Como fazer da modelação de processos um exercício útil e eficiente?<br />Jorge Coelho<br />Prof. Aux. Convidado U. Minho, ...
A modelação de processostantopode ser um exercícioaltamentebenéficocomoaltamentepenoso.<br />É fácilencontrar boas e másex...
O conceito de processo: artefacto de modelaçãoorganizacionaloutécnica de melhoria
As dificuldadessão de naturezatécnica (modelos, técnicas) ouorganizacional (relacional, abordagem)
Algumas boas práticas/ Conclusões</li></ul>Tema para discussão<br />
Conclusões do workshop<br />As motivaçõespara o desenho de processos versus expectativas<br />O conceito de processo<br />...
As necessidades de conhecimento em BPM variam consoante a experiência de cada um.<br />Existe um número significativo de p...
	No sentido de fazer desta apresentação um documento de apoio, encontram-se vários slides que não vou comentar em detalhe,...
Conclusões do workshop<br />As motivaçõespara o desenho de processos versus expectativas<br />O conceito de processo<br />...
As motivaçõespara o desenho de processos versus expectativas<br />
As motivaçõespara o desenho de processos versus expectativas<br />
As motivaçõespara o desenho de processos versus expectativas<br />
As motivaçõespara o desenho de processos versus expectativas<br />
Conclusão fundamental<br />	Não faz sentido partir para um trabalho de levantamento ou mapeamento de processos sem ter bem...
Conclusões do workshop<br />As motivaçõespara o desenho de processos versus expectativas<br />O conceito de processo<br />...
O conceito de processo<br />
O conceito de processo<br />
O conceito de processo:<br />
O conceito de processo:<br />
O conceito de processo<br />
O conceito de processo<br />
O conceito de processo<br />
O conceito de processo<br />
O Conceito de processo<br />
O conceito de processo:<br />
O conceito de processo<br />
O conceito processo<br />
O conceito de processso<br />Arquitectura organizacional<br />Modelo de Contexto Externo<br />( Estratégico )<br />Competê...
Quadro de referência da intervenção organizacional<br />Businesstransformation<br />
ValueChain<br />Valuestream<br />Processos de Gestão<br />Processos core ou principais<br />Processos de suporte<br />Mode...
Put a little differently, Enterprise Architecture has focused too narrowly on defining and cataloging IT resources and too...
É importante distinguir<br />Modelação estratégica<br />de<br />Modelação de processos<br />conclusões<br />
Conclusões do workshop<br />As motivaçõespara o desenho de processos versus expectativas<br />O conceito de processo: arte...
Técnicas de modelação<br />The different process models are:<br />- Hierarchical Process Flow Models<br />- End to End Pro...
 Técnicas de modelação<br />11-02-2011<br />Jorge Coelho<br />BPM & Reengenharia de Processos<br />
Técnicas de modelação<br />
Técnicas de modelação<br />
Técnicas de modelação<br />
Técnicas de modelação<br />
Técnicas de modelação<br />
Técnicas de modelação<br />
Técnicas de modelação<br />
Técnicas de modelação<br />
Técnicas de modelação<br />
Técnicas de modelação<br />
Técnicas de modelação<br />Orquestração de processos<br />
Existem várias técnicas de modelação<br />Antes de usar as técnicas é necessário definir que objectivos se pretende atingi...
Conclusões do workshop<br />As motivaçõespara o desenho de processos versus expectativas<br />O conceito de processo: arte...
1. Green Field Processes – Companies may start afresh to design the processes right<br />from scratch. They can refer to s...
Problemasnamodelação de processos<br />Process is not documented. It is known to the people involved in the process and<br...
Business Process Discovery can be done using two techniques.<br />Manual – Process Analysts using interviewing techniques ...
Manual Discovery <br />Discovery Workshops<br />Process Analysts organize workshops or meetings with the required SMEs or ...
