Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Hipertensão arterial

3,401 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Hipertensão arterial

  1. 1. www.cursoraizes.com.br HIPERTENSÃO ARTERIAL A hipertensão arterial (HTA), hipertensão arterial sistêmica (HAS) conhecidapopularmente como pressão alta é uma das doenças com maior prevalência no mundomoderno e é caracterizada pelo aumento da pressão arterial, aferida comesfigmomanômetro (aparelho de pressão) ou tensiômetro, tendo como causas ahereditariedade, a obesidade, o sedentarismo, o alcoolismo, o estresse, o fumo e outrascausas. Pessoas negras possuem mais risco de serem hipertensas. A sua incidênciaaumenta com a idade, mas também pode ocorrer na juventude. Existe um problema para diferenciar a pressão alta da pressão considerávelnormal. Ocorre variabilidade entre a pressão diastólica e a pressão sistólica e é difícildeterminar o que seria considerado normal e anormal neste caso. Alguns estudosfarmacológicos antigos criaram um mito de que a pressão diastólica elevada seria maiscomprometedora da saúde que a sistólica. Na realidade, um aumento nas duas é fator derisco. Considera-se hipertenso os indivíduos que mantém uma pressão arterial acimade 140 por 90 mmHg ou 14x9, durante seguidos exames, de acordo com o protocolomédico. Ou seja, uma única medida de pressão não é suficiente para determinar apatologia. A situação 14x9 inspira cuidados e atenção médica pelo risco cardiovascular. Pressões arteriais elevadas provocam alterações nos vasos sanguíneos e namusculatura do coração. Pode ocorrer hipertrofia do ventrículo esquerdo, acidentevascular cerebral (AVC), infarto do miocárdio, morte súbita, insuficiências renal ecardíacas, etc. O tratamento pode ser medicamentoso e/ou associado com um estilo de vidamais saudável. De forma estratégica, pacientes com índices na faixa 85-94 mmHg(pressão diastólica) inicialmente não recebem tratamento farmacológico. EPIDEMIOLOGIA- O termo prevalência indica o número de doentes em um determinado momento. Aprevalência da hipertensão arterial no Brasil foi levantada por amostras em algumascidades. Estes estudos mostraram uma variação de 22,3% a 43,9% de indivíduoshipertensos conforme a cidade considerada. Pode estimar assim que entre uma a duaspessoas a cada cinco são hipertensas. Em 2004, 35% da população brasileira acima de www.cursoraizes.com.br
  2. 2. www.cursoraizes.com.br40 anos estava hipertensa. Acredita-se que 20% da população mundial apresente oproblema.- A proporção de óbitos por doença cardiovascular no Brasil em 2003, segundo dadosde preenchimento de atestados de óbito, foi de 27,4%. Atribui-se um risco decorrente dapresença de hipertensão arterial na origem de certos grupos de doença. Cerca de 40% damortalidade devida a Acidente vascular cerebral é atribuida à hipertensão. Para aDoença arterial coronariana este risco está na faixa de 25%. FATORES DE RISCO A hipertensão arterial pode ou não surgir em qualquer indivíduo, em qualquerépoca de sua vida, mas algumas situações aumentam o risco. Dentro dos grupos depessoas que apresentam estas situações, um maior número de indivíduos seráhipertenso. Como nem todos terão hipertensão, mas o risco é maior, estas situações sãochamadas de fatores de risco para hipertensão. São fatores de risco conhecidos parahipertensão:- Idade: Aumenta o risco com o aumento da idade.- Sexo: Até os cinquenta anos, mais homens que mulheres desenvolvem hipertensão.Após os cinquenta anos, mais mulheres que homens desenvolvem a doença.- Etnia: Mulheres afrodescendentes tem risco maior de hipertensão que mulherescaucasianas.- Nível socioeconômico: Classes de menor nível sócio-econômico tem maior chance dedesenvolver hipertensão.- Consumo de sal: Quanto maior o consumo de sal, maior o risco da doença. Consumode álcool: O consumo elevado está associado a aumento de risco. O consumo moderadoe leve tem efeito controverso, não homogêneo para todas as pessoas.- Obesidade: A presença de obesidade aumenta o risco de hipertensão.- Sedentarismo: O baixo nível de atividade física aumenta o risco da doença. DESCRIÇÃO A hipertensão ocorre quando os níveis da pressão arterial encontram-se acimados valores de referência para a população em geral. www.cursoraizes.com.br
