Rede Europeia de Living LabsEstratégias de Inovação na Europa   Prof. Alvaro Duarte de Oliveira            International C...
Agenda•   Rede Europeia de Living Labs•   Exemplos de Living Labs•   Globalização da ENoLL•   Living Labs em Portugal•   L...
Desafios Globais                    do nosso tempo• Sustentabilidade ambiental. Energia limpa. Eficiência  energética. Mob...
Living Labs•   A escala dos problemas globais cria a necessidade de aproveitar o maior    conjunto possível de recursos pa...
Ecossistema do Living Lab                            5
Os valores dos Living Labs•   Iniciativas bottom-up. Apoio top down•   Abertura. Colaboração. Comunicação em rede•   Confi...
Frascati Living Lab              Agricultura de Precisão• Previsões meteorológicas de alta precisão  apoiando a atividade ...
Siyakhula Africa do Sul  Living Lab Network                          9
SAVE ENERGY Living Lab Project     Goals:•   20% of Energy Savings•   Smart ICT Energy Efficiency    model and platform•  ...
SAVE ENERGY - Resultados          Piloto          Savings  Luleå                 30% Escritórios Helsinki               27...
Living Labs Portugueses•   Agueda Living Lab•   FIAPAL Living Lab•   ISaLL - Intelligent Sensing and Smart Services Living...
Globalização da ENoLLIniciativas Internacionais da ENoLL• Latin American Network of Living Labs (LANoLL)• Brazil Network o...
MoU com o World Bank10/07/2012Washington D.C.        14EUA
15
Domínios temáticos da Rede                          Brasileira de Living LabsDominíos existentes nos Living Labs• Smart Ci...
Seminário Internacional de Inovação Aberta e InovaçãoSocial – Living Labs3 e 4 de NovembroVitória – Espírito SantoBrasil  ...
Living Labs Projectos EU - Brasil•   Cidades e regiões inteligentes focadas no bem estar dos cidadãos.    Inovação social....
Smart City             19
Uma nova visão da Smart Cities                            Living Lab Urbano•   As cidades inteligentes são o ambiente de i...
Evolução da Smart City    Infraestruturas                         21
Evolução das Smart Cities Participação dos cidadãos                             22
Human Smart Cities (1/2)• A “Human Smart City” é uma cidade onde pessoas – cidadãos e  comunidades – são os principais age...
Human Smart Cities (2/2)•   As administrações locais estão a gradualmente a perceber, após anos de tentativas    falhadas ...
Human Smart CitySistema de Saúde Finlandês                             25
HUMAN SMART CITY                   URBAN LIVING LAB                RFID               Rede de sensores                    ...
HUMAN SMART CITY                        CIDADES PARTICIPANTES    Enquanto 75% da população Europeia vive em cidades e vila...
HUMAN SMART CITYDAS NECESSIDADES E INTERACÇÕES AOS DESAFIOS                          Wishes                          Inter...
HUMAN SMART CITYDOS DESAFIOS ÀS SOLUÇÕES    Projecto PERIPHÈRIA
HUMAN SMART CITY    EXEMPLOS DE DESAFIOS               Campus Inclusivo (Milan)         Comportamentos Sustentáveis (Milan...
LIÇÕES APRENDIDASOs processos de co-criação de serviços requerem um enquadramento    institucional para assegurar que o se...
Human Smart City                      MyNeighbourhood VisionUma Smart City usa novas tecnologias para reconectar pessoas, ...
Fases do MyNeighbourhoodFases           Construir              Delegar                “Escalar”Social        Desejos, Inte...
MyNeighbourhood             Transformação comportamentalINGREDIENTES                                                      ...
Connected Smart Cities                       Network• Connected Smart Cities Network was launched in Helsinki on November ...
Cidades Inteligentes na Europa                             36
Agenda Digital Europeia da                  Inovação (2013 - 2020)•   Foco na Inovação Social (Europa 2020)•   Programa in...
GPPQ - Gabinete de Promoção do 7º Programa-Quadro de I&DT                                                Horizon 2020     ...
Smart Specialization vs. Living                   Labs Regionais (1/2)                             Smart Specialization   ...
Smart Specialization vs. Living                 Labs Regionais (2/2)                                        Living Labs–  ...
Human Smart Cities                                  Living Labs Urbanos•   Infraestrutura de sensorização e rede de comuni...
