Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

A importância da Estratégia e do Planejamento para o Administrador

134 views

Published on

Adm. Antônio Luís Aulicino
Palestrante

Coordenador do Grupo de Excelência em Prospeção e Construção de Cenários GEPC/CRA-SP

Published in: Career
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

A importância da Estratégia e do Planejamento para o Administrador

  1. 1. Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP A importância da Estratégia e do Planejamento para o Administrador Adm Antônio Luís Aulicino, PhD 23 maio 2019 São Paulo
  2. 2. 14/05/2019 2Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP A Importância da Estratégia e do PlanejamentoA Importância da Estratégia e do PlanejamentoA Importância da Estratégia e do PlanejamentoA Importância da Estratégia e do Planejamento para o Administradorpara o Administradorpara o Administradorpara o Administrador A dm. Antônio Luís Aulicino, PhDA dm. Antônio Luís Aulicino, PhDA dm. Antônio Luís Aulicino, PhDA dm. Antônio Luís Aulicino, PhD São PauloSão PauloSão PauloSão Paulo 23 maio 201923 maio 201923 maio 201923 maio 2019
  3. 3. 14/05/2019 3Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP AdministraçãoAdministraçãoAdministraçãoAdministração é o processo de planejar, organizar, dirigir e controlar os esforços das pessoas da organização, ou de um território, ou do país e utilizar todos os recursos disponíveis para alcançar os objetivos definidos Planejamento Organização Direção Controle
  4. 4. 14/05/2019 4Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 4 Organização Ações estratégicas escolhidas para implementar as estratégias e atingir as metas definidas
  5. 5. 14/05/2019 5Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 5 MILLS (1993: 117 – 118) Alinhamento da Estratégia Estratégia Comportamento Humano ORGANIZAÇÃO Missão Objetivos Valores
  6. 6. Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 6 Tipos de Gestão utilizadosTipos de Gestão utilizadosTipos de Gestão utilizadosTipos de Gestão utilizados pelas Organizaçõespelas Organizaçõespelas Organizaçõespelas Organizações
  7. 7. 14/05/2019 7Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP Estrutura Organizacional que pode dificultar a própria Gestão, Elaboração, Implantação e Execução do Planejamento – Longo, Médio e Curto Prazo TRESS (2005), modificado por AULICINO (2009)
  8. 8. 14/05/2019 8Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP Transformação Organizacional que facilita a Gestão, Elaboração, Implantação e Execução do Planejamento – Longo, Médio e Curto Prazo Transformar a Organização em PARA DEPOIS Transformar em Interdepartamental
  9. 9. 14/05/2019 9Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP Comportamento Humano e as Teorias de MotivaçãoComportamento Humano e as Teorias de MotivaçãoComportamento Humano e as Teorias de MotivaçãoComportamento Humano e as Teorias de Motivação Abraham MASLOW Hierarquia das necessidades Autorrealização e satisfação Autoestima e reconhecimento Sociais Segurança e proteção Necessidades fisiológicas
  10. 10. 14/05/2019 10Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP Dez princípios para o Empoderamento (Empowerment): - Dizer às pessoas quais são suas responsabilidades - Dar-lhes autoridade correspondente às suas responsabilidades - Estabelecer padrões de excelência - Oferecer-lhes o treinamento necessário à satisfação dos padrões - Fornecer-lhes conhecimento e informação - Dar-lhes feedback sobre seu desempenho - Reconhecer as pessoas pelas suas realizações - Confiar nelas - Dar-lhes permissão para errar - Tratar as pessoas com dignidade e respeito Comportamento Humano e os Princípios do Empowerment TRACY (1994:164)
  11. 11. 14/05/2019 11Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP ESTRATÉGIA A PALAVRA ESTRATÉGIA VEM DO GREGO – STRATEGOS SIGNIFICA GENERAL (CHEFE DO EXÉRCITO).
  12. 12. 14/05/2019 12Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 12 ANÁLISE DA SITUAÇÃO ESTRATÉGICAANÁLISE DA SITUAÇÃO ESTRATÉGICAANÁLISE DA SITUAÇÃO ESTRATÉGICAANÁLISE DA SITUAÇÃO ESTRATÉGICA •Análise dos Aspectos Internos •Análise do Ambiente (Aspectos Externos)
  13. 13. 14/05/2019 13Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 13 1.Objetivo. É importante identificar o objetivo real OBJTEVIVO REAL DA ORGANIZAÇÃOOBJTEVIVO REAL DA ORGANIZAÇÃOOBJTEVIVO REAL DA ORGANIZAÇÃOOBJTEVIVO REAL DA ORGANIZAÇÃO e não o declarado. C. West Churchman (1968)
  14. 14. 14 14/05/2019 14Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP Análise dos Aspectos Internos • Identificação dos Pontos Fracos As desvantagens estruturais controláveis. As áreas funcionais devem ser analisadas detalhadamente. • Identificação dos Pontos Fortes As vantagens estruturais controláveis.
