Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Apresentação de CILL

879 views

Published on

Published in: Education, Technology
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Apresentação de CILL

  1. 1. Programa Doutoral em Multimédia em Educação Departamento de Didáctica e Tecnologia Educativa Departamento de Comunicação e Arte Multimédia e Arquitecturas Cognitivas do Programa Doutoral em Multimédia em Educação Trabalho realizado por: Cláudia Cruz Isabel Araújo Luís Pereira Lurdes Martins 5 de Março de 2010 Collaborative Networked Learning
  2. 2. <ul><li>Índice </li></ul><ul><li>Identificação e diagnóstico da situação problema </li></ul><ul><li>Objectivos e prioridades </li></ul><ul><li>O contexto de intervenção </li></ul><ul><li>Plano de actividades </li></ul><ul><li>Avaliação </li></ul><ul><li>Visão do projecto a longo prazo </li></ul>
  3. 3. Identificação e diagnóstico da situação problema <ul><li>processo de ensino e de aprendizagem centrado no conhecimento do professor </li></ul><ul><li>os contextos formais, mais concretamente a sala de aula, continuam a ser dominantes </li></ul><ul><li>pouco destaque aos contextos não formais e informais </li></ul><ul><li>A tecnologia continua a ser encarada como um meio de acesso e divulgação da informação, não sendo, ainda, exploradas na sua plenitude as potencialidades de partilha e colaboração. </li></ul>Negative Negative Ao nível do ensino, apesar das directrizes de Bolonha, o modelo pedagógico não sofreu, em muitas instituições de ensino superior, grandes alterações IDEIA Como envolver os alunos na edificação de um processo de aprendizagem colaborativo, autónomo e consciente?
  4. 4. Objectivos <ul><li>Desenvolver processos de colaboração eficazes para atingir objectivos específicos.  </li></ul><ul><li>Promover a disseminação do Project-Led Education.  </li></ul><ul><li>Promover o relacionamento de ideias e conceitos de diferentes unidades curriculares.  </li></ul><ul><li>Desenvolver metacompetências como a metacognição e a meta-aprendizagem.  </li></ul><ul><li>Desenvolver capacidades de análise crítica da realidade.  </li></ul><ul><li>Envolver docentes e alunos numa concepção colaborativa de aprendizagem.  </li></ul><ul><li>Contribuir para uma visão holística da aprendizagem através da interdisciplinaridade e transdisciplinaridade.  </li></ul><ul><li>Promover a capacidade de trabalho individual e em grupo.  </li></ul><ul><li>Potenciar a articulação de contextos formais, não formais e informais de aprendizagem </li></ul>
  5. 5. Prioridades <ul><li>Formar os docentes ao nível da aprendizagem colaborativa e em rede, bem como das dinâmicas do Project-Led Education.  </li></ul><ul><li>Familiarizar os alunos com temáticas como o planeamento de projectos, dinâmicas de grupos e gestão do tempo.  </li></ul><ul><li>Implementar o Project-Led Education ao nível de um curso para, mediante os resultados da avaliação do processo, o disseminar ao nível da instituição de ensino superior.  </li></ul>
  6. 6. Como envolver os alunos na edificação de um processo de aprendizagem colaborativo, autónomo e consciente?
  7. 7. 5 4 3 2
  8. 8. Contexto de intervenção  Tecnologias da Computação Gráfica e Multimédia http://portal.ipvc.pt/portal/page/portal/estg/estg_cursos/estg_licenciaturas/estg_bolonha/estg_tcgm/estg_pc <ul><li>Falta de articulação entre as UC </li></ul><ul><li>Má gestão do tempo </li></ul><ul><li>Muita concentração de trabalho no final do semestre </li></ul><ul><li>Falta de hábitos de estudo </li></ul><ul><li>Falta de consciência da utilidade/necessidade de alguns conteúdos  </li></ul>Alguns constrangimentos identificados Curso Escola Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Viana do Castelo .
  9. 9. Proposta “ Collaborative Networked Learning&quot; assente em ensino por projectos (Project-Led Education) Com um forte suporte tecnológico pretende promover a aprendizagem colaborativa onde, através de um regime B-learning, cada aluno poderá construir conhecimento.  Contexto de intervenção  
  10. 10. Plano de actividades Metodologia: Blended Learning Duração: um ano planificado em termos de ano
  11. 11. Etapa preliminar
  12. 12. Andaimação do Projecto 2D <ul><li>Procura-se fomentar: </li></ul><ul><li>a aprendizagem colaborativa,  </li></ul><ul><li>a responsabilização individual e colectiva dos alunos no processo de aprendizagem, </li></ul><ul><li>  o desenvolvimento de competências de diferentes áreas disciplinares.  </li></ul>
  13. 13. Desenvolvimento do projecto 2D 
