Doenças da aorta

14,211 views

Published on

Published in: Health & Medicine
0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
14,211
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
209
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Doenças da aorta

  1. 1. DOENÇAS DA AORTA
  2. 2. AORTA Segmentos  Torácico:  Ascendente  Arco  Descendente  Tóraco-abdominal  Abdominal  Supra renal  Infra renal
  3. 3. AORTASEGMENTOS
  4. 4. AORTA Histologia:  3 camadas  Íntima  Média  Adventícia
  5. 5. DOENÇAS DA AORTA Importante causa de mortalidade e morbidade cardiovascular Apresentação:  Ectasia  Aneurismas:  Sacular  Fusiforme  Falso  Ectasia Anulo-aórtico  Dissecção
  6. 6. DOENÇAS DA AORTAETIOLOGIA Aterosclerose Válvula aórtica bicúspide Sífilis; Fúngica Necrose Cística da Média Arterite de Células Gigantes Doença Reumática Arterite de Takayasu:  Inflamação granulomatosa, podendo ocorrer obstrução a vasodilatação; mais frequnte em mulheres jovens; manifesta com dor local e HAS pp em MMSS
  7. 7. DISSECÇÃO DA AORTA Ruptura ou laceração da íntima permite que os camadas média e adventícia se separem Pode ocorrer anterógrada, retrograda ou bilateralmente 3 a 4% das causas de óbito Taxa de mortalidade:  21% morrem antes do atendimento hospitalar  1 a 2%/h após inicio dos sintomas  25% nas primeiras 24h  80% em duas semanas.
  8. 8. DISSECÇÃO DA AORTACLASSIFICAÇÃO Stanford  Tipo A: aorta ascendente, com ou sem aorta descendente  Tipo B: só aorta descendente De Bakey  Tipo I: toda aorta  Tipo II: só aorta ascendente  Tipo III: só aorta descendente
  9. 9. DISSECÇÃO DA AORTACLASSIFICAÇÃO
  10. 10. DISSECÇÃO DE AORTA X IAM Dor torácica importante e ECG normal tem grande possibilidade de ser Dissecção Aguda de Aorta. Descrição da dor feita pelo paciente é semelhante a do infarto nos casos de dissecção aorta torácica.
  11. 11. DISSECÇÃO DA AORTAETIOLOGIA Aneurisma de aorta já estabelecido Aterosclerose HAS Síndrome de Marfan Trauma Válvula aórtica bicúspide Primeiro trimestre de gestação em portadoras de colagenose
  12. 12. DISSECÇÃO DA AORTADIAGNÓSTICO Anamnese Exame Físico Exames complementares
  13. 13. DISSECÇÃO DA AORTAQUADRO CLÍNICO Dor muito intensa Assimetria de pulsos Hipertensão arterial ou até hipotensão (choque) Alterações estruturais prévias Complicações:  AVE, Insuficiência respiratória, Tamponamento, IAM, isquemia mesentérica, isquemia de MMII
  14. 14. DISSECÇÃO DA AORTAEXAME FÍSICO Assimetria de pulso Hipertensão ou hipotensão arterial Dados compatíveis com:  choque vascular,  Tamponamento cardíaco,  ICC  Insuficiência aórtica aguda
  15. 15. DISSECÇÃO DA AORTAEXAMES COMPLEMENTARES ECG  Normal  Compatível com patologias prévias ou associadas RX Tórax  Alargamento do mediastino  Aumento do botão aórtico  Desvio da traqueia  Derrame pleural  Derrame pericárdico
  16. 16. DISSECÇÃO DA AORTAEXAMES COMPLEMENTARES
  17. 17. DISSECÇÃO DA AORTAEXAMES COMPLEMENTARES Ecocardiografia:  Eco Transesofágico  Alta sensibilidade  Custo mais elevado  Requer pessoal com experiência no método  Eco transtorácico  Baixo custo e não invasivo  Boa visualização da aorta ascendente  Correlação com doenças associadas: tamponamento, IAo, IAM
  18. 18. DISSECÇÃO DA AORTAEXAMES COMPLEMENTARES
  19. 19. DISSECÇÃO DA AORTAEXAMES COMPLEMENTARES Tomografia e RNM  Não invasivos  Permitem a visualização da extensão e comprometimento de ramos  Visualização da falsa luz  Flap da dissecção
  20. 20. DISSECÇÃO DA AORTAEXAMES COMPLEMENTARES AngioCT
  21. 21. DISSECÇÃO DA AORTAEXAMES COMPLEMENTARES RNM
  22. 22. DISSECÇÃO DA AORTAEXAMES COMPLEMENTARES Aortografia:  Invasivo  Visualiza a extensão e comprometimento de ramos  Visualiza a falsa luz  Flap de Dissecção  Fluxo pela luz verdadeira e falsa  Cineangiocoronariografia e avaliação valvar
