Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

PEELING DE OLHEIRAS

8,470 views

Published on

Published in: Science
  • Be the first to comment

PEELING DE OLHEIRAS

  1. 1. FACULDADE METROPOLITANA DA GRANDE FORTALEZA CURSO TECNÓLOGO DE ESTÉTICA E COSMÉTICA DRENAGEM FACIAL E PEELING DE TIOGLICÓLICO NO TRATAMENTO DE HIPERPIGMENTAÇÃO PERIORBICULAR FORTALEZA 2014
  2. 2. MARIA AUGUSTA MAGALHÃES CAMURÇA MARIA DA CONCEIÇÃO MARTINS TIMBÓ NADJA SOUSA MONTEIRO DRENAGEM FACIAL E PEELING DE TIOGLICÓLICO NO TRATAMENTO DE HIPERPIGMENTAÇÃO PERIORBICULAR Trabalho apresentado ao Curso Tecnólogo de Estética e Cosmética da Faculdade Metropolitana da Grande Fortaleza - FAMETRO, como requisito parcial para aprovação na disciplina de Projeto Integrador II, sob orientação da (s) professoras Aline Brito, Graduada em Fisioterapia; Bacharel pela Faculdade de Ensino e Cultura do Ceará - FAECE e Especialista em Diabetes pela Universidade Federal do Ceará – UFC e Lucilene Cavalcante de Paula, Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal do Ceara- UFC e mestrado em Psicologia pela Universidade de Fortaleza - UNIFOR. FORTALEZA 2014
  3. 3. LISTA DE FIGURAS Figura 1 - Foto retirada para iniciar o tratamento (J.B.F) ..................................... 12 Figura 2 - Foto da primeira sessão (J.B.F)........................................................... 12 Figura 3 - Foto da segunda sessão (J.B.F) .......................................................... 13 Figura 4 - Foto da quinta sessão (J.B.F) .............................................................. 13 Figura 5 - Foto retirada para iniciar o tratamento (E.C.O.S)................................. 14 Figura 6 - Foto da primeira sessão (E.C.O.S) ...................................................... 14 Figura 7 - Foto da segunda sessão (E.C.O.S) ..................................................... 14 Figura 8 - Foto da quarta sessão (E.C.O.S)......................................................... 13
  4. 4. LISTA DE APÊNDICE Apêndice 1: Ficha de Anamnese Facial ................................................................19
  5. 5. SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO.....................................................................................................6 2 OBJETIVOS.........................................................................................................9 2.1 Geral ..............................................................................................................9 2.2 Específicos.....................................................................................................9 3 METODOLOGIA ................................................................................................10 3.1Tipo de estudo ..............................................................................................10 3.2 Local do estudo............................................................................................10 3.3 População e amostra ...................................................................................10 3.4 Instrumentos de coleta de dados .................................................................10 3.5 Análise dos dados........................................................................................10 3.6 Materiais.......................................................................................................11 3.7 Procedimentos .............................................................................................11 4 RESULTADOS E DISCUSSÓES.......................................................................12 4.1 Resultados da primeira colaboradora: J.B.F ................................................12 4.2 Resultados da segunda colaboradora: E.C.O.S...........................................14 5 CONCLUSÃO ....................................................................................................16 REFERÊNCIAS.....................................................................................................17 APÊNDICE............................................................................................................18