Living Labs em Portugal                     Recomendações• Apoiar a criação da Rede Portuguesa de Living Labs e  estimular...
Obrigado      Álvaro de Oliveira   alvaro.oliveira@alfamicro.ptTelefone:      +351 21 486 67 84Skype:         alvaroduarte...
Alvaro oliveira - ENoLL
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Alvaro oliveira - ENoLL

635 views

Published on

Com este Workshop apresenta-se o SUSTAINABLE CONSTRUCTION LIVING LAB, rede que reúne de forma transversal os atores relevantes do sector da construção que irão contribuir para tornar prática comum a construção sustentável, estando o principal enfoque na reabilitação sustentável do meio edificado. Este WORKSHOP é dirigido a todos os decisores que influenciam a qualidade de construção do meio edificado.

The SUSTAINABLE CONSTRUCTION LIVING LAB contributes to mainstreaming sustainable construction by creating an inclusive collaboration platform for all the stakeholders and decision makers who influence the quality of the built environment.

O Workshop é dirigido a todos os decisores que influenciam a qualidade de construção do meio edificado.

A inscrição para o Workshop é gratuita sendo pre-inscrição individual e obrigatoria.

Published in: Technology
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
635
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
15
Actions
Shares
0
Downloads
15
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Alvaro oliveira - ENoLL

  1. 1. Rede Europeia de Living LabsEstratégias de Inovação na Europa Prof. Alvaro Duarte de Oliveira International Chair European Network of Living Labs
  2. 2. Agenda• Rede Europeia de Living Labs• Exemplos de Living Labs• Globalização da ENoLL• Living Labs em Portugal• Living Labs no Brasil• Cooperação UE-Brasil• Política de Inovação na Europa• Human Smart Cities 2
  3. 3. Desafios Globais do nosso tempo• Sustentabilidade ambiental. Energia limpa. Eficiência energética. Mobilidade. Resíduos• Saúde. Bem-estar. Envelhecimento da população• Sustentabilidade dos recursos naturais• Aceleração sa actividade e aumento de concorrências. Globalização. Novos modelos de negócio• Acesso ao conhecimento. Novos modelos de aprendizagem. Sistema de educação• Transparência e confiança no sistema político e administração pública. Crise do sistema financeiro mundial. Estabilidade política e económica mundial. 3
  4. 4. Living Labs• A escala dos problemas globais cria a necessidade de aproveitar o maior conjunto possível de recursos para a criação de soluções envolvendo diversos tipos de conhecimento, de recursos, formas de participação e de colaboração.• Para obter soluções é necessário aproveitar a motivação de milhões pessoas e das suas comunidades. As soluções não se impõem às pessoas forçando-as a alterar o seu comportamento.• Novos sistemas altamente participativos são necessários para alcançar mudanças do comportamento. As empresas e o sector público devem ter novos papéis para satisfazer a inovação impulsionada pelos utilizadores possibilitada pelas novas tecnologias de informação e comunicação.• Os Living Labs são ecosistemas abertos que envolvem e motivam os parceiros dos processos de inovação, estimulam a colaboração dos cidadãos, facilitam e aceleram a criação e sustentabilidade de novos mercados e novos modelos de negócio. Os Living Labs Urbanos estimulam e facilitam a participação dos cidadãos no co-design e co-criação das políticas e na implementação da “Human Smart City” reforçando o sentimento de pertença e identidade, cidadania e bem-estar. 4
  5. 5. Ecossistema do Living Lab 5
  6. 6. Os valores dos Living Labs• Iniciativas bottom-up. Apoio top down• Abertura. Colaboração. Comunicação em rede• Confiança e transparência• Co-design e co-criação• Centrados nas pessoas. Bem-Estar social• Inovação Social• Sustentabilidade 6
  7. 7. Frascati Living Lab Agricultura de Precisão• Previsões meteorológicas de alta precisão apoiando a atividade dos agricultores da região.• Experimentação de diferentes sensores RFID. Dados das plantações e mercado acessíveis através da Internet.• A plataforma integra serviços que apoiam os agricultores na monitorização remota das plantações. Processamento de imagens satélite. 8
  8. 8. Siyakhula Africa do Sul Living Lab Network 9