Abordagens de modelação<br />Manual Discovery  approaches<br />Copyright © 2011 SandeepJadhav. All Rights Reserved. www.bp...
Manual Process Discovery provides the following benefits:<br />The process that is practiced is discovered. It may be diff...
Challenges<br />Though manual process discovery has certain benefits, it may be time consuming and difficult to gather the...
Abordagens de modelação<br />11-02-2011<br />Jorge Coelho<br />BPM & Reengenharia de Processos<br />
Abordagens de modelação<br />
Abordagens de modelação<br />
Finding Activities to Link Together – Previous Work<br />Even with analysts who could link activities into complete proces...
Modelação estratégica/organizacional<br />Modelo de contexto externo<br />Modelo de competências organizacionais de 1º nív...
Definição e desdobramento de objectivos<br />A. Melhorar a qualidade de vida		ind A1 Grau de contribuição da CM para  qual...
Conclusões do workshop<br />As motivaçõespara o desenho de processos versus expectativas<br />O conceito de processo: arte...
A modelação de processos deve ser considerada um meio e não um fim, pelo que pressupõe um objectivo<br />A modelação pode ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Modulação de Processos, Jorge Coelho

1,422 views

Published on

Published in: Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,422
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Modulação de Processos, Jorge Coelho

  1. 1. Como fazer da modelação de processos um exercício útil e eficiente?<br />Jorge Coelho<br />Prof. Aux. Convidado U. Minho, Presidente do IPBPM e Sócio Gerente da SisConsult Facilitador da Comunidade BPM no sítio comunidades@ina<br />
  2. 2. A modelação de processostantopode ser um exercícioaltamentebenéficocomoaltamentepenoso.<br />É fácilencontrar boas e másexperiências.<br />Nestaaudioconferência, osparticipantesterão a oportunidade de discutir:<br /><ul><li>As motivaçõespara o desenho de processos versus expectativas
  3. 3. O conceito de processo: artefacto de modelaçãoorganizacionaloutécnica de melhoria
  4. 4. As dificuldadessão de naturezatécnica (modelos, técnicas) ouorganizacional (relacional, abordagem)
  5. 5. Algumas boas práticas/ Conclusões</li></ul>Tema para discussão<br />
  6. 6. Conclusões do workshop<br />As motivaçõespara o desenho de processos versus expectativas<br />O conceito de processo<br />Técnicas de modelação<br />Abordagens de modelação<br />Conclusões<br />Agenda<br />
  7. 7. As necessidades de conhecimento em BPM variam consoante a experiência de cada um.<br />Existe um número significativo de pessoas que não têm experiência em BPM, apesar de a maioria ter já estado envolvido em projectos desse tipo.<br />As maiores dificuldades estavam associadas a desconhecimento de técnicas , inexistência de ferramentas e reduzida importância dada pelas chefias.<br />Em geral foram sentidos benefícios<br />Os custos com este tipo de projectos tem sido significativo<br />Conclusões do Workshop<br />
  8. 8. No sentido de fazer desta apresentação um documento de apoio, encontram-se vários slides que não vou comentar em detalhe, destinando-se apenas a informar a existência de técnicas e abordagens e respectivas referências<br /> (as designações na internet são fáceis de encontrar)<br />
  9. 9. Conclusões do workshop<br />As motivaçõespara o desenho de processos versus expectativas<br />O conceito de processo<br />Técnicas de modelação<br />Abordagens de modelação<br />Conclusões<br />Agenda<br />
  10. 10. As motivaçõespara o desenho de processos versus expectativas<br />
  11. 11. As motivaçõespara o desenho de processos versus expectativas<br />
  12. 12. As motivaçõespara o desenho de processos versus expectativas<br />
  13. 13. As motivaçõespara o desenho de processos versus expectativas<br />
  14. 14. Conclusão fundamental<br /> Não faz sentido partir para um trabalho de levantamento ou mapeamento de processos sem ter bem presente à partida quais os objectivos pretendidos ou os resultados esperados.<br />Dito de outra forma<br /> Não faz sentido dizer:<br /> Vamos levantar ou mapear processos para identificar melhorias<br />As motivaçõespara o desenho de processos versus expectativas<br />
