Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Fernando Pessoa

276 views

Published on

Modernismo Português

Published in: Education
  • Be the first to comment

Fernando Pessoa

  1. 1. FERNANDO PESSOA Profa. Ms Daniele Onodera
  2. 2. MODERNISMO PORTUGUÊS CONTEXTO HISTÓRICO • 1914 Primeira Guerra Mundial; • 1910 – Proclamação da República devido à crise política iniciada pelo assassinato do Rei D. Carlos e seu filho;
  3. 3. MODERNISMO PORTUGUÊS CONTEXTO HISTÓRICO • Republicanos X Anti-republicanos; • 1926 os integralistas chegam ao poder; • Em 1928 Salazar dá início à ditadura que durará até 1974.
  4. 4. MODERNISMO PORTUGUÊS A PUBLICAÇÃO DA REVISTA ORPHEU EM 1915, MARCA O INÍCIO DO “MODERNISMO” EM PORTUGAL
  5. 5. “Minha pátria é a língua portuguesa”
  6. 6. •Nasce em 13 de junho 1888; •Fica órfão de pai aos 5 anos; •No ano seguinte perde também o irmão; •Muda-se para a África do Sul junto com sua família para morar com um cônsul que tornara-se seu padrasto;
  7. 7. •Sua obra e sua vida foram permeados por ligações com as chamadas ciências ocultas; •Em 1930 inicia uma troca de correspondência com o "mago" inglês Aleister Crowley que neste mesmo ano vai à Lisboa visitar Fernando Pessoa;
  8. 8. •Vinte e três dias depois de sua chegada, Crowley desaparece misteriosamente. Em homenagem ao inglês, Pessoa traduz e publica o poema "Hino a Pã" escrito por Crowley;
  9. 9. •Namorou com a jovem Ophélia, mas nunca se casou; •Mário de Sá Carneiro, seu grande amigo, suicida-se; •Seu único livro publicado em vida foi Mensagem; •Morre em 30 de novembro de
  10. 10. Autopsicografia   O poeta é um fingidor.  Finge tão completamente  Que chega a fingir que é dor  A dor que deveras sente. 
  11. 11. E os que lêem o que escreve,  Na dor lida sentem bem,  Não as duas que ele teve,  Mas só a que eles não têm.   E assim nas calhas de roda  Gira, a entreter a razão,  Esse comboio de corda  Que se chama coração. 
  12. 12. Fernando Pessoa criou mais de 70 heterônimos, ou seja, escreveu poemas com mais de 70 personalidades literárias diferentes
  13. 13. Para os principais heterônimos criou inclusive uma biografia e troca de correspondências.
  14. 14. Os principais heterônimos são: •Alberto Caeiro •Álvaro de Campos •Ricardo Reis Há também o ortônimo Fernando Pessoa (ele mesmo)
  15. 15. ÁLVARO DE CAMPOS •Engenheiro •Poeta futurista • Expressa os conflitos e sensações da vida urbana e industrial • Decadentista • Possui uma aridez interior
  16. 16. ÁLVARO DE CAMPOS “Não sou nada Nunca serei nada Não posso querer ser nada A parte isso, tenho todos os sonhos do mundo”
  17. 17. RICARDO REIS •Médico •Latinista •Poeta clássico •Abstração filosófica •Equilíbrio e harmonia •Epicurismo (vida sem paixões) •Fatalidade do tempo e do destino
  18. 18. RICARDO REIS “Temo, Lídia, o destino. Nada é certo. Em qualquer hora pode suceder-nos O que nos tudo mude Fora do conhecimento é estranho o passo. Que próprio damos.”
  19. 19. FERNANDO PESSOA (Ortônimo) •Autor de Mensagem (obra lírica e épica) • Poeta que fala da vida, da arte, da infância •Poeta cético e nostálgico • Mostra-se por vezes entediado
  20. 20. FERNANDO PESSOA (Ortônimo) “Ó mar salgado, quanto do teu sal São lágrimas de Portugal! Por te cruzarmos, quantas mães choraram, Quantos filhos em vão rezaram! Quantas noivas ficaram por casar Para que fosses nosso, ó mar!”
  21. 21. FERNANDO PESSOA (Ortônimo) Valeu a pena? Tudo vale a pena Se a alma não é pequena. Quem quer passar além do Bojador Tem que passar além da dor. Deus ao mar o perigo e o abismo deu, Mas nele é que espelhou o céu.
  22. 22. Infante D. Henrique
  23. 23. Deus quer, o homem sonha, a obra nasce.  Deus quis que a terra fosse toda uma,  Que o mar unisse, já não separasse.  Sagrou-te, e foste desvendando a espuma, 
  24. 24. E a orla branca foi de ilha em continente,  Clareou, correndo, até ao fim do mundo,  E viu-se a terra inteira, de repente,  Surgir, redonda, do azul profundo. 
  25. 25. português.  Do mar e nós em ti nos deu sinal.  Cumpriu-se o Mar, e o Império se desfez.  Senhor, falta cumprir-se Portugal!  ( Fernando Pessoa)
  26. 26. ALBERTO CAEIRO (O MESTRE)
  27. 27. Alberto Caeiro da Silva nasceu em Lisboa, em abril de 1889, e na mesma cidade faleceu, tuberculose, em 1915.
  28. 28. • Passou quase a vida inteira numa quinta de Ribatejo. •Lá escreveu: O Guardador de Rebanhos O Pastor Amoroso Poemas Inconjuntos :
  29. 29. CARACTERÍSTIC AS DA POESIA DE ALBERTO
  30. 30. É O MAIS CONTRADITÓRIO DOS HETERÔNIMOS DE FERNADO PESSOA
  31. 31. •PENSAMENTO CONTRA O PENSAMENTO • FILOSOFIA ANTIFILOSÓFICA • POESIA ANTIPOÉTICA
  32. 32. • ELE É O MENOS CULTO DOS HETERÔNIMOS • POESIA POUCO TRABALHADA FORMALMENTE • É TOTALMENTE ALHEIO A QUALQUER SOFISTICAÇÃO CULTURAL
  33. 33. MESTRE EM PAGANISMO Visão de mundo: • não-cristã • não-judaica • não-espiritualizada
  34. 34. SEUS POEMAS PARECEM REMETER A UMA TRADIÇÃO BUCÓLICA DO SÉC. III a.C. Neles encontramos os conceitos de: •Locus amoenus •Fugere urbem •Inutilia truncat
  35. 35. FAZ OPOSIÇÃO À QUALQUER TIPO DE IDEALIZAÇÃO, MESMO DA NATUREZA A NATUREZA É UMA IDÉIA UMA SENSAÇÃO
  36. 36. PANTEÍSMO Concepção filosófica que identifica Deus e a Natureza; sistema segundo o qual Deus é a totalidade do universo.
  37. 37. ZEN BUDISMO Não pensar Esvaziar a mente
  38. 38. ALBERTO CAEIRO NEGA QUALQUER FORMA DE TRANSCENDÊNCIA, NEGA QUALQUER COISA QUE NÃO SEJA A EXPERIÊNCIA IMEDIATA DAS COISAS.
  39. 39. REJEITA TOTALMENTE OS DUALISMOS CORPO x ESPÍRITO MATÉRIA X MENTE
  40. 40. VÊ O AMOR (ADESÃO) À NATUREZA COMO ÚNICA FORMA DE NOS TIRAR O TEMOR DA

×