  9. 9. SAVE ENERGY Living Lab Project Goals:• 20% of Energy Savings• Smart ICT Energy Efficiency model and platform• Serious Game focused on Energy Efficiency at Public Spaces• User behavior transformation• Living Lab methodology• Pilots committed to extend results beyond project completion• European wide dissemination of results• Policy Recommendations at Regional, National and European levels
  10. 10. SAVE ENERGY - Resultados Piloto Savings Luleå 30% Escritórios Helsinki 27-74% Escola Leiden 19% Aquecimento Conferência Internacional Lisbon 27% EscritóriosManchester 47% IluminaçãoReunião no Parlamento Europeu
  11. 11. Living Labs Portugueses• Agueda Living Lab• FIAPAL Living Lab• ISaLL - Intelligent Sensing and Smart Services Living Lab• Lighting Living Lab• SJM-ILL - S. João da Madeira Industrial Living Lab (Sanjotec)• Smart Rural Living Lab• Sustainable Construction Living Lab• Creative Media Lab• ECO LivingLab@Chamusca• Living Labs Minho• Madeira Living Lab• RENER Living Lab• Sport Living Lab Lisboa - VIDELLL• Ubiquitous/Invisible Computing Living Lab
  12. 12. Globalização da ENoLLIniciativas Internacionais da ENoLL• Latin American Network of Living Labs (LANoLL)• Brazil Network of Living Labs (BNoLL)• Africa Network of Living Labs (ANoLL)• China Network of Living Labs (CNoLL)Memorandos de Entendimento da ENoLL• World Bank• FAO Food and Agricultural Organization of the UN• EBN Europe Business Network• United Forum Ubiquitous Network Industry and technology Development Forum (China)• Beijing City Administration and Public Service Innovation – Information System and Equipment Center (CAISEC) China• ISPA International Science Park Association (em curso)• INSME International Network of SMEs (em curso)Escritórios Internacionais (em curso)• Rio de Janeiro• Beijing• PretoriaIniciativas Internacionais da ENoLL (em curso)• Taiwan• Korea• USA• Australia 13
  13. 13. MoU com o World Bank10/07/2012Washington D.C. 14EUA
  14. 14. 15
  15. 15. Domínios temáticos da Rede Brasileira de Living LabsDominíos existentes nos Living Labs• Smart Cities, Requalificação urbana• Inclusão e Inovação social, e-Participação• Produção Digital. TV interativa (NGA)• Ambiente. Eficiência e Sustentabilidade Energética• Tecnologias Ambientais e Sustentabilidade• Saúde e Bem estar.• Biotecnologia. Biodiversidade•Tecnologias do Ambiente• Produtos naturais. Fruticultura. Práticas Tradicionais• Inovação Social. Inclusão social. Participação das cidadesDomínios Emergentes dos Living Labs• Educação remota.•Internet das Coisas. Logística Inteligente. Internet do Futuro.• Indústria Automóvel. Indústria Aeronaútica Civil• Mobiliário•Agroalimentação. Alimentação Saudável• Industrias de TI creativas• Turismo Temático (actividades Eco)• Segurança 16
  16. 16. Seminário Internacional de Inovação Aberta e InovaçãoSocial – Living Labs3 e 4 de NovembroVitória – Espírito SantoBrasil 23 Novembro 2011 // Lisboa 17
  17. 17. Living Labs Projectos EU - Brasil• Cidades e regiões inteligentes focadas no bem estar dos cidadãos. Inovação social. Inclusão.• Logística inteligente. Internet das coisas.• Mineração. Tecnologias de processamento.• Biofuel. Tecnologias. Processos. Distribuição.• Biodiversidade. Fármacos. Produtos de beleza.• Agricultura de precisão. Alimentos orgânicos.• Segurança da cadeia alimentar.• Programa de banda larga. Internet do Futuro. Serviços inteligentes.• Redes sociais. Comunidades. Participação digital. Democracia partilhada.• Floresta. Captura de carbono. 18
  18. 18. Smart City 19
  19. 19. Uma nova visão da Smart Cities Living Lab Urbano• As cidades inteligentes são o ambiente de inovação aberta (Living Lab Urbano) focado nas pessoas (Inclusão social), promovendo a criação de riqueza e emprego (Desenvolvimento económico) num modelo de economia verde (Sustentabilidade ambiental).• O Governo Municipal, urbanistas, universidades, empresas de tecnologias de informação, organizações financiadoras se organizam num ecosistema dinâmico de inovação (Top down).• Os cidadãos se envolvem desde a identificação de necessidades, formulação dos novos serviços, prototipagem, “early market” (Bottom up).• Os cidadãos são os agentes de transformação. As tecnologias são as ferramentas de apoio à geração e comunicação do conhecimento. As PMEs e micro empresas são os agentes criadores de novos serviços e processos.• O modelo de Living Lab Urbano contribui para gerar e localizar conhecimento, experiência e criação de riqueza.
