetos futuros são criar um jornal, uma emissora de rádio e televisão, todos online, para divulgação da cultura nordestina e preservação da literatura de cordel e da poesia, especial-mente a poesia de redondilha. Pretende também publicar uma coletânea de seus cordéis em forma de livro.
  9. 9. 9 HISTÓRIA Patrimônio histórico está sendo demolido em Montes ClarosEntretanto, a historiadora e promotora cultural Raquel Mendonça, que coordena a gerência de preservação e promoção do patrimônio cultural, aponta avanços na área Sem fiscalização eficiente, imóveis históricos estão sendo demolidos de forma irregular em Montes Claros. A gerente de preservação e promoção do patrimônio cultural de Montes Claros, Raquel Mendonça, denuncia que os proprietários de casas situadas na área de perímetro histórico ou preservação do município fazem a demolição na calada da noite, em finais de semana ligados a feriados, se a p r o v e i t a n d o d a f a l t a d e fiscalização. Na área que ela comanda não funciona plantão nesses dias. “Para muitos, a memória, a história da cidade, parte mais que importante, imprescindível de sua identidade cultural, não têm o menor valor, e somente o 'dinheiro' e o valor material do bem lhes importa”, diz, indignada. Mas, apesar de tudo, ela vê ações de preservação eficientes em curso em Montes Claros. Raquel cita como exemplo a antiga ' C a c h a ç a r i a d e D u r ã e s ' , inventariada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico eArtístico de Minas Gerais (IEPHA/MG), situada na rua Justino Câmara, entorno histórico nobre da cidade. O local já teve as obras de restauração efetivamente iniciadas por seu proprietário, Wagner Gonçalves Lafetá Rabelo, com base em projeto assinado pelo arquiteto e urbanista Sidcley Barbosa, junto à designer gráfica Cecília Lenoir, tudo analisado, avaliado e aprovado pelo Conselho Municipal do Patrimônio C u l t u r a l d e M o n t e s C l a r o s (COMPAC). “Quem passa pelo local imagina logo que o imóvel foi cercado para demolição, mas, na verdade, é para receber obras de restauro ou restauração”, esclarece. Raquel Mendonça lista algumas conquistas na área de patrimônio histórico e cultural de Montes Claros, com destaque para a finalização, com escritura registrada em cartório, da negociação do “Sobrado de Dulce Sarmento” (antiga Pensão de Dona Geny Mendes Ribeiro), situado na rua Justino Câmara com Coronel Celestino, por meio de permuta com lotes públicos. “Assim que for restaurado o sobrado receberá, finalmente, o importante 'Museu da Imagem e do Som de Montes Claros', com os ricos acervos de Valdomiro Souza (Miro Vídeo), já doado à Prefeitura de Montes Claros; e do PROMEMOC - Pró- Memória de Montes Claros (Núcleo do futuro Museu que funciona na Secretaria Municipal de Cultura), da Fotógrafa de Arte Ângela Martins Ferreira e muitos outros mais”, informa a historiadora. Segundo ela, o 'Sobrado dos Teles de Menezes', localizado na rua Justino Câmara, que se encontra em péssimo estado de conservação, passará por obras de escoramento (reforço estrutural amplo), tendo como base projeto do engenheiro civil Carlos Eduardo Ferreira de Brito e do arquiteto e urbanista Hélio Renato Silva Brantes. O passo seguinte será a aquisição pelo Município, para restauração. No sobrado residem, correndo risco, dois herdeiros idosos, senhores Waldir e Valdevi. A negociação está intermediada pelo Ministério Público local, por meio da promotora de Justiça,Aluísia Beraldo Ribeiro. Por outro lado, o extenso lote situado ao lado do Sobrado dos Versiani-Maurício (Casarão dos Maurício), na rua Coronel Celestino, de propriedade de Daniela Maurício (neta de João Valle Maurício e MileneAntonieta Coutinho Maurício) e família (Alberto e filhos), está em fase de aquisição pela Prefeitura de Montes Claros, com a possibilidade de ser também por permuta com lotes públicos. Lá, será construído o primeiro teatro da 'cidade da arte e da cultura', projeto do arquiteto e artista plástico Hélio Brantes. De acordo com Raquel, a 'Casa de Dona América', situada na Rua Dona Eva (Eva Bárbara Teixeira de Carvalho, fundadora da Banda Euterpe Montes-clarense), quase em frente ao imponente sobrado da Escola Normal/FAFIL, onde foi implantado o Museu Regional do Norte de Minas da Universidade E s t a d u a l d e M o n t e s Claros/Unimontes, não deverá ser demolida, como pretendia a sua proprietária, mas sim negociada com a Prefeitura, também por permuta. Antiga pensão de Dona Geny deverá se transformar no Museu da Imagem e do Som Cachaçaria do Durães será restaurada
  10. 10. ESPECIAL TABU Precisamos falar sobre suicídio PorJOANASUAREZ Você conheceu alguém que suicidou-se? É só pensar um pouco que logo vem à mente um parente, um vizinho, um amigo... Mesmo sendo tão próximo das pessoas, a palavra suicídio costuma ser perturbadora, algo aparentemente proibido de se comentar. Um poderoso tabu ronda esse assunto há séculos e se tornou imprescindível quebrá-lo para tirar a cortina que esconde essa realidade: no mundo, a cada 40 segundos, uma pessoa dá fim à própria vida, vítima de um silêncio interrompidopelamorte,quemanifesta,de formadrástica,osofrimentohumano. E n t r e o s b r a s i l e i r o s , s ã o aproximadamente 12 mil mortes voluntárias por ano. Em média, uma a cada 45 minutos, levando em conta o ano de 2012 – último consolidado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). São mais óbitos do que os provocados pela Aids – 10 mil morreram vítimas da doença no país, no mesmo ano. Trazendo as estatísticas para a realidade