  15. 15. Conclusões do workshop<br />As motivaçõespara o desenho de processos versus expectativas<br />O conceito de processo<br />Técnicas de modelação<br />Abordagens de modelação<br />Conclusões<br />Agenda<br />
  16. 16. O conceito de processo<br />
  17. 17. O conceito de processo<br />
  18. 18. O conceito de processo:<br />
  19. 19. O conceito de processo:<br />
  20. 20. O conceito de processo<br />
  21. 21. O conceito de processo<br />
  22. 22. O conceito de processo<br />
  23. 23. O conceito de processo<br />
  24. 24. O Conceito de processo<br />
  25. 25. O conceito de processo:<br />
  26. 26. O conceito de processo<br />
  27. 27. O conceito processo<br />
  28. 28. O conceito de processso<br />Arquitectura organizacional<br />Modelo de Contexto Externo<br />( Estratégico )<br />Competências Org1º Nível<br />Competências Org Nº Nível<br />Actividades<br />?<br /><br />Tarefas<br />Operações<br />Instruções<br />Regras<br />
  29. 29. Quadro de referência da intervenção organizacional<br />Businesstransformation<br />
  30. 30. ValueChain<br />Valuestream<br />Processos de Gestão<br />Processos core ou principais<br />Processos de suporte<br />Modelação organizacional<br />Competências Organizacionais<br />
  31. 31. Put a little differently, Enterprise Architecture has focused too narrowly on defining and cataloging IT resources and too little on defining the business requirements of those responsible for managing the business. There is a broad, emerging understanding that business people need their own architecture or model – their own way to describe their business goals and objectives. And, everyone seems to agree that a high-level description of the Business Process Architecture, key processes and associated performance metrics need to be a part of this business view. <br />There is, however, a great deal of interest in this issue, and various practitioners are using the terms Business Process Architecture, Business Architecture, and Business Model to describe this new area of concern.<br />Arquitectura de processos<br />
  32. 32. É importante distinguir<br />Modelação estratégica<br />de<br />Modelação de processos<br />conclusões<br />
  33. 33. Conclusões do workshop<br />As motivaçõespara o desenho de processos versus expectativas<br />O conceito de processo: artefacto de modelaçãoorganizacionaloutécnica de melhoria<br />Técnicas de modelação<br />Abordagens de modelação<br />Conclusões<br />Agenda<br />
  34. 34. Técnicas de modelação<br />The different process models are:<br />- Hierarchical Process Flow Models<br />- End to End Process Flow Models<br />- Process Swim Lanes<br />- Organization Chart<br />- Resource Diagrams<br />- Entity Flow Diagrams<br />
  35. 35. Técnicas de modelação<br />11-02-2011<br />Jorge Coelho<br />BPM & Reengenharia de Processos<br />
  36. 36. Técnicas de modelação<br />
  37. 37. Técnicas de modelação<br />
  38. 38. Técnicas de modelação<br />
  39. 39. Técnicas de modelação<br />
  40. 40. Técnicas de modelação<br />
  41. 41. Técnicas de modelação<br />
  42. 42. Técnicas de modelação<br />
  43. 43. Técnicas de modelação<br />
  44. 44. Técnicas de modelação<br />
  45. 45. Técnicas de modelação<br />
  46. 46. Técnicas de modelação<br />Orquestração de processos<br />
  47. 47. Existem várias técnicas de modelação<br />Antes de usar as técnicas é necessário definir que objectivos se pretende atingir<br />As técnicas de modelação de processos são diferentes consoante a perspectiva:<br />modelação estratégica<br />Modelação de processos na óptica da organização <br />Modelação de processos na óptica da informática<br />Conclusões<br />
  48. 48. Conclusões do workshop<br />As motivaçõespara o desenho de processos versus expectativas<br />O conceito de processo: artefacto de modelaçãoorganizacionaloutécnica de melhoria<br />Técnicas de modelação<br />Abordagens de modelação<br />Conclusões<br />Agenda<br />
