Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Cadernodequestes ano2005

528 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Cadernodequestes ano2005

  1. 1. POSCOMP – 2005 Exame de Sele¸˜o para P´s-Gradua¸˜o em ca o ca Ciˆncia da Computa¸˜o e ca Caderno de Quest˜es oNome do Candidato:Identidade:
  2. 2. Instru¸oes Gerais aos Candidatos c˜• O tempo total de dura¸ao do exame ser´ de 4 horas. c˜ a• Vocˆ receber´ uma Folha de Respostas junto do Caderno de Quest˜es. Confira se o e a o seu Caderno de Quest˜es est´ completo. O n´ mero de quest˜es ´: o a u o e (a) Matem´tica: 20 quest˜es (da 1 a 20); a o ` (b) Fundamentos da Computa¸ao: 20 quest˜es (da 21 a 40); c˜ o ` (c) Tecnologia da Computa¸ao: 30 quest˜es (da 41 a 70). c˜ o `• Coloque o seu nome e n´ mero de identidade ou passaporte no Caderno de Quest˜es. u o• Verifique se seu nome e identidade est˜o corretos na Folha de Respostas e assine-a no a local apropriado. Se houver discrepˆncia, entre em contato com o examinador. a• A Folha de Respostas deve ser preenchida dentro do tempo de prova.• O preenchimento do formul´rio otico (Folha de Respostas) deve ser feito com caneta a ´ a a a ´ esferogr´fica azul ou preta (n˜o pode ser de outra cor e tem que ser esferogr´fica). E tamb´m poss´ realizar o preenchimento com l´pis preto n´ mero 2, contudo, o mais e ıvel a u seguro ´ o uso de caneta. Cuidado com a legibilidade. Se houver d´ vidas sobre a sua e u resposta, ela ser´ considerada nula. a• O examinador avisar´ quando estiver faltando 15 minutos para terminar o tempo, e a novamente quando o tempo terminar.• Ao terminar o tempo, pare imediatamente de escrever. N˜o se levante at´ que todas a e as provas tenham sido recolhidas pelos examinadores.• Vocˆ poder´ ir embora caso termine a prova antes do tempo, mas isso s´ ser´ poss´ e a o a ıvel ap´s a primeira hora de prova. o• As Folhas de Respostas e os Cadernos de Quest˜es ser˜o recolhidos no final da prova. o a• N˜o ´ permitido tirar d´ vidas durante a realiza¸ao da prova. a e u c˜
  3. 3. ˜ ´ QUESTOES DE MATEMATICA1. A representa¸ao polar do n´ mero complexo −3i ´ dada por: c˜ u e (a) (3, −90◦ ) (b) (3, 90◦ ) (c) (−3, 180◦ ) (d) (3, −180◦ ) (e) (−3, 270◦ )2. Se x = 3 − 2i e y = 1 + 4i s˜o n´ meros complexos, ent˜o o produto x · y ´ dado por: a u a e (a) 3 − 8i (b) 4 + 2i (c) 11 + 10i (d) −8 + 3i (e) 3 + 2i3. Considere a matriz abaixo:   1 3 1 1 5 A =  −2 −6 0 4 −2  1 3 2 3 9 O posto de A, as dimens˜es dos dois subespa¸os: imagem de A e n´ cleo de A, e uma o c u base para a imagem de A s˜o, respectivamente: a (a) 3, 3, 2, {(1, −2, 1), (1, 0, 2), (1, 4, 3)} (b) 3, 3, 2, {(1, −2, 1), (1, 0, 2), (5, −2, 9)} (c) 3, 2, 3, {(1, −2, 1), (1, 0, 2)} (d) 2, 3, 2, {(1, −2, 1), (1, 0, 2), (5, −2, 9)} (e) 2, 3, 2, {(1, −2, 1), (1, 0, 2)}
  4. 4. 4. Dada a matriz de transforma¸ao linear c˜   1 3 2 A= 2 1 1  3 2 3 PSfrag replacements pode-se afirmar que: M´quina Cliente a (a) o vetor (1, 0, 0) ´ mapeado para (1, 3, 2). e Media Player (b) o vetor (1, 0, 1) ´ mapeado para (3, 0, 2). e Buffer (c) o vetor (0, 1, 0) ´ mapeado para (3, 1, 2). e Marcador ´´ (d) o vetor (0, 0, 1)de Agua Baixopara (3, 2, 3). e mapeado (MAB) (e) o vetor (1, 1, 0) ´ mapeado para (3, 2, 3). e Marcador ´ de Agua Alto (MAA)5. Seja Tn,m um M´quina Servidora × m. Denominamos um circuito eq¨estre em Tn,m a tabuleiro xadrez n a u um percurso de um cavalo, se movendo como num jogo de xadrez, que passa por cada Media uma das c´lulas de Tn,m exatamente uma vez, e que come¸a e termina numa mesma e Server c a u P c´lula (arbitr´ria). O n´ mero de0 circuitos eq¨ estres em T5,5 ´: e u e P1 P2 (I) (II) (III) (IV) Figura 1: Exemplo de movimentos v´lidos de um cavalo. a (a) 0 (b) 1 (c) 5 (d) 25 (e) 5!
