Os problemas urbanos no concelho do montijo

915 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
915
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
72
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Os problemas urbanos no concelho do montijo

  1. 1. Os problemas urbanos no concelho do Montijo
  2. 2. RESIDUOS SÓLIDOS URBANOS <ul><li>Durante a vigência do PDMM o Sistema de recolha de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) tem vindo a evoluir, em 1998 foi criado o Sistema Intermunicipal de gestão de Resíduos – AmarSul. Anteriormente os resíduos sólidos urbanos do concelho eram depositados e enterrados numa lixeira com 22 hectares, localizada na Herdade de Rio Frio, a cerca de 15kms da cidade de Montijo. Esta lixeira, situada fora do território do concelho, acolhia todo o tipo de resíduos sólidos dos concelhos de Montijo e de Alcochete e funcionou até Fevereiro de 1997. Desta forma, a partir de Fevereiro de 1997 os resíduos urbanos passaram a ser depositados no aterro sanitário do Pinhal das Formas, localizado no concelho de Palmela. Com a implementação do sistema multimunicipal de gestão integrada dos resíduos urbanos a situação melhorou significativamente. </li></ul>
  3. 3. Rede de electricidade <ul><li>A distribuição de electricidade que é efectuada no concelho de Montijo é a distribuição de baixa e média tensão, sendo que esta última se encontra a cargo da Electricidade de Portugal (EDP), Zona de distribuição de Setúbal e Centro de distribuição de Setúbal (EDP/ST/STB). As linhas de distribuição eléctrica que atravessam o concelho de Montijo são linhas aéreas e também subterrâneas. Esta rede será ampliada e melhorada sempre de acordo com as necessidades. É de salientar, ainda, o melhoramento efectuado ao nível da iluminação pública, com a substituição e planeamento da iluminação pública na cidade de Montijo. </li></ul>
  4. 4. Rede de telecomunicações <ul><li>No que respeita à rede telefónica fixa, pode-se dizer que a sua cobertura é bastante alargada, uma vez que a maioria dos edifícios se encontram ligados à rede telefónica. O território Oeste apresenta, ainda, uma cobertura alargada de telecomunicações móveis e por cabo. No entanto, nas freguesias mais rurais, nomeadamente as do território Este, verifica-se a necessidade de aumentar a taxa de cobertura da rede telefónica, bem como a ligação às restantes redes de telecomunicações. </li></ul>
  5. 5. Principais pontos de poluição referenciados no PDMM <ul><li>O PDMM (volume III) identifica genericamente um conjunto de actividades/usos e factores que constituem fontes de poluição no território do Concelho, são principalmente: </li></ul><ul><li>Poluição nos espaços urbanos: esgotos, circulação rodoviária, construção urbana, sucatas e resíduos sólidos. </li></ul><ul><li>Poluição industrial: destilarias, emissão de gases poluentes. </li></ul>
  6. 6. Esgotos <ul><li>O PDMM identifica esta fonte de poluição como um foco originado pela descarga de águas residuais domésticas nas linhas de água do concelho. Neste ponto o PDM identifica os focos de maior incidência desta fonte de poluição, nomeando genericamente os cursos de água mais sujeitos à poluição: Território Oeste: Rio Tejo/esteiro do Montijo, Vala das Nascentes, Vala do Pau Queimado, Vala Real e Vala Broega/Sarilhos. Território Este: Rio Almansor, Ribeira de Canha, Ribeira do Lavre, Ribeira das Taipadas, Ribeira da Vala de Emponsos (Canha), Vala do Romão (Pegões) e Vala da Judia (Pegões). </li></ul>
  7. 7. Circulação rodoviária <ul><li>O PDM coloca o ruído como um problema resultante da circulação rodoviária e do tráfego aéreo resultante da Base Aérea nº 6, e do Campo de Tiro de Alcochete que está parcialmente localizado em território do concelho de Montijo. Relativamente à circulação rodoviária, o PDM refere genericamente que as freguesias de Montijo, Afonsoeiro, Alto Estanqueiro/Jardia e Sarilhos Grandes, são as mais afectadas pela maior intensidade e consequente poluição atmosférica produzida. Por antecipação, o PDM genericamente prevê o aumento da poluição atmosférica resultante da implantação das grandes vias de tráfego, como a nova ponte sobre o rio Tejo e toda a rede rodoviária complementar. </li></ul>
  8. 8. Construções urbanas <ul><li>De uma forma genérica, são tecidas considerações sobre o enquadramento paisagístico de um conjunto de edificações e outros espaços passíveis de constituírem fontes de poluição visual, tais como: -Estruturas fabris de elevado índice volumétrico; -Áreas (de construção) abandonadas – faixa marginal do esteiro do Montijo. - Áreas desordenadas de urbanização e linhas de água obstruídas. - Áreas ardidas e terraplanagens. </li></ul>
  9. 9. Sucatas <ul><li>A caracterização desta actividade, com enquadramento legal específico, encontra-se tematicamente enquadrada nos estudos do PDM como um factor de degradação do ambiente, referindo-se genericamente a este problema, ainda que não se verifique uma disseminação generalizada pelo concelho. Neste sentido o PDM não caracteriza em detalhe a situação, quer quanto ao número, quer quanto à sua localização, apenas identificando que os principais sucateiros se encontram na cidade de Montijo, junto ao denominado “cais da móbil”. Actualmente não existem indicadores que permitam caracterizar a situação quanto à quantificação, localização e área ocupada pela actividade. </li></ul>
  10. 10. Destilarias <ul><li>O PDM no seu volume III, identifica estas unidades como uma fonte de poluição sazonal, situadas nas localidades de Craveiras do Norte – Pegões e Foros da Craveira do Norte – Pegões </li></ul>
  11. 11. Emissão de Efluentes Gasosos <ul><li>O PDMM identifica de uma forma genérica como origem destas fontes de poluição as unidades de fabrico de rações localizadas na Atalaia, baixa da Jardia, Alto Estanqueiro e Sarilhos Grandes e as unidades industriais de cortiça, maioritariamente localizadas nas freguesias de Montijo, Alto Estanqueiro/Jardia e Sarilhos Grandes </li></ul>
  12. 12. Trabalho realizado por: Daniel Casbarra

×