mineira, mais de três pessoas se mataram por dia em 2015. Entre 2006 e 2014, houve um crescimento de 35% dos suicídios em Minas, conforme a Secretaria de Estado deSaúde. A começar por esses números, ainda subnotificados, e pelo apelo, em coro, de especialistas, vítimas e parentes, não há dúvidas: precisamos falar sobre suicídio, poiséamelhorformadeprevenção.Cerca de 90% dessas mortes poderiam ser evitadas. O marido de Rute*, o pai de Denise, o namorado de Camila* e o pai de Eugênio não falaram que queriam se matar. A amiga de Raquel* avisou, mas ninguém acreditou. Restou aos familiares um luto dos mais difíceis de lidar. É por isso que eles são chamados por psicólogos e psiquiatras de sobreviventes. “Para cada suicídio,pelomenoscincoouseispessoas em volta são afetadas”, diz o presidente da Associação Brasileira de Prevenção ao Suicídio,opsiquiatraHumbertoCorrêa. Rute*, 61, herdou uma “depressão severa” com a morte do marido, que foi encontrado por ela enforcado em casa. “Uma cena horrível”, relembra. Passados seis anos, ela ainda se sente “culpada por alguma coisa”. “Tem que buscar uma terapia para agenteenxergarqueaopçãofoidele,mas me abalou muito. Hoje me descontrolo com qualquer emoção. O médico ainda vê emmimumatristeza”,descarrega. O marido, segundo ela, era depressivo havia 20 anos, mas “nunca deu uma dica de que faria isso”. “Ele vinha ficando deitado.Nodia,nósalmoçamosjuntos,ele até brincou dizendo que eu fiz uma comida que ele não gostava. Depois, eu estava costurando e vi que ele se levantou. Achei que tinha animado. Escutei o barulho da escada, mas jamais passou pela minha cabeça...”. Na véspera, eles tinham ido ao médico conferir a medicação contra a depressão. “Estava correta, mas não funcionou”. Razões. “Nunca tente entender. Você não vaientender”,disse,comconhecimentode sobrevivente, um amigo da produtora de vídeo Denise Flores, 34, quando ela, há 11 anos, perdeu o pai. Ele estava sozinho na fazenda da família e deu um tiro no peito. “Fui até lá achando que meu pai tinha sido assassinado e cheguei perguntando para minha mãe quem havia feito aquilo. Só então ela me disse a verdade: foi ele mesmo”. A produtora buscou respeitar o que o pai fez, pois acredita ter sido um “deslize”. “É difícil perdoar, às vezes, você está bem com isso, às vezes, não. Se ele pudesse voltar atrás, se nós falássemos com ele, acho que ele não faria”. Denise teve que responder as pessoas: como pôde não ter notado nada antes? “Depois do meu pai, dois amigos da faculdade se mataram. É importante dizer que existem lugares que ajudam e têm possibilidade de oferecer socorro”. *Nomesfictícios ASSUNTOPROIBIDO Casos são subnotificados por causa de preconceito O pai de Denise Flores suicidou-se quatro meses depois de tomar posse como prefeito, e a sua morte foi notícia pública. Mas, geralmente, a família tenta esconder, e o assunto é comentado “a boca miúda”. Parentes pedem para mudar a causa da morte na certidão de óbito ou, quando alguémchegaaohospitalporquetentouse matar, não dizem a motivação e registram como acidental. A OMS estima que a subnotificação dos casos seja em torno de 40%. “A morte em si já é um tabu, a morte voluntária, então, é mais assustadora ainda. E as pessoas têm vergonha. Se você começa a namorar alguém, você não pode falar que tentou suicídio”, diz a psicólogaFernandaMarquetti. Eugênio Tadeu, 55, cresceu ouvindo que o pai havia morrido do coração, mas ele suicidou-se quando o filho tinha 7 anos. “Pouco tempo depois, meu tio também se matou. Até hoje minha família não fala muito, é colocado um mistério. Só depois de anos de terapia, eu aceitei. Ora, meu pai morreu se matando, foi uma responsabilidade dele diante da própria vida. Afinal, viver não é fácil”, afirma, parafraseando Guimarães Rosa: “Já falava Riobaldo: está morto quem não peleia”.(JS) O Marido de Rute se enforcou há seis anos, e ela acredita que esconder é muito pior Foto: Fernanda Carvalho Após perder pai e amigos, Denise aposta na conversa sobre suicídio como prevenção A cada 40 segundos, uma pessoa se mata no mundo 10
  11. 11. A Galeria recebeu o nome de José Brandão Filho,quefoipresidentede1955-1958,59-62e 67-69, ficando nessa condição por um período de 10 anos, com trabalho pautado pela ética, r e s p o n s a b i l i d a d e , h o n e s t i d a d e e compromisso. “A criação da galeria dos presidentes da Câmara é uma maneira de manter viva a lembrança dos ex-presidentes, que se comportaram com dedicação, dignidade e competência. Alguns deles já se foram, mas deixaram bons ensinamentos, e hoje aqui são muito bem representados pelos familiares, que com certeza se orgulham da história por eles construída. Muitos deles estão aqui conosco, compartilhando deste momento que certamente será marcado na memória de todos”, disse o atual presidente, Antônio Gilmar Cardoso”, durante a cerimônia de inauguração,dia23desetembro. Segundo ele, a Galeria José Brandão Filho é uma forma de preservar a história da Câmara Municipal de Bocaiuva. O filho do homenageado, advogado Affonso Romildo Alves Brandão, salientou a honradez do pai e lembrou que ele era um homem de boa convivência, culto e autodidata, que aprendeu dominar o idioma português e tinha razoável conhecimento do inglês, do francês e do italiano. “Meu pai aprendeu a língua italiana para conversar com o seu sogro, o lendário HenriqueStorino”,revelou. Relembrou que José Brandão Filho era arrimo de família antes de se casar com Helena Storino. E que ele, como vereador e presidente da Câmara, deu exemplos de nobreza e retidão. Informou