Planejamento de ensino e aprendizagem 1 ano daniela pereira

604 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
604
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Planejamento de ensino e aprendizagem 1 ano daniela pereira

  1. 1. Planejamento de Ensino e Aprendizagem E.E.B. Presidente Médici Rua Pref. Helmuth Fallgatter, 1449 – Boa Vista Joinville - SC, 89206-100 (47) 3432-9700 1. Curso: 2. Missão do Curso: 3. Ementa 4. Importância da disciplina na formação do egresso: (Justificativa) Disciplina: Sociologia Período Letivo: 2012 Ensino Médio Turno: Matutino Professor (a): Daniela Pereira Matrícula: 658336901 Série: 1º série/ ano Turmas: 01, 02, 03, 04, 05, 06 e 07 Ensino Médio Assegurar um ensino de qualidade, com intuito da construção de cidadãos críticos, conscientes e participativos, capazes de interagir e intervir na realidade. Ser espaço de conhecimento, cultura, pesquisa e criatividade, onde o aperfeiçoamento constante favoreça o aprimoramento da formação pedagógica e técnico-científica, de forma a responder às necessidades emergentes da sociedade. Iniciação ao Estudo dos Conceitos de Sociedade e Sociologia. Relação Indivíduo Sociedade. Processo de Socialização. Trabalho. Desigualdade e Estratificação Social. Cultura e Diversidade Cultural. Cultura e Capitalismo. Ideologia. Cidadania. O ano de 2006 figura como data de grandes mudanças e de reconfiguração da educação brasileira, quando o Conselho Nacional da Educação exigiu a inclusão obrigatória das disciplinas de Filosofia e Sociologia como componentes curriculares do Ensino Médio em todo o território nacional. Não há aqui a pretensão de tomar essa medida normativa por si só, como única justificativa para o estudo da sociologia entre os escolares do ensino médio no Brasil, tendo em vista somente sua obrigatoriedade como motivação para as reflexões que esta disciplina enseja. No entanto, faz-se necessário destacar que este novo arranjo educacional constitui o terreno fértil para a promoção de problemáticas que tomem a educação como cenário de importantes mudanças de ordem social e como prática salutar na edificação de uma sociedade mais justa e igualitária a partir dos sujeitos que constroem cotidianamente o mundo social e não somente como formadora de profissionais. A adoção destas disciplinas na matriz curricular do ensino básico responde a inúmeras questões que emergem do fazer diário de uma sociedade, imperativa em nossas relações de interação quer com o mundo exterior, quer entre aqueles(as) com quem construímos e compartilhamos uma sociedade. O Art. 36, parg. 1º - inciso III, da Lei nº 9.394/96 reconhece como importante o “domínio dos conhecimentos de Filosofia e de Sociologia necessários ao exercício da cidadania”. Neste sentido, a legislação em questão salienta a natureza prática dos estudos sociológicos que, neste caso, não é apreendida como uma preocupação utilitarista, mas como uma orientação no sentido de apontar a relevância destes estudos. Viver em sociedade, ou seja, partilhar um espaço físico, uma experiência temporal com outros seres, interagindo a partir de mecanismos de linguagem, construindo valores, estabelecendo e dividindo regras, normas, padrões de comportamento, leis, requer uma leitura minuciosa do mundo circundante, suas relações de poder, sua dimensão fluída e, sobretudo, seus dispositivos de transformação. O pensamento sociológico é produto e produtor de seu tempo é, portanto, um meio de compreender as transformações e os conflitos que marcaram as experiências sociais ao longo
