Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Gestão e excelência nos serviços de Saúde

92 views

Published on

Adm. Cleber Suckow Nogueira
Palestrante

Bacharel e Mestre em Administração de Empresas pela Universidade Católica de Santos (UNISANTOS). Pós-graduado MBA em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), Especialista Interdisciplinar em Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP/USP) e Especialista em Micropolítica da Gestão e Trabalho em Saúde pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Professor Titular do Centro Universitário Monte Serrat (UNIMONTE). Membro dos Grupos de Excelência de Gestão de Instituições de Ensino Superior e Administração em Saúde do Conselho Regional de Administração de São Paulo (CRA-SP). Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Carreiras, Liderança e Competências da Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). Possui 20 anos de experiência na gestão de serviços públicos municipal, com atuação nos setores de saúde pública; gestão orçamentária; gestão de contratos; custos; planejamento estratégico; projetos; dentre outras.

Published in: Career
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Gestão e excelência nos serviços de Saúde

  1. 1. Semana da Administração em Saúde GESTÃO E EXCELÊNCIA NOS SERVIÇOS DE SAÚDE Prof. Me. Cleber Suckow Nogueira Mestre e bacharel em Administração pela Universidade Católica de Santos (UNISANTOS) Especialista em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo (USP) Especialista em Micropolítica da Gestão e Trabalho em Saúde pela Universidade Federal Fluminense (UFF) Especialista em Gestão Empresarial (MBA) pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) Professor Titular do Centro Universitário São Judas – Campus Unimonte Membro do Grupo de Excelência de Administração em Saúde do CRA-SP Membro do Grupo de Excelência de Gestão de Instituições de Ensino Superior do CRA-SP Secretário Municipal de Saúde de Praia Grande-SP
  2. 2. OS GRANDES MOVIMENTOS DA GESTÃO DA SAÚDE NO SÉCULO XXI ⚫ DA GESTÃO BASEADA EM OPINIÕES PARA A GESTÃO BASEADA EM EVIDÊNCIAS ⚫ DA GESTÃO DOS MEIOS PARA A GESTÃO DOS FINS
  3. 3. AS REPRESENTAÇÕES ALTERNATIVAS DOS SISTEMAS DE SERVIÇOS DE SAÚDE Alta Compl. Média Complexidade Atenção Básica ORGANIZAÇÃO PIRAMIDAL ORGANIZAÇÃO EM REDE Serviço
  4. 4. Sistemas de saúde ⚫ Conjunto de atividades no qual o principal propósito é promover, restaurar e manter a saúde da população (WHO, 2000). ⚫ Surgiram como parte de sistemas de proteção social – Assim, como pensões, aposentadorias, sistemas de assistencial social
  5. 5. O CONCEITO DE SISTEMA INTEGRADO DE SERVIÇOS DE SAÚDE ⚫ É A CONSTITUIÇÃO DE UMA REDE INTEGRADA DE PONTOS DE ATENÇÃO À SAÚDE QUE PERMITE PRESTAR UMA ASSISTÊNCIA CONTÍNUA A DETERMINADA POPULAÇÃO - NO TEMPO CERTO, NO LUGAR CERTO, COM O CUSTO CERTO E COM A QUALIDADE CERTA - E QUE SE RESPONSABILIZA PELOS RESULTADOS SANITÁRIOS E ECONÔMICOS RELATIVOS A ESTA POPULAÇÃO Fonte: MENDES (2001)
  6. 6. OS MOMENTOS DA CONSTRUÇÃO DOS SISTEMAS INTEGRADOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE ⚫ A FRAGMENTAÇÃO DO SISTEMA ⚫ A INTEGRAÇÃO HORIZONTAL DOS PONTOS DE ATENÇÃO À SAÚDE ⚫ A DIFERENCIAÇÃO E EXPANSÃO DOS PONTOS DE ATENÇÃO À SAÚDE ⚫ A INTEGRAÇÃO VERTICAL DOS PONTOS DE ATENÇÃO À SAÚDE