  6. 6. 6 1 INTRODUÇÃO A hiperpigmentação periorbicular, mais conhecida como olheira, além de propiciar um aspecto de cansaço e de envelhecimento em quem a possui, pode provocar importante impacto na qualidade de vida das pessoas. De acordo com Kadunc; Palermo; ET. AL, 2012 classifica as olheiras em três grandes grupos: por deposição de pigmento melânico, por Intertransparência da pele com visibilidade de vasos e musculatura ou por alterações de relevo nas pálpebras inferiores. De acordo Cymbalista, 2012; Ribeiro; 2010, o acometimento maior acontece em indivíduos de pele, cabelos e olhos mais escuros, de qualquer idade, independente do sexo, havendo presença de pigmento melânico e hemossiderótico nos locais acometidos. Mas a maior queixa é por parte das mulheres, justifica-se por ter uma variação hormonal em vários períodos da vida como: menstruação, gravidez, menopausa, uso de anticoncepcionais, e que também são possíveis causas de estimulação da deposição de melanina na pele ocasionando as tão indesejadas olheiras. Outras razões podem ser de origem genética, a exposição solar cumulativa, tabagismo, etilismo ou privação de sono. Em alguns casos, pode aparecer precocemente, muitas vezes ainda na infância, em pessoas de grupos étnicos como árabes, turcos, hindus e ibéricos, visualizam- se os vasos dilatados por transparência, que são a liberação de íons férricos locais que formam radicais livres que estimulam os melanócitos, gerando pigmentação. O mecanismo importante no desenvolvimento da olheira está relacionado à microcirculação lenta. A pele das pálpebras é mais fina e mais flexível que o restante do corpo devido à redução de colágeno, elastina e glicosaminaglicanas. O que separa os vasos sanguíneos da pele são 3 bolsas de gordura que todos nós apresentamos ao redor dos olhos na parte inferior das pálpebras. Logo, sempre que estamos cansados por dormirmos pouco, ocorre vasodilatação e, como aumenta o aporte sanguíneo para essa área, aparecem às olheiras. Condições como congestão, hiperemia e outras quaisquer alterações circulares são prontamente visíveis. Fatores ambientais, incluindo a radiação ultravioleta, envelhecimento cronológico, o estresse físico e emocional, além de reações alérgicas e atópicas podem favorecer a liberação de mediadores inflamatórios, que afetam a permeabilidade vascular. Dentre as afecções, a rinite alérgica provoca estase venosa da pálpebra devido ao edema prolongado da mucosa nasal e paranasal, que é agravada pelo espasmo alérgico do músculo de Muller (músculo superior palpebral), afetando a drenagem venosa das pálpebras (EBERLIN et al.,
  7. 7. 7 2009; OSHIMA et al., 2009; CYMBALISTA; BECHARA; GARCIA, 2012; OHSHIMA; TAKIWAKI, 2008). BRAZ, 2014. “Na formação do edema, há o extravasamento de eritrócitos que sofrem hemólise, liberando hemoglobina que, ao ser decomposta, libera hemosiderina (pigmento férrico de cor parda) que se deposita nos tecidos circundantes. Isso promove o aumento das sombras perioculares e a formação de anéis concêntricos pardos.” RIBEIRO; (2010). Amplamente empregado na cosmética, o ácido tioglicólico é umectante, esfoliante e muito usado no tratamento dos cabelos e redução de rugas de expressão. Usado inicialmente na cosmética como um depilatório, uso que permanece até os dias de hoje, é o responsável pelo odor desagradável de alguns cremes depilatórios, e atua no enfraquecimento do pelo, tornando mais fácil sua remoção. Se apresenta na forma de loção, creme e gel. SOUZA E COLS. (2007, p.30, 528). O tratamento de olheiras proposto neste estudo é uma terapia combinada de drenagem linfática facial com peeling de ácido tioglicólico a 5%. Trata-se da aplicação de uma drenagem linfática facial, maneira eficaz de tirar o inchaço do rosto e atuar no combate as olheiras, com duração em média, de 10 a 15 minutos, técnica de massagem realizada com os dedos que tira o excesso de líquido e toxinas do rosto e do pescoço, deixando a pele com uma aparência mais jovial e, também uso do tioglicólico 5% que além de ser um potente clareador, foi descoberto recentemente como suavizador de olheiras. Sua afinidade com ferro semelhante à apoferritina permite-lhe a capacidade de quelar o ferro da hemossiderina, ou seja, vai absorver e capturar o ferro, facilitando sua eliminação. O tioglicólico funciona em pigmentos na pele, derivados de sangue. As olheiras acastanhadas são decorrentes da hemociderina, que é um depósito de ferro do sangue. O neutralizante usado é à base de bicarbonato de sódio a 10%, por ser alcalino, agirá neutralizando os efeitos do peeling, bloqueando sua ação, mas também pode ser neutralizado com água. A combinação ácido com uma base faz com que um anule a propriedade do outro. Essa técnica de neutralização é utilizada para ácidos que precisam ser retirados rapidamente, devido ao seu intenso poder abrasivo.