  15. 15. 15 14/05/2019 15Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP Análise do Ambiente (Aspectos Externos) Tem por finalidade estudar a relação entre a organização e seu ambiente, sendo a etapa mais importante da análise estratégica, porque é o momento de identificar as oportunidades e as ameaças. • OPORTUNIDADES: são forças ambientais incontroláveis pela organização que favorecem a sua ação estratégica. • AMEAÇAS: são fôrças ambientais incontroláveis pela organização que são óbices para sua ação estratégica.
  16. 16. 14/05/2019 16Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP Prof. Antônio Luís Aulicino 16 ENTRANTES POTENCIAIS CONCORRENTES Rivalidade entre as Empresas Existentes FORNECE- DORES Poder de negociação dos fornecedores CLIENTES Poder de negociação dos clientes SUBSTITUTOS Ameaça de produtos ou serviços substitutos Ameaça de novos entrantes Cinco Forças de Porter: Sumário de Key Drivers PORTER (1991)
  17. 17. 14/05/2019 17Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 17 O ambiente. É aquilo que está situado “fora” do controle do sistema e que determina seu funcionamento. Para cada caso efetuar as perguntas: I. Posso fazer, REALMENTE, alguma coisa a respeito disso? II. Isso tem importância com relação aos objetivos do sistema? Respostas: I – Não e II - Sim “Isso” está no ambiente C. West Churchman (1968) Análise do Ambiente (Aspectos Externos)
  18. 18. 14/05/2019 18Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 18 Análises Externas Inter-relação dos aspectos internos e externos da organização Análises Internas Forças (Strengths) Fraquezas (Weaknesses) Oportunidades (Opportunities) Ameaças (Threats) Escolhas Estratégicas Análise do S. W. O. T. Formulação de Estratégia BARNEY (2002) Formula Estratégias Objetivos Missão Análise da Situação Estratégica e Diagnósticos Estratégico
  19. 19. 14/05/2019 19Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP DiagnósticoDiagnósticoDiagnósticoDiagnóstico Estratégico da OrganizaçãoEstratégico da OrganizaçãoEstratégico da OrganizaçãoEstratégico da Organização Oportunidades Ameaças Pontos fortes Pontos fracos Sobrevivência Crescimento Desenvolvimento Manutenção
  20. 20. 14/05/2019 20Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 20 FILME O GLADIADOR 1a. Parte
  21. 21. 14/05/2019 21Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP DiagnósticoDiagnósticoDiagnósticoDiagnóstico EstratégicoEstratégicoEstratégicoEstratégico Oportunidades • Possibilidade de ficarem vivos Ameaças • Não sabem com quem lutarão • A morte virá de qualquer forma Pontos fortes • Sabem lutar • Havia um líder, experiente em batalhas Pontos fracos • Escravos • Bárbara horda • Seres inferiores Sobrevivência Crescimento Desenvolvimento Manutenção Sobrevivência
  22. 22. 14/05/2019 22Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 22 FILME O GLADIADOR 2a. Parte
  23. 23. 14/05/2019 23Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP Oportunidades • Possibilidade de ficarem vivos por meio da união Ameaças • As bigas são mais poderosas • A morte virá de qualquer forma Pontos fortes • Sabem lutar • Havia um líder, experiente em batalhas Pontos fracos • Escravos • Bárbara horda • Seres inferiores Sobrevivência Crescimento Desenvolvimento ManutençãoCrescimento DiagnósticoDiagnósticoDiagnósticoDiagnóstico EstratégicoEstratégicoEstratégicoEstratégico
  24. 24. 14/05/2019 24Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 24 FILME O GLADIADOR 3a. Parte
  25. 25. 14/05/2019 25Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP Oportunidades • Grande possibilidade de ficarem vivos por meio da união Ameaças • Mais bigas vão surgir • As bigas são mais poderosas • A morte virá de qualquer forma Pontos fortes • Tem liderança • Processo Participativo com Apropriação • Sabem lutar • Havia um líder, experiente em batalhas Pontos fracos • Escravos • Bárbara horda • Seres inferiores Sobrevivência Crescimento Desenvolvimento ManutençãoManutenção DiagnósticoDiagnósticoDiagnósticoDiagnóstico EstratégicoEstratégicoEstratégicoEstratégico
  26. 26. 14/05/2019 26Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP FILME O GLADIADOR 4a. Parte