  5. 5. 6. Considere a fun¸ao f (x) = 1/x. Seja A a area compreendida entre o gr´fico de f e o c˜ ´ a eixo x no intervalo [1, ∞) e seja V o volume do s´lido obtido pela revolu¸ao do gr´fico o c˜ a de f em torno do eixo x no intervalo [1, ∞). Escolha a alternativa correta: (a) A < ∞ e A < V . (b) A < ∞ e V < ∞. (c) A < ∞ e V = ∞. (d) A = ∞ e V = ∞. (e) A = ∞ e V < ∞.7. Considere as afirma¸oes a seguir: c˜ (I) Se f : R −→ R ´ uma fun¸ao tal que f (x) = f (−x) para todo x ∈ R e f ´ deriv´vel e c˜ e a no ponto a = 0, ent˜o f (0) = 0. a (II) Se limn→0 bn = +∞ e limn→0 an = 0, ent˜o limn→0 an bn n˜o existe. a a (III) limn→3 n = 3. (IV) Se c ∈ [a, b] ´ um m´ximo local de uma fun¸ao f : [a, b] → R ent˜o f (c) = 0. e a c˜ a (V) Se limn→∞ an existe e limn→∞ bn n˜o existe, ent˜o limn→∞ (an + bn ) n˜o existe. a a a Quais s˜o as afirma¸oes verdadeiras? a c˜ (a) Somente as afirma¸oes (I), (III) e (V) s˜o verdadeiras. c˜ a (b) Somente as afirma¸oes (I), (II) e (III) s˜o verdadeiras. c˜ a (c) Somente as afirma¸oes (I) e (V) s˜o verdadeiras. c˜ a (d) Somente as afirma¸oes (I), (IV) e (V) s˜o verdadeiras. c˜ a (e) Somente as afirma¸oes (II), (III) e (IV) s˜o verdadeiras. c˜ a
  6. 6. M´quina Cliente a Media Player Buffer Marcador ´ de Agua Baixo (MAB) Marcador e a ´ c˜8. Na figura abaixo, a curva ´ o gr´fico da fun¸aoAlto = x2 e a regi˜o marcada no de Agua f (x) a 2 (MAA)+ 1 e x2 ≤ y ≤ (i + 1)2 }. retˆngulo corresponde a R = {(x, y) ∈ R : i ≤ x ≤ i a M´quina Servidora a Media Server P0 R P1 P2 (I) (II) (III) i i+1 (IV) A area de R ´: ´ e (i+1)2 (a) 3 2i+1 (b) 2 3i+2 (c) 3 3i2 +3i+1 (d) 3 (e) i + 19. A seq¨ˆncia xn ´ definida recursivamente por ue e 1 se n = 0, xn+1 = 1 1+ 1+xn caso contr´rio. a Se limn→∞ xn = L, ent˜o a (a) L = 1 1 (b) L = 1 + 2 (c) L = 2 1 (d) L = 1+ 2 √ (e) L = 2
  7. 7. 10. Uma equa¸ao do segundo grau em x e y, da forma ax2 + by 2 + cxy + dx + ey + f = 0, c˜ com a, b > 0 pode descrever: (a) Uma curva arbitr´ria. a (b) Uma circunferˆncia ou uma elipse, mas n˜o uma reta. e a (c) Uma reta. (d) Uma par´bola ou uma hip´rbole, mas n˜o uma reta. a e a (e) Simultaneamente duas par´bolas. a11. Denote por x, y o produto escalar dos vetores x = (x1 , x2 , x3 ) e y = (y1 , y2 , y3 ) em R3 . O lugar geom´trico dado por x, 1 = r, onde 1 = (1, 1, 1) e r ∈ R ´ e e (a) a circunferˆncia de raio r e centro 1 e (b) um parabol´ide com foco em 1 o (c) um plano com vetor normal 1 (d) um cilindro de raio r e altura 1 (e) um hiperbol´ide o12. Determine qual das seguintes proposi¸oes n˜o pode ser provada a partir da premissa: c˜ a ((a ∧ b) ∨ c) ∧ (c → d) (a) (a ∨ d) ∧ (b ∨ d) (b) (¬a ∨ ¬b) → (c ∧ d) (c) (a ∧ b) → ¬d (d) ¬a → d (e) ¬d → b
  8. 8. 13. Dadas as quatro premissas: • Se o universo ´ finito, ent˜o a vida ´ curta. e a e • Se a vida vale a pena, ent˜o a vida ´ complexa. a e • Se a vida ´ curta ou complexa, ent˜o a vida tem sentido. e a • A vida n˜o tem sentido. a e as assertivas l´gicas: o (I) se o universo ´ finito e a vida vale a pena, ent˜o a vida tem sentido; e a (II) a vida n˜o ´ curta; a e (III) a vida tem sentido ou o universo ´ finito; e quais assertivas pode-se dizer que se seguem logicamente das premissas dadas? (a) Somente (I) e (III) (b) Somente (II) e (III) (c) Somente (I) e (II) (d) (I), (II) e (III) (e) Somente a assertiva (I).14. Considere a seguinte proposi¸ao: c˜ P : ∀x[Bx → [Lx ∧ Cx]] Assinale a alternativa que cont´m uma proposi¸ao equivalente a ¬P . e c˜ (a) ∀x¬[Bx → [Lx ∧ Cx]]. (b) ∃x[Bx ∧ [¬Lx ∨ ¬Cx]]. (c) ∀x[Bx → ¬[Lx ∧ Cx]]. (d) ∃x[¬Bx ∧ [¬Lx ∨ ¬Cx]]. (e) ∃x[¬Bx ∨ [Lx ∧ Cx]].
  9. 9. 15. Quantas cadeias de 7 bits contˆm pelo menos 3 zeros consecutivos? e (a) 81 (b) 80 (c) 48 (d) 47 (e) 1616. Sejam a, b e n inteiros, com n > 0. Considere a equa¸ao c˜ ax ≡ b (mod n). (a) A equa¸ao acima n˜o tem solu¸ao. c˜ a c˜ (b) A equa¸ao acima sempre tem solu¸ao. c˜ c˜ (c) A equa¸ao acima tem solu¸ao se mdc(a, n) = 1. c˜ c˜ (d) A equa¸ao acima tem solu¸ao se mdc(a, b) = 1. c˜ c˜ (e) A equa¸ao acima tem solu¸ao se mdc(b, n) = 1. c˜ c˜17. O n´ mero m´ximo de n´s no n´ i de uma arvore bin´ria ´: u a o ıvel ´ a e (Considere o n´ da raiz igual a 1.) ıvel (a) 2i+1 , i ≥ 0 (b) 2i−1 , i ≥ 1 (c) 2i , i ≥ 1 (d) 2i + 1, i ≥ 1 (e) 2i − 1, i ≥ 118. Dadas as seguintes afirma¸oes: c˜ (I) se R ´ uma rela¸ao transitiva, a sua inversa tamb´m ´ transitiva. e c˜ e e (II) se R ´ uma rela¸ao reflexiva, anti-sim´trica e transitiva, ent˜o a sua inversa e c˜ e a tamb´m ´ uma rela¸ao reflexiva, anti-sim´trica e transitiva. e e c˜ e (III) se R ´ uma rela¸ao sim´trica e transitiva, ent˜o R ´ reflexiva. e c˜ e a e S˜o verdadeiras: a (a) Somente (I) e (II) (b) Somente (II) e (III) (c) Somente (I) e (III) (d) (I), (II) e (III) (e) Somente (I) ´ verdadeira. e
  10. 10. Media Player Buffer Marcador ´ de Agua Baixo (MAB) Marcador ´ de Agua Alto19. Considere(MAA) que todos os relˆs do circuito representado na figura abaixo funcionam inde- e M´pendentemente e que a probabilidade de fechamento de cada relˆ ´ dada por p. Qual aquina Servidora ee a probabilidade de que haja corrente entre os terminais A e B? Media Server P0 P1 A 1 2 B P2 (I) (II) 3 4 (III) (IV) (a) p2 (b) 2p2 (c) p4 (d) 2p2 − p4 (e) 4p20. Seja R o reticulado no plano formado pelos pares de n´ meros inteiros no intervalo u [−2n, 2n], n inteiro maior que 1, e S o circulo de raio n e centro (0, 0): R = (i, j) ∈ Z2 : − 2n ≤ i ≤ 2n e − 2n ≤ j ≤ 2n , S = (x, y) ∈ R2 : x2 + y 2 = n2 . Uma amostra aleat´ria ´ tomada do reticulado de modo que cada ponto tem proba- o e bilidade 0, 5 de ser escolhido, com as escolhas feitas de maneira independente. Qual o n´ mero de pontos esperados no interior do c´ u ırculo S? (a) 0, 5 · (4n + 1)2 (b) 0, 5 · 4 · |{(i, j) ∈ Z2 : i2 + j 2 < n2 e i > 0, j > 0}|. (c) 0, 5 · πn2 πn2 (d) 0, 5 · (4n+1)2 (e) 0, 5 · |{(i, j) ∈ Z2 : i2 + j 2 < n2 }|.
