Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Apresentação - O Processo De Bolonha Na Web Semântica

845 views

Published on

Slides de apresentação da tese de mestrado "O Processo De Bolonha Na Web Semântica"

Published in: Education, Business
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Apresentação - O Processo De Bolonha Na Web Semântica

  1. 1. O Processo de Bolonha na Web Semântica Eduardo M. Covelinhas Nº 29955 Orientador: Doutor Porfírio P. Filipe Co-Orientador: Doutor Luís G. Morgado Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia de Electrónica e Telecomunicações e de Computadores Mestrado em Engenharia Informática e de Computadores Lisboa, Fevereiro de 2009
  2. 2. Agenda <ul><li>Âmbito de Investigação </li></ul><ul><li>Web Semântica </li></ul><ul><li>Processo de Bolonha </li></ul><ul><li>Modelo Proposto </li></ul><ul><li>Avaliação Experimental </li></ul><ul><li>Conclusão e Trabalho Futuro </li></ul>
  3. 3. Âmbito de Investigação <ul><li>O Processo de Bolonha </li></ul><ul><ul><li>Ensino baseado no desenvolvimento de competências </li></ul></ul><ul><ul><li>Mobilidade de estudantes </li></ul></ul><ul><li>Interoperabilidade </li></ul><ul><ul><li>Contribuição da Web Semântica </li></ul></ul><ul><ul><li>Sistemas de gestão académica </li></ul></ul>Suportar a mobilidade de estudantes Será a Web Semântica capaz de apresentar um solução para a mobilidade?
  4. 4. Web Semântica <ul><li>Permitirá interligar conceitos </li></ul><ul><li>Finalidade é atribuir significado aos conteúdos </li></ul><ul><li>Conteúdos perceptíveis por humanos e computadores </li></ul><ul><li>Processamento semântico da informação </li></ul><ul><li>Recomendações do W3C </li></ul><ul><ul><li>e X tensible M arkup L anguage ( XML ) </li></ul></ul><ul><ul><li>R esource D escription F ramework ( RDF ) </li></ul></ul><ul><ul><li>W eb O ntology L anguage ( OWL ) </li></ul></ul><ul><ul><li>S PARQL P rotocol a nd R DF Q uery L anguage ( SPARQL) </li></ul></ul>
  5. 5. Web Semântica
  6. 6. Processo de Bolonha <ul><li>O Processo de Bolonha tem como alguns objectivos </li></ul><ul><ul><li>Estabelecimento de um sistema de créditos </li></ul></ul><ul><ul><li>Transição para um sistema baseado no desenvolvimento de competências </li></ul></ul><ul><ul><li>Promoção da mobilidade entre instituições </li></ul></ul><ul><li>Mobilidade Durante a Formação </li></ul><ul><ul><li>Contrato de Estudos </li></ul></ul><ul><ul><li>Mudança de Curso </li></ul></ul><ul><ul><li>Transferência </li></ul></ul><ul><ul><li>Inscrição em unidades curriculares isoladas </li></ul></ul>
  7. 7. Processo de Bolonha <ul><li>Mobilidade Após a Formação </li></ul><ul><ul><li>Suplemento ao Diploma </li></ul></ul><ul><li>Componentes Para a Mobilidade </li></ul><ul><ul><li>Experiência Profissional </li></ul></ul><ul><ul><li>Formação Pós-Secundária </li></ul></ul><ul><ul><li>Plano de Curso </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Estrutura Curricular </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Plano de Estudos </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Plano Individual de Estudos </li></ul></ul>
  8. 8. MM: Modelo Proposto <ul><li>O modelo proposto, designado por Modelo para a Mobilidade ( MM ), é composto por outros 3 modelos: </li></ul><ul><ul><li>Registo Académico </li></ul></ul><ul><ul><li>Plano do Curso </li></ul></ul><ul><ul><li>Plano Individual de Estudos </li></ul></ul><ul><li>Exemplo de um cenário de mobilidade: </li></ul><ul><li>O estudante com um determinado registo académico pretende frequentar um curso representado pelo plano do curso. O que vai ter como consequência a produção do Plano Individual de Estudos. </li></ul>
  9. 9. Cenário de Mobilidade
  10. 10. MM: Competências <ul><li>Competências </li></ul><ul><li>O conceito de competência é usado para estabelecer o elo de ligação entre as competências adquiridas pelo estudante e as competências necessárias para a conclusão de um determinado curso. </li></ul><ul><li>Utilização do dicionário DISCO para a definição clara de uma competência. </li></ul><ul><li>Por exemplo, 17344 identifica a competência “JAVA”. </li></ul>
  11. 11. MM: Unidade Curricular <ul><li>Unidade Curricular </li></ul><ul><li>Um elemento central no âmbito da mobilidade. </li></ul><ul><li>A representação de uma unidade curricular foi definida de acordo com: </li></ul><ul><ul><li>Exemplo do suplemento ao diploma </li></ul></ul><ul><ul><li>Modelo de boletim de registo académico criado no Programa Sócrates </li></ul></ul><ul><ul><li>Despacho n.º 7287-A/2006 </li></ul></ul>