  27. 27. 14/05/2019 27Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP Oportunidades • Ficarem vivos por meio da união • Ter regalias pela vitória e respeito Ameaças • Mais bigas vão surgir • As bigas são mais poderosas • A morte virá de qualquer forma Pontos fortes • Tem liderança • Processo Participativo com Apropriação • Sabem lutar • Havia um líder, experiente em batalhas Pontos fracos • Escravos • Bárbara horda • Seres inferiores Sobrevivência Crescimento Desenvolvimento Manutenção Desenvolvimento DiagnósticoDiagnósticoDiagnósticoDiagnóstico EstratégicoEstratégicoEstratégicoEstratégico
  28. 28. 14/05/2019 28Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP OLIVEIRA (2004) AMBIENTE (ANÁLISE EXTERNA) AMEAÇAS OPORTUNIDADES ANÁLISEINTERNA PTOSFRACOS MANTER VIVO CRESCERSOBREVIVER DESENVOLVER Posturas Estratégicas O esquema para o estabelecimento da postura estratégica, por meio da relação entre pontos fortes e fracos e as oportunidades e ameaças. PTOSFORTES
  29. 29. 14/05/2019 29Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 29 Análises Externas Inter-relação dos aspectos internos e externos da organização Análises Internas Forças (Strengths) Fraquezas (Weaknesses) Oportunidades (Opportunities) Ameaças (Threats) Escolhas Estratégicas Análise do S. W. O. T. Formulação de Estratégia BARNEY (2002) Formula Estratégias Objetivos Missão Análise da Situação Estratégica e Diagnósticos Estratégico
  30. 30. 14/05/2019 30Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP Exemplo de Diagnóstico Estratégico utilizando o filme o Gladiador
  31. 31. 14/05/2019 31Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP DiagnósticoDiagnósticoDiagnósticoDiagnóstico EstratégicoEstratégicoEstratégicoEstratégico Oportunidades • Possibilidade de ficarem vivos Ameaças • Não sabem com quem lutarão • A morte virá de qualquer forma Pontos fortes • Sabem lutar • Havia um líder, experiente em batalhas Pontos fracos • Escravos • Bárbara horda • Seres inferiores Sobrevivência Crescimento Desenvolvimento Manutenção Sobrevivência
  32. 32. 14/05/2019 32Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP Qual seria a nova postura estratégica
  33. 33. 14/05/2019 33Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP Oportunidades • Ficarem vivos por meio da união • Ter regalias pela vitória e respeito Ameaças • Mais bigas vão surgir • As bigas são mais poderosas • A morte virá de qualquer forma Pontos fortes • Tem liderança • Processo Participativo com Apropriação • Sabem lutar • Havia um líder, experiente em batalhas Pontos fracos • Escravos • Bárbara horda • Seres inferiores Sobrevivência Crescimento Desenvolvimento Manutenção Desenvolvimento DiagnósticoDiagnósticoDiagnósticoDiagnóstico EstratégicoEstratégicoEstratégicoEstratégico
  34. 34. 14/05/2019 34Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP Aspecto Interno: Pontos Fortes Aspecto Externo: Oportunidades Postura estratégica Por meio de manter e melhorar os pontos fortes e reduzir os pontos fracos aproveitar as oportunidades e minimizar os riscos das ameaças Postura Estratégica a ser escolhidaPostura Estratégica a ser escolhidaPostura Estratégica a ser escolhidaPostura Estratégica a ser escolhida Oportunidades • Ficarem vivos por meio da união • Ter regalias pela vitória e respeito Pontos fortes • Tem liderança • Processo Participativo com Apropriação • Sabem lutar • Havia um líder, experiente em batalhas Formula estratégia(s) Define as Ações
  35. 35. 14/05/2019 35Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP KAPLAN E NORTON (2004), adaptado por AULICINO (2007) Perspectiva de aprendizado e desenvolvimento Para realizar nossa missão, como a Organização deve aprender e melhorar? Perspectiva interna Para satisfazer usuários / clientes, em que processos devemos ser excelentes? Perspectiva do Visitante / Usuário / Cliente / Comunidade Para realizar a missão, como cuidar de nossos usuários / clientes? Perspectiva financeira Se formos bem-sucedidos, como seremos percebidos pelos nossos acionistas? Missão da Organização AÇÕES AÇÕES Criar ValorCriar ValorCriar ValorCriar Valor Fins Lucrativos Estratégia