  11. 11. ˜ ¸˜ QUESTOES DE FUNDAMENTOS DA COMPUTAC AO21. Considere uma cpu usando uma estrutura pipeline com 5 est´gios (IF, ID, EX, MEM, a WB) e com mem´rias de dados e de instru¸oes separadas, sem mecanismo de data o c˜ forwarding, escrita no banco de registradores na borda de subida do clock e leitura na borda de descida do clock e o conjunto de instru¸oes a seguir: c˜ I1: lw $2, 100($5) I2: add $1, $2, $3 I3: sub $3, $2, $1 I4: sw $2, 50($1) I5: add $2, $3, $3 I6: sub $2, $2, $4 Quantos ciclos de clock s˜o gastos para a execu¸ao deste c´digo? a c˜ o (a) 30 (b) 17 (c) 16 (d) 11 (e) 1022. Para a representa¸ao de n´ mero ponto flutuante no padr˜o IEEE, quais das afirma¸oes c˜ u a c˜ a seguir s˜o verdadeiras? a (I) Quando a fra¸ao e o expoente s˜o zero, o n´ mero representado ´ zero. c˜ a u e (II) Quando o expoente ´ zero, o n´ mero representado ´ desnormalizado. e u e (III) Quando todos os bits do expoente s˜o iguais a um e a fra¸ao ´ zero, o n´ mero ´ a c˜ e u e +∞ ou −∞. (IV) Quando todos os bits do expoente s˜o iguais a um e a fra¸ao ´ diferente de zero, a c˜ e a representa¸ao n˜o ´ n´ mero. c˜ a e u (a) Somente as afirma¸oes (II), (III) e (IV). c˜ (b) Somente as afirma¸oes (I), (II) e (IV). c˜ (c) Somente as afirma¸oes (I), (II) e (III). c˜ (d) Somente as afirma¸oes (I), (III) e (IV). c˜ (e) Todas as afirma¸oes. c˜
  12. 12. 23. Das afirma¸oes a seguir, sobre mem´ria cache, quais s˜o verdadeiras? c˜ o a (I) Numa estrutura totalmente associativa, um bloco de mem´ria pode ser mapeado o em qualquer slot do cache. (II) O campo tag do endere¸o ´ usado para identificar um bloco v´lido no cache, junto c e a com o campo de ´ındice. (III) Um cache de n´ 2 serve para reduzir a penalidade no caso de falta no n´ 1. ıvel ıvel (IV) O esquema de substitui¸ao LRU ´ o mais usado para a estrutura de mapeamento c˜ e direto. (a) Somente as afirma¸oes (I), (III) e (IV). c˜ (b) Somente as afirma¸oes (II), (III) e (IV). c˜ (c) Somente as afirma¸oes (I) e (II). c˜ (d) Somente as afirma¸oes (I), (II) e (III). c˜ (e) Somente as afirma¸oes (II) e (III). c˜24. Considere as seguintes express˜es booleanas: o (A) (a · b) + (c · d · e) (B) (a · b) · (c · d · e) (C) (a + b) · (c + d + e) (D) (a + b) + (c + d + e) Considere ainda as seguintes afirma¸oes: c˜ (I) A ´ equivalente a B. e (II) C ´ equivalente a D. e (III) A ´ equivalente a D. e (IV) B ´ equivalente a C. e Quais das alternativas acima s˜o verdadeiras? a (a) Somente as afirma¸oes (I) e (II) s˜o verdadeiras. c˜ a (b) Somente as afirma¸oes (I) e (III) s˜o verdadeiras. c˜ a (c) Somente as afirma¸oes (II) e (IV) s˜o verdadeiras. c˜ a (d) Todas as afirma¸oes s˜o verdadeiras. c˜ a (e) Todas as afirma¸oes s˜o falsas. c˜ a
  13. 13. 25. Uma lista ligada possui a seguinte defini¸ao de n´: c˜ o type ap = ↑no; no = record info : integer; link : ap end; Como o procedimento a seguir deve ser completado para inverter uma lista ligada? procedure inverte(var h: ↑no); var p,q : ↑no; begin if h <> NIL then begin p := h↑. link; h↑. link := NIL; while p <> NIL do begin ; ; ; ; end end end; (a) p↑. link:=h; q:=p↑. link; h:=p; p:=q; (b) q:=p↑. link; h:=p; p:=q; p↑. link:=h; (c) p↑. link:=h; h:=p; p:=q; q:=p↑. link; (d) q:=p↑. link; p↑. link:=h; h:=p; p:=q; (e) p↑. link:=h; h:=p; q:=p↑. link; p:=q;
