Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Trichomonas vaginalis Parasitologia  Profª Cris
Epidemiologia• OMS registra 170 milhões de casos/ano• Faixa etária de 16 a 35 anos• Exames Papanicolau acusam 20% a 40% de...
Ciclo biológico                                                                      • Alcalinização do pH                ...
Tricomoníase• Assintomático >> Sintomáticos• Na Mulher  – Corrimento, ardor  – Mucosa friável = dor no ato sexual  – Metri...
Leucorreiahttp://depts.washington.edu/nnptc/online_training/std_handbook/gallery/pages/trichomonasdischg.htmlhttp://www.sa...
Forma(s) evolutiva(s)A:   Two  trophozoites  of  T.               B:  Trophozoite  of  Trichomonasvaginalis  obtained  fro...
Microscopia de varredura   Rey, L. Parasitologia. 4 ed. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan. 2008.
Estrutura do                                                 Flagelo recorrente                                           ...
Axóstilo
Mecanismos de patogenicidade• Secreção de a.a. que são degradados   gerando aminas alcalinas => pH alcalino   interfere na...
Diagnóstico• Clínico  – Sintomas, achados e sinais clínicos  – Anamnese (epidemiologia, antecedentes)• Laboratorial  – Par...
Esfregaço de secreção vaginal        http://www.cytologystuff.com/site~/section3.htm
Esfregaço de secreção vaginal                                    Flagelados na                                       secre...
ProfilaxiaConversar com parceir@                                                                                          ...
Referências complementares•   PASSOS, M. R. L. Tricomoníase: Uma Epidemia    Negligenciada. DST - J. Bras Doenças Sex. Tra...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

5. trichomonas vaginalis

18,852 views

Published on

Protozoário parasito do sistema geniturinário masculino e feminino

Published in: Education

5. trichomonas vaginalis

  1. 1. Trichomonas vaginalis Parasitologia Profª Cris
  2. 2. Epidemiologia• OMS registra 170 milhões de casos/ano• Faixa etária de 16 a 35 anos• Exames Papanicolau acusam 20% a 40% de mulheres em idade reprodutiva infectadas com T. vaginalis• 70% dos casos de leucorreia feminina são positivos para T. vaginalis• Entre homens estima-se uma positividade de 10% a 15%• Contágio sexual?!!? Rey, L. Parasitologia. 4 ed. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan. 2008.
  3. 3. Ciclo biológico • Alcalinização do pH vaginal (3,8-4,5) – Sêmen – Menstruação – Hormônios • Forma de transmissão – Contato com secreção contaminada e fresca • Fômiteshttp://www.dpd.cdc.gov/dpdx/HTML/ImageLibrary/Trichomoniasis_il.htm • ?!?!?!?!?
  4. 4. Tricomoníase• Assintomático >> Sintomáticos• Na Mulher – Corrimento, ardor – Mucosa friável = dor no ato sexual – Metrite, salpingite• No Homem – Dificuldade para eliminar a 1ª urina matinal – Escoriações no sulco balanoprepucial – Uretrite• Na criança – Raro! http://volumenacueca.blogspot.com/2009_01_01_archive.html?zx=6212f38384432a9f
  5. 5. Leucorreiahttp://depts.washington.edu/nnptc/online_training/std_handbook/gallery/pages/trichomonasdischg.htmlhttp://www.saude.df.gov.br/003/00318005.asp?ttCD_CHAVE=22627http://www.jornallivre.com.br/206318/o-que-causa-tricomoniase.html
  6. 6. Forma(s) evolutiva(s)A:   Two  trophozoites  of  T. B:  Trophozoite  of  Trichomonasvaginalis  obtained  from  in vitro  vaginalis  stained  with  iron culture, stained with Giemsa. hematoxylin. A: Two trophozoites of T. vaginalis obtained from in vitro culture, stained with Giemsa. B: Trophozoite of T. vaginalis stained with iron hematoxylin. http://www.dpd.cdc.gov/dpdx/HTML/ImageLibrary/Trichomoniasis_il.htm
  7. 7. Microscopia de varredura Rey, L. Parasitologia. 4 ed. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan. 2008.
  8. 8. Estrutura do Flagelo recorrente Pelta Trofozoíto (Memb. Ondulante) Fibras parabasais 5 a 12 µm CG Costa N10 a 30 µm Hidrogenossomos Axóstilo http://www.microbelibrary.org/microbelibrary/files/ccImages/Articleima ges/del%20castillo/Images/Trichomonas%20vaginalis.jpg; Rey, L. Parasitologia. 4 ed. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan. 2008.
  9. 9. Axóstilo
  10. 10. Mecanismos de patogenicidade• Secreção de a.a. que são degradados gerando aminas alcalinas => pH alcalino interfere na manutenção da microbiota de Döederlein• Consumo de glicogênio => diminui microbiota normal => aumenta pH• Secreção (corrimento) é abrasiva para pele e mucosa => ardor• Infiltrado inflamatório (neutrófilos e eosinófilos) => secreção de muco
  11. 11. Diagnóstico• Clínico – Sintomas, achados e sinais clínicos – Anamnese (epidemiologia, antecedentes)• Laboratorial – Parasitológico: • Homem – Parasitológico do sedimento urinário, parasitológico de esperma, líquido uretral ou prostático • Mulher – Parasitológico de secreção vaginal – Imunológico • IFC de soro
  12. 12. Esfregaço de secreção vaginal http://www.cytologystuff.com/site~/section3.htm
  13. 13. Esfregaço de secreção vaginal Flagelados na secreção Microbiota (bacilos) de Döederlein Alencar, V. M. P. D., Lima , C. M. L. , Hirsch-Monteiro, C. Atlas de Parasitologia. 2006; http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/tricomoniase/tricomoniase-3.php
  14. 14. ProfilaxiaConversar com parceir@ Usar preservativos Fazer exames periódicos http://www.aids.gov.br/assistencia/manual2/1_parte.htm, http://amigasridiculas.files.wordpress.com/2008/09/camisinha- anti.jpg
  15. 15. Referências complementares• PASSOS, M. R. L. Tricomoníase: Uma Epidemia Negligenciada. DST - J. Bras Doenças Sex. Transm. , 18(3): 159-160, 2006. Disponível em: http://www.uff.br/dst/revista18-3-2006/EDITORIAL.pdf. Acesso em: 21/05/09.

×