  36. 36. 14/05/2019 36Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP KAPLAN E NORTON (2004), adaptado por AULICINO (2007) Perspectiva de aprendizado e desenvolvimento Para realizar nossa missão, como FEBRAP deve aprender e melhorar? Perspectiva interna Para satisfazer os apoiadores / financiadores / nossos visitantes / usuários / clientes, em que processos devemos ser excelentes? Perspectiva do Visitante / Usuário / Cliente / Comunidade Para realizar a missão, como cuidar de apoiadores / financiadores / nossos visitantes / usuários / clientes? Perspectiva fiduciária Se formos bem-sucedidos, como manteremos o Desenvolvimento no futuro? Missão da Organização AÇÕES AÇÕES Criar ValorCriar ValorCriar ValorCriar Valor Sem Fins Lucrativos
  37. 37. 14/05/2019 37Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 37 Plano de Ação da Organização Missão e Estratégia Ação / Projeto Objetivos Indicador Financeira Manter o Desenvolvimento Sustentável no Futuro KAPLAN E NORTON (2004), adaptado por AULICINO (2007) Ação / Projeto Objetivos Indicador Apoiadores / financiadores / nossos visitantes / usuários / clientes Ação / Projeto Objetivos Indicador Perspectiva da aprendizagem e do desenvolvimento Ação / Projeto Objetivos Indicador Perspectiva do processo interno
  38. 38. 14/05/2019 38Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 38 Perspectiva Financeira e CAPES Perspectiva de Empresas, Organizações, Alunos (Cliente) Estudantes Empresas e Agentes Sociais Estado Região País Perspectiva de Processo Interno Elaboração de Projetos e Pesquisa Marketing e Comunicação Organizações Eventos Gestão de Alunos Firmar Parcerias Pesperctiva Aprendizado e Crescimento (Pessoas) Atuação na Graduação Grupos – Linhas de Pesquisa Direção e Mantenedora ALFA Professores Alinhados à Estratégia . Projetos e Pesquisa Plano de MKT e Comunicação Plano Pedagógico Inter e trans disciplinar e por disciplina Congressos, Seminários, Workshops Nacs. e Internacionais Agentes Sociais FEA – USP e outras Faculdades de Administração Nacionais e Internacionais Parcerias com Empresas e Governo Ensino e Pesquisa para motivar o aluno para ingresso futuro na Pós- Graduação - Publicações Alunos absorverem o conhecimento e aplicarem nas organizações Professores orientarem os alunos e propiciarem ensino de qualidade e produção intelectual em conjunto Pesquisa, projetos, orientação e produções intelectuais qualificadas e com “alto impacto Infra-estrutura e suporte compatível com as estratégias formuladas Rentabilidade (r > K) Lucratividade Promover um Ensino de Alta Qualidade Promover uma Educação adequada à demanda do Mercado Promover relacionamento entre os Estudantes e os Agentes Sociais e Empresas Integração e solidariedade com outros programas com vistas ao desenvolvimento da pesquisa e da pós-graduação e visibilidade ou transparência dada à atuação Melhorar o nível dos Alunos selecionados Consolidação e liderança nacional do programa como formador de pessoas para mercado e a pós-graduação Inserção e impacto regional ou nacional do programa Visibilidade ou transparência dada ao programa à sua atuação Mapa Estratégico do Curso de MPA - A Dissertações Comitê de Empresários e Altos Executivos Governos Municipais, Estaduais e Federais Reuniões com Empresas, apresentando CASOS Alto conceito na CAPES Aumento de bolsas patrocinadas pelas Empresas Gestão do risco de abandono pelo aluno
  39. 39. Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 39 Prof. Dr. Antônio Luís Aulicino Estratégia do Oceano AzulEstratégia do Oceano AzulEstratégia do Oceano AzulEstratégia do Oceano Azul Blue Ocean Strategy KIM and MAUBORGNE (2005)
  40. 40. 14/05/2019 40Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 40 Prof. Dr. Antônio Luís Aulicino Estratégia do Oceano AzulEstratégia do Oceano AzulEstratégia do Oceano AzulEstratégia do Oceano Azul Setor Entretenimento Circo Ringling Bros.and Barnum & Bailey