que seu pai, nas várias viagens feitas para participar de congressos dos municípios, assim como para se reunir com o senador e dono dos DiáriosAssociados, Assis Chateaubriand, com os ministros da Fazenda, José Maria Alkmim e da Educação, Clóvis Salgado, o fez com recursos próprios.A propósito, lembrou ainda que naquela época o vereadornãorecebiasalários. Bárbara Yasmim Brandão, neta de José Brandão Filho, leu uma biografia de Edilson Brandão, elaborada por José Henrique Brandão. O vereador Ronildo Ribeiro de Andrade falou da figura humana e do interessante perfil político de José Brandão Filho, que dominava os meandros e as articulações políticas. Segundo Ronildo, “”Zé Brandão” davaaulaemvereadoresdoutorese diplomados que compunham à Câmara daquelaépoca. Compareceram à cerimônia os filhos Zelene Storino Brandão, José Henrique (Juca) Brandão, Affonso Romildo Alves Brandão e Heloísa Helena (Heleninha) Brandão; os netos Bárbara Yasmim Brandão, Humberto D. Storino eAdriano D. Storino; os bisnetosArthur StorinoT.Brandão, Maria EduardaT.Brandão e Teresa Helena Brandão Caldeira; Jorge Caldeira, esposo de Bárbara; e muitos convidadosdasfamíliasBrandãoeStorino. vidadosdasfamíliasBrandãoeStorino. REGIONAL GALERIA JOSÉ BRANDÃO FILHO InauguradagaleriadospresidentesdaCâmaraMunicipaldeBocaiuva
  12. 12. 12 CIDADANIA Presídio de Montes Claros ganha 90 câmeras para vigilância interna O Presídio Regional de Montes Claros (PRMC) vai passar a operar um circuito fechado de TV com 90 câmeras, que estão sendo instaladas na área de celas, nos setor administrativo, de triagem, ambulatório de saúde, portaria, setor de revista e muralha, essas voltadas também para a captação de imagensdoentornodopresídio. OinvestimentoédeaproximadamenteR$160 mil provenientes da conta de penas de prestação pecuniária da Vara de Execuções Penais da comarca. Neste momento, um grupo de 10 agentes penitenciários já está sob treinamento para que possa haver revezamento na monitoração, 24 horas por dia. O diretor-geral do PRMC, Gilton Costa, destaca que o investimento é mais uma demonstração da importância da parceria entre o Executivo e o Judiciário para melhorar a estrutura no sistema prisional. “Acredito que as câmeras serão muito eficazes para nos ajudar a tomar decisões em momentos de tensão, combater a entrada de materiais ilícitos, além, é claro, de garantir a segurança de presos e servidores da unidade”, avalia o diretor-geral. O juiz da Vara de Execuções Penais, Geraldo Andersen de Quadros, diz que a aprovação do projeto do novo CFTV do presídio segue a orientação do Conselho Nacional de Justiça e doTribunaldeJustiçadeMinasGeraissobrea aplicação dos recursos originados com a aplicação de penas de prestação pecuniária. “É responsabilidade da Vara de Execuções prezar pela segurança e integridade de servidores e custodiados e acredito que essas câmeras irão contribuir para garantir a disciplina e bem estar de todos dentro da unidade”,afirma. O magistrado disse, também, que essa é apenas a primeira grande melhoria no sistema prisional de Montes Claros custeada com as penas de prestação pecuniária em Montes Claros.Eleprevê,ainda,quenopróximoedital para análise de projetos seja aprovada a liberação de recursos para a instalação de um escâner corporal e outros equipamentos de segurança. As penas de prestação pecuniária, que consistem em pagamento em dinheiro, são adotadas pela Justiça Criminal como sentença condenatória em substituição à prisão ou como condição de suspensão do processo ou como transação penal. Esses valores são depositados numa conta bancária que tem como titular a Vara de Execuções Penais ou Criminais da comarca de cada localidade. Pelo menos uma vez por ano, o juiz responsável deve lançar um edital para escolher projetos a serem custeados com recursos apresentados por entidades públicas ou privadas com finalidade social ou para atividades de caráter essencial à segurança pública, à educação e à saúde, com prevê resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Na melhoria do sistema prisional a verba é usada de várias formas, entre elas a construção de galpões de trabalho, bibliotecas, salas de aula e espaço para atendimento médico e psicológico. Outras inciativas estão voltadas para a segurança e melhoria da unidade prisional, como implantação de circuito interno de TV, guaritas, reformas e construção de novas celas. 3081 1017 - 9983 5962 - 9197 0204 Alinhamento computadorizado - Balanciamento - Troca de óleo - Escapamento, Suspensão - Freios - Higienização de ar condicionado - Mecanica em geral Av. João XXIII, 2.500 - Bairro Santos Reis M A T E R I A I S E L É T R I C O S H I D R Á U L I C O S HM A. João Luiz de Almeida, 647 Fone: (38) 3223 8119