  14. 14. 26. Considere um heap H com 24 elementos tendo seu maior elemento na raiz. Em quantos n´s de H pode estar o seu segundo menor elemento? o (a) 18 (b) 15 (c) 14 (d) 13 (e) 1227. Dadas as seguintes caracter´ ´ ısticas para uma Arvore B de ordem n: (I) Toda p´gina cont´m no m´ximo 2n itens (chaves). a e a (II) Toda p´gina, exceto a p´gina raiz, cont´m no m´ a a e ınimo n itens. (III) Toda p´gina ou ´ uma p´gina folha, ou tem m + 1 descendentes, onde m ´ o a e a e n´ mero de chaves. u (IV) Todas as p´ginas folhas aparecem no mesmo n´ a ıvel. Qual das seguintes op¸oes ´ verdadeira: c˜ e (a) As caracter´ ısticas (I), (II), (III) e (IV) s˜o falsas. a (b) As caracter´ ısticas (I) e (IV) s˜o verdadeiras. a (c) As caracter´ ısticas (II), (III) e (IV) s˜o verdadeiras. a (d) As caracter´ ısticas (I), (II), (III) e (IV) s˜o verdadeiras. a (e) As caracter´ ısticas (II), (III) e (IV) s˜o falsas a28. Qual das seguintes afirma¸oes ´ falsa? c˜ e (a) Dada uma m´quina de Turing M com alfabeto de entrada Σ e uma string w ∈ Σ, a n˜o se sabe se a computa¸ao de M com entrada w vai ou n˜o parar. a c˜ a (b) O problema da parada ´ indecid´ e ıvel. (c) N˜o existe algoritmo que determina quando uma gram´tica livre de contexto a a arbitr´ria ´ amb´ a e ıgua. (d) N˜o existe autˆmato finito determin´ a o ıstico que reconhe¸a alguma linguagem livre c de contexto. (e) Um autˆmato com duas pilhas pode ser simulado por uma m´quina de Turing. o a
  15. 15. 29. Considere as seguintes afirma¸oes: c˜ (I) O paradigma da programa¸ao funcional ´ baseado em fun¸oes matem´ticas e com- c˜ e c˜ a posi¸ao de fun¸oes. c˜ c˜ (II) prolog ´ uma linguagem de programa¸ao cuja sintaxe ´ uma vers˜o simplifi- e c˜ e a cada do c´lculo de predicados e seu m´todo de inferˆncia ´ uma forma restrita de a e e e Resolu¸ao. c˜ (III) O conceito de “Classe” foi primeiramente introduzido por Simula67. (IV) O paradigma orientado a objeto surgiu em paralelo ao desenvolvimento de Smalltalk. (V) No paradigma declarativo, programas s˜o expressos na forma de l´gica simb´lica a o o e usam um processo de inferˆncia l´gica para produzir resultados. e o Quais s˜o as afirma¸oes verdadeiras? a c˜ (a) Somente (I) e (V). (b) Somente (II) e (V). (c) Somente (I), (II) e (V). (d) Somente (I) e (II). (e) Todas as afirma¸oes s˜o verdadeiras. c˜ a30. Dadas duas fun¸oes f, g : N → R, dizemos que f = o(g) se lim n→∞ f (n)/g(n) = 0. c˜ Suponha que o tempo de execu¸ao de um certo algoritmo em fun¸ao do tamanho n de c˜ c˜ sua entrada ´ descrito por T (n) = log2 n + o(1). A alternativa que melhor expressa e esta afirma¸ao ´ c˜ e (a) para todo > 0, existe n0 > 0 tal que |T (n) − log2 n| < para todo n > n0 . (b) para todo c > 0, existe n0 > 0 tal que T (n) ≤ log2 n + c para todo n > n0 . (c) existem constantes c > 0 e n0 > 0 tais que T (n) ≤ c log2 n para todo n > n0 . (d) existem constantes c1 > 0, c2 > 0 e n0 > 0 tais que c1 log2 n ≤ T (n) ≤ c2 log2 n para todo n > n0 . (e) existem constantes c > 0 e n0 > 0 tais que T (n) ≥ c log2 n para todo n > n0 .
  16. 16. 31. Considere o programa : program P (input, output); var m,n : integer; function FUN ( n : integer): integer; var x : integer; begin if n < 1 then FUN := 1 else begin x := n * FUN (n-1); m := m-1; FUN := m+x; end; end; begin readln (m,n); writeln (m, n, FUN ( n ) ); end. Este programa, para os valores m = 5 e n = 4, tem como resultado: (a) 5, 4, 5 (b) 5, 4, 120 (c) 1, 4, 14400 (d) 5, 4, 165 (e) 1, 4, 120
  17. 17. 32. Considere o algoritmo m´ximo(v, i, f ) que devolve o ´ a ındice de um elemento m´ximo de a {v[i], . . . , v[f ]}: m´ximo(v, i, f ) a se i = f , devolva i p ← m´ximo(v, i, (i + f )/2 ) a q ← m´ximo(v, (i + f )/2 + 1, f ) a se v[p] ≥ v[q], devolva p devolva q Considerando n = f − i + 1, o n´ mero de compara¸oes entre elementos de v numa u c˜ execu¸ao de m´ximo(v, i, f ) ´ c˜ a e (a) n log2 n (b) n/2 (c) n − 1 (d) log2 n (e) 2n33. Um algoritmo de ordena¸ao ´ est´vel se a ordem relativa dos itens com chaves iguais c˜ e a mant´m-se inalterada ap´s a ordena¸ao. Quais dos seguintes algoritmos de ordena¸ao e o c˜ c˜ s˜o est´veis? a a (I) BubbleSort (ordena¸ao por bolha); c˜ (II) InsertionSort (ordena¸ao por inser¸ao); c˜ c˜ (III) HeapSort; (IV) QuickSort; (a) Somente (II). (b) Somente (I) e (II). (c) Somente (I), (II) e (III). (d) Somente (II), (III) e (IV). (e) Somente (I), (III) e (IV).