  41. 41. 14/05/2019 41Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 41 Estratégia do Oceano AzulEstratégia do Oceano AzulEstratégia do Oceano AzulEstratégia do Oceano Azul Caso Cirque du Soleil (1984) 23 anos + 100 anos 40 milhões de pessoas Cirque du Soleil 90 cidades ao redor do mundo Ringling Bros. and Barnum & Bailey • Cirque du Soleil não concorre com Ringling Bros. and Barnum & Bailey • Criou um novo mercado (setor de entretenimento), tornando a concorrência irrelevante • Atende um grupo de consumidores (Adultos e Corporações), que pagam acima do preço do setor de circos tradicionais. A opção de ganhar da concorrência é parar de tentar ganhar da concorrência Setor Entretenimento Circo
  42. 42. 14/05/2019 42Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 42 Estratégia do “Estratégia do “Estratégia do “Estratégia do “Oceano AzulOceano AzulOceano AzulOceano Azul” x “” x “” x “” x “Oceano VermelhoOceano VermelhoOceano VermelhoOceano Vermelho”””” • Abrange todos os setores não existentes • Espaço de mercado é desconhecido, inexplorado • Criação de demanda e crescimento altamente lucrativo • Desenvolve dentro do “Oceano Vermelho” com expansão das fronteiras setoriais • A concorrência é irrelevante, pois as regras do jogo ainda não foram definidas • Representam todos os setores hoje existentes • Espaço no mercado é conhecido • As fronteiras setoriais são definidas e conhecidas • As regras do jogo são conhecidas • As empresas tentam superar suas concorrentes abocanhar maior fatia • Os produtos se transformam em commodities e a concorrência fica sanguinária Mercado KIM and MAUBORGNE (2005)
  43. 43. 14/05/2019 43Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 43 Prof. Dr. Antônio Luís Aulicino Estratégia do “Estratégia do “Estratégia do “Estratégia do “Oceano AzulOceano AzulOceano AzulOceano Azul” x “” x “” x “” x “Oceano VermelhoOceano VermelhoOceano VermelhoOceano Vermelho”””” KIM and MAUBORGNE (2005)
  44. 44. 14/05/2019 44Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 44 Prof. Dr. Antônio Luís Aulicino Estratégia do “Oceano Azul” x “Oceano Vermelho” Circos Tradicionais + Palhaços famosos + leões domesticados.... + custos = mesma experiência Teatro ou circo? Não mostra animais; Não têm artistas estrelas; Não têm vários picadeiros; ....... Custo de manter os animais: treinamento, cuidados de veterinários, locais para mantê-los, seguraça, transporte, ... e outros Fatores-chave de sucesso (FCS): 1. Lona do circo; 2. Palhaços; 3. Cenas acrobáticas + Linhas de estórias + riqueza intelectual + danças e músicas artísticas + produções multíplas KIM and MAUBORGNE (2005)
  45. 45. 14/05/2019 45Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP Estratégia do “Oceano Azul” x “Oceano Vermelho” Custos Valor para o comprador (cliente) Inovação de Valor Perseguição simultânea do Custo baixo x Diferenciação • A inovação de valor surge quando as ações da organização afetam favoravelmente sua estrutura de custo e sua proposta de valor para os compradores • A obtenção de economias de custos por meio da eliminação e da redução de fatores da concorrência contínua setorial • O valor para o comprador é elevado por meio da ampliação e criação de elementos que o setor nunca havia oferecido • Com o passar do tempo, os custos são reduzidos a medida que se estabelecem economias de escala em razão dos altos volumes de vendas geradas pelo valor superior Inovação de Valor * Inovação é uma atividade complexa, que se inicia com a concepção de uma nova ideia, passa pela solução de problemas e vai até a real utilização de um novo item de valor econômico, social e ambiental. (KRUGLIANSKAS, 1996) KIM and MAUBORGNE (2005)
  46. 46. 14/05/2019 46Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 46 Estratégia do “Estratégia do “Estratégia do “Estratégia do “Oceano AzulOceano AzulOceano AzulOceano Azul” x “” x “” x “” x “Oceano VermelhoOceano VermelhoOceano VermelhoOceano Vermelho”””” • Criar espaços de mercado inexplorados • Tornar a concorrência irrelevante • Criar e capturar a nova demanda • Exercer o trade-off * valor-custo • Alinhar todo o sistema de atividades da empresa com sua escolha estratégica de diferenciação e custo baixo • Concorrer nos espaços de mercado existentes • Vencer os concorrentes • Espaço no mercado é conhecido • Aproveitar a demanda existente • Romper o trade-off * valor-custo • Alinhar todo o sistema de atividades da empresa com sua escolha estratégica de diferenciação ou custo baixo Estratégias * trade-off ocorrem quando se abre mão de algum bem ou serviço distinto para se obter outro bem ou serviço distinto. KIM and MAUBORGNE (2005)