  20. 20. Evolução da Smart City Infraestruturas 21
  21. 21. Evolução das Smart Cities Participação dos cidadãos 22
  22. 22. Human Smart Cities (1/2)• A “Human Smart City” é uma cidade onde pessoas – cidadãos e comunidades – são os principais agentes da “inteligência” urbana;• Nesta perspectiva, as pessoas não são obrigadas a adoptar tecnologias que foram seleccionadas e adquiridas pelos munícipios; sendo encorajadas a criarem os seus próprios serviços usando tecnologias disponíveis em soluções simples e frugais.• Uma “Human Smart City” adopta assim serviços que nascem das necessidades reais das pessoas e que são co-desenhadas através de processos interativos, dialogantes e colaborativos. O setor publico e a industria TIC não estão mais bloqueadas numa relação de comprador- vendedor, porque as novas formas de parcerias publico-privada-pessoais estão na base de novas alianças.• Estas novas sinergias abrem novas oportunidades para aqueles que se encontram no mercado TIC e se encontram motivados para participar abertamente no “co-design” de novos modelos de negócios que possam resolver melhor os problemas reais das pessoas no seu quotidiano nas cidades.
  23. 23. Human Smart Cities (2/2)• As administrações locais estão a gradualmente a perceber, após anos de tentativas falhadas para resolver problemas colectivos com soluções pesadas e implementadas de forma “top-down”, que o sector público precisa de redefinir o seu papel. Nesta mudança de “interpretar e comprar” para “ouvir e coordenar”, as cidades precisam de assegurar aos seus cidadãos a oportunidade de conduzirem a transformação em direcção a melhores cidades e estilos de vida.• Nos actuais tempos difíceis, em termos financeiros e sociais, a motivação das pessoas para trabalhar juntas e moldar o seu futuro urbano para fazer face aos desafios sociais, ambientais e cívicos que enfrentam é um recurso de elevado valor que as cidades em dificuldades financeiras não podem ignorar. “Human Smart Cities” são as cidades onde os governos têm políticas e modelos de governação abertos, envolvendo e estimulando os cidadãos a participar na definição dos processos de implementação técnica e social com base na confiança e colaboração recíproca.
  24. 24. Human Smart CitySistema de Saúde Finlandês 25
  25. 25. HUMAN SMART CITY URBAN LIVING LAB RFID Rede de sensores Internet das Coisas Pessoas Serviços emBaseados na Media Localização Lugares e 3D Interação Internet das Pessoas comunitária Internet dos Serviços Networking Composição de Social Serviços Projecto PERIPHÈRIA
  26. 26. HUMAN SMART CITY CIDADES PARTICIPANTES Enquanto 75% da população Europeia vive em cidades e vilas com mais de 5.000 habitantes, apenas 8% do total vive em grandes cidades abrangidas pelo EU’s Urban Audit. Cidades em Cidades Associadas Sponsor Malmö Helsinki Budapest LisbonCidades Bremen La-Ferté-Sous-Jarre Rio de Janeiro LarnacaPiloto Athens Malta Genoa Malaga Palmela Palermo Parceiro Estratégico Bassano del Grappa World Bank Projecto PERIPHÈRIA
  27. 27. HUMAN SMART CITYDAS NECESSIDADES E INTERACÇÕES AOS DESAFIOS Wishes Interests Needs Issues Challenges Projecto PERIPHÈRIA 28 28
  28. 28. HUMAN SMART CITYDOS DESAFIOS ÀS SOLUÇÕES Projecto PERIPHÈRIA
  29. 29. HUMAN SMART CITY EXEMPLOS DE DESAFIOS Campus Inclusivo (Milan) Comportamentos Sustentáveis (Milan) Ajudar deficientes motores a votar(Athens) Campus como Urban Lab (Milano) Serviços Públicos para Áreas Rurais(Palmela) Green Life (Athens)Preparar para os efeitos das mudanças climáticas (Genoa) Ser visto, ser escutado (Malmoe)Engarrafamentos em parques de estacionamento (Bremen) Consumo Colectivo de Energia (Malmoe) Projecto PERIPHÈRIA