  7. 7. MOMENTO 1 A FRAGMENTAÇÃO DO SISTEMA HOSPITAL A AMBULATÓRIO B AMBULATÓRIO A HOSPITAL B
  8. 8. MOMENTO 2 A INTEGRAÇÃO HORIZONTAL DOS PONTOS DE ATENÇÃO À SAÚDE HOSPITAL A AMBULATÓRIO B AMBULATÓRIO A HOSPITAL B
  9. 9. MOMENTO 3 A DIVERSIFICAÇÃO DOS PONTOS DE ATENÇÃO À SAÚDE HOSPITAL HOSPITAL/DIA CENTRO DE ENFERMAGEM ATENÇÃO DOMICILIAR UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE AMBULATÓRIO ESPECIALIZADO
  10. 10. MOMENTO 4 A INTEGRAÇÃO VERTICAL DOS PONTOS DE ATENÇÃO À SAÚDE HOSPITAL HOSPITAL/DIA CENTRO DE ENFERMAGEM ATENÇÃO DOMICILIAR AMBULATÓRIO ESPECIALIZADO UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE
  11. 11. DA GESTÃO BASEADA EM OPINIÕES PARA A GESTÃO BASEADA EM EVIDÊNCIAS ⚫ A ATENÇÃO À SAÚDE BASEADA EM EVIDÊNCIAS
  12. 12. O CONCEITO DA ATENÇÃO À SAÚDE BASEADA EM EVIDÊNCIAS ⚫ É DIFERENTE DA MEDICINA BASEADA EM EVIDÊNCIAS ⚫ É A DISCIPLINA CENTRADA EM PROCESSOS DECISÓRIOS SOBRE GRUPOS POPULACIONAIS QUE SE FAZEM COM BASE EM EVIDÊNCIAS EMPÍRICAS
  13. 13. AS COMPETÊNCIAS DE UM GESTOR CONTEMPORÂNEO DO SISTEMA DE SERVIÇOS DE SAÚDE ⚫ FAZER AS PERGUNTAS CERTAS ⚫ COMPREENDER E UTILIZAR OS CRITÉRIOS DE EVIDÊNCIA ⚫ AVALIAR A QUALIDADE DAS EVIDÊNCIAS APRESENTADAS ⚫ AVALIAR A QUALIDADE DAS PESQUISAS CIENTÍFICAS ⚫ IMPLEMENTAR AS MUDANÇAS EXIGIDAS PELAS EVIDÊNCIAS
  14. 14. AS HABILIDADES DO GESTOR CONTEMPORÂNEO DO SISTEMA DE SERVIÇOS DE SAÚDE ⚫ COMPREENDER OS RESULTADOS DAS AVALIAÇÕES TECNOLÓGICAS E ECONÔMICAS DOS SERVIÇOS DE SAÚDE ⚫ SABER INCORPORAR EM SUAS DECISÕES OS VALORES INSTITUCIONAIS E SOCIAIS
  15. 15. A OPERACIONALIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE BASEADA EM EVIDÊNCIAS ⚫ A PRODUÇÃO DAS EVIDÊNCIAS: OS CENTROS DE PESQUISA ⚫ A DISPONIBILIZAÇÃO DAS EVIDÊNCIAS: O CENTRO DE EVIDÊNCIA ⚫ A UTILIZAÇÃO DAS EVIDÊNCIAS: OS CENTROS DE DECISÃO
  16. 16. CENÁRIO DA SAÚDE NO BRASIL
  17. 17. CENÁRIO ◼ Crescente especialização da assistência médica ◼ Crescente incorporação tecnológica e custos ◼ Compra indiscriminada de serviços ◼ Lógica do prestador de serviço ◼ Modelo Hospitalocêntrico
  18. 18. CENÁRIO ◼ Modelo Médicocentrado ◼ Informações e Registros Deficientes ◼ Pouca profissionalização da gestão em saúde ◼ Mix Público Privado
  19. 19. ❑ Crise de Regulação, (Mercado da saúde, novas tecnologias, atuação do poder judiciário) ❑ Crise de Financiamento, ❑ Crise do Conhecimento (deixar adoecer para tratar, gama de especialidas) ❑ Crise de Valores. HÁ QUATRO CRISES OCORRENDO SIMULTANEAMENTE NOS SISTEMAS DE SAÚDE DO MUNDO :
  20. 20. A GESTÃO DOS MEIOS ⚫ A GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS ⚫ A GESTÃO DOS RECURSOS MATERIAIS ⚫ A GESTÃO DOS RECURSOS FINANCEIROS
  21. 21. A GESTÃO DO CONHECIMENTO
  22. 22. As organizações de saúde são, na tipologia mintzberguiana, organizações profissionais, calcadas em conhecimento (MINTZBERG, 1989) A GESTÃO DO CONHECIMENTO
  23. 23. O trabalho em saúde exige qualificação de alto nível e tem especificidades: ➢ necessita de padronização das qualificações ➢ o saber e as habilidades são formalizados através do processo de formação ➢ as normas são definidas pelas associações de profissionais A GESTÃO DO CONHECIMENTO
