Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Ead Pp

1,480 views

Published on

Trabalho TI - EAD x E-learning

Published in: Travel
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Ead Pp

  1. 1. EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EAD x E-LEARNING Carla Bastos Turma 127 – Gestão Hospitalar
  2. 2. INTRODUÇÃO <ul><li>A Educação a Distância se tornou mais usual nesta última década em função, principalmente, do surgimento das novas tecnologias de comunicação mediada por computador em rede – mais precisamente, com a popularização da Internet. A mudança não é pequena: surgem novos métodos educacionais, novas concepções de material didático, novas relações humanas e novas relações com o conhecimento. A Internet tem sido cada vez mais utilizada para apoiar e complementar o ensino tradicional - a distinção entre “Educação a Distância” e “Educação Presencial” torna-se cada vez mais difícil. Há muitas controvérsias na área – por exemplo, existe grande quantidade de definições para o termo “Educação a Distância”, algumas contraditórias, nenhuma amplamente aceita. Existem poucos mecanismos formais para sua análise. No texto que se segue vamos tentar mostrar alguns aspectos positivos desta nova modalidade de ensino. </li></ul>
  3. 3. CONCEITOS BÁSICOS DE EAD <ul><li>Educação a distância é o processo de ensino-aprendizagem, mediado por tecnologias, onde professores e alunos estão separados espacial e/ou temporalmente. </li></ul>
  4. 4. 2.1 - O QUE É EAD? <ul><li>É ensino/aprendizagem onde professores e alunos não estão normalmente juntos, fisicamente, mas podem estar conectados, interligados por tecnologias, principalmente as telemáticas, como a Internet. Mas também podem ser utilizados o correio, o rádio, a televisão, o vídeo, o CD-ROM, o telefone, o fax e tecnologias semelhantes. </li></ul><ul><li>A educação a distância pode ter ou não momentos presenciais, mas acontece fundamentalmente com professores e alunos separados fisicamente no espaço e ou no tempo, mas podendo estar juntos através de tecnologias de comunicação. </li></ul>
  5. 5. 2.2 - HISTÓRICO DA EAD? <ul><li>2.2.1 - EAD no mundo. </li></ul><ul><li>A Suécia registrou sua primeira experiência em 1833 , com um curso de Contabilidade . Na mesma época, fundou-se na Alemanha em 1856 o primeiro instituto de ensino de línguas por correspondência. O modelo de ensino foi iniciado na Inglaterra em 1840 , e, em 1843 foi criada a Phonografic Corresponding Society. Fundada em 1962 , a Universidade Aberta mantém um sistema de consultoria, auxiliando outras nações a implementar uma educação a distância de qualidade. Também no século XIX , a EaD foi iniciada nos Estados Unidos da América na Illinois Weeleyan University. </li></ul><ul><li>Já no século XX , em 1974 , a Universidade Aberta Allma Iqbal no Paquistão iniciou a formação de docentes via EaD. A partir de 1980 , a Universidade Aberta de Sri Lanka passou a atender setores importantes para o desenvolvimento do país: profissões tecnológicas e formação docente. Na Tailândia , a Universidade Aberta Sukhothiai Thommathirat tem cerca de 400 mil estudantes em diferentes setores e modalidades. </li></ul>
  6. 6. 2.2 - HISTÓRICO DA EAD? <ul><li>2.2.1 - EAD no mundo. </li></ul><ul><li>Criada em 1984 , a Universidade de Terbuka na Indonésia surgiu para atender forte demanda de estudos superiores, e prevê chegar a cinco milhões de estudantes. Já na Índia , criada em 1985, a Universidade Nacional Aberta Indira Gandhi tem objetivo de atender a demanda de ensino superior. </li></ul><ul><li>A Austrália é um dos países que mais investe em EaD, mas não tem nenhuma universidade especializada nesta modalidade. Nas universidades de Queensland, New England, Macquary, Murdoch e Deakin, a proporção de estudantes a distância é maior ou igual à de estudantes presenciais. </li></ul><ul><li>Na América Latina programas existentes incluem o Programa Universidade Aberta, inserido na Universidade Autônoma do México (criada em 1972 ), a Universidade Estatal a Distância da Costa Rica (de 1977 ), a Universidade Nacional Aberta da Venezuela (também de 1977) e a Universidade Estatal Aberta e a Distância da Colômbia (criada em 1983 ). </li></ul>