  30. 30. LIÇÕES APRENDIDASOs processos de co-criação de serviços requerem um enquadramento institucional para assegurar que o seu impacto persiste no tempo (Co-Sponsoring e Facilitação) O desenvolvimento de ecossistemas de inovação Living Lab requer uma monitorização constante da coerência das actividades realizadas.Plataformas de serviços convergentes de Future Internet precisam de combinar as duas dimensões: a tecnológica e a social. O empenho de partes interessadas na co-criação de tecnologias de Future Internet deve providenciar uma motivação substancial e relevante e orientar o pontencial tecnológico para o contexto social e político.A remodelação ampla e ambiciosa da estrutura dos serviços de uma Smart City requer aborgagens top-down como bottom-up, com um papel-chave na avaliação dos impactes. Projecto PERIPHÈRIA
  31. 31. Human Smart City MyNeighbourhood VisionUma Smart City usa novas tecnologias para reconectar pessoas, recriarcomunidades e tornar a cindade num lugar mais saudável, feliz e inteligentepara viver.Na vizinhança de MyNeighbourhood os valor passados de conectividadesocio-espacial são re-criadas graças à abordagem LL mas também à ligação epoder de empenho das TICs existentes quando elas são devidamenteapropriadas pelas pessoas.Na vizinhança de MyNeighbourhood são criadas condições socio-digitaisque permitem que a Gemeninschaft comunitária urbana (a ligação próximaentre pessoas, os seus espaço de habitação e as suas preocupaçõesmateriais, sociais e ambientais) voltam à vida e crescem até à escala urbana. 32
  32. 32. Fases do MyNeighbourhoodFases Construir Delegar “Escalar”Social Desejos, Interesses Soluções Transformação e Necessidaes Gestão de App Workshop AnalyticsTecnologia Necessidades Jogo Social Network Social Criar vizinhanças Fornecer Promover o comunitárias que ferramentas de crescimento de trabalham em inovação e dados novos serviços de conjunto para para as vizinhanças locais e aumentar a solucionar as usarem na criação escala para obter necessidades locais dos seus próprios uma transformação 33 serviços social na cidade
  33. 33. MyNeighbourhood Transformação comportamentalINGREDIENTES Constelações Living Labs Gamification Analytics Open Data SociaisTRANSFORMAÇÃO SOCIAL Modelos Metodologias Plataforms Benchmark Serviços 34
  34. 34. Connected Smart Cities Network• Connected Smart Cities Network was launched in Helsinki on November 18th, 2010 by the Mayors of Helsinki , Amsterdam, Manchester, Lisbon and Barcelona .It is an Network that is open to other cities in Europe and Beyond. It is planned to achieve 70 cities membership by the end of 2012.• Connected Smart Cities Network vision is to support the innovative transformation of our cities in order to tackle the major societal challenges faced by Europe, such as sustainable mobility, climate change, energy security health and ageing.• Connected Smart Cities Network aims to establish collaboration mechanism through which the Cities across Europe engage in long-term collaboration for adopting User Driven Open Innovation and Social Innovation to experiment and explore the opportunities of Open Data, Open Governance and Future Internet 35
  35. 35. Cidades Inteligentes na Europa 36
  36. 36. Agenda Digital Europeia da Inovação (2013 - 2020)• Foco na Inovação Social (Europa 2020)• Programa integrado da Ciência à Inovação (Horizon 2020)• Envolvimento dos cidadãos,consumidores,usuários (Living Labs)• Open data. Open Government.( Participação)• Cidades Inteligentes (Human Smart Cities)• Forte apoio às PMEs e microempresas (Inovação Europa)• Apoio ao empreendorismo.Incubadoras e aceleradoras de empresas (Capital de Risco)• Regiões Inteligentes (Regional Smart Specialization)• Projetos de grande dimensão ( PPP)• Integração de diferentes instrumentos de financiamento• Reforço da cooperação Internacional 37
  37. 37. GPPQ - Gabinete de Promoção do 7º Programa-Quadro de I&DT Horizon 2020 7º Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico (2007-2013) Objectivos e EstruturaHorizonte 2020 - Estrutura e Objectivos Industrial Societal Reflecte as prioridades da Assegurará a liderança Estratégia 2020. Focalizado nas industrial em matéria de Leadership Challenges grandes preocupações partilha- inovação. Inclui um das por todos os europeus. importante investimento 20,2b€ 35,8b€ em tecnologias essenciais (Key Industrial technolo- gies), bem como um maior apoio às PME. Excellent Science 27,8b€ Apoiará a posição da UE como líder mundial no domínio da ciência 38
