Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Análise do sêmen - dicas práticas - Dr Conrado Alvarenga

1,475 views

Published on

Análise seminal completa e dicas práticas

Published in: Health & Medicine
  • Be the first to comment

Análise do sêmen - dicas práticas - Dr Conrado Alvarenga

  1. 1. Sêmen Análise do Sêmen
  2. 2. Importância o Sistema Reprodutor Masculino Testículos Canal Deferente Vesícula Seminal Próstata Uretra Prod. espermatozóides Maturação e Armazenamento Transporte Gl. Secreta líquido alcalino Epidídimo Gl. Responsável pela nutrição Ejaculação do sêmen
  3. 3. Importância o Análise do Sêmen Aspectos Formato adequado (Morfologia), movimentos direcionados (Motilidade), reconhecer e aderir ao óvulo e, posteriormente, penetrar no seu interior para fertilizá-lo. Cabeça Oval. Medindo 3 a 5µm de comprimento, 2 a 3µm de largura e menos de 1,5µm de espessura A peça intermediaria é delgada, curta e retilínea. Medindo de 3 a 5µm. Medindo 50 a 60µm de comprimento. A cauda é um pouco menos delgada do que a peça intermediaria.
  4. 4. Metodologia o Espermograma O espermograma é o exame inicial, o mais importante e o principal parâmetro para avaliar a fertilidade masculina Como é realizado? • O sêmen é obtido por masturbação após um período de abstinência sexual de 2 a 7 dias, • O paciente deve ser instruído para evitar perda de material, • Recomenda-se coletar duas amostras num período de 7 a 90 dias, pois fatores como stress podem interferir no resultado • O material deve ser coletado preferivelmente em laboratório,
  5. 5. Metodologia Neste exame são avaliados as principais características do sêmen:  Liquefação É realizado logo após a ejaculação, colocando a amostra em uma estufa a 37°C, verificando Num intervalo de 5 – 5 minutos até sua liquefação. Normalmente o sêmen se liquefaz em 15 minutos. Em alguns casos a liquefação completa não ocorre em 60 minutos e isto pode indicar uma disfunção da próstata. Quando a amostra não se Liquefaz, colocamos ela em um Vortéx até liquefazer.
  6. 6.  Volume O volume seminal final é diretamente proporcional à quantidade de secreção prostática e das vesículas seminais. O volume é medido com proveta ou pipeta graduada. Hipospermia: Volume menor que 2,0 ml Hiperespermia: Volume maior que 5,0 ml Aspermia: Ausência de ejaculação 46 - 80 % do fluido é produzido por vesículas seminais 13 - 33% pela próstata 5% dos testículos e epidídimo 2 - 5% das glândulas uretrais e bulbouretral
  7. 7.  Aspectos Uma amostra normal tem aparência homogênea e opalescência acinzentada. O aspecto deve ser analisado após liquefação, por simples inspeção  Cor Normalmente o sêmen é branco-opaco, tornando-se translúcido após liquefação.  Viscosidade A viscosidade ou consistência da amostra liquefeita será classificada como normal quando gotas são formadas. No caso de viscosidade anormal verifica-se no processo de gotejamento a formação de um filamento de mais de 2 cm. Viscosidade Diminuída: A amostra se alongará em filetes com menos de 2 cms. Viscosidade Normal: A amostra se desprende da pipeta em gotas. Viscosidade Aumentada: A amostra se alongará em filetes com mais de 2 cms de comprimento.
  8. 8.  Ph Medir o pH do sêmen, através de fita de pH. O pH do sêmen é alcalino Valor Normal: 7,2 a 8,0 pH acima de 8.0 – Deficiência da glândula prostática, ausência de liquefação secundaria. pH Ácido – Deficiência de vesículas seminais, ausência de coagulação. Motilidade Deve ser analisada após 1 horas da coleta, observando os espermatozóides em Lente objetiva de maior aumento. A amostra é homogeneizada em temperatura ambiente. colocando 10μl de sêmen, em uma lamina de vidro limpa e cobrir com uma lamínula. Classificação A: espermatozóides com motilidade rápida, linear e progressiva B: Espermatozóides com motilidade linear ou não linear, lenta C: Espermatozóides com motilidade não progressiva D: Espermatozóides imóveis
  9. 9.  Concentração Atualmente, a concentração dos espermatozóides é medida através de câmaras de contagem. Assim facilita a leitura direta da concentração da amostra de sêmen (milhões por ml) pela simples contagem dos espermatozóides presentes na área. Oligozoospermia: Quando o numero de espermatozóides é menor que 15.000.000/ml. Azoospermia: Ausência de espermatozóides no sêmem. Polizoospermia: Concentração muito acima de 15.000.000/ml  Morfologia estrita (Kruger) A morfologia significa o formato do espermatozóide, e é um parâmetro sensível da qualidade do espermatozóide. É realizado um critério rigoroso de classificação, onde são contados 200 espermatozóides e aqueles potencialmente normais são mensurados com uma régua (micrômetro). São avaliadas: cabeça, pescoço, peça intermediária e cauda.
  10. 10. O ESPERMOGRAMA NORMAL (OMS 2010) Volume ≥ 1,5 ml a 5 ml PH (Acidez) > 7,2 –8 Motilidade Total: ≥ 40% A+B ≥ 32% A+B+C ≥ 40 % Morfologia KRUGER ≥ 4% Vitalidade ≥ 58% Concentração ≥15 MILHÕES Concentração/ejaculado ≥ 39 milhões/ml Parâmetros de Normalidade OMS 2010
  11. 11. Parâmetros Antigos e Atuais OMS
  12. 12. http://www.fertilidadedohomem.com.br/fertilidade-masculina.html http://www.infertilidademasculina.com.br/atexto.php?cod=292&sec=6 http://www.crh.com.br/crh.asp?pasta=33&texto=35 http://www.ebah.com.br/content/ABAAABe4IAA/espermograma-analise-semem http://www5.usp.br/?s=analise%20de%20semen&busca=g http://drauziovarella.com.br/homem-2/deficiencia-de-testosterona/ Referências Bibliográficas

×