Hormonas Vegetais

58,357 views

Published on

Published in: Education, Technology, Business
14 Comments
73 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
58,357
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3,855
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
14
Likes
73
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Hormonas Vegetais

    1. 2. ∎ Compreender o modo de actuação das hormonas vegetais; ∎ Identificar diferentes hormonas vegetais; ∎ Relacionar as diferentes hormonas com o seu modo de acção; ∎ Compreender o processo de floração; ∎ Compreender o aproveitamento das hormonas vegetais para fins económicos.
    2. 3. “ Uma das características básicas da vida é a capacidade de responder a estímulos do meio”
    3. 4. As plantas movem-se? ∎ As plantas têm hormonas? ∎ Como controlam a floração ? ∎ Como é os frutos ficam maduros?
    4. 5. ∎ O crescimento e o desenvolvimento das plantas são fortemente influenciados por estímulos como a luz , a gravidade , a temperatura e o contacto com outras plantas ou com qualquer objecto. ∎ Como resposta a esses estímulos, determinados órgãos executam movimentos variados.
    5. 6. Frutificação Germinação Floração
    6. 7. <ul><li>Identifique o estímulo. </li></ul><ul><li>Luz. </li></ul><ul><li>2. Indique qual a resposta ao estímulo? </li></ul><ul><li>2. A planta inclina-se em direcção à luz. </li></ul><ul><li>Como se denomina este comportamento? </li></ul><ul><li>3. Fototropismo. </li></ul>
    7. 8. <ul><li>1. Identifique o estímulo. </li></ul><ul><li>1. Gravidade </li></ul><ul><li>2. Indique qual a resposta ao estímulo. </li></ul><ul><li>2. A planta inclina-se para cima, no sentido contrário à acção da gravidade. </li></ul><ul><li>Como se denomina este comportamento? </li></ul><ul><li>3. Gravitropismo. </li></ul>
    8. 9. tropismos Direcção do movimento Natureza do estímulo Positivos Negativos Fototropismos Tigmotropismos Quimiotropismos Geotropismos
    9. 10. <ul><li>É o desenvolvimento da planta influenciado pela direcção da luz </li></ul>
    10. 12. <ul><li>∎ Fototropismo - quando o agente é a luz; </li></ul><ul><li>∎ Tigmotropismo - quando cresce em torno de um suporte. Ex. : Gavinhas </li></ul><ul><li>∎ Quimiotropismo – quando o agente é químico. Ex.: tubo polínico em direcção ao óvulo. </li></ul><ul><li>∎ Geotropismo - quando o agente é a acção da gravidade. </li></ul><ul><li>∎ Hidrotropismo - quando é a água. </li></ul>
    11. 13. <ul><li>Os movimentos das plantas passam despercebidos por serem muitos lentos, mas têm sido objecto de muitas investigações. </li></ul><ul><li>Algumas experiências permitiram comprovar a existência de hormonas vegetais ou fito-hormonas . </li></ul>
    12. 14. <ul><li>∎ Contrariamente às hormonas animais, as hormonas vegetais são, geralmente, sintetizadas por células não especializadas . </li></ul><ul><li>∎ Os seus efeitos são variáveis, não induzindo uma resposta sempre idêntica, dependendo a sua acção de diversos factores, quer intrínsecos à planta, quer provenientes do meio ambiente. </li></ul>
    13. 15. <ul><li>∎ Diversas hormonas vegetais têm sido produzidas em laboratório, sendo aplicadas artificialmente nas culturas, de forma a obter efeitos desejados, como: </li></ul><ul><ul><li>indução da floração; </li></ul></ul><ul><ul><li>promoção do crescimento; </li></ul></ul><ul><ul><li>formação de frutos, entre diversos outros. </li></ul></ul>
    14. 16. <ul><li>∎ Embora existam diversos esquemas de classificação das hormonas vegetais, elas podem ser agrupadas em cinco grupos principais: </li></ul><ul><li> ∎ auxinas </li></ul><ul><li> ∎ giberelinas </li></ul><ul><li> ∎ citocininas </li></ul><ul><li> ∎ etileno </li></ul><ul><li> ∎ inibidores </li></ul>