  18. 18. 34. Seja A = a1 , . . . , an uma seq¨ˆncia de n n´ meros, todos distintos entre si. Dados ue u 1 ≤ i < j ≤ n, dizemos que o par (i, j) ´ uma invers˜o em A se aj < ai . Qual o e a n´ mero m´ximo de invers˜es poss´ numa seq¨ˆncia de n elementos? u a o ıvel ue (a) n n (b) 2 (c) n − 1 (d) n! (e) n235. Em uma estrutura de arvore bin´ria de busca, foram inseridos os elementos “h”,“a”,“b”, ´ a “c”,“i”,“j”, nesta seq¨ˆncia. O tamanho do caminho entre um n´ qualquer da arvore ue o ´ e a raiz ´ dado pelo n´ mero de arestas neste caminho. Qual o tamanho do maior e u caminho na arvore, ap´s a inser¸ao dos dados acima? ´ o c˜ (a) 2 (b) 6 (c) 4 (d) 5 (e) 336. Quatro tarefas, A, B, C e D, est˜o prontas para serem executadas num unico proces- a ´ sador. Seus tempos de execu¸ao esperados s˜o 9, 6, 3 e 5 segundos respectivamente. c˜ a Em qual ordem eles devem ser executados para diminuir o tempo m´dio de resposta? e (a) C, D, B, A (b) A, B, D, C (c) C, B, D, A (d) A, C, D, B (e) O tempo m´dio de resposta independe da ordem. e
  19. 19. 37. Qual das alternativas a seguir melhor define uma Regi˜o Cr´ a ıtica em Sistemas Opera- cionais? (a) Um trecho de programa que deve ser executado em paralelo com a Regi˜o Cr´ a ıtica de outro programa. (b) Um trecho de programa cujas instru¸oes podem ser executadas em paralelo e em c˜ qualquer ordem. (c) Um trecho de programa onde existe o compartilhamento de algum recurso que n˜o permite o acesso concomitante por mais de um programa. a (d) Um replacements PSfrag trecho de programa onde existe algum recurso cujo acesso ´ dado por uma e prioridade. M´quina Cliente a (e) Um trecho de programa onde existe algum recurso a que somente o sistema ope- Media racional pode ter acesso. Player Buffer ´38. Arvores bin´rias podem ser usadas para guardar e recuperar informa¸oes com n´ mero a c˜ u Marcador de opera¸dees proporcional a altura da arvore. Quais das seguintes figuras representam co Agua Baixo ˜ ´ ` ´ arvores bin´rias(MAB) ´ a de altura balanceada ou do tipo AVL (Adelson-Velski e Landis): Marcador ´ de Agua Alto (MAA) M´quina Servidora a (I) Media Server (II) P0 P1 P2 (III) (IV) (a) Somente (I) e (IV) s˜o arvores bin´rias AVL. a ´ a (b) Somente (I) ´ arvore bin´ria AVL. e´ a (c) Somente (I), (II) e (III) s˜o arvores bin´rias AVL. a ´ a (d) Somente (II) e (III) s˜o arvores bin´rias AVL. a ´ a (e) Todas (I), (II), (III) e (IV) s˜o arvores bin´rias AVL. a ´ a
  20. 20. (MAB) Marcador ´ de Agua Alto (MAA) M´quina Servidora a Media39. Os grafos G = (VG , EG ) e H = (VH , EH ) s˜o isomorfos. Assinale a alternativa que Server a P0 c˜ justifica esta afirma¸ao. P1 P2 (I) (II) (III) (IV) G H (a) As seq¨ˆncias dos graus dos v´rtices de G e H s˜o iguais. ue e a (b) Os grafos tˆm o mesmo n´ mero de v´rtices e o mesmo n´ mero de arestas. e u e u (c) Existe uma bije¸ao de VG em VH que preserva adjacˆncias. c˜ e (d) Cada v´rtice de G e de H pertence a exatamente quatro triˆngulos distintos. e a (e) Ambos os grafos admitem um circuito que passa por cada aresta exatamente uma vez.40. Dadas as seguintes afirma¸oes c˜ (I) Qualquer grafo conexo com n v´rtices deve ter pelo menos n − 1 arestas. e (II) O grafo bipartido completo Km,n ´ Euleriano desde que m e n sejam ´ e ımpares. (III) Em um grafo o n´ mero de v´rtices de grau ´ u e ımpar ´ sempre par. e S˜o verdadeiras: a (a) Somente a afirma¸ao (I). c˜ (b) Somente as afirma¸oes (I) e (III). c˜ (c) Somente as afirma¸oes (II) e (III). c˜ (d) Somente as afirma¸oes (I) e (II). c˜ (e) Todas as afirma¸oes. c˜
  21. 21. ˜ ¸˜ QUESTOES DE TECNOLOGIA DA COMPUTAC AO41. Qual das seguintes afirma¸oes ´ verdadeira? c˜ e (a) Nem toda rela¸ao que est´ na FNBC (Forma Normal de “Boyce-Codd”) est´ c˜ a a tamb´m na 3FN (Terceira Forma Normal). e (b) Se a rela¸ao R possui somente uma chave candidata, ela sempre est´ na FNBC. c˜ a (c) Se a rela¸ao R est´ na 3FN e toda chave candidata ´ simples, ent˜o n˜o podemos c˜ a e a a afirmar que R est´ na FNBC. a (d) Uma dependˆncia funcional multivalorada na rela¸ao R, na forma X e c˜ Y, ´ dita e trivial somente se XY = R . (e) Uma dependˆncia funcional multivalorada na rela¸ao R, na forma X e c˜ Y, ´ dita e trivial se Y⊆X ou XY = R42. Em um banco de dados relacional, considere os esquemas de rela¸ao: c˜ • Pessoa (CPF, Profissao) • Trabalha (CPF, CGC, Periodo) • Firma (CGC, nome, endereco) e considere as opera¸oes de algebra relacional Uni˜o, Interse¸ao, Diferen¸a, Jun¸ao c˜ ´ a c˜ c c˜ Natural, Proje¸ao e Sele¸ao. c˜ c˜ A consulta “Qual a profiss˜o das pessoas que trabalham em alguma firma de a nome X” exige ao menos a seguinte opera¸ao para ser processada: c˜ (a) Interse¸ao de Pessoa, Trabalha e Firma. c˜ (b) Jun¸ao Natural de Pessoa, Trabalha e Firma. c˜ (c) Uni˜o de Pessoa, Trabalha e Firma. a (d) Sele¸ao de Pessoa, Trabalha e Firma. c˜ (e) Nada pode ser afirmado porque os dados n˜o foram fornecidos. a