  24. 24. O trabalho em saúde exige qualificação de alto nível e tem especificidades: ➢ devido a complexidade e variabilidade do seu trabalho, os profissionais têm alta liberdade nas decisões relativas ao tipo e maneira de produzir os serviços. A GESTÃO DO CONHECIMENTO
  25. 25. Nas organizações profissionais: ➢ há um grande desequilíbrio de informação entre os profissionais e os usuários dos serviços ➢ os resultados dos serviços de saúde são difíceis de medir (DUSSAULT, 1992) A GESTÃO DO CONHECIMENTO
  26. 26. Nas organizações profissionais: ➢a preocupação com a conduta ética e moral devem estar sempre presentes na prestação dos serviços de saúde ➢ os profissionais tendem a ser mais leais às suas corporações que à sua organização (DUSSAULT, 1992) A GESTÃO DO CONHECIMENTO
  27. 27. ➢ Como organizações profissionais, os sistemas de serviços de saúde não podem controlar demasiadamente as ações de seus profissionais, mas, por outro lado, não podem deixar que atuem com total autonomia A GESTÃO DO CONHECIMENTO
  28. 28. TRADICIONAIS CONTEMPORÂNEOS RIGIDEZ ORGANIZACIONAL FLEXIBILIDADE TRADIÇÃO INOVAÇÃO ÊNFASE NA HIERARQUIA ÊNFASE TRABALHO EM GRUPO CENTRALIZAÇÃO NO TOPO DELEGAÇÃO/ AUTONOMIA DECISÕES INDIVIDUAIS DECISÕES CONSENSUAIS LEALDADE AO SEU DEPTO LEALDADE À INSTITUIÇÃO GERENTES C/ ÊNFASE EM ATIVIDADES TÉCNICAS GERENTE DE HABILIDADES TÉCNICO-HUMANAS ÊNFASE NAS TAREFAS IMPORTÂNCIA NOS RESULTADOS EVOLUÇÃO DOS MODELOS DE GESTÃO MODELOS ADMINISTRATIVOS
  29. 29. CONTROLE COMPROMISSO GESTÃO
  30. 30. ÁRVORE DE OBJETIVOS Ajuda a definir os objetivos de um projeto e fornece um meio de ordená-los em uma estrutura hierárquica Passos para sua execução: 1. Brainstorm 2. Seleção dos problemas 3. Ordenação por ordem de prioridade dos problemas (árvore dos problemas) 4. Descrição dos problemas
  31. 31. Vivemos um mundo de mudanças: O mundo está mudando.... Globalização Avanço da Tecnologia Novo conceito de cidadania Diversidade O mundo do trabalho está mudando.... Companhias estão crescendo Geração Y O trabalhador do conhecimento As organizações estão mudando.... Resignificada Reconstruída Transformada Aprendizado contínuo
  32. 32. Agir no presente para construção do futuro
  33. 33. O QUE PORQUE QUANDO QUEM ONDE COMO ARQUITETURA ORGANIZACIONAL ORGANIZAÇÃO NORMATIVA ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA
  34. 34. Estruturas Pesadas SOLUÇÕES SIMPLES Há planejamento? As pessoas estão treinadas? Os objetivos a serem alcançados foram discutidos, são consistentes? Os métodos utilizados são adequados? A gerência é participativa? MODELO DE GESTÃO ESTRATÉGICA ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA
  35. 35. “ SABER AONDE SE VAI ” “SABER COM QUEM SE VAI” O importante é saber quem são as pessoas que estão com você, compartilham sua paixão e determinação, com flexibilidade mental para se adaptar sempre que necessário. ESTRATÉGIA ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA
  36. 36. Estratégia Direção Com estratégias Ações sem alinhamento Sem estratégias Ações com alinhamento O que é Estratégia?
  37. 37. AVANÇOS E DESAFIOS - SAÚDE ⚫ Parcerias; ⚫ Gestão do Conhecimento; ⚫ Formação Generalista; ⚫ Profissionalização da Saúde; ⚫ Associações/Consórcios; ⚫ VISÃO HOLÍSTICA.
  38. 38. Obrigado!!!! Contatos: Adm. Cleber Suckow Nogueira cleber.nogueira@unimonte.edu.br suckow@uol.com.br

×