  13. 13. CIDADE APLAUSOS & PAULADAS João Figueiredo joaofigueiredored@gmail.com (38) 9 99370174 M E D I C I N A MERCANTILISTA Acoluna recebeu uma denúncia de que um médicopneumologista(queadoraaparecer na tv) e atende na esquina da rua Tiradentes com uma rua que homenageia um homônimo seu, costuma solicitar de s e u s p a c i e n t e s e x a m e s c o m o “espirometria” e exige que tais exames sejam feitos na sua própria clínica sob a ameaça de não dar continuidade ao tratamento caso o paciente decida fazer o exame em outra clínica. A alegação é de que as outras clínicas não possuem pneumologistas para realizar o exame. Questionado sobre o fato de que é a sua recepcionista, e não ele, quem executa o exame, teria respondido agressivamente a um paciente, justificando que sua funcionária foi devidamente treinada, que a análise final do exame é feita por ele e que as outras clínicas não têm especialistas qualificados para esse trabalho. Com a palavraoConselhoRegionaldeMedicina... PSICOPATIANAMCTRANS Outra denúncia que a coluna recebeu foi de que um agente de trânsito da prefeitura, residente no bairro João Botelho (ou Vila Luíza), costuma curtir suas horas de folga passeando, sem uniforme, pelas adjacências de sua residência aplicando, dissimuladamente,notificaçõesdemultasa veículos estacionados. Ele certamente sequerselembradasatribuiçõesdedirigire orientar o trânsito, inerentes a sua função (quando em serviço) e se fixa apenas na atribuição de fiscalizar (e punir); fazer isto nas horas de folga deve preencher o seu vazio íntimo, além dos cofres públicos (ou osbolsosdealguém),éclaro! INOPERÂNCIA Desde que assumiu a prefeitura ninguém consegue agendar audiências com o prefeito Zé Vicente. A associação comunitáriadePlanaltoRuralvemtentando há mais de três meses para discutir com o prefeito, lideranças e o Superintendente Regional de Ensino, José Gomes, sobre a ampliação das instalações da Escola Municipal Mariana Santos e não consegue. Gomes já se colocou à disposição para conversar sobre o assunto. A secretária do gabinete do prefeito, sempre que procurada,afirmaquevaiverificaraagenda e depois retorna. A resposta nunca vem, e este não é o único caso. Há quem diga que o agendamento só se efetiva depois que Vicente recebe a autorização do casal Muniz. Alguém precisa informar o Zé que ele deixou de ser vice e se tornou titular desde que o outro foi preso e afastado do cargo. MALANDRODEMAIS... O slogan do prefeito afastado, em busca de reeleição, sugere aos eleitores com capacidade crítica que o “cara é bom enganador”, porém, há os que caem na sua lábia. Por outro lado, há quem avalia que o enganador se enrolou todo ao colocar o seu patrimônio em nome de “laranjas” e que poderá ter confiscadas pela justiça as suas empresas e instituições classificadas como filantrópicas (chamadas por alguns de “pilantrópicas” como referência à pilantragem). Ele não ficará pobre porque certamente conseguirá manter muita coisa guardada longe dos olhos da justiça, mas sofrerá um grande desfalque nas suas posses. Como disse o Bezerra da Silva: malandrodemaisvirabicho!... DEMAGOGIA Maisumadenúnciarecebidapelacolunadá conta de que aquele ex-vereador que foi preso pela Operação Pombo Correio da PolíciaFederal,perdeuaeleiçãoem2008e ainda teve seus direitos políticos cassados por corrupção por 8 anos em outro processo, vem tentando esconder a sua decadência política aos olhos de moradores da zona rural de Montes Claros com aquilo que sabe fazer muito bem: mentir e fazer um teatro de que ainda possuiprestígiopolítico. DEMAGOGIAII O dito demagogo, durante o último mês de junho,acompanhou,duranteváriosdias,as máquinas da prefeitura que estavam cumprindo a programação da Secretaria Municipal de Agricultura na recuperação das estradas no povoado de Lagoinha e comunidades adjacentes. Servia lanches aos funcionários que estavam executando os trabalhos e abordava os moradores beneficiados para transmitir-lhes a falsa informação de que fora ele quem conseguira viabilizar o benefício. O objetivo fica claro para quem lhe conhece: transmitir a eleitores e candidatos às eleições municipais de outubro a ideia de que tem prestígio político e, com isso, fazer barganhas que lhe rendam dividendos financeirosdealgumcandidato. CORONELISMO Assimcomoodecadentepolíticocitado,um jovem vereador da atual legislatura, que já posou de progressista, mas vem comendo na mão do prefeito afastado durante todo o seumandato,usoudamesmaestratégiade transmitir aos moradores da região de Lagoinha e Pentáurea que fora ele, o vereador, o responsável por enviar as máquinaspararepararasestradasdaquela região. Político jovem utilizando a velha estratégia de manipulação de eleitores que não sabem quais são as reais funções de um vereador: quando se pensa que o coronelismo montes-clarense está morrendo ele dá mostras de que renasce a cadainstante. PACOTES Aquele jornalista que já militou na esquerda e que hoje compõe a equipe que bajula (profissionalmente) o casal Muniz, há cerca de um mês, ou um pouco mais, acertou uma, isto é, fez algo que merece aplauso: escreveu um artigo conscientizando sobre a exploração comercial que está por trás do ato de os supermercados não contratarem empacotadores, o que obriga os clientes a empacotaremsuasprópriascompras. CULTURA O Projeto Saberes e Valores, do Grupo de Capoeira Cordão de Ouro, vem sendo realizado com excelentes resultados. O projeto, que existe desde o início do ano de 2015, tem como parceiros o Colégio Marista São José de Montes Claros, Secretaria Municipal de Cultura, Mandato do vereador Eduardo Madureira, Associação Comunitária de Espigão de Cima, Assentamento Estrela do Norte e Escola Municipal Mário Tourinho. A proposta é o resgate de saberes e valores culturais, éticos e morais por crianças e adolescentes, principalmente os de comunidades carentes. Conta atualmente com cerca de 70 participantes. Este colunista se orgulha de atuar como monitor doprojeto. CULTURAII Este colunista assumiu a função de Diretor Cultural da Associação Escolinha de Capoeira Irmã Mônica, entidade presidida pelo Mestre Tadeu, líder do Grupo de Capoeira Arundê. A atuação do Mestre Tadeu em projetos sociais à frente da associação já lhe rendeu homenagens até naAssembleiaLegislativadeMinasGerais. Com as bênçãos do deputado Paulo Guedes, em acordo com o reitor João Canela, tucanos continuam exercendo a