  22. 22. 43. Em um banco de dados relacional, considere os esquemas de rela¸ao: c˜ • Pessoa (CPF, Profissao) • Trabalha (CPF, CGC, Periodo) • Firma (CGC, nome, endereco) e considere as opera¸oes de algebra relacional Uni˜o, Interse¸ao, Diferen¸a, Jun¸ao c˜ ´ a c˜ c c˜ Natural, Proje¸ao e Sele¸ao. c˜ c˜ Considere que cada rela¸ao tenha 1 milh˜o de tuplas e que existe um ´ c˜ a ındice no banco de dados para cada chave de rela¸ao. Considere as consultas a seguir, supondo que antes c˜ do processamento de cada uma nenhum peda¸o das rela¸oes j´ esteja na mem´ria. c c˜ a o C1 Quais as profiss˜es de todas as pessoas? o C2 Qual a profiss˜o da pessoa de CPF = ’X’, onde X ´ um CPF v´lido? a e a C3 Qual o endere¸o da firma de CGC diferente de ’Z’, onde Z ´ um CGC v´lido? c e a C4 Quais os per´ ıodos na d´cada 1990-1999 em que ningu´m trabalhou, onde o banco e e de dados cont´m informa¸oes entre 1980 e 2005? e c˜ Qual das consultas acima ´ mais r´pida em termos de opera¸oes de E/S? Assinale a e a c˜ afirma¸ao correta. c˜ (a) A consulta C1 porque s´ exige uma proje¸ao na rela¸ao Pessoa sem precisar olhar o c˜ c˜ o´ ındice. (b) A consulta C2 porque pode ser processada diretamente via ´ ındice de CPF para acessar Pessoa. (c) A consulta C3 porque pode ser processada seq¨ encialmente sobre a rela¸ao Firma u c˜ descartando-se a tupla com CGC de valor Z. (d) A consulta C4 porque requer apenas selecionar os per´ ıodos n˜o cadastrados na a rela¸ao Trabalha. c˜ (e) Nada se pode afirmar porque rapidez, neste caso, n˜o pode ser medida. a
  23. 23. 44. Sejam T1 e T2 duas transa¸oes sendo processadas por um SGBD. Os termos lockR c˜ e lockW correspondem a pedidos de tranca de leitura e grava¸ao, respectivamente, e c˜ Unlock libera¸ao de tranca. A, B e C s˜o dados do banco de dados. c˜ a O trecho a seguir ´ um peda¸o do escalonamento de T1 e T2 definido pelo escalonador e c do SGBD (o trecho n˜o est´ completo): a a start(T1); lockR(T1, A); read (T1, A); start(T2); lockR(T2, B); read (T2, B); lockW (T1, C); read(T1,C); write(T1,C); unlock(T1, C); lockW (T1, B); lockW (T2, A); lockR(T2,C); ... Considere as seguintes afirma¸oes: c˜ (I) O trecho mostra um exemplo de aplica¸ao do protocolo 2PL (two phase lock ou c˜ tranca em 2 fases). (II) O trecho viola o protocolo 2PL. (III) O trecho mostra um exemplo em que h´ deadlock (impasse) entre T1 e T2. a (IV) O trecho n˜o tem deadlock entre T1 e T2. a (V) Nada se pode afirmar. Est˜o corretas as afirma¸oes: a c˜ (a) Somente (I) e (III) (b) Somente (II) e (IV) (c) Somente (II) e (III) (d) Somente (I) e (IV) (e) Somente (V)
  24. 24. 45. No processo de gera¸ao de um c´digo execut´vel (em linguagem de m´quina) a par- c˜ o a a tir de um programa fonte, escrito em linguagem de alto n´ ıvel (por exemplo, C) o programa original passa por transforma¸oes e an´lises que s˜o realizadas em diversas c˜ a a fases. De forma simplificada, pode-se dividi-las nas oito (8) fases apresentadas, em ordem alfab´tica, a seguir: e (A) Aloca¸ao de Registradores c˜ (B) An´lise L´xica a e (C) An´lise Sint´tica a a (D) Emiss˜o de C´digo Assembly a o (E) Link Edi¸ao c˜ (F) Montagem (G) Sele¸ao de Instru¸oes c˜ c˜ (H) Verifica¸ao de Tipos e S´ c˜ ımbolos Durante o processo de gera¸ao do c´digo execut´vel a partir do c´digo fonte em qual c˜ o a o ordem essas fases s˜o poss´ a ıveis de serem executadas? (a) B C H G A D F E (b) C B H G A D F E (c) B C H G A D E F (d) B H C G A D F E (e) B C H A G D E F46. No que diz respeito a gera¸ao de imagens por RayTracing, qual das afirma¸oes a seguir ` c˜ c˜ n˜o ´ verdadeira? a e (a) O n´ mero de raios lan¸ados independe do n´ mero de objetos da cena. u c u (b) A refra¸ao e a reflex˜o da luz precisam ser tratadas neste m´todo. c˜ a e (c) O lan¸amento de raios ´ dependente da posi¸ao da cˆmera. c e c˜ a (d) Em algumas varia¸oes do m´todo, o c´lculo das sombras ´ feito a parte. c˜ e a e (e) Este m´todo pode ser facilmente paralelizado. e
  25. 25. 47. Requisitos s˜o capacidades e condi¸oes para as quais um sistema deve ter conformidade. a c˜ Analise as afirma¸oes a seguir: c˜ (I) No Processo Unificado, requisitos s˜o categorizados de acordo com o modelo a FURPS+, onde o U do acrˆnimo representa requisitos de usabilidade. o (II) Casos de uso s˜o documentos em forma de texto, n˜o diagramas, e modelagem de a a casos de uso ´ basicamente um ato de escrever est´rias de uso de um sistema. e o (III) UML (Unified Modeling Language) provˆ nota¸ao para se construir o diagrama de e c˜ casos de uso, que ilustra os nomes dos casos de uso, atores e seus relacionamentos. Considerando-se as trˆs afirma¸oes (I), (II) e (III) acima, identifique a unica alternativa e c˜ ´ v´lida: a (a) Somente as afirma¸oes (I) e (II) est˜o corretas. c˜ a (b) Somente as afirma¸oes (II) e (III) est˜o corretas. c˜ a (c) Somente as afirma¸oes (I) e (III) est˜o corretas. c˜ a (d) As afirma¸oes (I), (II) e (III) est˜o corretas. c˜ a (e) Somente a afirma¸ao (III) est´ correta. c˜ a48. Qual das alternativas a seguir n˜o representa um artefato da disciplina de Requisitos a do Processo Unificado: (a) Modelo de Casos de Uso. (b) Diagrama de Seq¨ˆncia de Sistema. ue (c) Modelo do Dom´ ınio. (d) Documento de Vis˜o. a (e) Gloss´rio. a
