Successfully reported this slideshow.

ArtSCI na Computação - de volta aos primórdios

1,683 views

Published on

http://www.agileandart.com

Published in: Technology

ArtSCI na Computação - de volta aos primórdios

  1. 1. ARTSCI na computação de volta aos primórdios Daniel Cukier danicuki@gmail.com www.agileandart.com
  2. 2. “Se a programação de computadores irá se tornar uma área importante na pesquisa e desenvolvimento da computação, uma transição de Arte para Ciência deve ser feita” Comunications
  3. 3. lat. ars = habilidade
  4. 4. tecnologia técnica τεχνη
  5. 5. Artes Ciências Liberais
  6. 6. The Art of Piano Playing
  7. 7. The Art of Playing the Pianoforte
  8. 8. The Science of Pianoforte Technique
  9. 9. The Art of Piano Playing: a Scientific Approach
  10. 10. “todo programador deveria ser treinado como artista” Richard Gabriel “um programador que escreve código limpo é um artista que, através de uma série de transformações, leva uma tela em branco a um sistema elegantemente codificado” Uncle Bob “programar é muito mais do que lidar com máquinas” Dave Thomas e Andy Hunt “o pensamento de um programador funciona de forma semelhante a de um poeta” Frederick P. Brooks “existe muita semelhança entre programação de computadores e pintura” Paul Graham
  11. 11. “nos dias de hoje, a tragédia da Arte é que nela não há Ciência; e a tragédia da Ciência é que nela não há emoção” Peter Brook “a sociedade precisa de todos os tipos de habilidades que não são somente cognitivas; elas são emocionais, elas são afetivas. Você não pode dirigir uma sociedade somente com dados e computadores. Alvin Toffler “depois que um certo nível de conhecimento técnico é atingido, Ciência e Arte tendem a coalescer em estética, plasticidade e forma. Os maiores cientistas são artistas também” Albert Einstein
  12. 12. “A programação deixou de ser uma Arte para se tornar Ciência por uma simples razão: começamos a chamá-la de Ciência da Computação”
  13. 13. “ciência seria o conhecimento que compreendemos tão bem que conseguimos ensiná-lo a um computador; se você não compreende algo totalmente, então seria uma Arte lidar um isso (...) Existe uma distância enorme entre o que os computadores podem fazer e o que as pessoas podem fazer. As visões incríveis que as pessoas têm quando falam, escutam, criam ou mesmo quando programam estão longe do alcance da ciência; quase tudo ainda é uma Arte (...) A Ciência sem a Arte é suscetível a se tornar ineficaz; a Arte sem a Ciência é suscetível a se tornar imprecisa (...) Precisamos combinar ciência com valores artísticos se quisermos progredir de verdade” Donald Knuth
  14. 14. Problema de demarcação Positivismo Autoritarismo elitista Anarquismo Epistemológico Indutivismo Convencionalismo
  15. 15. Problema de demarcação Nem sempre é possível saber quando uma teoria é melhor que a outra. Muitas vezes é difícil saber qual delas é realmente ciência e qual não é
  16. 16. Positivismo a visão de que questionamentos científicos sérios não deveriam procurar causas provenientes de alguma origem externa, mas sim limitar-se ao estudo das relações existentes entre fatos que são diretamente acessíveis a observação
  17. 17. Autoritarismo elitista o problema de demarcação é levado a um júri de cientistas aceitos (elite), que julgam se um trabalho é científico ou não (os congressos científicos funcionam assim)
  18. 18. Anarquismo Epistemológico não existem regras metodológicas úteis ou livre de exceções que governam a Ciência ou o desenvolvimento do conhecimento. A ideia de que Ciência pode ou deve operar de acordo com regras fixas e universal é irrealista e perniciosa, indo contra a própria Ciência
  19. 19. Indutivismo Uma questão é científica se for provada por fatos Mostrando-se que um fato é verdadeiro num determinado contexto, somos induzidos a crer que ele é verdadeiro sempre Uma questão só é científica se ela for provável Uma teoria é melhor que outra se for mais provável
  20. 20. Convencionalismo a ideia de que uma teoria científica possa ser uma convenção criada e acordada por algumas pessoas para que se possa fazer alguns cálculos e estudos subsequentes, ou seja, novas decisões tomadas a partir de outras decisões tomadas anteriormente

×