  8. 8. 8 O pós peeling é composto por Lactorine Fluid, hidrocortisona, vagelip e óleo de framboesa. O Lactorine Fluid que é derivado do leite e que atuará na regulação dos melanócitos, pelo envio de sinais para a redução da síntese de melanina, contribuindo para que a pele tenha uma pigmentação regular. Usado em formulações clareadoras e para uniformizar a pigmentação da pele, além de ter ação revitalizante, minimiza o estresse celular e possui potente ação antinflamatória. Por conter hidrocortisona que é um corticosteroide derivado do cortisol (família dos esteróis), agirá combatendo possíveis alergias, além de também agir como anti-inflamatório. O Vagelip é um composto altamente emoliente e nutritivo, rico em ácidos graxos essenciais, possuindo capacidade regenerativa e juntamente com o óleo de framboesa (que contêm as mesmas propriedades) forma uma barreira cutânea deixando a pele mais hidratada. O objetivo deste estudo é analisar a eficácia do Tioglicólico a 5% no clareamento de olheiras para proporcionar clareamento na região periorbicular.
  9. 9. 9 2 OBJETIVOS: 2.1 Geral:  Avaliar a melhoria estética após tratamento da hiperpigmentação periorbicular “olheiras” no contorno das pálpebras inferior e superior, utilizando a técnica de aplicação do ácido tioglicólico com segurança, objetivando uma boa qualidade de vida das nossas colaboradoras, além de resultados estéticos comprovados. 2.2 Específicos:  Analisar a eficácia do ácido tioglicólico no clareamento de olheiras para proporcionar clareamento na região periorbicular.
  10. 10. 10 3 METODOLOGIA O método aplicado na realização desta pesquisa é de natureza qualitativa descritiva (SEVERINO, 2007). A realização da pesquisa bibliográfica realizou-se através de livros e busca eletrônica em ambiente da Web através do Google acadêmico por meio de palavras-chave e envolvendo um conjunto de artigos científicos publicados. O universo investigado alcançou uma média de 8 artigos, destes apenas 3 foram categorizados segundo a principal área de concentração da pesquisa. Em seguida foram identificados os principais autores destas publicações e ainda da Sociedade Brasileira de Dermatologia. 3.1Tipo de estudo  Estudo de caso comparativo, com pesquisa descritiva. 3.2 Local do estudo  Laboratório de Estética Corporal da Faculdade Metropolitana da Grande Fortaleza – FAMETRO 3.3 População e amostra  Duas colaboradoras 3.4 Instrumento de coleta de dados  Ficha de anamnese facial e fotos 3.5 Análise dos dados  Comparativo
  11. 11. 11 3.6 Materiais Peeling de Tioglicólico a 5%, neutralizante e pós-peeling, gel de limpeza facial glicoativo, papel toalha, algodão, água, álcool a 70%, maca, máscara, gorro, luvas, protetor solar, fps 30. 3.8 Procedimentos Este trabalho se desenvolveu no laboratório de estética corporal da Faculdade Metropolitana da Grande Fortaleza no período de 18/03/2014 a 29/04/2014, com duas colaboradoras do sexo feminino, com olheiras bem aparentes, e causas não investigadas e de possibilidade genética. Em um primeiro momento foi aplicada uma Ficha de Avaliação Estética. No segundo momento, deitou-se em decúbito dorsal, com maca higienizada com álcool a 70%, e iniciou-se a drenagem facial por 10 a 15 minutos, posteriormente aplicou-se o peeling de tioglicólico por 3 minutos nas pálpebras e região inferior dos olhos, logo após, neutralizado e removido com algodão embebecido em água, aplicou-se o pós peeling, ao secar foi aplicado o protetor solar. De início o tratamento realizou-se em 5 sessões na colaboradora J.B.F, e 4 sessões na colaboradora E.C.O.S, sendo uma por semana, objetivando a máxima eficiência. Foram necessários alguns cuidados como: não coçar, não aplicar maquiagem, não remover a pele caso descame e aplicação de protetor solar a cada três horas. As sessões sempre iniciaram com higienização facial, seguida de drenagem facial e aplicação dos produtos do peeling: ácido tioglicólico a 5%, neutralizante e pós peeling.
