Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Automação Predial 4.0

84 views

Published on

Grupo de Excelência em Negócios de Energia

Published in: Business
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Automação Predial 4.0

  1. 1. Automação Predial 4.0 na Gestão de Energia Apresentação: Jaime Díaz de la Cruz GENE Grupo de Excelência em Negócios de Energia Fotografia: Jafo
  2. 2. Exemplos de edifícios corporativos de São Paulo até 2005, época de grande expansão do mercado imobiliário, dentro do novo padrão Triple A. (projetos da nossa autoria)
  3. 3. Estudo arquitetônico e desenvolvimento de um “envelope” construtivo, conforme determinado programa ou “código” de certificação. Teremos em foco, principalmente, a eficiência energética do edifício, embora os códigos apontem também para outros aspectos de ganho no fator sustentabilidade. AÇÕES DA CONSERVAÇÃO DE ENERGIA PERSEGUINDO OBJETIVOS DE EXCELÊNCIA 1 Passos 1, 2 e 3
  4. 4. AÇÕES DA CONSERVAÇÃO DE ENERGIA PERSEGUINDO OBJETIVOS DE EXCELÊNCIA Projeto de “sistemas eletromecânicos” de alta eficiência em todos os componentes consumidores de energia. Colocaremos em foco os sistemas de climatização em primeiro lugar, seguidos pelos restantes subsistemas prediais. 2
  5. 5. AÇÕES DA CONSERVAÇÃO DE ENERGIA PERSEGUINDO OBJETIVOS DE EXCELÊNCIA Projeto de “sistema de automação” conforme tecnologia de redes de unidades controladoras autônomas de CDD (Controle Digital Direto). 3 O Passo 3 é de implementação com tecnologia de ponta, sempre em evolução Ponto de destaque na sequência do projeto global com foco na gestão de energia.
  6. 6. Projeto de Arquitetura (Envelope construtivo) Projetos Eletromecânicos Sistema de Automação Conceituação Arquitetônica convencional Ações de Gerenciamento de Energia desde a conceituação do edifício até a entrega da obra pela construtora Certificação 1 2 3 ou Escolha da Tecnologia dos Equipamentos Rendimento e Eficiência Controle Distribuído Controle Digital Direto (CDD) Redes integradas Três Projetos coordenados, o desafio da Gestão de Energia 10 passos até a entrega do edifício
  7. 7. Definição do Programa de Gerenciamento Predial Projeto de Automação Predial Compra do Sistema de Automação Predial Especificação anterior à contratação do projeto Automação de instalações de utilidades Detecção e alarme de incêndio Sistemas de Segurança Consulta e escolha do integrador do sistema de automação 3.1 3.2 3.3 Três atividades que requerem gerenciamento dentro do Passo 3
  8. 8. Comissionamento e recebimento do Sistema de Automação Pré-operação e treinamento da equipe do BMS Pré-operação e treinamento da equipe do BMS Gestão do BMS 4 5 6 Três atividades (4, 5 e 6) fundamentais que, na fase final, ficam em segundo plano de forma não apropriada Objetivos Pretendidos: Eficiência operacional na Gestação de Energia O edifício se utilizando da nova ferramenta no modo de operação definitivo 7
  9. 9. A Gestão da Energia no EdifícioFerramentas de Hardware: Gerenciadoras de Rede Controladoras Autônomas Rede de Automação em dois níveis Terminais de Trabalho e Web Hardware de ativos de rede Ferramentas de Software: Software Global Controle CDD Controle de Temperatura Programação no tempo Ciclo de Serviço Função By-Pass Partida e Parada Otimizada Controle de Demanda Gerenciamento de Alarmes A gestão acontece através dos sistemas e produtos da Indústria de Automação Predial A tecnologia de automação predial, na função de gerenciamento de energia, está distribuída nestes recursos Funções embutidas em firmware e configuradas em software específico.
  10. 10. Ações de gerenciamento de energia desde o projeto até a gestão do edifício.
  11. 11. Além dos aplicativos listados (softwares de padrão CDD), para as funções das rotinas de automação, temos os Analíticos de Energia oferecidos pelos desenvolvedores, destinados à avaliação de desempenho global. Os Analíticos podem ser de diferentes tipos e demandam serviços de alta especialização na fase prévia de aquisição de dados (base de dados) antes de rodar o software. São serviços sob a gerencia da área da Administração Predial e não da área técnica das utilidades prediais. Ferramenta de Análise de Desempenho
  12. 12. Arquitetura de uma Rede de Automação Predial de padrão corporativo Primeira peça gráfica do projeto resumindo a conceituação do sistema. Destaque dado ao fator conectividade
  13. 13. Arquitetura de projeto executivo incluindo todas as instalações do sistema de automação.
  14. 14. Software de um algoritmo em firmware padrão CDD
  15. 15. Funções e competências do Gestor do BMS
  16. 16. Áreas de responsabilidade do Gestor do BMSFunções especiais
  17. 17. A Gestão do BMS Sistema de Utilidades em destaque Ar Condicionado Ventilação Mecânica Bombas e Reservatórios - Água Potável - Água de Incêndio - Esgoto - Águas Pluviais Iluminação - Outros sistemas Sistema de Incêndio Central de Alarme de Incêndio Laços de Detecção Sensores e Atuadores Sistema de Combate a Incêndio em áreas críticas Assistência à manutenção do sistema Resolução de Emergências Manuais de Operação Sistema de Segurança Controle de Acesso CFTV Alarme Perimetral
  18. 18. Ferramentas do Operador do BMS - Telas Gráficas dos Processos (operação) - Telas Gráficas de Alarme - Relatórios de Tendência (Trendlog) - Gráficos de Tendência - Relatórios da Gestão de Energia - Telas Gráficas de Curvas de Tendência - Manual de Operação do BMS
  19. 19. A experiência de receber um grande edifício pronto, sofisticado e de elevado custo de implantação, poderá ser um desafio para seu Administrador; pois logo verificará que a sua operação não dispõe de “um manual do usuário” nem de operadores treinados.
  20. 20. Curvas de demanda de energia elétrica com e sem controle automático de demanda.
  21. 21. Curvas de consumo de energia com e sem termoacumulação
  22. 22. Circuito de Água Gelada em sistema de expansão indireta de refrigeração.
  23. 23. Tela gráfica de Terminal de Controle de um Fan Coil típico de água gelada.
  24. 24. Tela gráfica do terminal de controle do sistema de água gelada secundário.
  25. 25. Tela Gráfica do terminal de controle do sistema de água de condensação
  26. 26. Conclusões e sugestões para o Administrador no gerenciamento das utilidades prediais 1 - Solicite ao fornecedor do Sistema de Automação um serviço de operação assistida do BMS, com o objetivo de treinar da forma mais efetiva sua equipe. 2 - Verifique se a equipe do BMS aproveita de forma apropriada os recursos fornecidos com esse sistema. 3 - Facilite à equipe do BMS o treinamento requerido para reconfigurar sistemas de controle de temperatura e estratégias de automação de ar condicionado, tendo em vista economia de energia e de custo operacional. --------------------------------------------------- -------------------------------------------------------------- 4 - Estabeleça um programa de economia de energia melhorando o regime funcional dos sistemas consumidores, sempre com curvas de consumo mensal e custos de energia. 5 - Contabilize mês a mês a economia alcançada em ar condicionado, elevadores, motobombas de água e iluminação. 6 - Procure as melhores tarifas de energia no ACL (Ambiente de Comercialização Livre).
  27. 27. Novo livro de automação predial; edição prevista para dezembro, ou janeiro do próximo ano, pela editora Brasport. Rascunho da capa

×