Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

O profissional de Segurança e os novos Paradigmas do Setor - formação, atuação e representatividade

361 views

Published on

Painelistas:
Adm. Tatiana Diniz - Coordenadora do Grupo de Excelência em Segurança - GESEG do Conselho Regional de Administração de São Paulo - CRA/SP.

Adm. Marcy José de Campos Verde - Consultor sênior em segurança empresarial.

Ricardo Tadeu Corrêa - Presidente da Associação Brasileira dos Cursos de Formação e Aperfeiçoamento de Vigilantes - ABCFAV.

Adm. Teanes Carlos Santos Silva - Vivência de 25 anos na Segurança Privada, atuando como Gestor e Consultor.

Johnny Mascarenhas de Queirós - Especialista em Gerenciamento de Crises e Negociação de Crises com Tomada de Reféns – FBI.

Marco Antonio Lopes - Presidente da Associação Brasileira de Profissionais de Segurança - ABSEG.

Published in: Business
  • Be the first to comment

O profissional de Segurança e os novos Paradigmas do Setor - formação, atuação e representatividade

  1. 1. "O PROFISSIONAL DE SEGURANÇA E OS NOVOS PARADIGMAS DO SETOR - FORMAÇÃO, ATUAÇÃO E REPRESENTATIVIDADE"
  2. 2. O PROFISSIONAL DE SEGURANÇA ESTÁ PREPARADO PARA OS NOVOS PARADIGMAS DO SETOR?
  3. 3. DEMANDA DOS PRODUTOS PERSONALIZADOS FÁCIL ACESSO AS TECNOLOGIAS HABILITADORAS START DA 4ªREVOLUÇÃO
  4. 4. DEMANDA DOS PRODUTOS PERSONALIZADOS FORMAÇÃO PORTARIA 3233/2012 CURSO BÁSICO FORMAÇÃO VIGILANTE RECICLAGEM
  5. 5. EXTENSÕES TRANSPORTE DE VALORES ESCOLTA ARMADA SEGURANÇA PESSOAL PRIVADA EQUIPAMENTO NÃO LETAIS I E II
  6. 6. TECNOLOGIAS HABILITADORAS RASTREABILIDADE CLOUD COMPUTING REALIDADE AUMENTADA
  7. 7. REFLEXÃO QUEM É RESPONSÁVEL PELA QUALIFICAÇÃO DO PROFISSIONAL? O CAPITAL HUMANO ESTÁ SENDO TRATADO COMO DEVERIA?
  8. 8. NÚMERO DE VIGILANTES ATIVOS 2017 7,6% 10,5% 21,5% 47,3% 13,1% Fonte: Policia Federal - mar/2018 942.091 )))
  9. 9. NÚMERO DE VIGILANTES ATIVOS 2017 Fonte: Policia Federal - mar/2018 264,393 90,520 71,202 55,680 44,758 44,604 39,239 35,949 35,507 34,651 30,993 29,214 23,367 19,050 17,354 13,633 12,985 12,203 11,638 10,283 10,118 10,072 9,685 5,549 4,172 3,520 1,752 0 50000 100000 150000 200000 250000 300000 Gráfico Vigilantes Ativos 2017
  10. 10. Fonte: Policia Federal - mar/2018 Número do Setor 2017
  11. 11. Fonte: Policia Federal - mar/2018 Número do Setor 2017
  12. 12. Fonte: Policia Federal - mar/2018 Número do Setor 2017
  13. 13. Fonte: Policia Federal - mar/2018 Número do Setor 2017
  14. 14. Fonte: Policia Federal - mar/2018 Número do Setor 2017
  15. 15. Fonte: Policia Federal - mar/2018 Número do Setor 2017 CURSOS DE FORMAÇÃO 301 EMPRESAS SEGURANÇA PRIVADA 2.661 SEGURANÇA ORGÂNICA 2.073
  16. 16. CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Esta Lei institui o Estatuto da Segurança Privada e da Segurança das Instituições Financeiras, para dispor sobre os serviços de segurança de caráter privado, exercidos por pessoas jurídicas e excepcionalmente, por pessoas físicas, em âmbito nacional e para estabelecer as regras gerais para a segurança das instituições financeiras autorizadas a funcionar no País. Dá abrangência do controle da segurança privada pelo Estado. Mantém as empresas e plano de segurança bancária aos moldes da atual 7.102/83, bem como traz a novidade das empresas eletrônicas no seu texto. Quando fala em “excepcionalmente, por pessoa física” está falando da figura do GESTOR, que veremos adiante. Estatuto da Segurança Privada
  17. 17. Estatuto da Segurança Privada CAPÍTULO II DO SERVIÇO DA SEGURANÇA PRIVADA Art. 2. Os serviços de segurança privada serão prestados por pessoas jurídicas especializadas ou por meio das empresas e condomínios edilícios possuidores de serviços orgânicos de segurança privada, neste último caso, em seus proveitos próprios, com ou sem utilização de armas de fogo e com o emprego de profissionais habilitados e de tecnologia e equipamentos de uso permitido. Parágrafo único. É vedada a prestação de serviços de segurança privada de forma cooperada ou autônoma.
  18. 18. Estatuto da Segurança Privada Art. 4º A prestação de serviços de segurança privada depende de autorização prévia da Polícia Federal, ao qual competem o controle e a fiscalização da atividade, nos termos do art. 42 e com possibilidade de manifestação ampla do órgão a que se refere o art. 40. Como é hoje, a Polícia Federal regula, controla e fiscaliza as empresas, inclusive eletrônicas. Importante a criação do Conselho Nacional de Segurança Privada – CNASP, ou Agência Nacional de Segurança Privada - ANSP