  12. 12. MM: Registo Académico <ul><li>Registo Académico </li></ul><ul><li>O registo académico representa o histórico de um estudante. </li></ul><ul><li>O registo académico é definido por </li></ul><ul><ul><li>Identificação do Estudante </li></ul></ul><ul><ul><li>Contratos de Estudos </li></ul></ul><ul><ul><li>Formações Académicas </li></ul></ul><ul><ul><li>Experiência Profissional </li></ul></ul><ul><ul><li>Formação Pós-Secundária </li></ul></ul>
  13. 13. MM: Contratos de Estudos <ul><li>Contratos de Estudos </li></ul><ul><li>Formalização para um estudante em mobilidade </li></ul><ul><ul><li>Emissão do Boletim de Registo Académico </li></ul></ul><ul><li>Adoptado para a utilização nos casos de </li></ul><ul><ul><li>Mudança de curso </li></ul></ul><ul><ul><li>Transferência </li></ul></ul><ul><ul><li>Inscrição em unidades curriculares isoladas </li></ul></ul><ul><li>Á definição de unidade curricular apresentada anteriormente são adicionados a identificação do aluno, instituição de ensino e classificação. </li></ul><ul><li>Um registo académico pode conter 0 (zero) ou mais Contratos de Estudos </li></ul>
  14. 14. MM: Contratos de Estudos
  15. 15. MM: Formação Académica <ul><li>Formação Académica </li></ul><ul><li>Caracterizada pela informação presente no Suplemento ao Diploma </li></ul><ul><li>Um registo académico pode conter 0 (zero) ou mais Formações Académicas </li></ul>
  16. 16. MM: Experiência Profissional <ul><li>Experiência Profissional </li></ul><ul><li>Não existe definição legal quanto à informação necessária para a creditação. </li></ul><ul><li>Foi tomada como base para a informação necessária o modelo de Curriculum Vitae Europass da Comunidade Europeia </li></ul><ul><li>Um registo académico pode conter 0 (zero) ou mais Experiências Profissionais </li></ul>
  17. 17. MM: Formação Pós-Secundária <ul><li>Formação Pós-Secundária </li></ul><ul><li>Não existe definição legal quanto à informação necessária para a creditação. </li></ul><ul><li>Foi tomada como base para a informação necessária o Referencial de Formação do IEFP. </li></ul><ul><li>Um registo académico pode conter 0 (zero) ou mais Formações Pós-Secundária </li></ul>
  18. 18. MM: Plano do Curso <ul><li>Plano do Curso </li></ul><ul><li>Caracteriza o curso </li></ul><ul><ul><li>Estrutura curricular </li></ul></ul><ul><ul><li>Plano de estudos </li></ul></ul><ul><li>Tem como base a descrição do curso presente no Despacho n.º 7287-A/2006 </li></ul>
  19. 19. MM: Plano Individual de Estudos <ul><li>Plano Individual de Estudos </li></ul><ul><li>Posiciona o estudante no contexto de um determinado curso </li></ul><ul><li>Apresenta as unidades curriculares que o estudante tem de frequentar para perfazer o número total de créditos ECTS do curso. </li></ul>
  20. 20. MM: Exemplo de Registo Académico < Qualifications > <Qualification rdf:ID=&quot;PTIPLUBILEICA21312323&quot;> <Name> Licenciatura em GESTÃO , Licenciado</Name> <MainFieldsOfStudy>Gestão</MainFieldsOfStudy> <AwardingInstitution> Universidade da Beira Interior </AwardingInstitution> (…) <CourseUnits> <CourseUnit rdf:ID=&quot;P-UBI-MGTMGT12-560&quot;> <Code>P-UBI-MGTMGT12-560</Code> <Name> INT. AO ESTUDO DA EMPRESA </Name> <Length>2S</Length> <Skills> < Skill rdf:ID=&quot;S17457&quot;> <Code>17931</Code> <Description> Negociação </Description> </Skill> (…) </Skills> <TotalLecturesTP>4</TotalLecturesTP> <LocalGrade> 11 </LocalGrade> <ECTSGrade>C</ECTSGrade> <ECTSCredits> 6,0 </ECTSCredits> </CourseUnit> (…) </CourseUnits> </Qualifications> <WorkExperience rdf:ID=&quot;WORK01&quot;> <StartDate>2005-01-01</StartDate> <EndDate>2005-12-31</EndDate> <Occupation> Programador Java </Occupation> <MainActivities>Desenvolvimento de aplicações Java</MainActivities> <EmployerName>ABCDF, Lda</EmployerName> <EmployerAddress>Rua António Silva,Lisboa</EmployerAddress> <TypeBusinessSector>Informática</TypeBusinessSector> <Skills> < Skill rdf:ID=&quot;WORK01SKILL01&quot;> <Code>17344</Code> <Description> Java </Description> </Skill> </Skills> </WorkExperience> < Formation rdf:ID=“FORM01&quot;> <Name>Querying Microsoft SQL Server 2000 with Transact-SQL</Name> <MainFieldsOfStudy>Bases de Dados</MainFieldsOfStudy> <FormationUnits> < FormationUnit rdf:ID=&quot; OLAP &quot;> <Name>OLAP - Online Analytical Processing</Name> <Skills> < Skill rdf:ID=&quot;FORM01SKILL1&quot;> <Code>17513</Code> <Description> OLAP </Description> </Skill> </Skills> </FormationUnit> </FormationUnits> </Formation>