  3. 3. www.cursoraizes.com.br Para a Organização Mundial de Saúde (OMS) os valores admitidossão:120x80mmHg, em que a pressão arterial é considerada ótima e 130x85mmHg sendoconsiderada limítrofe. Valores pressóricos superiores a 140x90mmHg denotam Hipertensão. Conforme a IV Diretrizes Brasileira de Hipertensão Arterial da SociedadeBrasileira de Cardiologia, compreende em estágios: 1 (leve - 140x90mmHg e159x99mmHg), 2 (moderada - 160x100mmHg e 179x109mmHg) e 3 (grave - acima de180x110mmHg). Qualquer indivíduo pode apresentar pressão arterial acima de 140x90mmHg semque seja considerado hipertenso. Apenas a manutenção de níveis permanentementeelevados, em múltiplas medições, em diferentes horários e posições e condições(repouso, sentado ou deitado) caracteriza a hipertensão arterial. Esta situação aumenta o risco de problemas cardiovasculares futuros, comoInfarto agudo do miocárdio e Acidente Vascular do tipo Cerebral, por exemplo. Apossibilidade destes problemas é log-linear, ou seja, cresce de maneira contínua em umaescala logarítmica. DIAGNÓSTICO Um esfigmomanômetro e um estetoscópio, equipamentos utilizados para aferir apressão arterial. A medida da pressão arterial deve ser realizada apenas com aparelhosconfiáveis. Para medi-la, o profissional envolve um dos braços do paciente com oesfigmomanômetro, que nada mais é do que uma cinta larga com um pneumáticointerno acoplado a uma bomba de insuflação manual e um medidor desta pressão. Aoinsuflar a bomba, o pneumático se enche de ar e causa uma pressão no braço dopaciente, pressão esta monitorada no medidor. Um estetoscópio é colocado sobre aartéria braquial (que passa na face interna medial do cotovelo). Estando o manguito beminsuflado, a artéria estará colabada pela pressão exercida e não passará sangue na artériabraquial. Não haverá ruído algum ao estetoscópio. Libera-se, então, a saída do ar pelabomba, bem devagar e observando-se a queda da coluna de mercúrio no medidor.Quando a artéria deixa de estar totalmente colabada um pequeno fluxo de sangue iniciasua passagem pela artéria provocando em ruído de esguicho (fluxo turbilionar). Nestemomento anota-se a pressão máxima (sistólica). O ruído persistirá até que o sanguepasse livremente pela artéria, sem nenhum tipo de garroteamento (fluxo laminar). www.cursoraizes.com.br
  4. 4. www.cursoraizes.com.brVerifica-se no medidor este momento e teremos a pressão mínima (pressão diastólica).Em geral, medimos a pressão em milímetros de mercúrio (mmHg), sendo normal umapressão diastólica (mínima) entre 60 e 80 mmHg (6 a 8 cmHg) e pressão sistólica entre110 e 140 mmHg (11 a 14 cmHg) (cmHg = centímetros de mercúrio). SINTOMATOLOGIA A hipertensão arterial é considerada uma doença silenciosa, pois na maioria doscasos não são observados quaisquer sintomas no paciente. Quando estes ocorrem, sãovagos e comuns a outras doenças, tais como dor de cabeça, tonturas, cansaço, enjôos,falta de ar e sangramentos nasais. Esta falta de sintomas pode fazer com que o pacienteesqueça de tomar o seu medicamento ou até mesmo questione a sua necessidade, o queleva a grande número de complicações. CAUSAS- Na grande maioria dos casos a Hipertensão Arterial é considerada essencial, isto é, elaé uma doença por si mesma. Em 95% dos casos a causa da doença é desconhecida.Nesses pacientes ocorre aumento da rigidez das paredes arteriais, fato que é favorecidopela herança genética em 70% dos casos. Por essa razão, é preciso verificar o históricofamiliar do paciente, uma vez que, se seus pais ou parentes próximos são hipertensos,ele tem grandes probabilidades de desenvolver a doença.- Ocorre quando um determinado fator causal predomina sobre os demais, embora osoutros possam estar presentes.- Por Doença do parênquima renal.- Renovascular é a provocada por algum problema nas artérias renais. De maneirareacional, o rim afetado produz substâncias hipertensoras. A correção do problema renalpode diminuir a pressão arterial.- Relacionada a Gestação.- Relacionada ao uso de Medicamentos.- Relacionada ao uso de Anti-concepcionais.- Relacionada ao uso de Corticosteróides.- Relacionada ao uso de Anti-inflamatórios. www.cursoraizes.com.br
  5. 5. www.cursoraizes.com.br- Relacionada a Feocromocitoma. Feocromocitoma é um tumor que produz substânciasvasoconstrictoras que aumentam a pressão arterial, produzem taquicardia, cefaléia esudorese. A retirada deste tumor pode diminuir a pressão arterial. TRATAMENTO Embora não exista cura para a Hipertensão Arterial , é possível um controleeficaz, baseado quer na reformulação de hábitos de vida, quer em medicação,permitindo ao paciente uma melhor qualidade de vida. MEDIDAS NÃO FARMACOLÓGICAS Certas medidas não relacionadas a medicamentos são úteis no manejo daHipertensão Arterial, tais como Moderação da ingestão de sal (Cloreto de sódio) e álcool (Etanol). Aumento na ingestão de alimentos ricos em potássio. Prática regular de atividade física. Fomentar práticas de gestão do stress; Manutenção do peso ideal (IMC entre 20 e 25 kg/m²). Minimizar o uso de medicamentos que possam elevar a pressão arterial, como Anticoncepcionais orais e Anti-inflamatórios. www.cursoraizes.com.br

×