maioria dos cargos na Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), muitosdechefia,comoodopróprioreitor. Curiosamente, várias pessoas que ocupam postos de confiança na universidade, indicadas ainda na época do PSDB, continuaram a malhar o Partido dos Trabalhadores, mesmo depois que o partido, pelo menos em tese, assumiu o governoestadual. O caso da Rádio Unimontes é inacreditável. Comandada por tucanos, simplesmente não divulga as notícias de interesse do governo. Situação bem diferente da verificada quando o governador era do PSDBehaviaumaavalanchedeinformes. A direção tucana da Unimontes causou uma situação inusitada durante recente paralisação dos professores. Enquanto o comando de greve negociava com o governo, o tucano reitor ignorava as mais básicas reivindicações da categoria, o que fez com que ele, junto com o próprio governador Fernando Pimentel, fosse homenageado com um enterro simbólico.A greve foi encerrada, mas o desgaste continua. Unimontes em mãos tucanas “A quem estás carregando Irmão das almas Embrulhado nessa rede ... É dois defuntos... Pimentel e João Canela... Que há muito tempo Atrapalham Nossa Jornada” (Cântico fúnebre entoado na Unimontes, durante “enterro” de reitor)
  14. 14. POLÍCIA Vereador diz sofrer perseguição do comando da PM BIG BROTHER NA PM Sargento afirma que tem sua rotina bisbilhotada por defender desmilitarização da corporação 14 Real missão da Corporação, que é de proteger o cidadão, estaria sendo desvirtuada, dando lugar a questões de cunho político O vereador Wanderley de Oliveira, o “Lêga”, reafirmou ao Daqui o que vem denunciando há algum tempo na tribuna da Câmara Municipal: estaria sofrendo uma perseguição implacável, patrocinada pela cúpula da Polícia Militar, especialmente do coronel César Ricardo, comandante regional da PM. Essa perseguição teria se iniciado depois de o vereador se posicionar contra irregularidades praticadas peloprefeitoafastadoRuyMuniz. O vereador afirma que tudo começou quando ele acionou policiais em serviço na rua para abordarem caminhões a serviço da prefeitura, por suspeita de irregularidades na documen- tação dos veículos. A abordagem resultou na apreensão dos veículos pela confirmação das suspeitas. Em virtude disto o coronel César Ricardo teria reagido, condenando a atitude do vereador Lêga, o que gerou um desenten- dimento entre os dois e, consequentemente, uma animosidade também entre o vereador e o tenente-coronel Ederson, comandante do 10º Batalhão, que teria se solidarizado com César Ricardo. A partir desse fato, os comandantes teriam proibido os chefes de cerimônias de anunciarem a presença do vereador em solenidades militares em Montes Claros; foi determinado também que Lêga só poderia entrar nas dependências do 10º Batalhão escoltado por um integrante da Polícia Secreta daPM,comoformadedesmoralizarovereador. Na ocasião Lêga denunciou irregularidades supostamente praticadas pelo coronel César Ricardo, tais como recebimento indevido de pagamento de diárias por serviços em que ele não teria participado diretamente, desvio de recursos destinados à reforma de um quartel e perseguição a vários policiais sob o seu comando, situação que caracteriza, inclusive, assédio moral. Essas denúncias redundaram em processos judiciais (na Justiça Militar) e administrativos, a mando do coronel, em tramitaçãocontraovereadorLêga. Outra denúncia é de que vereadores ligados ao prefeito afastado Ruy Muniz se aliaram ao coronel César Ricardo para defenderem os interesses do comandante e boicotarem os projetos do vereador Lêga. Ele cita o projeto que penalizaria os vereadores que abandonam oplenárioantesdofinaldasreuniões;avotação resultou em empate e o voto de desempate do presidente, vereador Marcos Nem, foi contra a penalização; assim, os vereadores podem livremente apenas se apresentar no início das reuniões e, em seguida, se ausentar para questões particulares ou para evitar quórum de votação em projetos que não sejam do interessedoprefeitoafastado. O vereador Lêga falou também do crescimento vertiginoso da criminalidade em Montes Claros nosúltimosmeses,enquantoocomandodaPM está preocupado apenas em se envolver em questões políticas, inclusive, tentando criar mecanismos para dificultar a sua campanha à reeleição de vereador e sempre investindo na defesa dos interesses do prefeito afastado. Procurado pelo Daqui, o comando da PM não semanifestouarespeito Ruy Muniz ao lados dos coronéis Éderson e César Ricardo Foto: Internet Tensão entre vereador e comandantes virou bola de neve O sargento aposentado da Polícia Militar, Paulo Santos, residente em Montes Claros, afirma que vem sofrendo perseguições do serviço secreto da corporação há mais de 20 anos por defender a desmilitari- zação. Tudo começou, segundo Santos, em 1975, quando ele se candidatou à presidência da Associação dos Subtenentes e Sargentos da PM, principal entidade representante dos praças , e defendeu publica- mente a desmilitarização da PM. Ele teria sofrido uma campanha interna contra a sua candidatura, o que lhe impediu a eleição. Depois disso, conta, tem sofrido ferrenha perseguiçãodosseussuperiores. Santos alega que desde que manifestou suas ideias vem sendo acompanhando diuturnamente pelo serviço secreto da PM que faz escutas ilegais dos seus telefones e “hackeia” seus computadores (e- mails e suas atividades em redes sociais), violam suas correspon- dências, seguem-no quando em deslocamento em suas atividades diárias e acompanham sua rotina com uso de tecnologias capazes de obterem imagens e áudios de sua privacidade, ou seja, da intimidade do seu lar, além de promoverem intrigas com seus vizinhos e colegasdeprofissão. O objetivo de tal perseguição, segundo o policial Santos, seria para provocar-lhe uma “tempes- tade mental”, isto é, levá-lo a um colapso psicológico para que ele caia no descrédito, tanto no meio policial como no meio civil, e para que suas ideias de desmilitari- zação da PM não proliferem. “Se eu surtar, ninguém vai acreditar em mim e é justamente isso que eles querem!”, revela, convicto de que de fato é alvo de uma espionagem implacável nos moldes de um filme hollywoodiano. A reportagem entrou em contato com o comando da PM em Montes Claros, mas não houve retorno a respeitodasdenúncias. Para o policial aposentado, a desmilitarização diminuiria a violência Posição do policial não agrada comando