  2. 2. da história. Nesse sentido, o estudo da sociologia vai de encontro aos próprios anseios do mundo escolar, na educação de sujeitos que exercitem sua criticidade, na observância das diretrizes que constituem direitos e deveres sociais, no exercício pleno da cidadania (essa, por sua vez, tão rara aos estados democráticos), desenvolvendo capacidades de compreender e de se perceber no universo ao seu redor, reconhecendo-se não como expectadores, mas como atores sociais ativos que invariavelmente representam um papel neste cenário comum, restando de imediato à necessidade de examiná-lo de maneira pormenorizada, problematizá-lo para orientar suas intencionalidades. Primeiramente a sociologia será operada na direção de desconstruir ideias arraigadas que fundamentam práticas que, no mais das vezes, parecem imperceptíveis, em geral, produto do senso comum, não com a finalidade de desmerecer este repertório, mas no sentido de acrescer e até mesmo de conflitar com este, conhecimentos produzidos e alicerçados pela ciência. 5. Objetivo Geral:  Fomentar o estudo teórico do pensamento sociológico entre os estudantes a fim de suscitar a compreensão de mecanismos que permitirão ao educando investigar, identificar, descrever, classificar e interpretar os fenômenos de natureza social, e assim, instrumentalizá-lo para que possa se reconhecer diante a complexidade do mundo social.  Refletir sobre a formação do ser humano como sujeito social a partir das experiências e relações que o mesmo estabelece na sociedade. Identificar os elementos do comportamento humano que são construídos socialmente. Problematizar o conceito de trabalho nas diferentes culturas, observando o processo de humanização do trabalho na sociedade ocidental, e a sua relação na construção do mundo urbanizado. Pensar sobre os significados que a cultura adquire no contexto social. Diferenciar os elementos culturais dentro dos seus diversos significados, descobrindo características sobre as diversas tribos de jovens. Observar como nossa sociedade vive em torno de preconceitos e suas consequências. Analisar de que forma podemos obter uma sociedade com menos preconceito e mais justa. Propor soluções para o estabelecimento da ética nos meios de comunicação de massa. Interpretar o significado de Ideologia e perceber como determinadas ideologias se fizeram presentes ao longo da história até a contemporaneidade. Contextualizar os elementos ideológicos presentes nos meios de comunicação, destingui-los e perceber as conseqüências dos mesmos para as relações sociais. Perceber como o consumismo desenfreado causa conseqüências a toda a sociedade e de que forma podemos ser mais conscientes. (prever a contribuição da disciplina em termos de conhecimentos, habilidades e atitudes para a formação do aluno) 6. Objetivos Específicos   (prever o desdobramento das ações/ procedimentos para alcançar objetivo)         7. Descrever Proposta(s) de Integração curricular  Promover atividades com os alunos que englobem os projetos da escola, e possam ser trabalhados de modo interdisciplinar com as ciências humanas.