  14. 14. Regime presencial: Aulas de apoio ao projecto Aulas de acompanhamento do projecto os docentes de cada unidade curricular procurarão desenvolver conceitos e temáticas que se revelem basilares para o desenvolvimento do projecto. estas sessões assumirão uma função tutória, em que se pretende uma monitorização do trabalho desenvolvido. Numa primeira fase, que decorrerá durante as duas primeiras semanas, cinquenta por cento das horas de contacto em regime presencial, serão aulas de apoio ao projecto. Embora só estas sessões constem no cronograma, quer os alunos, quer a equipa, poderão solicitar a sua realização, sempre que tal se revelar pertinente. As restantes horas de contacto serão para acompanhamento do projecto. 
  15. 15. Regime de e-learning <ul><li>Ao longo do semestre, os alunos, organizados em grupos, desenvolverão o projecto, documentando o processo numa comunidade Ning criada para o efeito. </li></ul><ul><li>Pretende-se: </li></ul><ul><li>Documentar as actividades realizadas </li></ul><ul><li>Incluir reflexões sobre o trabalho desenvolvido, pesquisas efectuadas </li></ul><ul><li>Colocar dúvidas aos colegas e equipa multidisciplinar. </li></ul><ul><li>  </li></ul>Para além de permitir a monitorização do trabalho desenvolvido, a participação na comunidade deverá incentivar a auto-reflexão sobre o que foi aprendido e qual o caminho a seguir.   Semanalmente, a equipa reunirá com cada grupo, de acordo com o cronograma já apresentado, utilizando ferramentas de comunicação síncronas.
  16. 16. Concretização / Apresentação do projecto 2D A apresentação e defesa do projecto 2D será feita numa sessão pública, perante um júri, e compreenderá as seguintes etapas: <ul><li>Apresentação do projecto pelos alunos, com a participação de </li></ul><ul><li>todos os elementos. </li></ul><ul><li>Os restantes alunos do curso deverão, também, estar presentes, tal como os professores. </li></ul><ul><li>A duração aproximada da apresentação é de vinte minutos. </li></ul><ul><li>Discussão do projecto, com duração típica de trinta minutos. </li></ul>
  17. 17. Concretização / Apresentação do projecto 2D <ul><li>Composição do júri : </li></ul><ul><li>O júri será constituído por 3 elementos, entre os quais um representante dos professores envolvidos no projecto, um elemento externo à instituição (cuja área profissional esteja directamente relacionada com o projecto em questão) e um representante dos alunos (que não poderá estar envolvido no projecto). </li></ul><ul><li>A classificação final da apresentação e defesa do projecto é da responsabilidade do júri no seu conjunto, sendo atribuída uma classificação individual a cada aluno. </li></ul>
  18. 18. <ul><li>Correspondência do relatório com as normas estabelecidas;  </li></ul><ul><li>Resultados alcançados;  </li></ul><ul><li>Originalidade das soluções adaptadas;  </li></ul><ul><li>Clareza e rigor do texto;  </li></ul><ul><li>Qualidade de síntese;   </li></ul><ul><li>Integração das várias componentes do trabalho;  </li></ul><ul><li>Enquadramento do tema Dinâmica intragrupo no Ning;  </li></ul><ul><li>Dinâmica intergrupo no Ning;  </li></ul><ul><li>Cumprimento de timings;  </li></ul><ul><li>Desenvolvimento autónomo;  </li></ul><ul><li>Capacidade de resolução de problemas.  </li></ul>A avaliação da equipa resulta de um conjunto de parâmetros definidos na fase preliminar do projecto que permitam não só avaliar o produto, mas também o processo :
  19. 19. Avaliação inter-pares <ul><li>Os alunos, no seio do seu grupo e de forma colaborativa definirão os seus próprios critérios, embora estes devam permitir aferir os objectivos delineados para o projecto. </li></ul><ul><li>Esses critérios serão negociados, numa fase posterior, entre todos os grupos, no sentido de se elaborar um instrumento que permita a sua operacionalização. </li></ul><ul><li>Esse instrumento de avaliação deverá ser aplicado numa fase intermédia do projecto e após a apresentação e discussão dos trabalhos.  </li></ul>
  20. 20. Durante o processo de desenvolvimento Auto-avaliação
  21. 21. Após a apresentação e discussão do projecto Auto-avaliação (Lima et al., 2005:6)  
  22. 22. Avaliação externa É feita com recurso a uma consultadoria especialmente recrutada para o efeito. A metodologia e os indicadores serão definidos conjuntamente pela equipa multidisciplinar e a entidade avaliadora .  
  23. 23. Visão do projecto CNL a longo prazo Alargamento do projecto CNL a todos os alunos do curso de TCGM. Implementação em outros cursos da Escola. Desta forma, acreditamos que haverá um incremento da responsabilização pessoal pela aprendizagem e um desenvolvimento de capacidades e atitudes como o comprometimento, capacidade de decisão, planificação e avaliação. O aluno desenvolverá uma maior autonomia que lhe permitirá continuar a aprender ao longo da vida Concluído o processo da avaliação, a equipa multidisciplinar reunirá no sentido de reflectir sobre os pontos fortes e fracos desta metodologia, com vista a possíveis reformulações.
  24. 24. © www.PresentationLoad. com

×