  15. 15. Pedalando em Montes ClarosEvento para estimular a prática do ciclismo entre as mulheres, IV Garotas da Bike ocorreu dia 18 de setembro e movimentou Montes Claros - Christiane Gonçalves foi uma das meninas conquistadas pelo grupo. “Ouvia pessoas falarem da pedalada com grande entusiasmo e isto foi me contagiando. Quando vi, estava lá”, conta ela. “O grupo é como uma família. Ninguém está ali por uma competição, mas sim pelo objetivo de curtir uma boa pedalada e os lugares visitados. A bicicleta é saúde, representa uma vida melhor, com boa forma e menos estresse. O mais legal é o entrosamento que ela permite com pessoas de vários tipos, ideias e experiências de vida que eu nunca mais esquecerei. Acredito que chegarei aos 60 anos pedalando com essa turma, que é pura animação”,projeta. Maria Tereza também comemora esse entrosamento. “O grupo ajudou a me manter no pedal, a começar pelo simples fato de ser composto por mulheres muito dispostas e determinadas a pedalar, promovendo passeios diferentes a lugares incríveis. Dessa forma, a amizade construída entre as integrantes nos faz querer estar sempre juntasnopedal”,diz. Despertar para a bicicleta traz as meninas para o pedal não só em busca de diversão. Simone conta: “muitas começam a utilizar a bicicleta como forma de lazer e acabam a utilizando também como meio de transporte. Um exemplo de estratégia de melhoria na mobilidade urbana é a adotada na cidade de Janaúba, que possui uma ciclovia separada por canteiro, o que impede os motoristas de estacionarem no local destinado aos ciclistas. Na cidade, a maioria dos trabalhadores utiliza a bicicleta para se deslocar ao trabalho, pois os comércios oferecem estacionamento próprio para as magrelas, e as ruas são planas e largas”. Jaqueline Affini, supervisora pedagógica, residente em Janaúba, é outro exemplo. Ela e seu marido, o empresário Bruno Affini Lefone, utilizam a bike no dia a dia. “A bicicleta representa sustentabilidade, liberdade e felicidade. É um meio de transporte econômico, saudável e sustentável. Representa a possibilidade de se locomover sem poluir o meio ambiente, tendo a liberdade de não ficar preso no trânsito e encontrando a felicidade nas coisassimplesdavida”,dizJaqueline. Simone finaliza dizendo que o grupo torna as mulheres mais unidas e fortalecidas. “O mais importante é a oportunidade de conhecer pessoas, fazer parte de um grupo e a vontade de ver mais e mais mulheres pedalando também, pois quando nos sentimos bem fazendo algo, queremos que mais pessoas também experimentem a mesma sensação que nós. O fato de pedalarmos juntas permite dividirmos experiências, dificuldades e assuntos femininos. É um verdadeiro Clube da Luluzinha. Juntas, somos mais fortes. E, claro, sem nunca esquecer da bicicleta, que representa uma das minhas fontes de lazer, alegria, inspiração para a vida. É meu hobby favorito, um elo de ligação entre as pessoas. Ao mesmo tempo um veículo e um brinquedo, um equipamento e parte de mim”,revela. Interatividade e qualidade de vida Os grupos de pedal geram um interesse natural pela bicicleta, sendo uma das formas mais efetivas de incentivo ao pedal. Ainda mais especial quando se trata de um grupo apenas feminino, como lembra a educador física e bombeira militar Simone Pereira Reis. “Muitas mulheres têm uma jornada diária atribuída de várias tarefas. São mães, donas de casa e ainda trabalham fora, então, não sobra tempo para praticar esportes. Seria bom se mais grupos específicos para mulheres fossem criados, assim como projetos, passeios e campanhasdeconscientização”. Outro pedido delas é o incentivo por parte dos familiares e amigos. “Os homens que já pedalam deviam apoiar e incentivar as mulheres, compartilhando sua experiência no pedal”, diz a técnica em enfermagem Josiane Pereira dos Reis, irmã de Simone. A secretária Christiane Gonçalves foi uma das meninas conquistadas pelo grupo. Ela também cobra incentivo. “Nossa motivação seria ainda maior se o marido, namorado, amigos e familiares fossem juntos pedalar”,acredita. Simone é adepta dos esportes desde criança. A bicicleta facilmente entrou em sua rotina. “Utilizava a bicicleta como meio de transporte e lazer. Comecei a pedalar mais durante a faculdade, a convite de colegas. Então, iniciei nas trilhas e já na primeira me apaixonei e não parei mais”, revela. Segundo Simone, o contato próximo à natureza, ter a companhia de outras pessoas e o fato de estar em movimento a faz sentir mais viva. “Nesse momento, damos mais valor a coisas que realmente importam, como nossa espiritualidade, nossa família, saúde e amigos. Essa foi a motivação paraqueeusemprepedalasse”,diz. Sempre na bicicleta, logo Simone virou referência para pessoas do seu convívio, como Josiane. “”Eu não gostava de pedalar e falava para a Simone como ela tinha coragem de acordar cedo só para andardebike,pegarsolechegaremcasa morta de cansada. Isso até eu fazer minha primeira trilha e ver que meus limites foram superados. Foi muito gratificante completar 40 km”, lembra. A inspiração para Josiane experimentar a bicicleta, claro,veiodairmã.