  21. 21. Avaliação Experimental <ul><li>Para avaliar o modelo proposto foram criados 4 casos de utilização: </li></ul><ul><ul><li>Estudante em Mobilidade </li></ul></ul><ul><ul><li>Mudança de Curso </li></ul></ul><ul><ul><li>Transferência e Formação Pós Secundária </li></ul></ul><ul><ul><li>Mobilidade Pós-Formação e Experiência Profissional </li></ul></ul>Foi desenvolvido um demonstrador para avaliar o modelo proposto de acordo com os casos de utilização definidos . O demonstrador está disponível em http:// www.covelinhas.net / modelomobilidade /demonstrador/
  22. 22. Conclusão <ul><li>Realizou-se investigação na área da Web Semântica aplicada à mobilidade de estudantes no âmbito do Processo de Bolonha </li></ul><ul><li>Foi elaborada uma proposta de um modelo para a mobilidade de estudantes em conformidade com a legislação em vigor </li></ul><ul><li>Concretizou-se na linguagem RDF/RDFS o modelo proposto implementando exemplos concretos da sua instanciação </li></ul><ul><li>Concebeu-se um demonstrador que permitiu validar experimentalmente o modelo de acordo com os casos de utilização definidos </li></ul><ul><li>Verificou-se que o modelo proposto suporta a mobilidade e que a Web Semântica tem soluções, na prática, para a mobilidade de estudantes </li></ul>
  23. 23. Trabalho Futuro <ul><li>Definir métricas de similaridade para a comparação de competências, unidades curriculares, experiência profissional, entre outros </li></ul><ul><li>Conceber um sistema que utilize aprendizagem designadamente Case-based learning e Case-based reasoning </li></ul><ul><li>Generalizar o modelo proposto para satisfazer outras necessidade criadas pelo Processo de Bolonha (Exemplo: mobilidade de docentes) </li></ul>
  24. 24. O Processo de Bolonha na Web Semântica Eduardo M. Covelinhas Nº 29955 Orientador: Doutor Porfírio P. Filipe Co-Orientador: Doutor Luís G. Morgado Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia de Electrónica e Telecomunicações e de Computadores Mestrado em Engenharia Informática e de Computadores Lisboa, Fevereiro de 2009
  25. 25. Interoperabilidade <ul><li>Beynon-Davies [2002] define interoperabilidade como “ uma medida do grau segundo o qual os sistemas de informação são capazes de se coordenarem e colaborarem ”. </li></ul><ul><li>O grau de interoperabilidade entre dois sistemas pode ser avaliado segundo vários níveis. Miller [2000] propõe uma divisão em 6 dimensões: </li></ul><ul><ul><li>Interoperabilidade Técnica : relacionada com normas relativas a comunicação, transporte, armazenamento e representação. </li></ul></ul><ul><ul><li>Interoperabilidade Semântica : relacionada com a construção semântica, meta-dados e estrutura. </li></ul></ul><ul><ul><li>Interoperabilidade Política / Humana </li></ul></ul><ul><ul><li>Interoperabilidade Inter-Comunitária </li></ul></ul><ul><ul><li>Interoperabilidade Legal </li></ul></ul><ul><ul><li>Interoperabilidade Internacional </li></ul></ul>
  26. 26. OWL <ul><li>RDF/RDFS - RDFS adiciona classes, subclasses e propriedades aos recursos, criando uma estrutura básica de linguagem. Por exemplo, o recurso Ford é uma subclasse da classe Automóvel. Uma propriedade de Ford poderia ser SUV. </li></ul><ul><li>OWL - A camada mais complexa, formaliza as ontologias, descreve relações entre classes e usa lógica para fazer deduções. Pode também construir novas classes com base em informações existentes. A OWL está disponível em três níveis de complexidade - Lite, Description Language (DL) e Full. </li></ul>
  27. 27. Trabalho Relacionado <ul><li>SWAPS ( Semantic Web Approach for Personalisation of Study ) - personalização dos planos de estudos de um estudante. Com base nas competências de ensino das instituições de ensino superior, o projecto SWAPS pretende desenvolver um portal web que oferece uma interface gráfica bem como uma colecção de WebServices para pesquisa e comparação de módulos e programa de estudos baseado em tecnologias da Web Semântica. O projecto ainda está primeiros passos de desenvolvimento. </li></ul><ul><li>HAKIA - motor de pesquisa semântico, cujo objectivo é obter resultados de qualidade com base na infra-estrutura que analisa os termos a pesquisar no contexto de uma frase e emprega um algoritmo (SemanticRank) para relacionar ao nível ontológico os conceitos entre si. </li></ul>

×