  3. 3. 8. Unidade e Tópicos 1º BIMESTRE Número de Aulas Conteúdo Geral Aulas Dadas / Tópicos   06 Iniciação ao Estudo dos Conceitos de Sociedade e Sociologia     02 Relação Indivíduo Sociedade? Processo de Socialização 04      O que é Sociologia, conceito e constituição Histórica. A Sociologia como ciência. Objeto de Estudo da Sociologia O conceito de Sociedade Senso comum e conhecimento científico. Para quê serve a Sociologia? Papel do individuo perante seu meio social Etapas de socialização Agentes de socialização Diferenças no processo de Socialização Níveis de sociabilidades Competências /Habilidades/ Objetivos Compreender a formação do ser humano como sujeito social a partir das experiências e relações que o mesmo estabelece na sociedade. Procedimentos de Ensino e Aprendizagem Atividades de Avaliação Aulas Expositivo- A partir da música “Até dialogadas. quando?” de Gabriel Pensador, em dupla escolher uma musica Análise crítico de seu gosto e elaborar uma reflexiva da Música: paródia musical abordando os “Até Quando?” de problemas sociais e como Gabriel Pensador. poderíamos transformá-los. Identificar os elementos do comportamento humano que Estudo de Texto: são construídos socialmente. DANTAS, Pedro. Favelados e Punks Problematizar os vários “invadem” shopping. processos de socialização. Folha de São Paulo. 5 ago. 2000. Cotidiano, Verificar quem são os agentes p. C6. In: TOMAZI, de socialização. Nelson Dacio. Sociologia para o Classificar os níveis de Ensino Médio. São sociabilidades existentes na Paulo: Saraiva, 2010. sociedade: entre primários e P. 93 secundários. Nota 1 – Análise da Letra d paródia Musical. Nota 2- Apresentação oral da música em sala ou por meio de áudio. Nota 3 – Prova Individual. Recuperação Prova. Recuperação Paralela – Interação/ Prática – Nas aulas expositivo dialogada, a avaliação será feita perante os vistos no caderno e a interação em sala de aula. Fechamento das notas (N1+N2+N3)/ 3 = Nota Final
  4. 4. 2º BIMESTRE Número de Aulas Conteúdo Geral Aulas Dadas / Tópicos     10 Iniciação ao estudo dos conceitos de Trabalho      O conceito de Trabalho em diferentes culturas. Trabalho e humanização Trabalho e História O trabalho e a Sociedade Capitalista. Trabalho, Capital e Relações de Conflito e Poder. A Fábrica e o mundo urbanizado. Propriedade e meios de produção. Direitos e Deveres do trabalhador. Desigualdade social suas conseqüências.  Estratificação Mobilidade Social.  06 Desigualdade Social e Estratificação Competências /Habilidades/ Objetivos Individual sem consulta. Relacionar trabalho, capital, Análise do curta “Ilha Recuperação da prova relações de conflito e poder. das Flores”. Perceber as várias maneiras de Debates Reflexivos em Nas aulas expositivas desigualdade existentes em sala. e nosso planeta. dialogada, a avaliação será feita perante os vistos no caderno. Classificar o que é desigualdade e social, étnica, religiosa, de Nota 4 – Interação Prática. gênero, dentre outras. Organização Política.   Trabalho no Brasil  Atividades de Avaliação Problematizar o conceito de Aulas expositivas Nota 1 – Análise filmítica trabalho nas diferentes culturas. dialogadas. crítico reflexiva, através de resenha sobre o filme Tempos Perceber o processo de Estudo e interpretação Modernos. humanização do trabalho na de Textos. sociedade ocidental. Nota 2- Cartaz do curtaAnálise crítico metragem “Ilha das Flores” Analisar a relação da fábrica na Reflexivo da Música: junto ao clipe musical construção do mundo “Amérika” “Amérika” do Rammestein urbanizado. Rammestein. Nota 3 – Prova Escrita Verificar os vários tipos de Classes Sociais e pobreza no Brasil. Perceber os fatores que geram Relações de violência no nosso país. Desigualdade e conflito. Refletir sobre o papel do A questão da pobreza trabalho na sociedade e sua influencia nos indivíduos. Violência  Procedimentos de Ensino e Aprendizagem Fechamento das notas (N1+N2+N3+N4)/ 4 = Nota Final