  7. 7. 2.2 - HISTÓRICO DA EAD? <ul><li>2.2.2 - EAD no Brasil. </li></ul><ul><li>No Brasil , desde a fundação do Instituto Rádio­ Técnico Monitor, em 1939 , o hoje Instituto Monitor , depois do Instituto Universal Brasileiro , em 1941 , e o Instituto Padre Reus em 1974 , várias experiências de educação a distância foram iniciadas e levadas a termo com relativo sucesso. As experiências brasileiras, governamentais e privadas, foram muitas e representaram, nas últimas décadas, a mobilização de grandes contingentes de recursos. Os resultados do passado não foram suficientes para gerar um processo de aceitação governamental e social da modalidade de educação a distância no país. Porém, a realidade brasileira já mudou e nosso governo criou leis e estabeleceu normas para a modalidade de educação a distância em nosso país. </li></ul><ul><li>Em 1904 , escolas internacionais, que eram instituições privadas, ofereciam cursos pagos, por correspondência. Em 1934 , Edgard Roquette-Pinto instalou a Rádio-Escola Municipal no Rio de Janeiro . Estudantes tinham acesso prévio a folhetos e esquemas de aulas. Utilizava também correspondência para contato com estudantes. Já em 1939 surgiu em São Paulo (cidade) o Instituto Monitor , na época ainda com o nome Instituto Rádio­ Técnico Monitor. Dois anos mais tarde surge a primeira Universidade do Ar, que durou até 1944 . Entretanto, em 1947 surge a Nova Universidade do Ar, patrocinada pelo SENAC , SESC e emissoras associadas. </li></ul><ul><li>Durante a década de 1960 , com o Movimento de Educação de Base (MEB), Igreja Católica e Governo Federal utilizavam um sistema radio-educativo: educação, conscientização, politização, educação sindicalista etc.. Em 1970 surge o Projeto Minerva, um convênio entre Fundação Padre Landell de Moura e Fundação Padre Anchieta para produção de textos e programas. Dois anos mais tarde, o Governo Federal enviou à Inglaterra um grupo de educadores, tendo à frente o conselheiro Newton Sucupira: o relatório final marcou uma posição reacionária às mudanças no sistema educacional brasileiro, colocando um grande obstáculo à implantação da Universidade Aberta e a Distância no Brasil. </li></ul>
  8. 8. 2.2 - HISTÓRICO DA EAD? <ul><li>2.2.2 - EAD no Brasil. </li></ul><ul><li>Na década de 1970 , a Fundação Roberto Marinho era um programa de educação supletiva a distância, para ensino fundamental e ensino médio . Entre as décadas de 1970 e 1980, fundações privadas e organizações não-governamentais iniciaram a oferta de cursos supletivos a distância, no modelo de teleducação, com aulas via satélite complementadas por kits de materiais impressos, demarcando a chegada da segunda geração de EaD no país. A maior parte das Instituições de Ensino Superior brasileiras mobilizou-se para a EaD com o uso de novas tecnologias da comunicação e da informação somente na década de 1990 . Em 1992 , foi criada a Universidade Aberta de Brasília (Lei 403/92), podendo atingir três campos distintos: a ampliação do conhecimento cultural com a organização de cursos específicos de acesso a todos, a educação continuada, reciclagem profissional às diversas categorias de trabalhadores e àqueles que já passaram pela universidade; e o ensino superior , englobando tanto a graduação como a pós-graduação. Em 1994 , teve início a expansão da Internet no ambiente universitário. Dois anos depois, surgiu a primeira legislação específica para educação a distância no ensino superior. As bases legais para essa modalidade foram estabelecidas pela Lei de Diretrizes e Bases na Educação Nacional n°9.394, de 20 de dezembro de 1996, regulamentada pelo decreto n°5.622 de 20 de dezembro de 2005, que revogou os decretos n°2.494 