  47. 47. 14/05/2019 47Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 47 Prof. Dr. Antônio Luís Aulicino Estratégia do “Estratégia do “Estratégia do “Estratégia do “Oceano AzulOceano AzulOceano AzulOceano Azul”””” Ferramentas e modelos de análise 1. Matriz de Avaliação de Valor (Strategy Canvas) 2. Modelo da quatro ações (Four Actions Framework) 3. Matriz eliminar-reduzir-elevar-criar (Eliminate-Reduce-Raise-Create) KIM and MAUBORGNE (2005)
  48. 48. 14/05/2019 48Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 48 Prof. Dr. Antôni Luís Aulicino Estratégia do “Estratégia do “Estratégia do “Estratégia do “Oceano AzulOceano AzulOceano AzulOceano Azul”””” Ferramentas e modelos de análise Matriz de Avaliação de Valor (Strategy Canvas) Variedades de atributos nos quais o setor investe e concorre Nível de oferta de cada atributo segundo a percepção dos consumidores Baixo Médio Alto KIM and MAUBORGNE (2005) Singularidade / Diverge FOCO Mensagem consistente 3 características da boa estratégia
  49. 49. 14/05/2019 49Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 49 Prof. Dr. Antônio Luís Aulicino Estratégia do “Estratégia do “Estratégia do “Estratégia do “Oceano AzulOceano AzulOceano AzulOceano Azul”””” Ferramentas e modelos de análise Modelo da quatro ações (Four Actions Framework) REDUZIR Quais atributos devem ser reduzidos bem abaixo dos padrões do setor? Nova percepção de Valor ELIMINAR Quais atributos considerados indispensáveis pelo setor devem ser eliminados? CRIAR Quais atributos nunca foram oferecidos pelo setor devem ser criados? ELEVAR Quais atributos devem ser elevados bem acima dos padrões setoriais? KIM and MAUBORGNE (2005)
  50. 50. 14/05/2019 50Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 50 Estratégia do “Estratégia do “Estratégia do “Estratégia do “Oceano AzulOceano AzulOceano AzulOceano Azul”””” Ferramentas e modelos de análise Matriz eliminar-reduzir-elevar-criar (Eliminate-Reduce-Raise-Create) ELIMINAR • • ELEVAR • • REDUZIR • • CRIAR • • KIM and MAUBORGNE (2005)
  51. 51. Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP CASE Mestrado Profissional Administração
  52. 52. 14/05/2019 52Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 52 Perspectiva Financeira e CAPES Perspectiva de Empresas, Organizações, Alunos (Cliente) Estudantes Empresas e Agentes Sociais Estado Região País Perspectiva de Processo Interno Elaboração de Projetos e Pesquisa Marketing e Comunicação Organizações Eventos Gestão de Alunos Firmar Parcerias Pesperctiva Aprendizado e Crescimento (Pessoas) Atuação na Graduação Grupos – Linhas de Pesquisa Direção e Mantenedora ALFA Professores Alinhados à Estratégia . Projetos e Pesquisa Plano de MKT e Comunicação Plano Pedagógico Inter e trans disciplinar e por disciplina Congressos, Seminários, Workshops Nacs. e Internacionais Agentes Sociais FEA – USP e outras Faculdades de Administração Nacionais e Internacionais Parcerias com Empresas e Governo Ensino e Pesquisa para motivar o aluno para ingresso futuro na Pós- Graduação - Publicações Alunos absorverem o conhecimento e aplicarem nas organizações Professores orientarem os alunos e propiciarem ensino de qualidade e produção intelectual em conjunto Pesquisa, projetos, orientação e produções intelectuais qualificadas e com “alto impacto Infra-estrutura e suporte compatível com as estratégias formuladas Rentabilidade (r > K) Lucratividade Promover um Ensino de Alta Qualidade Promover uma Educação adequada à demanda do Mercado Promover relacionamento entre os Estudantes e os Agentes Sociais e Empresas Integração e solidariedade com outros programas com vistas ao desenvolvimento da pesquisa e da pós-graduação e visibilidade ou transparência dada à atuação Melhorar o nível dos Alunos selecionados Consolidação e liderança nacional do programa como formador de pessoas para mercado e a pós-graduação Inserção e impacto regional ou nacional do programa Visibilidade ou transparência dada ao programa à sua atuação Mapa Estratégico do Curso de MPA - A (2/2) Dissertações Comitê de Empresários e Altos Executivos Governos Municipais, Estaduais e Federais Reuniões com Empresas, apresentando CASOS Alto conceito na CAPES Aumento de bolsas patrocinadas pelas Empresas Gestão do risco de abandono pelo aluno AULICINO (2009)