  26. 26. 49. Considere as seguintes afirma¸oes sobre o objetivo da atividade de valida¸ao de soft- c˜ c˜ ware: (I) Verificar se o produto est´ sendo corretamente constru´ a ıdo. (II) Verificar se o produto est´ sendo corretamente avaliado. a (III) Verificar se o produto correto est´ sendo constru´ a ıdo. Quais s˜o as afirma¸oes verdadeiras? a c˜ (a) Somente a afirma¸ao (II). c˜ (b) Somente a afirma¸ao (III). c˜ (c) Somente as afirma¸oes (I) e (II). c˜ (d) Somente as afirma¸oes (II) e (III). c˜ (e) Afirma¸oes (I), (II) e (III). c˜50. Considere as seguintes afirma¸oes sobre o diagrama de classes e outros modelos UML c˜ (Unified Modeling Language): (I) O diagrama de classes pode representar as classes sob diferentes perspectivas, tais como a conceitual, a de especifica¸ao e a de implementa¸ao. c˜ c˜ (II) O diagrama de classes, diferentemente do diagrama de estados, ´ est´tico. e a (III) O diagrama de classes, diferentemente do diagrama de atividades, n˜o cont´m a e mensagens. Quais s˜o as afirma¸oes verdadeiras? a c˜ (a) Somente a afirma¸ao (I). c˜ (b) Somente a afirma¸ao (II). c˜ (c) Somente as afirma¸oes (I) e (III). c˜ (d) Somente as afirma¸oes (II) e (III). c˜ (e) Afirma¸oes (I), (II) e (III). c˜
  27. 27. 51. A Atividade de Teste ´ considerada uma atividade dinˆmica, pois implica na execu¸ao e a c˜ do c´digo. Ela ´ composta das etapas de planejamento, defini¸ao dos casos de teste, o e c˜ execu¸ao dos casos de teste e an´lise dos resultados. A Atividade de Teste deve iniciar- c˜ a se na fase: (a) de projeto. (b) de codifica¸ao. c˜ (c) inicial de desenvolvimento. (d) de an´lise de resultados. a (e) de valida¸ao. c˜52. Dentre as defini¸oes a seguir, conceitos de computa¸ao evolutiva da Inteligˆncia Arti- c˜ c˜ e ficial, qual delas ´ incorreta? e (a) A computa¸ao evolutiva deve ser entendida como um conjunto de t´cnicas e pro- c˜ e cedimentos gen´ricos e adapt´veis, a serem aplicados na solu¸ao de problemas e a c˜ complexos, para os quais outras t´cnicas conhecidas s˜o ineficazes ou nem sequer e a s˜o aplic´veis. a a (b) Os sistemas baseados em computa¸ao evolutiva mantˆm uma popula¸ao de solu- c˜ e c˜ coes potenciais, aplicam processos de sele¸ao baseados na adapta¸ao de um in- ¸˜ c˜ c˜ div´ ıduo e tamb´m empregam outros operadores “gen´ticos.” e e (c) A roleta ´ um m´todo de sele¸ao no qual se atribui a cada indiv´ e e c˜ ıduo de uma po- pula¸ao uma probabilidade de passar para a pr´xima gera¸ao proporcional ao seu c˜ o c˜ fitness, medido em rela¸ao a somat´ria do fitness de todos os indiv´ c˜ ` o ıduos da popu- la¸ao. Assim, algoritmos gen´ticos s˜o m´todos de busca puramente aleat´rios. c˜ e a e o (d) Os algoritmos gen´ticos empregam uma terminologia originada da teoria da evo- e lu¸ao natural e da gen´tica. Um indiv´ c˜ e ıduo da popula¸ao ´ representado por um c˜ e unico cromossomo, o qual cont´m a codifica¸ao (gen´tipo) de uma poss´ solu¸ao ´ e c˜ o ıvel c˜ do problema (fen´tipo). o (e) O processo de evolu¸ao executado por um algoritmo gen´tico corresponde a um c˜ e procedimento de busca em um espa¸o de solu¸oes potenciais para o problema. c c˜
  28. 28. 53. Considere as cl´usulas: a L(x, y, g(A, y), D) e L(y, C, g(x, u), z) onde x, y, z, u s˜o vari´veis, A, C, D s˜o constan- a a a tes, g ´ fun¸ao e L ´ predicado. e c˜ e A aplica¸ao das substitui¸oes unificadoras mais gerais para a unifica¸ao das cl´usulas c˜ c˜ c˜ a resulta em: (a) L(C, C, g(A, C), D) (b) L(x, u, g(A, u), D) (c) L(x, C, g(A, C), D) (d) L(u, C, g(A, u), D) (e) L(A, A, g(A, A), D)54. Considere h(x) como uma fun¸ao heur´ c˜ ıstica que define a distˆncia de x at´ a meta; a e considere ainda hr (x) como a distˆncia real de x at´ a meta. h(x) ´ dita admiss´ se a e e ıvel e somente se: (a) ∃n h(n) ≤ hr (n). (b) ∀n h(n) ≤ hr (n). (c) ∀n h(n) > hr (n). (d) ∃n h(n) > hr (n). (e) ∃n h(n) < hr (n).55. Inspe¸ao de Usabilidade ´ o nome gen´rico para um conjunto de m´todos baseados em c˜ e e e se ter avaliadores inspecionando ou examinando aspectos relacionados a usabilidade de ` uma interface de usu´rio. Qual das alternativas a seguir n˜o ´ um desses m´todos: a a e e (a) Avalia¸ao Heur´ c˜ ıstica. (b) Walktrough Plural´ ısticos. (c) Walktrough Cognitivo. (d) Testes de Usabilidade. (e) Revis˜es de Guidelines. o