  12. 12. 12 4 RESULTADOS E DISCUSSÃO O primeiro relato tem como base a aparência visual da olheira, que não possuía comprovação laboratorial ou médica de causa da hiperpigmentação periorbicular, mas baseado nos relatos da Ficha de Avaliação Estética havia histórico genético, insônia e uso de anticoncepcional. Resolvemos fazer o uso do ácido tioglicólico por este ter característica clareadora e para analizar sua efetividade em qualquer tipo de olheiras. 4.1 Resultados da primeira colaboradora: J.B.F Figura 1 - Foto retirada para iniciar o tratamento (J.B.F) A primeira colaboradora J.B.F, 28 anos, fototipo IV, tem olheiras há 2 anos, relata histórico familiar, toma anticoncepcional, aplica maquiagem e protetor solar FPS 50 diariamente, tem melasma e nunca fez tratamento pra olheiras. Logo na primeira sessão (11/03/14) houve clareamento notório. Sem nenhum relato de ardor ou outro sintoma nos dias seguintes à aplicação. Figura 2 - Foto da primeira sessão (J.B.F) 11/03/2014 18.02.2014J.B.F J.B.F 1ª sessão
  13. 13. 13 Figura 3 - Foto da segunda sessão (J.B.F) Na segunda sessão ao compararmos com a primeira foto, é notória uma grande redução na área atingida, sendo relatado ardor, prurido e leve edema e descamação no local. A cada sessão que ia se seguindo a sensibilidade da área também aumentava e os sintomas permaneciam no dia posterior à aplicação. Por causas pessoais da colaboradora não foi possível realizar as sessões consecutivas, mas esta pausa não interferiu na eficácia e nos resultados que havíamos conseguido no tratamento. Na última sessão houve um diferencial, não realizamos a Drenagem Facial apenas o uso do ácido. Figura 4 - Foto da quinta sessão (J.B.F) Observamos que em todas as sessões o clareamento se tornava mais aparente e de forma progressiva. 18/03/2014 J.B.F 2ª sessão 5ª sessão J.B.F 05/05/2014
  14. 14. 14 4.2 Resultados da segunda colaboradora: E.C.O.S Figura 5 - Foto retirada para iniciar o tratamento (E.C.O.S) A segunda colaboradora E.C.O.S, 20 anos, fototipo III, tem olheiras há 4 anos, histórico familiar, toma anticoncepcional, usa filtro solar FPS 60 uma vez ao dia, nunca fez tratamento pra olheiras, já fez limpeza de pele + peeling facial. Na primeira sessão houve clareamento notório, sem relatos de ardor ou outro sintoma nos dias seguintes à aplicação. Figura 6 - Foto da primeira sessão (E.C.O.S) Figura 7 - Foto da segunda sessão (E.C.O.S) 11/03/2014 18/03/2014 18.02.2014E.C.O.S E.C.O.S E.C.O.S 1ª sessão 2ª sessão
  15. 15. 15 Também na segunda sessão notamos redução de forma progressiva se comparada à primeira, relatou sentir ardor e prurido. Também com aumento de sensibilidade na área. Figura 8 - Foto da quarta sessão (E.C.O.S) Na quarta também houve clareamento comparado a primeira foto e com os mesmos relatos. O tratamento foi interrompido por problemas de saúde, sendo realizada somente 4 sessões. E.C.O.S 26.03.2014 4ª sessão
  16. 16. 16 CONCLUSÃO O peeling de ácido tioglicólico 5% apresenta-se como ferramenta terapêutica segura, eficiente no clareamento de olheiras e de baixo custo no tratamento da hiperpigmentação periorbicular. Não há a pretensão de ser um tratamento único e milagroso para essa dermatose, mas sem dúvida alguma, pode ser um aliado visando uma melhora aparente. Cabe lembrar, também, que mudanças nos hábitos de vida, tais como: boa alimentação, evitar o tabagismo, praticar atividades físicas e dormir o suficiente, tem fundamental importância, atuando como aliado no tratamento proposto, e é necessário que essas informações façam parte das orientações do esteticista para as colaboradoras, no momento da proposição do plano terapêutico. O tratamento estético aplicado, efetivamente promove a visível suavização das olheiras e, de acordo com o relato das colaboradoras, estão muito satisfeitas com o resultado obtido até o momento. Conclui-se que o tratamento no clareamento de olheiras através do peeling de ácido tioglicólico possui resultados positivos e satisfatórios.