“Minhamaior inspiração foi ver a Simone participar de uma corrida de MTB sozinha, competindo no meio dos homens. Agora fazemos muitas trilhas juntas, treinamos, competimos e nos ajudamos. Hoje, a bicicleta faz parte da minha vida. Ela é minha fiel companheira. Quero envelhecerpedalando”,falaJosiane. Grupos femininos - Além da família Reis, muitas outras meninas estão pedalando em Montes Claros e em toda a região norte de Minas Gerais.Aeducadora física Maria Tereza Guimarães Teixeira, por exemplo, diz que os esportes de aventura sempre despertaram sua curiosidade e desejo por praticá-los. “Logo o mountain bike começou a despontar em nossa região como um esporte cada vez mais praticado e vi muitos amigos e amigas pedalando, conhecendo lugares maravilhosos em passeios ciclísticos. Isso me estimulou a adquirir uma bike e também praticar MTB. A bicicleta passou a representar bem-estar, vida saudável e liberdade”,comentaMariaTereza. Passeios urbanos ou em trilhas são cada vez mais frequentes nos finais de semana e feriados. Dentre os vários grupos de pedal existentes na região, Simone, Josiane e Maria Tereza participam do Grupo Feminino Garotas de Bike. Mas elas promovem a integração com grupos de pedal feminino das cidades vizinhas, como o Vibe Pedal, de Januária, Bike Girls,deSalinaseMTBPira,dePirapora. Quando há o apoio do companheiro, a mulher se sente mais confiante para subir na bicicleta e desfrutar dos seus benefícios. Foi o que aconteceu com a atendente de telemarketing Danieli da Silva Meira. “Minha motivação para pedalar veio do meu noivo, que está sempre me incentivando. Nós nos divertimos muito e isso também ajuda na nossa saúde”, diz. Mas ela relembra outro ponto que deveria melhorar para que mais mulheres optem pela bicicleta: “precisamos de mais segurança nas ciclovias e bicicletas e equipamentos mais baratos”, cobra. Maria Tereza também considera que o governo deveria incentivar e divulgar mais o uso da bicicleta: “além de infraestrutura, os órgãos públicos poderiam promover mais eventos que destaquem a prática do ciclismo, seja como esporte ou como forma de buscar melhor qualidade de vida esaúde”.
  16. 16. Criação: Decreto nº 44.204, de 10 de janeirode2004. Área: 7.000hectares Descrição: Acriação do Parque Estadual da Lapa Grande teve como o b j e t i v o s p r o t e g e r e conservar o complexo de grutas e abrigos da Lapa Grande. A região abriga os principais mananciais de fornecimento de água para a comunidade de Montes Claros e dos municípios vizinhos. Mistérios e encantos do Parque da Lapa Grande 16 TURISMO Turismo, pesquisa e ecologia são alguns dos atrativos do Parque Morcegos, cavernas e pinturas rupestres - tem um pouco de tudo no Parque Estadual da Lapa Grande, em Montes Claros. O parque recebe turistas atraídos pela natureza exuberante e os vestígios de antigas civilizações, e também estudantes e pesquisadores interessados em conhecer e preservar o rico ecossistema local. Parque Estadual da Lapa Grande O parque está inserido na região de ocorrência de cerrado, ecossistema predominante em Minas Gerais. Localiza-sedentrodacidadedeMontesClaros. AadministraçãoéfeitaemconjuntocomaCompanhiadeSaneamentodeMinasGerais(Copasa),comojá ocorre no Parque Estadual da Serra do Rola-Moça, que abriga os mananciais responsáveis pelo abastecimentodeáguadoMunicípiodeMontesClaros. Sedeadministrativa: IEF-EscritórioRegionalNorte Endereço:JoséCorrêaMachado,s/n-BairroIbituruna,MontesClaros/MG,CEP3224-7500 Telefone:(38)32247550 e-mail:aneliza.melo@meioambiente.mg.gov.br
  17. 17. Montes Claros, setembro 2016 0,50 O que faz do voto em Montes Claros um ato especial ‐ OPINIÃO 2 COM A AJUDA DA JUSTIÇA O candidato do Democratas à Prefeitura de Montes Claros, JairoAtaíde, está condenado pela Justiça Federal por improbidade administrativa na execução da obra do Estádio Mocão. Teve os direitos políticos suspensos por três anos e não poderia concorrer à Prefeitura, mas... ANO VIII Nº 31 POLÍTICA 9 O Parque da Lapa Grande é composto por uma extensa área preservada, com complexo de grutas já exploradas, bem como nascentes afluentes do rio Alfeirão, um dos responsáveis pelo abastecimento de água na cidade de Montes Claros. TURISMO 16 Em mais uma tenta va, ACI e amigos do Ateneu tentam resgatar a história de glórias do clube. Primeira providência é reformar o estádio,nobairroSãoJosé. Agora vai? TRE tira Ruy Muniz de cena, mas ele não se dá por vencido e continua em campanha, com base emrecursofeitoaoTribunalSuperiorEleitoral Esforço em vão COTIDIANO 6 POLÍCIA 14 Polícia cidadã Sargento da PM aposentado denuncia perseguição da corporação por defender a desmilitarização da polícia. Pensão de Dona Geny deverá se transformar no Museu da Imagem e do Som HISTÓRIA 9 Maquete da aventura milionária do prefeito afastado Cidade Administrativa é alvo do MP POLÍTICA 7 POLÍTICA 4