  5. 5. 3º BIMESTRE Número de Aulas Conteúdo Geral Aulas Dadas / Tópicos   10 Cultura          04 Diversidade Cultural Brasileira    Competências /Habilidades/ Objetivos Compreender o significado de e perceber como Os significados de Cultura determinadas ideologias se fizeram cultura Cultura “erudita” e presentes ao longo da história até a contemporaneidade na definição de popular cultura erudita e popular. Cultura brasileira Identidades e tribos Identificar as características urbanas Existe pessoa sem formadoras da cultura brasileira. cultura? Verificar as diversidade de Preconceito identidades e tribos urbanas. Opressão Liberdade Conceituar identidade cultural e cultura. O que é cultura? Herança Social e Perceber como acontece no nosso legado cultural dia-a-dia o preconceito, a opressão Conceito etnia, raça e cultural. cultura Problematizar o que é liberdade e Etnicidade se questionar se somos ou não livres. Políticas afirmativas (Cotas) Analisar o que é herança social, legado cultural, etnicidade e Mudança Cultural mudança cultural. Conceituar etnia, raça e cultura. Problematizar as ações de políticas afirmativas. Procedimentos de Ensino e Aprendizagem Atividades de Avaliação Aulas expositivas Nota 1: Trabalho sobre cultura dialogadas. em grupo Estudo e interpretação de Textos. Nota 2: Trabalho sobre Pesquisa na internet e Diversidade Cultural brasileira em grupo livros. Debates Reflexivos em Nota 3: Avaliação individual sala. sem consulta Nota 4: Interação/Prática. Fechamento das notas (N1+N2+N3+N4)/ 4 = Resultado Final
  6. 6. 4º BIMESTRE Número de Aulas Conteúdo Geral Aulas Dadas / Tópicos  06 Cultura e Capitalismo  Cultura e mundialização cultura. Conceito Ideologia. Ideologia  04 Cidadania Compreender o significado de Ideologia como um elemento presente na vida em sociedade. Movimentos Culturais.  06 a da Observar a existência indústria cultural e como ela nos influencia em nosso cotidiano. Industria Cultural.   Competências /Habilidades/ Objetivos de Identificar ideologias atuais que se tornaram pragmáticas e intolerantes. Ideologia e Classe Perceber a cidadania no Brasil, Social. através da análise de elementos O perigo da da realidade, de modo crítico reflexivo. Ideologias.  Direitos civis, políticos e sociais  Cidadania formal e cidadania real Procedimentos de Ensino e Aprendizagem Aulas dialogadas. Atividades de Avaliação expositivas Nota 1: Trabalho em sala em grupo Estudo e interpretação Textos. de Nota 2: Prova Individual sem consulta Recuperação da Prova Pesquisa na internet e livros. Nota 3: Interação/ Debates Reflexivos em sala. prática. Estudo crítico de imagens e músicas. Fechamento das notas (N1+N2+N3)/ 3 = Nota Final
  7. 7. 9. Observações Este Planejamento esta sujeito a alterações conforme a necessidade. 10. Referências Básicas CARVALHO, Mônica de. Para as novas gerações: a atualidade da sociologia crítica. Geousp, Espaço e Tempo, São Paulo, SP , n.18 , p. 139-153, nov. 2005. COSTA, Maria Cristina C. Sociologia – Introdução à ciência da sociedade. São Paulo: Moderna, 1993. DAMATTA, Roberto. Relativizando: Uma introdução à Antropologia Social. Rio de Janeiro: Rocco, 1987. DIMENSTEIN, Gilberto. Cidadão de Papel. São Paulo: Ática, 1996. ESTEVES, Antonio J.; STOES, R. Sorgs. A Sociologia na Escola-Professores, Educação e Desenvolvimento. Porto Alegre: Afrontamentos, 1992. HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006. IANNI, O; CARDOSO, Fernando Henrique. Homem e Sociedade. São Paulo: CIA das Letras, 1961. IANNI, Octávio. Imperialismo e cultura. Petrópolis: Vozes, 1976. JELLAB, Aziz. Alunos de CAP e BEP face aos conteúdos escolares: contribuição para uma sociologia das formas de relação com os saberes. Tempo Social, São Paulo , v. 14, n. 1 , p. 109-136, maio 2002. KRUPPA, Sonia M.P. Sociologia da Educação. São Paulo: Cortez, 1993. LARAIA, Roque Barros. Cultura: um conceito Antropológico. Rio de Janeiro: Zahar, 2000. LAROSSA, Jorge. Para qué nos sirven los extrabjeros? In: Educação & Sociedade: revista quadrimestral de Ciência da Educação/ Centro e Estudos Educação e Sociedade (CEDES) Campinas: CEDES, 2002. MEKSENAS, Paulo. Aprendendo sociologia: a paixão de conhecer a vida. São Paulo: Loyola, 1985. 