de 10/02/98, e n°2.561 de 27/04/98, com normatização definida na Portaria Ministerial n°4.361 de 2004. No decreto n°5.622 dita que, ficam obrigatórios os momentos presenciais para avaliação, estágios, defesas de trabalhos e conclusão de curso. Classifica os níveis de modalidades educacionais em educação básica, de jovens e adultos, especial, profissional e superior; Os cursos deverão ter a mesma duração definida para os cursos na modalidade presencial; Os cursos poderão aceitar transferência e aproveitar estudos realizados em cursos presenciais, da mesma forma que cursos presenciais poderão aproveitar estudos realizados em cursos à distância. Regulariza o credenciamento de instituições para oferta de cursos e programas na modalidade à distância (básica, de jovens e adultos, especial, profissional e superior). </li></ul>
  9. 9. 3 - O ALUNO E O PROFESSOR EM EAD <ul><li>O aluno que opta pela EAD possui algumas características próprias que são necessárias para estimular a percepção e a consignação do mesmo com a finalidade de prender sua atenção para longos periodos de estudo. Porem há alguns que admitem que essa modalidade não é para todos. </li></ul>
  10. 10. 3.1 - COMO É O ALUNO EM EAD <ul><li>Pode se dizer que o aluno da educação a distância atualmente encontra-se em fase de andragogia. Knowles (1995) define andragogia como “a arte e a ciência de ajudar adultos a aprenderem, partindo das diferenças básicas entre Ser-adulto e Ser-criança. Segundo esse autor os adultos aprendem par uso imediato das atividades que executam, no sentido de resolver problemas. As jovens crianças aprendsem com a finalidade de estocar conhecimentos. </li></ul>
  11. 11. 3.1 - COMO É O ALUNO EM EAD <ul><li>3.1.1 - Caracteristicas do bom aluno em EAD </li></ul><ul><li>O bom alunos em EAD deve disponibilizar tempo para executar as tarefas, gostar de ler e pesquisar. </li></ul><ul><li>3.1.2 - Papel do professor em EAD </li></ul><ul><li>De acordo com Medeiros (2003), o grande desafio na incorporação doas tecnologias no meio educacional tem sido o de desenvolver ações cooperativas que facilitem o crescimento individual/coletivo e ainda ações que busquem a iniciativa, a flexibilidade e a autonomia do sujeito. </li></ul><ul><li>“ O professor e o grupo como um todo passa a ser solicitado a interagir com diferentes meios e sujeitos e a compartilhar o conhecimento, para construir novas relações, fazendo e desfazendo as informações dadas, reconstruindo-a em novos espaços, em diferenciados significados e novas formas de organização” (Medeiros et al. , 2002). Diante de todos estes aspectos, pode-se perceber que o professor é  o agente fundamental de mudanças e interações, que precisam ser articuladas e entendidas, possibilitando que o  conhecimento seja uma constante nesta relação de EAD. </li></ul>
  12. 12. 4 - E-LEARNING <ul><li>O estudo a distância utilizando a tecnologia. </li></ul>
  13. 13. 4 - E-LEARNING <ul><li>4.1 -O QUE E-LEARNING? </li></ul><ul><li>Tecnicamente, o e-learning é o ensino realizado através de meios eletrônicos. É basicamente um sistema hospedado no servidor da empresa que vai transmitir, através da Internet ou Intranet, informações e instruções aos alunos visando agregar conhecimento especifico. O sistema pode substituir total ou parcialmente, o que é mais comum, o instrutor, na condução do processo de ensino. No e-learning, as etapas de ensino são pré-programadas, divididas em módulos e são utilizados diversos recursos como o e-mail, textos e imagens digitalizadas, sala de bate-papo, links para fontes externas de informações, vídeos e teleconferências, entre outras. O treinamento com o e-learning pode ser montado pela própria empresa ou por qualquer dos fornecedores desse tipo de solução já existentes no mercado.  </li></ul><ul><li>4.2 - COMO AS EMPRESAS ESTÃO USANDO EAD . </li></ul><ul><li>Para treinar seus funcionários em um menor período de tempo, tb para atualiza-los. </li></ul>

×