    15. 17. <ul><li>∎ A descoberta das primeiras hormonas vegetais ou fito-hormonas resultou de trabalhos experimentais levados a cabo por Charles Darwin e pelo seu filho Francis Darwin, em 1880, na tentativa de descobrirem o que levava as plantas a inclinarem-se para a luz. </li></ul><ul><li> </li></ul>
    16. 18. <ul><li>∎ Para tal, utilizaram plântulas de gramíneas (aveia, trigo...), após a germinação das respectivas sementes e observaram o coleóptilo , invólucro em forma de dedo de luva que é primeira porção da plântula a emergir do solo e cuja função consiste em proteger as primeiras folhas. </li></ul><ul><li> </li></ul>
    17. 19. <ul><li>∎ O coleóptilo (bainha cilíndrica que protege as primeiras folhas) é a primeira porção da planta a emergir do solo. </li></ul>
    18. 20. <ul><li>1- Intacta </li></ul><ul><li>2- Ápice do coleóptilo removido </li></ul><ul><li>3- Ápice do coleóptilo coberto com material opaco </li></ul><ul><li>4- Ápice do coleóptilo coberto com material transparente </li></ul><ul><li>5- Plântula coberta com material opaco, excepto o ápice </li></ul>
    19. 21. <ul><li>1 . Quais as plantas que se curvaram em direcção à luz ? </li></ul><ul><li>1. Plantas 1, 4 e 5. </li></ul><ul><li>2 . Como poderão ser interpretados os resultados obtidos ?   </li></ul><ul><li>2. A iluminação lateral do ápice do coleóptilo faz com que a plântula se encurve em direcção à luz . </li></ul>
    20. 22. <ul><li>3 . Caso se utilizasse uma iluminação uniforme, que resultados se obteriam ? </li></ul><ul><li>3. Não se verificaria curvatura em nenhuma planta. </li></ul><ul><li>4 . Que conclusão se pode tirar ? </li></ul><ul><li>Quando as plântulas são iluminadas lateralmente, transmite-se uma mensagem, da parte superior da planta para a parte inferior da planta, que leva à curvatura dos coleóptilos. </li></ul>
    21. 23. O Ágar-ágar ou gelose é um glícido extraído de certas algas e utilizado, por exemplo, em culturas biológicas. A figura resume algumas experiências (todas as plantas foram colocadas às escuras).
    22. 24. <ul><li>Descreva os resultados obtidos em 1, 2 e 3.   </li></ul><ul><li>1 . Em 1 e 2 não aconteceu nada e em 3 a plântula cresceu. </li></ul><ul><li>2. Explique os resultados obtidos em 3. </li></ul><ul><li>2. No ápice do coleóptilo cortado há a produção de uma hormona que se difundiu para o bloco de ágar e, posteriormente, deste para a secção cortada da plântula 3, promovendo o seu crescimento. </li></ul><ul><li>3. Explique os resultados obtidos em 1 e 2. </li></ul><ul><li>  3. Em 1, a substância proveniente do ápice do coleóptilo cortado passou para a mica, mas não se difundiu para a plântula, pois a mica é impermeável. Em 2, a substância proveniente do ápice do coleóptilo cortado não teve tempo para se difundir para o ágar, pois só permaneceu 1 hora em contacto com ele. </li></ul>
    23. 25. 4 . Descreve os resultados obtidos em 4. 4. A plântula inclinou-se para o lado oposto ao bloco de ágar. 5 . Explica os resultados obtidos em 4. 5. No ápice do coleóptilo cortado há a produção de uma substância que se difundiu para o bloco de ágar e, posteriormente, deste para a secção cortada da plântula 4, promovendo a sua inclinação. 6. Indica quais as duas plântulas cujos resultados melhor apoiam as ideias de Darwin ? 6. Os resultados verificados em 1 e 4, que provam que a inclinação das plantas se deve à acção de uma substância química produzida no ápice do coleóptilo, tal como Darwin havia suspeitado.
    24. 26. 7 . No ápice dos coleóptilos produz-se uma hormona (mensageiro químico) que se difunde para o bloco de ágar e, posteriormente, deste para a secção cortada desses coleóptilos. A hormona em causa chama-se auxina (do grego auxeín = crescer). Refere, com base nos resultados anteriores, dois efeitos da acção desta hormona nas plantas. 7. Crescimento e inclinação. 8. Deduz, com base nos resultados obtidos em 4, a que se deve o crescimento orientado das plantas em relação à luz ( fototropismo ). 8. O crescimento orientado em relação à luz deve-se ao maior alongamento das células não iluminadas, onde chega maior quantidade de auxina.
