SemináRio Ensino MéDio Rubens Palestra

4,305 views

Published on

Published in: Technology, Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
4,305
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
371
Actions
Shares
0
Downloads
63
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

SemináRio Ensino MéDio Rubens Palestra

  1. 1. Seminário do Ensino Médio 05 e 06 de Novembro de 2009 Araguaína-TO
  2. 2. O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA NO CONTEXTO COGNITIVO
  3. 3. A gramática dita, a linguística explica e a literatura encanta as palavras do saber. (Prof. Rubens) Uma gramática que pretenda registrar e analisar os fatos da língua culta deve fundar-se num conceito claro de norma e de correção idiomática. (Celso Cunha) CONCEPÇÕES TEÓRICAS
  4. 4. PROJETO DE ENSINO E APRENDIZAGEM/2009 OBJETIVO GERAL Valorizar, reconhecer e utilizar a linguagem oral e escrita, com seus recursos básicos, posicionando-se criticamente diante da variedade de discursos. AÇÕES <ul><li>Realizar debates com temas atuais para desenvolver o hábito de leitura, de pesquisa e de produção textual; </li></ul><ul><li>Promover seminários sobre temas transversais para desenvolver a capacidade de oralidade, interpretação e produção textual; </li></ul><ul><li>Realizar o dia “D” de estudo do Novo Acordo Ortográfico. </li></ul>
  5. 5. O ESPAÇO DA LINGUÍSTICA EM LÍNGUA PORTUGUESA EXIGÊNCIAS Ao procurar explicar a linguagem, o homem está procurando explicar seu mundo e sua convivência com os outros seres humanos. (ORLANDI, 1999, p. 07). <ul><li>Que o aluno seja um usuário competente da língua; </li></ul><ul><li>2. Que ele seja crítico, reflexivo e independente. </li></ul>
  6. 6. GRAMÁTICA E ENSINO DE LÍNGUA PORTGUESA A gramática, sozinha, é incapaz de preencher as necessidades interacionais de quem FALA, ESCUTA, LÊ ou ESCREVE TEXTOS. (Antunes, 2007).
  7. 7. PAPÉIS DOS DOCENTES E DISCENTES NO ESTUDO DA LÍNGUA PORTUGUESA O trabalho do professor constitui-se em multiplicar, aumentar e acrescentar os recursos expressivos de que o aluno não dispõe. O aluno deve amadurecer para realizar tarefas mais complexas. (Louzada, 2001)
  8. 8. Língua Portuguesa e PCN+ <ul><li>Os PCN+ estabelecem que os conteúdos de língua portuguesa devam se articular em torno de dois grandes eixos: </li></ul><ul><li>o do uso da língua oral e escrita; </li></ul><ul><li>o da reflexão acerca desses usos. </li></ul>
  9. 9. EIXOS COGNITIVOS EM LÍNGUA PORTUGUESA I. Dominar linguagens (DL) ; II. Compreender fenômenos (CF) ; III. Enfrentar situações-problema (SP) ; IV. Construir argumentação (CA) ; V. Elaborar propostas (EP) ;
  10. 10. COMPETÊNCIAS E HABILIDADES EM LÍNGUA PORTUGUESA <ul><li>São modalidades estruturais da inteligência; são ações e operações que utilizamos para estabelecer relações com e entre objetos situações, fenômenos e pessoas. </li></ul>Referem-se ao plano imediato do saber fazer; aperfeiçoam-se e articulam-se, possibilitando nova reorganização das competências. Exemplo: Noção de matemática = Competência Cálculo matemático = Habilidade HABILIDADES: COMPETÊNCIAS:
  11. 11. COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DO ENSINO MÉDIO EM LÍNGUA PORTUGUESA <ul><li>COMPETÊNCIA : </li></ul><ul><li>Confrontar opiniões e pontos de vista sobre as diferentes linguagens e suas manifestações específicas. </li></ul><ul><li>HABILIDADE : </li></ul><ul><li>Relacionar, em diferentes textos, opiniões, temas, assuntos e recursos linguísticos. </li></ul>
  12. 12. COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DO ENSINO MÉDIO EM MATEMÁTICA <ul><li>COMPETÊNCIA: </li></ul><ul><li>Interpretar informações de natureza científica e social obtidas da leitura de gráficos e tabelas, realizando previsão de tendência, extrapolação, interpolação e interpretação. </li></ul><ul><li>HABILIDADE: </li></ul><ul><li>Resolver problema com dados apresentados em tabelas ou gráficos. </li></ul>
  13. 13. COMPETÊNCIAS E HABILIDADES O ensino com foco em competências e habilidades permite que sejam desenvolvidos processos gerais de raciocínio, EM VEZ de contemplar-se na memorização de conteúdos . DIMENSÃO:
  14. 14. O FUNCIONALISMO DA LINGUÍSTICA Para a Linguística, tudo o que faz parte da língua, na modalidade oral e escrita, interessa e é matéria de reflexão. (Orlandi, 1999, p. 10).
  15. 15. A EXPLICAÇÃO LINGUÍSTICA O fazer linguístico do professor e do aluno não são dados como algo já pronto, vindo de fora, mas vão constituindo-se mutuamente em direção ao objetivo pretendido. (JESUS, 2001, p. 116)
  16. 16. A EXPLICAÇÃO LINGUÍSTICA A análise linguística é uma nova perspectiva de reflexão sobre o sistema linguístico e sobre os usos da língua, com vistas ao tratamento escolar de fenômenos gramaticais, textuais e discursivos. (MENDONÇA, 2006).
  17. 17. A EXPLICAÇÃO LINGUÍSTICA Saberes e conhecimentos dos alunos; O espaço da leitura; O debate em sala de aula; A produção textual; A refacção textual; A higienização da escrita. COMO AVANÇAR NA APRENDIZAGEM EM LÍNGUA PORTUGUESA? VEJAMOS UM POUCO DE REDAÇÃO – GÊNEROS TEXTUAIS - O FOCO NA PRODUÇÃO TEXTUAL
  18. 18. REFERÊNCIAS <ul><li>LOUZADA, Maria Silva Olivi. O ensino da norma na escola. In. MURRIE, Zuleika de Felice. 5. ed. – São Paulo: Contexto, 2001. </li></ul><ul><li>JESUS, Conceição Aparecida. “Reescrevendo o texto: a higienização da escrita”. In. CHIAPINI, Ligia. Aprender e ensinar com textos de alunos . São Paulo: Cortez, 2001. </li></ul><ul><li>MENDONÇA, Márcia (Org.). Português no Ensino Médio e formação do professor. São Paulo: Parábola, 2006. </li></ul>

×