125 p. MICELI, Sergio. Bourdieu e a renovação da sociologia contemporânea da cultura. Tempo Social, São Paulo , v. 15, n. 1 , p. 63-79, maio 2003. OLIVEIRA, Pérsio Santos de. Introdução à sociologia. 19. ed. São Paulo: Ática, 1999. ORTIZ, Renato. Mundilização e Cultura. 3º ed. São Paulo: Brasilense, 1994. SAMHABER, Ernst. Mundo de hoje, mundo de amanhã: uma sociologia da conjuntura. São Paulo: Melhoramentos, 1965. 329 p. SAVIANI, Dermeval. Esscola e Democracia. São Paulo: Cortez, 1984. SECRETARIA DO ESTADO DA EDUCAÇÃO – Vários Autores. Sociologia. 2 ed. Curitiba: SEED-PR, 2006. TOMAZI, Nelson Dacio. Sociologia para o Ensino Médio. São Paulo: Saraiva, 2010. P. 93
  8. 8. 11. Bibliografia Complementar DAMATTA, Roberto. Relativizando: Uma introdução à Antropologia Social. Rio de Janeiro: Rocco, 1987. AQUINO, Julio Groppa (org). Diferença e Preconceito na Escola. São Paulo: Sumus, 1998. AURÉLIO, Diogo Pires. Tolerância e Intolerância. In: Enciclopédia Einaudi, v.22. Porto Alegre: Imprensa Nacional/ Casa da Moeda, 1996. P.179-230. BHABHA, Hommi K. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003. BURITY, Joanildo A. (org). Cultura e identidade: perspectivas interdisciplinares. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. FISCHER, Michael. Futuros Antropológicos: redefinindo a cultura na era tecnológica. Rio de Janeiro: ZAHAR, 2011. FLEURI, Reinado Matias (org). Intercultura: estudos emergentes. Ijuí: Editora Unijuí, 2001. GIDDEENS, Anthony. Modernidade e Identidade. Rio de Janeiro: Zahar, 2002. LOCKE, John. Carta acerca da tolerância (Epístola de tolerântia). São Paulo: Abril cultural – “Coleção Os Pensadores”. Vol. XVIII, 1973. P.07-35. MACHADO, Nilson José: Sobre a idéia de Tolerância/ Intolerância. In:_______. Cidadania e educação. São Paulo: Escrituras, 2001. P.71-91. MATHEWS, Gordan. Cultura Global e Identidade Individual: a procura de uma lar no supermecado cultural. Bauru: EDUSC, 2002. MCLAREM, Peter. Multiculturalismo Revolucionário: pedagogia do dissenso para o novo milênio. Porto Alegre: Artmed, 2000. ORTIZ, Renato. Um outro território: ensaios sobre mundialização. São Paulo: Olho d’agua, 1999. POLIAKOV, León. Discriminação. In: Enciclopédia Einaudi, v.22. Porto Alegre: Imprensa Nacional/ Casa da Moeda, 1996. P.246-258. SIDEKUM, Antônio (org). Alteridade e multiculturalismo. Ijuí: Ed. Unijuí, 2003. SILVA, Tomaz Tadeu da. Identidade e Diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2000. SILVA, Tomaz Tadeu. Documentos de Identidade: uma introdução as teorias do currículo. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003. TRINDADE, Azoida Loretto da. Multiculturalismo: mil e uma faces da escola. Rio de Janeiro: DP&A, 1999. VIEIRA, Liszt (org). Identidade e Globalização: impasses e perspectivas da identidade e a diversidade cultural. São Paulo: Editora Record, 2009. VOLTAIRE. Tratado sobre a tolerância. São Paulo: Martins Fontes, 1993. _________________________________________ Professora Daniela Pereira ________________________________________ Supervisão e Orientação da Escola

×