  19. 19. Estatuto da Segurança Privada Art. 5º São considerados serviços de segurança privada, sem prejuízo das atribuições das Forças Armadas, dos órgãos de segurança pública e do sistema prisional: I – vigilância patrimonial; II – segurança de eventos em espaços comunais, de uso comum do povo; III – segurança nos transportes coletivos terrestres, aquaviários e marítimos; IV – segurança perimetral nas muralhas e guaritas de estabelecimentos prisionais; V – segurança em unidades de conservação; VI – monitoramento de sistemas eletrônicos de segurança e rastreamento de numerário, bens e valores; VII – execução do transporte de numerário, bens ou valores;
  20. 20. Estatuto da Segurança Privada VIII – execução de escolta de numerário, bens ou valores; IX - execução de segurança pessoal com a finalidade de preservar a integridade física de pessoas; X - formação, aperfeiçoamento e atualização dos profissionais de segurança privada; XI – gerenciamento de riscos em operações de transporte de numerário, bens ou valores; XII – controle de acesso em portos e aeroportos; XIII- outros serviços que se enquadrarem nos preceitos desta Lei, na forma do regulamento. Pode se criar outras modalidades de serviços, a Lei não se fecha no tempo, novidades poderão advir no futuro.
  21. 21. Painel - "O PROFISSIONAL DE SEGURANÇA E OS NOVOS PARADIGMAS DO SETOR - FORMAÇÃO, ATUAÇÃO E REPRESENTATIVIDADE" TEANES SILVA 13-11-2018
  22. 22. • Diz o ditado que: •“O Trabalho Dignifica o Homem”, e esse homem, um eterno trabalhador, faz dele o “elemento fundamental, em qualquer setor ou produção de uma organização”.
  23. 23. A assessoria do Hospitalar Monte Sinai, de Juiz de Fora, informou que o caso ocorreu no estacionamento do Centro Médico, onde estão os consultórios. O caso resultou em uma morte (policial civil de Minas) e dois feridos. Uma das hipóteses investigadas é que tiroteio ocorreu durante a negociação de um lote de medicamentos para anestesia, fruto de contrabando, para o hospital. Agentes civis de Minas Gerais teriam descoberto a transação e foram ao local para apreender o dinheiro. Outra versão sustenta que supostos empresários paulistas contrataram a escolta de policiais civis para acompanhá-los durante uma troca de reais por dólares.
  24. 24. O fogo atingiu a área de desenvolvimento de produtos e parte do almoxarifado. No local há muito estoque de embalagens, papelão, vidros e plásticos. E, ainda, estoques de produtos químicos usados na fabricação de remédios, e produtos já acabados. A produção está interrompida. A EMS ainda não sabe quando as atividades poderão ser retomadas. Um evento com famílias e filhos de funcionários estava ocorrendo na empresa quando o fogo começou. De acordo com a EMS, funcionários e visitantes deixaram o local e não há feridos.
  25. 25. •Mudar o modelo: de segurança reativa, para Preventiva e Integrada. • Desafio: Comprometer a alta administração e todos do organograma. Segurança patrimonial é dever da empresa, direito e reponsabilidade de todos. Segurança Patrimonial tem que ser um valor.... Cultura prevencionista...DNA
  26. 26. Gestão SISTÊMICA de Segurança Sustentável  Objetivos Estratégicos do Negócio  Propósito  Visão  Missão  Valores Qual a missão da segurança? Qual a visão da Segurança? Quais os valores da Segurança? Segurança como processo Segurança como departamento inovadora transformadora integrada confiável colaborativa resiliente performadora
  27. 27. 33 Treinar o time de segurança e demais colaboradores - Programa ANUAL com base no mapa de competências (necessárias no dia a dia).
  28. 28. 1) Uso Progressivo da Força 2) Primeiros Socorros 3) Educação Física 4) Defesa Pessoal 5) Armamento e Tiro 6) Radiocomunicações 7) Gerenciamento de Crises 8) Legislação Aplicada e Direitos Humanos 9) Noções de Segurança Privada 10) Relações Humanas no Trabalho 11) Noções de Segurança Eletrônica 12) Prevenção e Combate a Incêndio 13) Vigilância 14) Sistema de Segurança Pública e Crime Organizado 15) Noções de Criminalística e Técnicas de Entrevista Prévia GRADE DO CFV – PORTARIA 3233  SEM FORMAÇÃO ESPECÍFICA;  CURSOS LIVRES de 2 a 40 horas;  Escolas em tradição e/ou fiscalização;  Sem vínculo com DPF;  SALÁRIO em TORNO de 1.300,00;  MERCADO AQUECIDO?;  Para muitos a primeira ou a última opção na segurança privada PORTEIRO E SIMILARES