  38. 38. Smart Specialization vs. Living Labs Regionais (1/2) Smart Specialization – Enfoque do apoio de políticas e investimentos em prioridades- chave, desafios e necessidades de desenvolvimento de conhecimento de ambito nacional/regional, incluindo medidas relacionadas com TICs; – Focam-se nas vantagens competitivas e no potencial de excelência da regiões; – Apoio à inovação tecnológica, com o objectivo de estimular investimentos do sector privado; – Envolver, engajar e motivar cidadãos. Encorajar inovação e experimentação; – Baseia-se em provas reais, e utiliza sistemas de monitorização e avaliação.Source: RIS3 Guide: Novelties of the approach, Dr Ruslan Rakhmatullin 39
  39. 39. Smart Specialization vs. Living Labs Regionais (2/2) Living Labs– Ecosistemas de Investigação e Inovação focados em prioridades, necessidades e recursos disponiveis para desenvolvimento baseado em conhecimento, criação de emprego e crescimento de negócio;– Centrado no cidadão, abertura, co-criação e colaboração, confiança e transparência são valores centrais dos Living Labs;– Cultura de Design thinking. Criatividade. Ambiente de TICs promovem colaboração;– Todos os atores de inovação: investigação, empresas, financiamento e política são envolvidos desde a fase inicial e assumem a co-criação e co-proprieade dos resultados;– Inovação aberta guiada pelos utilizadores. Co-design e co-criação aplicados as vantagens regionais e potenciais de sucesso;– Abordagens científicas, tecnológicas e inovadoras com o objectivo de estimular oportunidades de negócio. Facilitação do processo de inovação.– Os Living Labs regionais utilizam práticas de monitorização e avaliação por forma a garantir factores de sucesso que estimulam mais crescimento. 40
  40. 40. Human Smart Cities Living Labs Urbanos• Infraestrutura de sensorização e rede de comunicações abertas• Dados abertos. Serviços públicos e outros serviços. Interacçãos com os cidadãos. Co-design e co-criação. Design thinking.• Ecossistema de inovação. Agindo como "drivers" e "enablers" de inovação aberta conduzida pelos utilizadores, irão ser as plataformas das transformações sociais do futuro. Novos ambientes de criatividade trabalho. Trabalho colaborativo, coworking. Customização em massa. Mudança comportamental. Condições atractivas.• Procura dinâmica da melhoria e sustentabilidade da qualidade de vida e bem-estar social: ambiente, saúde, trabalho, educação, cultura, entretenimento, necessidades essenciais, etc.• Boa governação. Transparência. Participação dos cidadãos. Inclusão social. Segurança e privacidade dos cidadãos.• Tecnologias de Future Internet e metodologias de participação colaborativa Living Labs e Inovação Social são os ingredientes do eco-sistema do Living Lab urbano que transformará a cidade atual na "HUMAN SMART CITY” onde a cultura de co-design e co-criação estimula a participação e colaboração ativa dos cidadãos reforçando emocionalmente o sentimento de pertença, de identidade e bem-estar de uma SOCIEDADE MELHOR E MAIS FELIZ.
  41. 41. Living Labs em Portugal Recomendações• Apoiar a criação da Rede Portuguesa de Living Labs e estimular a sua ligação à ENoLL, ás suas redes temáticas e aos LLs internacionais nomeadamente o Brasil• Estimular e apoiar o desenvolvimento de um plano de acções para Living Labs a incluir nos objectivos programáticos do Sistema de Inovação• Incentivar o aparecimento de Living Labs noutros domínios em partícular nas “Human Smart Cities” e Living Labs territoriais• Utilizar a oportunidade de novas políticas europeias de inovação, nomeadamente o Horizon 2020 e o “Smart Specialization” 42
  42. 42. Obrigado Álvaro de Oliveira alvaro.oliveira@alfamicro.ptTelefone: +351 21 486 67 84Skype: alvaroduarteoliveiraTwitter: @openlivinglabsFacebook: ENoLL European Network of Living Labs 43

×