  53. 53. 14/05/2019 53Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 53 Prof. Dr. Antônio Luís Aulicino Monitoramento por meio de parâmetros / indicadores Tableau de Bord AULICINO (2009)
  54. 54. 14/05/2019 54Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 54 Plano de Ação da Organização Missão e Estratégia Ação / Projeto Objetivos Indicador Financeira Manter o Desenvolvimento Sustentável no Futuro KAPLAN E NORTON (2004), adaptado por AULICINO (2007) Ação / Projeto Objetivos Indicador Apoiadores / financiadores / nossos visitantes / usuários / clientes Ação / Projeto Objetivos Indicador Perspectiva da aprendizagem e do desenvolvimento Ação / Projeto Objetivos Indicador Perspectiva do processo interno
  55. 55. 14/05/2019 55Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 55 Balanced Scorecard Transformar Objetivos em Projetos e Indicadores Professor Ações Projetos Indicadores Meta Iniciativa Pesquisar X Elaboração do Projeto de pesquisa X Qtidade de artigos Relatório de Pesquisa 2 1 Rede de empresas do setor Plano Pedagógico da Disciplina Dinâmica com os alunos sala de aula Artigos publicados Avaliação do Professor Qtidade de artigos >95% 12 Visita nas empresas Exemplo AULICINO (2009)
  56. 56. 14/05/2019 56Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 56 São Paulo Antônio Luís Aulicino, PhD Integrar o planejamento de curto, médio e longo prazo
  57. 57. 14/05/2019 57Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 57 Resultados a serem Atingidos pela Organização • Visão Estratégica do Futuro, Longo, Médio e Curto Prazo, Compartilhada, o conceito Empowerment e Apropriação • Não deixar que o Ambiente conduza a Organização • Alinhamento dos Colaboradores e alguns Stakeholders aos Objetivos Definidos • Transformação da Organização à Nova Dinâmica de Gestão • Desenvolvimento de Competências • Produção de Novo Conhecimento e de Inteligência Coletiva • Renovação das Ações Estratégicas de Curto, Médio e Longo Prazo • Reequilíbrio Financeiro da Organização • Organização COMPETITIVA
  58. 58. 14/05/2019 58Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP Integração do Planejamento de Longo Prazo com o Médio e Curto Prazo Kannegiesser (2008) É a integração das decisões do design e as regras de decisões do negócio na Cadeia de Valor Estratégia da Cadeia de Valor É a integração das decisões de volume e do valor da Cadeia de Valor com base na Estratégia da Cadeia de Valor Planejamento da Cadeia de Valor Operação da Cadeia de Valor É a integração das decisões de programação do pedido do cliente na cadeia de valor com base no Plano de Cadeia de Valor Médio Prazo Curto Prazo Dia a Dia A integração da Construção da Visão Estratégica do Futuro da Organização com o Planejamento Estratégico, o Tático e o Operacional
  59. 59. 14/05/2019 59Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP Criar a “Governança” do Planejamento Antônio Luís Aulicino, PhD
  60. 60. 14/05/2019 60Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USPAntônio Luís Aulicino, PhD 60 https://www.examtime.com/pt/blog/profissoes-futuro-como-preparar-os-jovens/ Construir o futuro é melhor forma de não temêConstruir o futuro é melhor forma de não temêConstruir o futuro é melhor forma de não temêConstruir o futuro é melhor forma de não temê----lolololo A Visão Estratégica do Futuro daA Visão Estratégica do Futuro daA Visão Estratégica do Futuro daA Visão Estratégica do Futuro da Organização será construída aOrganização será construída aOrganização será construída aOrganização será construída a partir dos futuros possíveis, que sejapartir dos futuros possíveis, que sejapartir dos futuros possíveis, que sejapartir dos futuros possíveis, que seja desejável e realizável.desejável e realizável.desejável e realizável.desejável e realizável. Marc GIGET (2007) É Trabalho ColetivoÉ Trabalho ColetivoÉ Trabalho ColetivoÉ Trabalho Coletivo Em que os participantes são os geradores e não osEm que os participantes são os geradores e não osEm que os participantes são os geradores e não osEm que os participantes são os geradores e não os consumidores dessa reflexãoconsumidores dessa reflexãoconsumidores dessa reflexãoconsumidores dessa reflexão