  29. 29. V DOS PROFISSIONAIS DE SEGURANÇA PRIVADA - ESTATUTO DA SEGURANÇA PRIVADA Art. 26. Para a prestação dos diversos serviços de segurança privada previstos nesta Lei, consideram-se profissionais de segurança privada: I - gestor de segurança privada, profissional especializado, de nível superior, responsável pela: a) análise de riscos e definição e integração dos recursos físicos, humanos, técnicos e organizacionais a serem utilizados na mitigação de riscos; b) elaboração dos projetos para a implementação das estratégias de proteção; c) realização de auditorias de segurança em organizações públicas e privadas; e d) execução do serviço a que se refere o inciso XI do caput do art. 5º, na forma do regulamento;
  30. 30. CBO 2526 : Profissionais da administração dos serviços de segurança • Descrição Sumária • Gerenciam as atividades de segurança em geral. Elaboram planos e políticas de segurança. Realizam análises de riscos, adotam medidas preventivas e corretivas para proteger vidas, o patrimônio e restaurar as atividades normais de empresas. 2526-05 - Gestor em segurança - Gerente de segurança empresarial, Tecnólogo em gestão de segurança empresarial, Tecnólogo em gestão de segurança privada. ANALISTA COORDENADOR GERENTE
  31. 31. 5103 :: Supervisores dos serviços de proteção, segurança e outros • 5103-05 - Supervisor de bombeiros - Encarregado de bombeiros, Líder de bombeiros • • 5103-10 - Supervisor de vigilantes - Inspetor de segurança, Supervisor de segurança (vigilância), Supervisor de segurança patrimonial • Descrição Sumária • Supervisionam, orientam e treinam equipes de segurança. Analisam projetos de segurança e adotam medidas corretivas. Programam simulados de emergência, elaboram escalas de serviços, supervisionam atividades, postos de trabalho, locais e atividades de risco. Investigam causas de ocorrências. Sugerem medidas preventivas e corretivas, atendem clientes e coordenam planos de emergência.
  32. 32. VIDA ACADÊMICA DO GESTOR Cursos de nível superior (1600H), Extensão (40 a 120H), Pós (360) e MBA (400H) Modalidade presencial, semipresencial e a distância (com ou sem tutor) em Segurança Empresarial, Corporativa, Patrimonial, em Riscos, em Controladoria, em Projetos, Fraudes, Compliance...
  33. 33. MATRIZ CURRICULAR – curso SUPERIOR – Padronizar  Direito Penal  Economia Empresarial  Gerenciamento de Conflito e Crises  Ética e Responsabilidade Socioambiental  Fundamentos da Administração  Gestão de Conhecimento, Inteligência e Contra inteligência  Gestão Técnica de Segurança Privada e Equipamentos  Introdução à Gestão de Segurança Privada Legislação de Segurança Privada  Leitura e Produção textual  Projeto de Segurança  Liderança e Relacionamento Interpessoal  Matemática Aplicada  Noções de Direito  Planejamento Estratégico de Segurança  Segurança Bancária e transporte de valores  Gestão de Material e Logística  Segurança do Trabalho e Saúde ocupacional  Segurança Física das Instalações  Direitos Humanos  Armamentos, Munições e Explosivos  Direito Processual Penal  Empreendedorismo  Auditoria e Investigação sobre Fraudes  Filosofia  Gestão de Negócios  Sistemas de Segurança da Informação  Gestão de Recursos Humanos  Informática Básica e Técnica  Inglês Instrumental  Introdução ao Direito do Trabalho  Legislação de Segurança no Trânsito  Legislação Especial  Comunicação e Expressão  Contabilidade  Tecnologias Aplicadas à Segurança  Planos de Negócios  Noções de Direito Constitucional  Primeiros Socorros  Estatística Aplicada  Psicologia  Relacionamentos Interpessoais  Gestão de Segurança Corporativa e Privada
  34. 34. Gestão de segurança, causa Insanidade?
  35. 35. CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL – COMO DIFERENCIAL Risk Management Professional – C31000)
  36. 36. ATUALIZAÇÃO/DIFERENCIAL DO GESTOR CURSOS MBA/PÓS EVENTOS GRUPO ARTIGO LIVRO ASSOCIAÇÃO CONSEG
  37. 37. AÇÃO
  38. 38. FONE: (11) 998.801.372 teanes@terra.com.br teanes@carlosfaria.com.br

×