Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

CIO Perspectives: Corporações e startups - competidores ou parceiros?

243 views

Published on

Estamos começando a ver um movimento de empresas e startups começarem a trabalhar em conjunto. São dois mundos diferentes, em seus processos, organizações e velocidade, mas um trabalho em colaboração abre um novo e fundamental campo de inovação e crescimento para as corporações. Ambos os lados tem que entender suas diferenças e buscarem conciliar seus interesses. Para as empresas, o ecossistema de startups não deve ser visto apenas como ameaça, o nós contra eles, e nem apenas um mercado onde vão comprar uma startup para incorporá-la.
A colaboração pressupõe um cenário onde ambos os lados correm riscos, mas também compartilham os prêmios. Para a colaboração entre estes dois mundos dar certo é fundamental compreender as diferenças e não forçar nenhum dos lados a emular o outro.

Published in: Business
  • Be the first to comment

CIO Perspectives: Corporações e startups - competidores ou parceiros?

  1. 1. Startups e Corporações Competidores ou Aliados? CEZAR TAURION HEAD OF DIGITAL TRANSFORMATION & ECONOMY
  2. 2. Era de exponencialidades!
  3. 3. Entre os mais de 3.700 executivos, gerentes e analistas que foram abordados pelo MIT, 90% responderam que suas indústrias e mercados sofrerão uma disrupção significativa. Porém apenas 44% dizem que suas organizações estão preparadas para as transformações que virão.
  4. 4. Our current market Our new market Other firm´s market Precisamos de um modelo de Inovação Colaborativa External technology insourcing Internal technology base External technology base Stolen with pride from Prof Henry Chesbrough UC Berkeley, Open Innovation. Internal/external venture handling Licence, spin out, divest Start ups!
  5. 5. Subtítulo
  6. 6. STARTUP/CORPORATE COLLABORATION BECOMING “MISSION CRITICAL
  7. 7. Corporates e Startups, alguns riscos …. Desalinhamento de culturas Expectativas de prazos Processos dia a dia e relacionamento Autonomia e controle do empreendedor Complexo e lento processo de decisões nas Corporações Clareza do papel e status das Startups nas grandes empresas Falta de sponsor no High Level da grande empresa
  8. 8. Startup • Parcerias para conhecer negócio e crescer • Sem muito apego pelas regras do setor (Risco / Compliance) • Deixam a desejar em planejamento (público / rampagem / custo aquisição / funding x bootstrap) • Deixam a desejar em preservar propriedade intelectual • Autonomia: navegam bem sozinhos… • Riscos em custos e regulatórios (pós-operacional) • Leve – estrutura enxuta no DNA Uma nova convivência entre modelos de gestão ….. Corporação • Departamentalização da inovação • Visão que o conhecimento está in-company. • Dilema sobre propriedade intelectual ser da Empresa x Funcionário. • Navegam em estruturas organizadas (associações / federações / fornecedores…). • Tem estrutura financeira para suportar forte regulação (drena investimentos) • Pesado – estrutura atual reflete décadas de existência
  9. 9. Empreendedor em Startup • Movido por um propósito • Foco no digital e na escala • Insatisfação com o tradicional é a fonte de inspiração (problema) • Baixíssima hierarquia • Sem padrão de prazo para retorno ($...<> 1 ano) • Aprende com o erro Uma nova convivência entre diferentes perfis profissionais ….. Corporate Executive • Tem um modelo histórico de sucesso (certo e errado) • Forjado no modelo regulatório • Estrutura hierárquica e rígida • Metas curto prazo ($ anual) • Agenda corporativa x Ideias “perdidas nos setores” • E se der errado ??!!
  10. 10. A visão do objetivo estratégico é que vai definir como os processos de scout funcionarão
  11. 11. Corporate Venture, o que as startups esperam nesta relação ….
  12. 12. GUIDANCE FOR CORPORATIONS 1 THE GOOD ONES WON´T WAIT 2 GET YOUR HOUSE IN ORDER 3 STREAMLINE PROCESSES
  13. 13. GUIDANCE FOR STARTUPS 1 BE THOUGHTFUL AND DELIBERATE 2 THINK STRATEGICALLY, FROM THEIR POINT OF VIEW 3 USE NEW CHANNELS FOR ENGAGEMENT
  14. 14. DRIVERS ESTRATÉGICOS & JORNADA PROGRAMA (KICK-OFF) 1 SEMANA WARM UP: REGRAS, COMUNICAÇÃO (MKT), DIVULGAÇÃO DAY E PORTAL PARA INSCRIÇÃO DAS STARTUPs 2 - 3 SEMANAS AVALIAÇÃO: LONG ´LIST´ RECEBIDA E SELEÇÃO ´SHORT LIST´ JUNTO A EMPRESA 4 SEMANAS (ATÉ 100 PROJETOS) 4 – 8 SEMANAS REPORT - TESE DE INVEST. & ASSESSMENT METEDOLOGIA KICK STARTUP (POTENCIAL) 2 SEMANAS LEGACY: * MONITORAMENTO DAS STARTUPS 1- 3 - 6 MESES NOTIFICAÇÃO ESCOLHIDAS/ MERCADO & WORKSHOP + INTRAEMPREENDEDORISMO 1 SEMANA (3 A 5 STARTUPS) “START” DO PROGRAMA (TRANSFORMAÇÃO/ ALAVANCAGEM) 1 SEMANA “APPLY” DO PROGRAMA (ABSORÇÃO / IMPLEMENTAÇÃO) 4 SEMANAS 03 - 06 MESES Exemplo de programa de inovação com startups
  15. 15. OBRIGADO! cezar.taurion@kickgrupo.com.br

×