Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Secularismo

slides palestra secularismo CED

  • Login to see the comments

  • Be the first to like this

Secularismo

  1. 1. SECULARISMOCurso de Espiritualidade e Doutrina
  2. 2. Por que entender a realidade?• ―Não somos uma partícula de pó inútil, perdida em um espaço e em um tempo sem sentido, mas formamos parte de um projeto surgido do AMOR DO PAI‖. (João Paulo II, Audiência Geral 05.05.2004)• não pode haver vidas paralelas: espiritual com todos os seus valores e exigências vida da família do trabalho secular das relações do empenhamento político da cultura
  3. 3. Por que entender a realidade?• ramo incorporado na Videira frutos em todas as atividades• vários campos da vida laical entram todos no desígnio de Deus, que os quer como o « lugar histórico » revela e realiza a caridade de Jesus Cristo para glória do Pai e ao serviço dos irmãos.• toda a atividade, toda a situação, todo o empenho concreto — a competência e a solidariedade no trabalho, o amor e a dedicação na família e na educação dos filhos, o serviço social e político, a proposta da verdade na esfera da cultura — são ocasiões providenciais de um « contínuo exercício da fé, da esperança e da caridade». Christifidelis Laici, 59
  4. 4. Secularismo: o que é?• Saeculum: no latim eclesiástico, adquire o significado de "o mundo", "a vida do mundo" e "o espírito do mundo‖• é justamente essa ênfase dada ao mundo, ao temporal, onde há uma marca fortíssima da separação, da divisão entre a fé e a vida. O secularismo coloca a fé numa dimensão privada, individual e interior, isolando-a da sua ligação com as estruturas temporais.• há, claramente, uma hostilidade em relação à Igreja quando essa se coloca com a Verdade e traz a fé à vida pública.
  5. 5. Secularização: fruto de um longo e complexo processo• Profundas transformações no campo cultural e social que levaram à progressiva transformação do mundo cristão antigo, tradicional, para a sociedade atual, precisamente pós-moderna e secularizada.• O homem desertou de sua racionalidade para abraçar a sua animalidade e isso se deve à ação do que o Papa Pio XII na sua Alocução à União dos Homens da Ação Católica Italiana de 12/10/1952 chamou de ―o inimigo da Igreja‖.• A respeito desse sutil e misterioso inimigo da Igreja, Pio XII disse:
  6. 6. Secularização: fruto de um longo e complexo processo• ―Ele se encontra em todo lugar e no meio de todos: sabe ser violento e astuto. Nestes últimos séculos tentou realizar a desagregação intelectual, moral, social, da unidade no organismo misterioso de Cristo. Ele quis a natureza sem a graça, a razão sem a fé; a liberdade sem a autoridade; às vezes a autoridade sem a liberdade. É um ‗inimigo‘ que se tornou cada vez mais concreto, com uma ausência de escrúpulos que ainda surpreende: Cristo sim, a Igreja não! Depois: Deus sim, Cristo não! Finalmente o grito ímpio: Deus está morto; e, até, Deus jamais existiu. E, eis agora, a tentativa de edificar a estrutura do mundo sobre bases que não hesitamos em indicar como principais responsáveis pela ameaça que pesa sobre a humanidade: uma economia sem Deus, um Direito sem Deus, uma política sem Deus.‖
  7. 7. Secularização: fruto de um longo e complexo processo• Cristo sim, a Igreja não! reforma protestante (sec XVI).• Não levou à ruptura com a fé mas ao enfrentamento aberto à Igreja.• O orgulho e a sensualidade suscitaram o protestantismo.• Orgulho originou o espírito de dúvida, o livre exame e a interpretação naturalista da Escritura. Na prática uma revolta contra a autoridade eclesiástica.• Sensualidade levou à supressão do celibato eclesiástico e à introdução do divórcio.• Natureza sem a graça!