  23. 23. TRATAMENTO Objetivos:  Estabilização para permitir o diagnostico  Estabilizar para evitar complicações  Evitar óbito Fundamentos:  Analgesia  Controle PAM (60 a 70mmHg)  Controle da FC (50 a 60 bpm)  Controle e tratamento das complicações
  24. 24. TRATAMENTO Tratamento clínico  Indicado para todos pacientes:  Beta bloqueador: propranolol e metoprolol  Nitroprussiato de sódio  Analgesia
  25. 25. TRATAMENTO Tratamento Cirúrgico:  Realizado em todos pacientes com dissecção proximal (tipo A) exceto nos pacientes com sérias comorbidades (Ex. AVC).  No tipo B a cirurgia precoce é indicada quando houver dor persistente, rápida expansão, hematomas periaorticos e comprometimento do fluxo sanguíneo de órgãos ou membros
  26. 26. TRATAMENTO
  27. 27. COMPLICAÇÕES PÓS OPERATÓRIAS Discrasia sanguínea AVE Paraplegia IAM IRA Insuficiência respiratória Isquemia mesentérica e de MMII Outras
  28. 28. ANEURISMAS DA AORTA Definição:  Define-se como aneurismático aquele segmento da aorta que apresenta aumento de 50% em seu diâmetro em relação ao valor esperado para sexo, idade e superfície corpórea.
  29. 29. ANEURISMAS DA AORTA Aneurismas da aorta torácica  Mais raros que os da aorta abdominal  Etiologia:  Degeneração cística da média  Aterosclerose  Traumatismos  Sífilis
  30. 30. ANEURISMAS DA AORTA Ectasia anulo-aórtica  Refere-se a aorta ascendente associado a dilatação do anel aórtico  Maior causa de aneurisma aorta ascendente  Mais frequente em homens  Decorrem de alterações no gene da fibrilina-1  Perda e fragmentação das fibras elásticas  Também associados a válvula aortica bicuspide
  31. 31. ANEURISMAS DA AORTA Aneurismas Ateroscleróticos  Localizam principalmente na aorta descendente  Ocorrem pela fragilidade da parede do vaso Aneurisma Sifilítico  Atualmente é raro  Ocorre na sífilis terciaria  Devido ao enfraquecimento da camada média por endarterite
  32. 32. Aneurismas da aorta Diagnóstico:  Geralmente achado de exames de imagem realizados por indicação distinta  Exame físico geralmente é norma, mas pode apresentar pulsações na fúrcula e sopro de Insuficiência aórtica  Diversos métodos de imagem são utilizados para estudo dos aneurismas.  Eco TE método mais utilizado.
  33. 33. ANEURISMAS DA AORTA Tratamento:  Objetiva evitar a rotura e tratar a insuficiência valvar.  Maior risco de rotura quando diâmetro atinge 5,5 a 6cm.  Realizada a substituição da aorta doente por prótese (tubo valvado)
  34. 34. ANEURISMAS DA AORTA Aorta Abdominal:  Incidência aumenta rapidamente após 55 anos em homens e 70 anos em mulheres  Grande maioria é infra-renal  Do ponto de vista prático considera-se dilatação aneurismática quando o diâmetro é >3cm  Principal causa é aterosclerótica  Fator de risco independente e importante:  TABAGISMO (aumenta risco em 7 vezes)
  35. 35. ANEURISMAS DA AORTA Diagnóstico:  Maior parte é assintomática  É feito pelo exame físico de rotina (massa pulsátil) ou por exame de imagem para outra finalidade  Dor é o sintoma mais comum  Dor intensa, massa pulsátil palpável e hipotensão são sinais de rotura  US abdominal é o método mais utilizado na avaliação inicial  TC de abdômen define com precisão a extensão do aneurisma e sua relação com vasos renais e vísceras  RNM fornece imagens tridimensionais
  36. 36. ANEURISMAS DA AORTA Tratamento:  Visa prevenir a rotura  Risco de rotura é desprezível se <4cm  Risco de rotura é pequeno até 5,5cm em homens, porém é alto em mulheres acima de 5cm  Aneurismas saculares ou excêntricos parecem ter maior risco de rotura  Tratamento cirúrgico envolve a colocação de um tubo protético na aorta ou colocação de endoprotese
  37. 37. ANEURISMAS DA AORTA
  38. 38. ANEURISMAS DA AORTA
  39. 39. ANEURISMAS DA AORTA

×