  61. 61. 14/05/2019 61Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 61 Processo Prospectivo para aProcesso Prospectivo para aProcesso Prospectivo para aProcesso Prospectivo para a Construção da Visão Estratégica do Futuro da OrganizaçãoConstrução da Visão Estratégica do Futuro da OrganizaçãoConstrução da Visão Estratégica do Futuro da OrganizaçãoConstrução da Visão Estratégica do Futuro da Organização Planejar o Longo PrazoPlanejar o Longo PrazoPlanejar o Longo PrazoPlanejar o Longo Prazo Antecipação para orientar a ação com apropriação • Ver longe, com amplitude, com profundidade; • com ousadia e tomar riscos; • pensar no ser humano; • Ver de maneira diferente (caçar ideias); • Ver juntos (apropriação) Utilizar técnicas e métodos pedagógicos, rigorosos e participativos.passado presente futuros possíveis Gaston BERGER (1958) Michel GODET (2001) Antônio Luís Aulicino, PhD
  62. 62. 14/05/2019 62Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP Sensibilizar e conscientizar, Antônio Luís Aulicino, PhD com o objetivo de MOBILIZAR para Conduzir a Mudança - Transformação
  63. 63. 14/05/2019 63Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP Técnicas e métodos pedagógicos, participativos e rigorosos, gerando a network (rede) Antônio Luís Aulicino, PhD Integração e Interação das pessoas da organização e dos stakeholders
  64. 64. 14/05/2019 64Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP Proporcionar a apropriação : • Aquisição de conhecimento sobre a Organização e seu Ambiente • Motivação de ver juntos • Desenvolvimento do comprometimento • Com o objetivo de construir a visão estratégica do futuro possível, desejável e realizável Antônio Luís Aulicino, PhD Apropriação das PessoasApropriação das PessoasApropriação das PessoasApropriação das Pessoas
  65. 65. 14/05/2019 65Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 65 Seminário do Processo Prospectivo do Setor de Mineração do Noroeste do ES – Varredura do Ambiente Planejar o Futuro de Longo, Médio e Curto Prazo Juntos
  66. 66. 14/05/2019 66Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 66 Antônio Luís Aulicino, PhD
  67. 67. 14/05/2019 67Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP 67
  68. 68. 14/05/2019 68Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USPAntônio Luís Aulicino, PhD 68 Futuro possível, desejável e realizável A Construção do Futuro deve ser contrastante e confrontante Futuro não desejável
  69. 69. 14/05/2019 69Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP Definir as Ações Estratégicas e os respectivos Projetos para Construir a Visão Estratégica do Futuro http://gestaodeprojetos10.blogspot.com.b r/2009/11/estrategia-e-projetos.html Antônio Luís Aulicino, PhD
  70. 70. 14/05/2019 70Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP Integração do Planejamento de Longo Prazo com o Médio e Curto Prazo Kannegiesser (2008) É a integração das decisões do design e as regras de decisões do negócio na Cadeia de Valor Estratégia da Cadeia de Valor É a integração das decisões de volume e do valor da Cadeia de Valor com base na Estratégia da Cadeia de Valor Planejamento da Cadeia de Valor Operação da Cadeia de Valor É a integração das decisões de programação do pedido do cliente na cadeia de valor com base no Plano de Cadeia de Valor Médio Prazo Curto Prazo Dia a Dia A integração da Construção da Visão Estratégica do Futuro da Organização com o Planejamento Estratégico, o Tático e o Operacional
  71. 71. 14/05/2019 71Adm Antônio Luís Aulicino , PhD NAP-PLP, da FEA-USP Obrigado! Antônio Luís Aulicino, PhD • Fone: (011)-94133-1949 • ala@usp.br • alaulicino@idsust.com.br Núcleo de Apoio à Pesquisa de Planejamento de Longo Prazo (NAP PLP)

×