Successfully reported this slideshow.

Processo de trabalho 2 - feudalismo

1,460 views

Published on

  • Be the first to comment

Processo de trabalho 2 - feudalismo

  1. 1. PROCESSO DE TRABALHO 2 A FORMAÇÃO DA CLASSE OPERÁRIA FEUDALISMO – CORPORAÇÕES - MANUFATURA Este conteúdo é baseado em meu entendimento pessoal da matéria relacionada ao curso de Serviço Social – By Dani Rubim – estudante de Serviço Social - 2013
  2. 2. DEFININDO A CLASSE OPERARIA CLASSE OPERARIA = conjunto de pessoas desprovidas de propriedades ou qualquer fonte de renda que não seja a venda da sua força de trabalho.( trabalhadores assalariados). Podemos considerar dois tipos de classes: PEQUENA BURGUESIA = trabalhador autônomo – produz em pequena escala CLASSE OPERARIA = trabalhador assalariado – trabalho em grandes empresas. O sistema dentro da maioria das empresas, hoje, é verticalizada (pirâmide) com subordinados e chefes,
  3. 3. FEUDALISMO O modo de produção feudal se baseava na servidão: trabalhador vivia em aldeias e tinham como posse os meios de produção (terra, gado...) mas eram obrigados a entregar aos senhores uma parte de sua produção. Todas as posições eram hierárquicas (clero, senhores feudais, suseranos, reis, vassalos, camponeses) Os servos não podiam abandonar os domínios a não ser que por consentimento dos seus senhores. Guerra, lutas eram comuns principalmente entre os senhores feudais (foi nessa época que houve as Cruzadas)
  4. 4. FEUDALISMO Os sobreviventes se tornavam errantes, salteadores. Existiam também artesões, ambulantes nas estradas (contingente humano ao redor da sociedade feudal) Esses “excluídos” povoaram as cidades que surgiram no sec. X na Europa junto com o comercio. Os burgos (cidades livres) foram se enriquecendo com o comercio e ganhando poder militar, alem disso os aristocratas pediam dinheiro a eles o que fazia-os dever favores a esses novos burgueses. Os camponeses fugiam do domínio e excessos dos feudos para as cidades As corporações de oficio já eram destaque nos burgos porem eram fechadas e não aceitavam os camponeses fugitivos.
  5. 5. CORPORAÇÕES DE OFICIO Em cada cidade, distrito os mestres, oficiais e aprendizes se organizavam em corporações de oficio com o cuidado para que as técnicas de produção não fossem alteradas Assegurando o “justo preço” de seus produtos. As corporações limitavam o numero de seus membros As corporações e seu sistema se tornaram um obstáculo para os outros produtores e o desenvolvimento da produção. Foi instituído no mundo medieval ligado a tradições e fidelidade, hierarquia social. O fim das corporações se deu pelo aumento do mercado local e de longa distancia alem da criação das manufaturas com seus novos sistemas que aceitavam a concorrência.
  6. 6. COMERCIO DE LONGA DISTANCIA Esse mundo foi abalado no sec. XV pela descoberta das vias marítimas da Europa à America e ao Extremo Oriente, que deu novo impulso ao comercio mundial. O que gerou expectativa para o crescimento do capital ( o que influenciou o fim das corporações) O intuito era expandir o seu suprimento de mercadoria para exportação, também porque o mercado interno esta expandindo.
  7. 7. COMERCIO LOCAL O mercado interno se expandia principalmente o mercado de panos/tecidos no sec. XVI fora dos limites urbanos. Camponeses eram contratados para serviços de fiação tecelagem e acabamento. Este sistema foi chamado de “putting out” (facção) O mercado fornecia ao camponês local matéria prima e o mercador era pago por este trabalho (em suas horas vagas pois ainda estamos na fase do feudalismo – em declínio) O mercador pegava o tecido já elaborado e vendia ficando com o lucro. Durante o inverno quando a atividade agrícola cessa , boa parte dos camponeses trabalhavam sob contrato para o capital comercial Porem esta não era uma condição capitalista pois os camponeses continuavam na condição de produtores autônomos.
  8. 8. FEUDALISMO Os excessos, egoísmos e exploração por parte dos senhores para com os servos gerou uma piora de vida para a população. Houve lutas contra os senhores e seus castelos que foram retalhadas com punições severas, mas em alguns locais da Europa houve a emancipação dos servos devido a essa pressão enquanto em outros esse sistema sobreviveu muito mais tempo Na Inglaterra os senhores reagiam a essa emancipação com o cercamento de terras “enclosoures” = expulsão em massa dos servos e transformação das plantações em pastos para animais. Esses camponeses excluídos se transformaram em parte importante do proletariado manufatureiro Os que ainda eram servos não conseguiam plantar o suficiente para sua subsistência e tinham que apelar para o sistema de facção.
  9. 9. MANUFATURA As manufaturas surgem por iniciativa dos antigos mestres das corporações que saíram das cidades e foram para os campos. A primeira forma histórica de produção capitalista foi a manufatura Produziam através de métodos artesanais (sem o uso de maquinas) As tarefas eram divididas entre centenas de pessoas sob a ordem de um empregador. Essa especificação em determinada “parte do todo” gerou o aumento da produção
  10. 10. FEUDALISMO Os burgos enquanto pequenos eram igualitários, conforme cresceram com o mercado se tornou visível a desigualdade. As lutas entre a burguesia manufatureira e os artesanatos corporativistas durou muito tempo e gerou varias alianças. Porem as corporações eram excluídas, por opção, da economia o que deu força as manufaturas. As condições de trabalho nas manufaturas não era convidativas mas não era uma opção era necessidade, embora alguns se recusavam a aderir e se tornaram assaltantes, mendigos...

×