  18. 18. PorFelipeGabrich* Aos 68 anos de idade, sou obrigado a confessar a gregos e troianosqueeutenhovergonhadeserjornalista. O país pegando fogo com multidões de milhares de pessoas, apartidárias, clamando nas ruas contra o governo golpistaepedindoeleições-já. E as televisões não mostram cenas do pau quebrando, comoseosincidentesnãoestivessemacontecendo. E os jornais virtuais impressos tentando em suas enganosasnotíciastamparemosolcomapeneira. E as Polícias Militares, a mando dos governos de seus Estados,sentandoaborrachaelançandogáslacrimogêneo contraagentesimplesdopovo. Se as manifestações fossem contrárias aos ex-presidentes Lula e Dilma, ambos do Partido dos Trabalhadores, os holofotes estariam transmitindo imagens do povo na avenidaseruasduranteas24horasdodia. E o presidente usurpador mentindo descaradamente para os 20 maiores países do mundo e para os países integrantes do BRICS que os movimentos populares de protestoestãoreunindo40ou50arruaceiros. E seu ministro Padilha imitando-o, tentando minimizar para 18 pessoas as milhares de vozes eu se ouviam em Brasília, em pleno desfile de 7 de setembro, gritando ao vento Fora Temer. A insatisfação popular é tão grave, que envolve todas as capitais do país, além de inúmeras cidades do interior, atingindo, inclusive, a histórica São João Del Rei, berço da famíliaNeves. E ninguém se dá conta de que o saudoso Ulysses Guimarães, em sua sepultura no infinito do mar,e os inesquecíveis Tancredo Neves, Jango Goulart, JK e Getúlio Vargas estão morrendo pela segunda vez de tristeza com o quevemacontecendonoBrasildehoje. E o Judiciário mudo. De braços cruzados, instituições nacionalistas que até ontem defendiam com unhas e dentes a soberania nacional, como a CNBB, a Maçonaria de Machado de Assis, a OAB de tantos jurisconsultos renomado,dentreoutras. Golpe? Que outra denominação poder-se-ia dar à usurpaçãodopoderviaparlamentos? PS: "Nem em seus piores momentos, o time do Flamengo recebeu uma vaia tão estrondosa como essa que o presidente usurpador levou. Será que as cadeiras do Maracanã estavam superlotadas com gente da burguesia festivadestepaís? 2 *PedroNeto Mais uma lacuna na Imprensa de Montes Claros, do Norte de Minas e, quiçá, do Estado. O setor cultural também está triste. Quem frequenta o "Quarteirão do Povo" já percebeu a ausência do escritor, sonhador, ideologista, amigo e perseverante José Luiz Rodrigues, conterrâneodeMirabela,nossaqueridaeeternacidade da carne de sol e do pequi. Aos domingos, também ficará a saudade da coluna "Cultura & Notícias" do JN e dasjustas homenagensdoPrêmioParnasodeCultura, cuja última edição foi recentemente muito prestigiada noCentro CulturalHermesdePaula. Era um camarada realmente dedicado ao que fazia e não tinha medo de expressar o que sentia. Como poucos, defendia suas idéias, respeitando o próximo e, sem bajular quem quer que fosse, desde que entendesse estar certo de suas convicções em teoria e emprática. Zé Luiz fazia o que a maioria da humanidade não consegue,oupelomenostransmitiaumasobriedadede quem pratica um velho dito popular como poucos: ouvir maisdoquefalar! A passagem de José Luiz Rodrigues, nesta segunda- feira, 19, deixou também lacuna no processo político de Mirabela. Pela primeira vez, iria disputar as eleições municipais naquela cidade. Quem sabe seria eleito Vereador e realizaria seu sonho de revolucionar o setor cultural daquele município. Não teve a chance. Mas Deus é quem confortará os amigos e familiares, neste momento em que a Imprensa, a Cultura e a sociedade de Mirabela e Montes Claros ficam enlutadas mais uma vez!... *Jornalistaeservidorpúblico OPINIÃO Uma eleição logo após a investida contra a democracia, com o golpe que derrubou uma presidente legitimamente eleita e inocente das acusações que lhe foram imputadas - tanto que ela não foi punida com a perda dos seus direitos políticos, mas retirada do caminho, como eles queriam-,nãodeixadeseralentador. O eleitor, como ocorre sempre nessa época, volta a ser o protagonista, o senhor da história, aquele que pode mudar os rumos de uma cidade ou simplesmente respaldar projetos que nada têm a ver com seus anseios. Aliás, disputam as eleições municipais em Montes Claros candidatos que já estiveram no poder, aqui e acolá, sem que seus legados contemplassem os maisnecessitados. São exatamente esses, os que mais precisam da ação do poder público, os pós-graduados na arte de ser enganados, quem novamente decidirão a parada. Solitário, na solidão da cabine indevassável, exercerão o sagrado direito ao voto. Na urna, para sua apreciação e sob seu julgamento, estarão de novo aquelas mesmas figurinhas carimbadas comocarimbodovíciomoraledecaráter. Em contrapartida, há a alternativa representada por três mulheres. Uma delas, a novidade factível, a possibilidade de algo novo ocorrer na administração da cidade. Portanto, o pleito do próximo dia 2 de outubro é uma preciosa oportunidade para que o eleitor promova a mudança real –nãoapenasnaretóricadaquelesquenão têm nenhum compromisso com a causa e osinteressesmaisnobresdaspessoas. O processo em Montes Claros, onde as candidaturasestãomuitobemsituadasem seus campos, possibilita ao eleitor escolher que projeto deseja para a cidade. E demonstra que a nossa democracia, apesar de ameaçada, ainda é a melhor formadeocidadãoexercerseupoder,com livreliberdadeparadecidir. Está tudo muito bem posto. Ninguém poderá dizer que reeditou o caos, recente ouantigo,porfaltadeopção. WALDOFERREIRA Editor CARTA AO LEITOR E X P E D I E N T E Editor Geral: Waldo Ferreira MTb 259 waldoferreiraf@gmail.com - (38) 9967 3932 Tiragem: 5.000 EXEMPLARES Dúvidas e Sugestões: daqui.jornal@gmail.com CLEMENTE DIAS SOARES JÚNIOR - ME CNPJ: 17.415.917/50 - NSC. ESTADUAL 002083711.00-09 Rua Padre Teixeira, 153 - Montes Claros - MG Votar,apesardetudo A Imprensa e a Cultura enlutadas Vergonha é isso aí. * Jornalista

×