  49. 49. 1. Green Field Processes – Companies may start afresh to design the processes right<br />from scratch. They can refer to standards like eTOM and ITIL, available in the market and<br />design processes that fit their business objectives, goals, and strategies.<br />2. Process Reengineering – Companies may not want to throw away whatever they have,<br />and can decide to modify the existing processes to build their new process regime.<br />Existing processes in the company are studied, and bottlenecks or areas for improvement are identified.<br /> Future processes, designed on top of existing processes,<br />provide solutions for the bottlenecks and problems identified.<br />Abordagens de modelação<br />Copyright © 2011 SandeepJadhav. All Rights Reserved. www.bptrends.com<br />
  50. 50. Problemasnamodelação de processos<br />Process is not documented. It is known to the people involved in the process and<br />knowledge of the process revolves around them.<br />All the details are not available in the process.<br />Process abstraction is not uniform.<br />Process implemented is different from the process designed and documented.<br />Process users do not follow the process as demonstrated.<br />It is very critical, hence, to ensure that the AS-IS process is documented in every detail and<br />Abordagens de modelação<br />Copyright © 2011 SandeepJadhav. All Rights Reserved. www.bptrends.com<br />
  51. 51. Business Process Discovery can be done using two techniques.<br />Manual – Process Analysts using interviewing techniques to derive the processes.<br />Automated – Process Analysts use ABPD tools that can extract the process from databases or logs available with IT.<br />ABPD – Automated Business Process Discovery<br />Abordagens de modelação<br />Copyright © 2011 SandeepJadhav. All Rights Reserved. www.bptrends.com<br />
  52. 52. Manual Discovery <br />Discovery Workshops<br />Process Analysts organize workshops or meetings with the required SMEs or Process Owners. Context is set, and objective is clearly communicated. SMEs provide a view of the process that they follow in their domain.<br />Analysts take note of all the information from different SMEs so that it can be used to define the entire process. <br />Analysts can ask leading questions to understand the process handovers between different units.<br />Abordagens de modelação<br />Copyright © 2011 SandeepJadhav. All Rights Reserved. www.bptrends.com<br />
  53. 53. Abordagens de modelação<br />Manual Discovery approaches<br />Copyright © 2011 SandeepJadhav. All Rights Reserved. www.bptrends.com<br />
  54. 54. Manual Process Discovery provides the following benefits:<br />The process that is practiced is discovered. It may be different from the process that has been documented. People who practice the process may find convenient workarounds for the standard processes, and this is captured during manual process discovery.<br />Many practical problems are also discovered that may provide a better view of the problem statement to the analysts. This helps in defining better TO-BE Process.<br />Since stakeholders are involved in the discussions and for signoff, they are more than willing to contribute, become more accessible, and share a lot more insights<br />Where automation is very limited or not implemented correctly, manual process discovery is the only way to gather information.<br />Copyright © 2011 SandeepJadhav. All Rights Reserved. www.bptrends.com<br />
  55. 55. Challenges<br />Though manual process discovery has certain benefits, it may be time consuming and difficult to gather the required information. It poses the following challenges:<br />It may be difficult to identify the right mix of stakeholders / SMEs for discovery.<br />The availability of stakeholders for discussion may break the sequence of gathering information.<br />Information on the following may not become available in manual discovery.<br />Process Performance<br />Process Scalability<br />Business Exception / Failure statistics<br />Resolution of conflicts between stakeholders<br />Bridging the gap in the information received and defining the process<br />Abordagens de modelação<br />Copyright © 2011 SandeepJadhav. All Rights Reserved. www.bptrends.com<br />
