Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

4ª Jornada de Ética nos Negócios - Ética e Startups

200 views

Published on

Elisabete Fernandes - Consultora de Empreendedorismo e Inovação no SEBRAE/SP

Published in: Business
  • Be the first to comment

4ª Jornada de Ética nos Negócios - Ética e Startups

  1. 1. Quarta Jornada de Ética nos Negócios Grupo de Excelência em Ética e Sustentabilidade GEES/CRA-SP Adm. Me. Elisabete Fernandes
  2. 2. • + 30 anos Empreendendo área deVarejo • Professora, Consultora de Empreendedorismo e Inovação • Mestra em Administração do Desenvolvimento de Novos Negócios; • SEE/Babson College • Pós-graduada em Marketing e Comunicação Social; • Graduada em Administração; • Membro do GEEI – Grupo de Empreendedorismo e Inovação no Conselho Regional de Administração/CRASP; • Adoro pedalar! Amo a liberdade e a conexão com a natureza que a bicicleta proporciona. MINHA HISTÓRIA
  3. 3. O tema Inovação vem tomando conta da economia mundial em busca de ganhos em escala, seja no ambiente empresarial ou social, com aplicação de novas tecnologias, novas formas de fazer e facilitar negócios, novos métodos de execução de tarefas, nascendo o mundo das chamadas startups e de novos empreendedores que oferecem organização, produtos ou serviços inovadores a até mesmo disruptivos, agregando valores, tempo e dinheiro.
  4. 4. http://www.boletim.de/wp-content/uploads/2014/03/image.png
  5. 5. Esta Inovação como atividade e como métrica de investimento demandam uma nova forma de realizar negócios, superando o modelo tradicional de contratos, as formas de avaliação do risco para a compra de participação societária, relações pessoais e até mesmo se as entradas no capital das startups se dará em dinheiro, ou se haverá troca de experiências por participação, algo totalmente novo, trazendo a EXPERIÊNCIA como algo economicamente relevante no capital de entidades, o chamado “sweat equity” – em tradução livre: a participação pelo suor, o investimento não monetário.
  6. 6. Uma STARTUP é um grupo de pessoas à procura de um modelo de negócios, repetível e escalável, trabalhando em condições de extrema incerteza. Desta forma, uma startup, no calor do início da operação, quando o foco é tornar o seu propósito conhecido e proporcionar uma boa experiência aos clientes para “viralizar” o negócio e atingir a sua sustentabilidade, muitos empreendedores acabam negligenciando o básico das atividades-meio como por exemplo as questões éticas, questões de transparências, a importante função de um jurídico , que suportam as atividades-fim. Essa negligência pode resultar em consequências onerosas pois, enquanto o modelo de negócio estiver pequeno, em teoria, os problemas serão fáceis e rápidos de resolver. Mas negócios inovadores podem ter um crescimento exponencial e, de uma hora pra outra, enfrentar questões complexas e com potencial de prejuízo que pode alterar o seu rumo. https://oabcampinas.org.br/o-compliance-nas-startups-entenda-os-motivos-para-investir-nesta-pratica/
  7. 7. Compliance pode ser definido como o conjunto de princípios e regras estabelecidos para assegurar o cumprimento da legislação pelos colaboradores diretos e indiretos de uma entidade, bem como estabelecer mecanismos que promovam um ambiente corporativo ético e de respeito aos preceitos sociais. Esta nova sistemática de negócios não deve, contudo, se distanciar dos preceitos ÉTICOS e de COMPLIANCE
  8. 8. Elas ajudam os empreendedores e os agentes econômicos da empresa a tomarem cuidado com processos jurídicos. Nós sabemos que as discussões éticas dentro do mundo corporativo preparam a empresa para um processo de amadurecimento no processo de compliance, quer dizer, há uma função objetiva pragmática bastante útil.
  9. 9. Pode ser considerada como um conjunto de valores e regras sociais que distinguem o que está certo do que está errado, ou seja, indicam quando um comportamento é socialmente aceitável ou não. Por outras palavras, uma atuação ética significa não mais do que respeitar os princípios morais da sociedade. No plano empresarial, a ética tem a ver com a tomada de decisões de gestão, isto é, quais as escolhas efetuadas pelos gestores face a uma pluralidade de opções, tendo como plano de fundo a moralidade.
  10. 10. Importância para os negócios iniciarem seus projetos e atividades com: - Foco em cumprimento da legislação que compõe o seu negócio: na parte regulatória, fiscal, trabalhista, propriedade intelectual, dentre outras necessárias para a operação, com medidas e controles que permitam um crescimento organizado. - Contribui com o desenvolvimento da organização, como também facilitará a atração de bons investimentos, atrair um capital que não tenha origens duvidosas. Diminuir sensivelmente o tempo para que o investimento aconteça já que, investidores terão um grau de conforto maior para com aqueles que estão preocupados com compliance, o que diminuiria o tempo esperado em “due diligences” ou outros procedimentos similares.
  11. 11. Empresas que seguem algumas “regras” de ética têm melhores hipóteses de sobreviver a longo prazo no competitivo mundo empresarial, quando comparadas com outras cujo único objetivo é a obtenção desmedida de lucros. Mas porque razão a ética tem tanta importância nos negócios? E quais são os seus benefícios? Mostramos-lhe os principais motivos para manter a sua ética empresarial.
  12. 12. Maximização do lucro Uma das principais razões para este sucesso é que os clientes destas empresas acabam por ser mais leais e mostrarem maior satisfação em relação aos produtos e serviços produzidos e difundidos pela empresa A maioria dos colaboradores de uma empresa acaba por seguir o exemplo de quem é seu superior. Se quem está na gestão da empresa ou em cargos superiores se reger por princípios de ética como respeito pelos clientes, não optar por subornos ou tentativas de enganar clientes e investidores, também os próprios colaboradores da empresa irão seguir o seu exemplo. Através dos bons exemplos os funcionários vão também acabar por evitar utilizar os recursos da empresa para seu benefício pessoal, o que se irá traduzir num melhor aproveitamento e numa utilização mais eficiente dos recursos da própria empresa. Utilização eficiente dos recursos da empresa Reputação Uma empresa, que é reconhecida pela sua ética nos negócios, acaba por criar uma boa reputação no mercado empresarial, esta reputação vai tornar-se numa enorme vantagem em relação a possíveis investidores, que se mostram mais disponíveis e confiantes para investir nas empresas. Da mesma forma uma empresa que dá grande importância à ética nos negócios acaba também por valorizar mais os seus colaboradores, o que resulta numa maior lealdade e empenho por parte destes à organização
  13. 13. PES S O A S CAPITAL MAIS IMPORTANTE DAS EMPRESAS
  14. 14. Elisabete Fernandes https://www.linkedin.com/in/elisabetefernandesconsultora/
  15. 15. https://exame.abril.com.br/negocios/dino/os-desafios-do-compliance-nas-startups- brasileiras/ https://www.youtube.com/watch?v=sxygkyskucA https://oabcampinas.org.br/o-compliance-nas-startups-entenda-os-motivos-para-investir-nesta-pratica/

×