  8. 8. Secularização: fruto de um longo e complexo processo• Como conhecer o rosto de Cristo sem a Igreja?• O próximo passo foi a crença em Deus a partir de uma religião natural, ou seja, aceita-se Deus, mas nega-se a Revelação: Deus sim, Cristo não!• a Igreja, o sobrenatural e os valores morais da religião foram relegados a um segundo plano.• Com isso a sociedade organizou sua cultura e suas estruturas em função das paixões humanas (desordenadas em função da separação da natureza e da graça) e não da sã razão unida à fé.
  9. 9. Secularização: fruto de um longo e complexo processo• Essa nova sociedade seria marcada pelos germes daquilo que viria a ser o homem ganancioso, sensual, laico e pragmático de nossos dias. As diversões se tornam mais freqüentes e mais suntuosas. Os homens se preocupam sempre mais com elas. Nos trajes, nas maneiras, na linguagem, na literatura e na arte o desejo crescente por uma vida cheia de prazeres da fantasia e dos sentidos vai produzindo progressivas manifestações de sensualidade e moleza. Os corações se desprendem gradualmente do amor ao sacrifício, da verdadeira devoção à Cruz, e das aspirações de santidade e vida eterna.
  10. 10. Secularização: fruto de um longo e complexo processo• Todo esse processo desembocou, especialmente na França (Revolução Francesa – sec XVIII), num endeusamento da vida terrena, preparando o campo para a quase completa vitória da irreligião.• Essa negação gradual da fé se desenvolveu a partir das seguintes etapas: revolta contra a Igreja, negação da divindade de Cristo e ateísmo.
  11. 11. Secularização: fruto de um longo e complexo processo• A razão moderna é aquela que se fecha à transcendência, aquela que ignora a metafísica.• A razão, por ela mesma, quer dar conta da realidade e fundar o ato moral.• a razão sem a fé! Deus está morto!• Iluminismo (sec XVIII), Liberalismo (sec XIX e XX) e Marxismo (sec XIX)
  12. 12. 1968 e 1989 DOIS ANOS QUE MARCARAM O FINAL DO MILÊNIO RECÉM-CONCLUÍDO• A revolução de maio de 1968 – marco histórico da Revolução Cultural ou Cultural War; A Sorbonne moderna sintetizou num só movimento tendências como o hippismo, o igualitarismo, o pacifismo, o ecologismo, o feminismo e a ―cultura da droga‖, já muito desenvolvidas nos EUA.
  13. 13. 1968 e 1989 DOIS ANOS QUE MARCARAM O FINAL DO MILÊNIO RECÉM-CONCLUÍDO• 1989 – Queda do muro de Berlim. Esse ano trouxe a derrocada dos regimes socialistas na Europa que deixaram atrás de si a herança triste de uma terra arrasada e de almas destruídas , mas a doutrina marxista da salvação não desapareceu após o choque de 89.• Marxismo Cultural – Gramsci: para se conseguir instaurar o socialismo no Ocidente é necessário abalar sua base: filosofia grega, direito romano e a moral judaico-cristã.
  14. 14. Desafios de ser católico na pós- modernidade IGREJA CATÓLICA Anacronismo da Moral Cristã• Idéia-chave Opressão Moral e Intelectual Aliança com o poder
  15. 15. Desafios de ser católico na pós- modernidade Celibato clerical Escândalos sexuaisTemas explorados Inflexibilidade doutrinária (homossexualismo, aborto, controle natalidade, ind. do matrimônio) Inquisição Papel político-histórico Coutinho, SAS. A Revolução Gramscista no Ocidente
  16. 16. Onde esse processo nos leva?• Ditadura do Relativismo.• Emotivismo: emoção funda o ato moral.• Religião até é importante, mas todas tem o mesmo valor e ela vale mais quanto mais terapêutica for.• Cisma branco
  17. 17. Manifestação no centro de Madrid Março, 200937 March for Life Janeiro, 2010Washington – DC
  18. 18. 3ª Marcha Nacional da Cidadania pela Vida e pela Paz Agosto, 2009 BrasíliaFolheto distribuído pela ―Frente Carioca pela Vida‖ 2006

×