  56. 56. Abordagens de modelação<br />11-02-2011<br />Jorge Coelho<br />BPM & Reengenharia de Processos<br />
  57. 57. Abordagens de modelação<br />
  58. 58. Abordagens de modelação<br />
  59. 59. Finding Activities to Link Together – Previous Work<br />Even with analysts who could link activities into complete processes, going through the hundreds or thousands of activities in generic reference models wasn’t an ideal starting point. We needed something more specific to the client organization. Luckily, materials were at hand.<br />First, during a previous initiative, one of the analysts I was working with had developed a “service model” for each division of the agency<br />Essentially, each service represented a set of activities that collectively provided value. <br />Some were close to being complete processes, but most would eventually be combined with services offered by the same or other divisions to form end-to-end processes.<br />Abordagens de modelação<br />
  60. 60. Modelação estratégica/organizacional<br />Modelo de contexto externo<br />Modelo de competências organizacionais de 1º nível<br />Modelo de actividades<br />Modelo de Tarefas <br />Cenário<br />Processo/worflow<br />Modelação Operacional/organizativa<br />
  61. 61. Definição e desdobramento de objectivos<br />A. Melhorar a qualidade de vida ind A1 Grau de contribuição da CM para qualidade de vida<br />1. Assegurar o ordenamento do território ind 1. Nº de situações que não cumprem o PDM<br />2. Melhorar a prestação de serviços ind 2. Indice de qualidade de serviço<br />2. 2 Melhorar a entrega das licenças<br />ind 2.1. % licenças entregues sem erros<br />2. 1 Melhorar o atendimento<br />ind 2.1. indice de qualidade do atendimento<br />2. 1.1 Assegurar validação correcta dos pedidos<br />ind 2.1.1 % pedidos validados correctamente<br />2.2.1 Assegurar emissão correcta das licenças<br />ind 2.2.1 % licenças emitidas correctamente<br />Modelação estratégica/organizacional<br />1.1 Assegurar eficácia na emissão dos pareceres técnicos<br />ind 1.1 % pareceres com leituras não adequadas do PDM<br />
  62. 62. Conclusões do workshop<br />As motivaçõespara o desenho de processos versus expectativas<br />O conceito de processo: artefacto de modelaçãoorganizacionaloutécnica de melhoria<br />Técnicas de modelação<br />Abordagens de modelação<br />Conclusões<br />Agenda<br />
  63. 63. A modelação de processos deve ser considerada um meio e não um fim, pelo que pressupõe um objectivo<br />A modelação pode ser vista em três perspectivas:<br />Estratégica/ organizacional<br />Operacional/organizativa<br />Sistemas de informação<br />Para cada tipo de modelação existem técnicas e ferramentas mais adequadas<br />A modelação estratégica deve ser única na organização<br />A modelação operacional deve ser realizada de acordo com os objectivos a que se destina<br />A modelação para contextos de sistemas de informação deve ter em conta as ferramentas que onde os processos vão ser implementados<br />A modelação estratégica é a mais adequada para a definição de objectivos e responsabilidades<br />Conclusões<br />
  64. 64. O comunidades@ina é um espaço virtual que acolhe fóruns e comunidades<br />onde se podem encontrar todos quantos partilham um interesse na Administração<br />Pública. Estes grupos facilitam a partilha de recursos, práticas e a concretização de <br />projectos em parceria. <br />O QUE É O COMUNIDADES@INA?<br />
  65. 65. QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DA AUDIOCONFERÊNCIA<br />Foi enviado um questionário <br />de avaliação por email <br />a todos os participantes!<br />Agradecemos a sua <br />colaboração!<br />
  66. 66. OBRIGADO PELA SUA PARTICIPAÇÃO…<br />Obrigado pela sua participação!<br />Para sair da sessão, <br />carregue sobre Exit: <br />

×