  17. 17. 17 REFERÊNCIAS: Belcol em revista, Especial olheiras. Edição 63, p. 22-23, Janeiro-fevereiro 2012. CYMBALISTA, C. Natália; GARCIA, Renato; BECHARA, J. Samir.Classificação etiopatogênica de olheiras e preenchimento com ácido hialurônico: descrição de uma nova técnica usando cânula. FMUSP, São Paulo – SP – Surgical & Cosmetic Dermatology, v. 4, n. 4, p. 315-321, 2012. DRAELOS, Z. D. Cosmecêuticos. 2 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009. GOMES, R. K.; DAMAZIO, M. G. Cosmetologia: descomplicando os princípios ativos. 3 ed. São Paulo: Livraria Médica Paulista, 2009. GONCHOROSKI, D. D.; CORREA, G. M. Tratamento de hipercromia pós- inflamatória com diferentes formulações clareadoras. Informa, v.17, n. 3/4, 2005. HERNANDEZ, M.; FRESNEL, M. M. Manual de Cosmetologia. 3 ed. Rio de Janeiro: Revinter, 1999. NUNES, F. Livia; SIMON, Angela; KUPLICH, Mônica. Abordagens estéticas não invasivas para a hiperpigmentação orbital. RIES, ISSN 2238-832X, Caçador, v.2, n.2, p. 93-106, 2013. Revista Personalité - A estética com ciência. Vilãs da Beleza, Olheiras exigem tratamento e cuidados. Especial 2013, n° 79, p.26. RIBEIRO, C. J. Cosmetologia aplicada a dermocosmética, 2 ed. São Paulo: Pharmabook, 2010. SAMPAIO, S.; RIVITTI, E. A. Dermatologia. 3 ed. São Paulo: Artes Médicas, 2008. SOUZA E COLS. Química Nova, 2007, 30, 528. KADUNC, Bogdana. PALERMO, Eliandre., et al. Tratado de Cirurgia Dermatológica, Cosmiatria e Laser da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Elsivier Editora Ltda, Rio de Janeiro, 2012. Tratamento de Olheiras pág 35. KEDE, M. P. V.; SABATOVICH, O. Dermatologia Estética. 2 ed. São Paulo: Atheneu, 2009.
  18. 18. 18 APÊNDICE
  19. 19. 19 1 Ficha de Anamnese facial FICHA DE ANAMNESE FACIAL DADOS PESSOAIS DATA: Nome: _____________________________________________________________________ Idade: _________________ Data de Nascimento: _____________________ Sexo 〹 F〹 M HISTÓRICO Fez tratamento estético anterior? � Sim � Não Fez cirurgia estética? � Sim � Não Quais? ________________________ Fez outras cirurgias? � Sim � Não Quais? ___________Quando?______ Antecedentes alérgicos? � Sim � Não Quais? __________________________ Padece de alguma doença? � Sim � Não Qual? _________________________ Patologia dermatológica? � Sim � Não Qual? _________________________ Toma algum medicamento? � Sim � Não Quais? _________________________ Usa método anticoncepcional? � Sim � Não Qual? _________________________ Ciclo menstrual regular? � Sim � Não Data do ultimo ciclo: _____________ Faz uso de reposição hormonal? � Sim � Não Qual? ___________________________ É gestante? � Sim � Não Filhos? � Sim � Não Quantos? ______ Já fez ou se encontra em dieta? � Sim � Não Que tipo? ________________________ Ingere líquidos com freqüência? � Sim � Não Quanto?__________________________ Pratica esportes? � Sim � Não Qual?____________________________ Fumante? � Sim � Não Etilista (bebida alcoólica)? � Sim � Não Possui prótese metálica? � Sim � Não Local? _________________________ É portador de marca passo? � Sim � Não Tem prótese dentária? � Sim � Não Tem diabete? � Sim � Não Obs.? ___________________________ Problema de pressão? � Sim � Não Obs.? _________________________ Portador de epilepsia? � Sim � Não Obs.? __________________________ Problema nasal ou bucal? � Sim � Não Obs.? __________________________ Funcionamento intestinal regular? � Sim � Não Obs.? ___________________________ Já fez tratamento com ácidos? � Sim � Não Qual? __________________________ Hereditariedade de acne? � Sim � Não Costuma tomar sol? � Sim � Não Duração? _______________________ Usa protetor solar? � Sim � Não Obs.? __________________________ Faz uso de maquiagem � Sim � Não Qual? __________________________
