Espermograma - dicas, truques, importância do espermograma bem feito.

2,455 views

Published on

Espermograma - dicas, truques - importância do espermograma bem feito - em laboratório focado em análises seminais.

Published in: Health & Medicine
  • Be the first to comment

Espermograma - dicas, truques, importância do espermograma bem feito.

  1. 1. Divisão de Clínica Urológica Análise Seminal
  2. 2. Divisão de Clínica Urológica Objetivos •Aspectos técnicos •Análise macroscópica •Análise microscópica •Testes avançados em análise seminal •Função espermática
  3. 3. Divisão de Clínica Urológica Aspectos técnicos 1. Abstinência – 2 a 7 dias 2. Duas amostras – 7 dias de intervalo Variação de 25% ao dia na concentração espermática (Carlsen, et al 2004) 3. Coleta por masturbação, sem lubrificação motilidade
  4. 4. Divisão de Clínica Urológica Aspectos técnicos 1. Abstinência – 2 a 7 dias 2. Duas amostras – 7 dias de intervalo Variação de 25% ao dia na concentração espermática (Carlsen, et al 2004) 3. Coleta por masturbação, sem lubrificação motilidade Vibroestimulação •Trauma raquimedular •Reflexo ejaculatório preservado(T10) •Disreflexia autonômica •Pouco invasivo Eletroejaculação •Estímulo direto sobre plexo periprostático •Falha na vibroestimulação •TRM abaixo de T10 •Linfadenectomia retroperitoneal •Neuropatia diabética •Anestesia geral
  5. 5. Divisão de Clínica Urológica • Análise Macroscópica PARMETROS VALORES NORMAIS ANORMALIDADES SIGNIFICADO CLINICO pH >7,2 Acidez Alt. de vesículas seminais/ Obstr. do ducto ejaculatório Volume 1,5-4ml <1,5ml:hipoespermia Alt. Abstinência, ejaculação retrógrada,coleta incompleta Viscosidade rastro de 4mm Hiperviscosidade Diminuição de motilidade Coagulação Coagulação imediata e liquefação em 30’’ Não-coagulação Não-liquefação Ausência de v. seminais Alt. secreção prostática Coloração Acinzentado, perolado Róseo hemospermia
  6. 6. Divisão de Clínica Urológica • Análise Microscópica A) Concentração Referência: 15milhões/ml Indivíduos comprovadamente férteis WHO, 2010 ; Guzick et al 2001 ; Cooper et al 2009
  7. 7. Divisão de Clínica Urológica • Análise Microscópica B) Motilidade Referência: A- rapidamente progressivo B- Progressivo lento C- Móvel não progressivo D- Imóvel WHO 1999 WHO 2010 A+B 50% 32% A+B+C 40% WHO, 2010 ; Guzick et al 2001 ; Cooper et al 2009
  8. 8. Divisão de Clínica Urológica • Análise Microscópica C) Morfologia – método de Kruger Referência: Kruger > 4% Difícil padronização WHO, 2010 ; Guzick et al 2001 ; Cooper et al 2009
  9. 9. Divisão de Clínica Urológica Reação acrossômica na Zona Pelúcida Concentração semelhante Morfologia nl 62% Teratozoospermia 36% Teratozoospermia grave pode indicar FIV em detrimento de IIU
  10. 10. Divisão de Clínica Urológica • Análise Microscópica D) Células Redondas • Leucospermia  1 milhão de leucócitos/ml  Infecção sub-clínica do trato genito- urinário  Alterações potencialmente reversíveis de parâmetros seminais WHO, 2010 ; Guzick et al 2001 ; Cooper et al 2009
  11. 11. Divisão de Clínica Urológica • Testes avançados em análise seminal A) Detecção de anticorpos anti-espermatozóide • 3 tipos:Aglutinante, diminuição da motilidade, espermotóxico • 10% das causas de infertilidade masculina • Suspeita para infertilidade imuno-mediada: • Parâmetros de espermograma normais • Trauma ou afecções cirúrgicas do testículo • Pós vasectomia(prevalência de 65%) McLachlan et al, 2003 Avaliação de AAE rotineira em pacientes submetidos à investigação de infertilidade masculina
  12. 12. Divisão de Clínica Urológica • Testes avançados em análise seminal Causas potencialmente reversíveis: •Tabagismo •Varicocele •Alimentação e estilo de vida B) “DNA damage” • Diversos métodos de avaliação • Causa de infertilidade em 8% dos homens inférteis com parâmetros seminais normais • Índice de fragmentação de DNA >30% associado à redução das taxas de gravidez in vivo (Everson e Wixon, 2002) C) Pesquisa de Radicais Livres •Marcador independente de infertilidade • alterações de parâmetros seminais
  13. 13. Divisão de Clínica Urológica • Testes de função espermática Teste de penetração espermática •Capacidade de penetração espermática •Óvulos de Hamster desprovidos de Zona Pelúcida •Normal 10-30% Interação Zona Pelúcida X espermatozóide •Óvulos humanos descartados •Analisa ativação acrossômica pela zona pelúcida. Índice de penetração espermática •Número de penetrações por óvulo •Menor que 5= ICSI ao invés de FIV

×