    25. 27. <ul><li>∎ Várias hormonas vegetais ( fito-hormonas ) foram já identificadas, dependendo os seus efeitos do local de acção, do estado de desenvolvimento da planta e da concentração da hormona; </li></ul><ul><li>∎ As fito-hormonas actuam em doses muito pequenas e muitas vezes em interacção ; </li></ul><ul><li>∎ Dessa interacção resultam respostas das células-alvo; </li></ul><ul><li>∎ Após actuarem são degradadas. </li></ul><ul><li> </li></ul>
    26. 28. <ul><li>∎ Auxinas - Hormona ou substância sintética que provoca o crescimento das plantas. As auxinas provocam, para além do crescimento, efeitos variados, de acordo com a sua concentração, a espécie de planta, e o órgão da planta em que actuam. </li></ul><ul><li>Giberelinas - Nome dado a mais de cinquenta compostos, organicamente mensageiros químicos (hormonas), que promovem o crescimento das plantas, estimulando o alongamento e a divisão celular. </li></ul><ul><li> </li></ul><ul><li> </li></ul>
    27. 29. <ul><li>∎ Etileno - Hidrocarboneto de composição C2 H4. </li></ul><ul><li>∎ Citocininas - Fito-hormona, substância química sintetizada nas plantas e que regula o seu crescimento e desenvolvimento. </li></ul><ul><li>∎ Ácido absícico - Hormona inibidora do crescimento, que em 1967, foi oficialmente designada ácido absícico (ABA). É sintetizada nos plastídios, aparentemente pelos pigmentos carotenóides. Encontra-se em muitas partes das plantas mas é particularmente comum nos frutos carnudos, onde evita a germinação das sementes. </li></ul><ul><li> </li></ul><ul><li> </li></ul>
    28. 31. <ul><li>∎ Subsequentemente à descoberta das auxinas , outras fito-hormonas foram identificadas, como as giberelinas , o etileno , as citocininas e o ácido absícico . </li></ul><ul><li>∎ As fito-hormonas actuam em pequenas quantidades e muitas vezes interagem umas com as outras. </li></ul><ul><li>∎ São produzidas em certas zonas e transportadas para outros locais, onde promovem respostas fisiológicas. </li></ul><ul><li> </li></ul><ul><li> </li></ul>
    29. 33. ∎ Floração - Aparecimento das flores numa planta. ∎ As hormonas são o principal factor interno de regulação do desenvolvimento e crescimento nas plantas. ∎ Esta regulação intrínseca está, no entanto, dependente de factores externos, como a luz e a temperatura . ∎ Um dos processos fisiológicos que mais têm suscitado a investigação dos botânicos é, sem dúvida, o conjunto de condições ligadas à floração das plantas superiores. ∎ Sabe-se que a floração está relacionada com a duração relativa dos dias e das noites, denominando-se fotoperíodo .
    30. 34. ∎ Plantas de dia curto - Nas plantas de dia curto ou de noite longa a floração ocorre quando o período nocturno é maior que o período diurno. ∎ Exemplos : Crisântemo, morangueiro, macieira.
    31. 35. ∎ Plantas de dia longo - As plantas de dia longo ou de noite curta florescem quando as noites se tornam menores do que o período diurno. ∎ Exemplos : Ervilheira, Centeio e Papoila.
    32. 36. ∎ Plantas indiferentes - Nas plantas indiferentes a floração apresenta uma grande tolerância em relação ao fotoperíodo. ∎ Exemplos : Cravo, Malmequer e Sardinheira
    33. 37. <ul><li>O que controla a floração não é a duração do período de luz mas a duração do período de obscuridade. </li></ul><ul><li>Em consequência, as designações deveriam ser plantas de noites curtas , correspondente a plantas de dia longo e plantas de noite longa , correspondente a plantas de dia curto. </li></ul>
    34. 38. Frutificação Germinação Floração

    ×