  20. 20. 20 Se sim, com que regularidade? � todos os dias � final de semana � mais de uma vez ao dia � eventualmente Faz a remoção da maquiagem? � Sim � Não Como?_________________________ Lesões? � Sim � Não Qual? __________________________ Costuma permanecer muito tempo sentada? � Sim � Não Costuma dormir quantas 8 horas por dia? � Sim � Não Se não. Quantas horas dorme?-- Tem olheiras há quanto tempo? __________________________ Já fez algum tratamento pra olheiras � Sim � Não Qual? __________________________ Teve resultado? � Sim � Não Qual? __________________________ Alguém da família tem olheiras? � Sim � Não Qual Parentesco? ________________ TPM � Irritação � Distúrbios de humor � Edemas � Distúrbios do Sono � Distúrbios digestivos SISTEMA CIRCULATÓRIO � peso nas pernas � hematoma com facilidade � varicose � sensação de queimação � extremidades frias HÁBITO ALIMENTAR � legumes � verdura � Fibras � Carne � frutas �refrigerante � Doces/chocolates CUIDADOS DIÁRIOS COM A FACE: ______________________________________________________________________________
  21. 21. 21 Com que sabonete costuma lavar a face? ____________________________________________ Usa filtro solar? Quantas vezes ao dia? _____________________________________________ Usa algum produto à noite? ______________________________________________________ Manchas: �Acromia � Hipocromia � Hipercromia � Efélides � Cloasma � Melasma Alterações vasculares �Petéquias �Cianose �Eritema �Telangiectasia �Hematoma Formações sólidas Pápula � Sim � Não Local? _____________________________________ Millium � Sim � Não Local? _____________________________________ Comedão aberto � Sim � Não Local? _____________________________________ Comedão fechado � Sim � Não Local? _____________________________________ Verruga � Sim � Não Local? _____________________________________ Nódulo � Sim � Não Local?_____________________________________ Seqüelas Cicatriz � Sim � Não Local? ______________________________________ Lesões de pele Escama � Sim � Não Local? _______________________________________ Pêlos Hirsutismo (crescimento excessivo do pelo): � Sim � Não Local? __________________________________________________________ Hipertricose (excesso de pelo pela face/corpo): � Sim � Não Local? __________________________________________________________ Pigmentação � Branca � Morena � Negra Flacidez � Sim � Não
  22. 22. 22 Acne: � grau I � grau II � grau III � grau IV Grau de oleosidade �Normal � Oleosa �Mista �Seca Hidratação �Hidratada �Semi-hidratada �Desidratada Poros � dilatados � não dilatados Espessura �Fina �normal �espessa Envelhecimento � Leve � Moderado � Avançado � Severo Outros dados de importância _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________ Orientação de cuidados para precaução e auxilio do tratamento _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________
  23. 23. 23 Data Procedimento Realizado Esteticista Colaboradora Termo de Responsabilidade Estou ciente e de acordo com todas as informações acima relacionadas. ------------------------------------------ Local e data ------------------------------------------- Assinatura Cliente Assinatura do Cliente:_____________________________________ RG:_________________________ Data:________________________ Assinatura do Profissional: __________________________________ Assinatura das Acadêmicas responsáveis. ------------------------------------------------- Nadja Sousa ------------------------------------------------- Maria Augusta Camurça --------------------------------------------------- Maria da Conceição M. Timbó

×