  29. 29. 56. Modelos gr´ficos, desenvolvidos para uso humano em displays convencionais devem ser a representados em uma superf´ bi-dimensional. As principais pistas perceptuais de ıcie profundidade que podem ser usadas para representar objetos tridimensionais em uma tela bidimensional s˜o: a (I) tamanho e textura; (II) contraste, claridade e brilho; (III) interposi¸ao, sombra e paralaxe do movimento. c˜ Considerando-se as trˆs afirma¸oes (I), (II) e (III) acima, identifique a unica alternativa e c˜ ´ v´lida: a (a) Somente as afirma¸oes (I) e (II) est˜o corretas. c˜ a (b) Somente as afirma¸oes (II) e (III) est˜o corretas. c˜ a (c) Somente as afirma¸oes (I) e (III) est˜o corretas. c˜ a (d) As afirma¸oes (I), (II) e (III) est˜o corretas. c˜ a (e) Somente a afirma¸ao (III) est´ correta. c˜ a57. O desenvolvimento de prot´tipos de sistemas e suas interfaces de usu´rio possibilitam o a aos designers e desenvolvedores experimentarem id´ias de design e receberem feed- e back do usu´rio em diferentes etapas do design e desenvolvimento. V´rios tipos de a a prototipa¸ao s˜o utilizados: c˜ a (I) Na prototipa¸ao vertical, a interface de usu´rio ´ mostrada ao usu´rio em uma c˜ a e a s´rie de representa¸oes pict´ricas da interface chamadas storyboards; e c˜ o (II) Na prototipa¸ao dirigida (Chauffeured Prototyping), o usu´rio observa enquanto c˜ a uma outra pessoa, usualmente um membro da equipe de desenvolvimento, interage com o sistema; (III) Na prototipa¸ao M´gico de Oz, o usu´rio interage com a interface do sistema, c˜ a a mas em lugar de respostas do sistema, estas s˜o enviadas por um desenvolvedor a sentado em outra m´quina. a Considerando-se as trˆs afirma¸oes acima, identifique a unica alternativa v´lida: e c˜ ´ a (a) Somente as afirma¸oes (I) e (II) est˜o corretas. c˜ a (b) Somente as afirma¸oes (II) e (III) est˜o corretas. c˜ a (c) Somente as afirma¸oes (I) e (III) est˜o corretas. c˜ a (d) As afirma¸oes (I), (II) e (III) est˜o corretas. c˜ a (e) Somente a afirma¸ao (III) est´ correta. c˜ a
  30. 30. 58. Considere o esquema abaixo para download de um fluxo de audio na Internet. Considere ´ tamb´m que o Media Server envia o fluxo de audio a uma taxa maior do que a taxa e ´ do Media Player. P0 M´quina Cliente a M´quina Servidora a P1 Buffer P2 Media Media Player Server (I) (II)(III) Marcador Marcador ´ de Agua Baixo ´ de Agua Alto(IV) (MAB) (MAA) Na abordagem de servidor push, o Media Player envia uma mensagem para o Media Server quando o buffer atinge o MAA para o Media Server parar temporariamente de transmitir o fluxo, e outra mensagem quando o buffer esvazia at´ o MAB para o Media e Server come¸ar a enviar o fluxo novamente. c Supondo que o Media Server est´ a uma distˆncia de 100 ms do Media Player, que o a a Media Server transmite a 1,6 Mbps e que o Media Player tem um buffer de 1 MB, que condi¸oes as posi¸oes de MAA e MAB devem satisfazer? c˜ c˜ (a) MAA ≥ 40 KB e MAB ≤ 980 KB. (b) MAA ≥ 20 KB e MAB ≤ 960 KB. (c) MAA ≥ 40 KB e MAB ≤ 960 KB. (d) MAA ≥ 20 KB e MAB ≤ 980 KB. (e) MAA ≥ 20 KB e MAB ≤ 1 MB.
  31. 31. 59. O processo de an´lise de imagens ´ uma seq¨ˆncia de etapas que s˜o iniciadas a partir a e ue a da defini¸ao do problema. A seq¨ˆncia correta destas etapas ´: c˜ ue e (a) pr´-processamento, aquisi¸ao, segmenta¸ao, representa¸ao, reconhecimento. e c˜ c˜ c˜ (b) aquisi¸ao, pr´-processamento, segmenta¸ao, representa¸ao, reconhecimento. c˜ e c˜ c˜ (c) aquisi¸ao, pr´-processamento, representa¸ao, segmenta¸ao, reconhecimento. c˜ e c˜ c˜ (d) aquisi¸ao, representa¸ao, pr´-processamento, segmenta¸ao, reconhecimento. c˜ c˜ e c˜ (e) pr´-processamento, aquisi¸ao, representa¸ao, segmenta¸ao, reconhecimento. e c˜ c˜ c˜60. O termo imagem se refere a uma fun¸ao bidimensional de intensidade de luz, denotada c˜ por f (x, y), onde o valor ou amplitude de f nas coordenadas espaciais (x, y) repre- senta a intensidade (brilho) da imagem neste ponto. Para que uma imagem possa ser processada num computador, a fun¸ao f (x, y) deve ser discretizada tanto espacial- c˜ mente quanto em amplitude. Estes dois processos recebem as seguintes denomina¸oes, c˜ respectivamente: (a) transla¸ao e escala. c˜ (b) resolu¸ao e escala. c˜ (c) resolu¸ao e amplia¸ao. c˜ c˜ (d) amostragem e quantiza¸ao. c˜ (e) resolu¸ao e quantiza¸ao. c˜ c˜61. Qual a capacidade m´xima segundo o Teorema de Nyquist de um canal de 2 MHz sem a ru´ ıdo, se sinais de 8 (oito) n´ ıveis s˜o transmitidos? a (a) 4 Mbps (b) 6 Mbps (c) 8 Mbps (d) 12 Mbps (e) 16 Mbps
  32. 32. 62. A aplica¸ao A deseja enviar a mensagem m para a aplica¸ao B com as propriedades c˜ c˜ de confidencialidade e autentica¸ao de seu conte´ do, usando chaves assim´tricas. A c˜ u e possui a chave p´ blica PUBA e a chave privada PRIA , e B possui a chave p´ blica u u PUBB e a chave privada PRIB . Para isso: (I) A criptografa m usando PUBB e depois PRIA . (II) A criptografa m usando PUBB e depois PUBA . (III) A criptografa m usando PRIA e depois PUBB . (IV) A criptografa m usando PUBA e depois PUBB . Est˜o corretas: a (a) Somente (I) e (II). (b) Somente (II) e (IV). (c) Somente (I) e (III). (d) Somente (III) e (IV). (e) Todas as alternativas.63. Os protocolos de transporte atribuem a cada servi¸o um identificador unico, o qual c ´ ´ empregado para encaminhar uma requisi¸ao de um aplicativo cliente ao processo e c˜ servidor correto. Nos protocolos de transporte TCP e UDP, como esse identificador se denomina? (a) Endere¸o IP. c (b) Porta. (c) Conex˜o. a (d) Identificador do processo (PID). (e) Protocolo de aplica¸ao. c˜64. O DNS (Domain Name System) ´ um servi¸o de diret´rios na Internet que: e c o (a) Traduz o nome de um hospedeiro (host) para seu endere¸o IP. c (b) Localiza a institui¸ao a qual um dado host pertence. c˜ ` (c) Retorna a porta da conex˜o TCP do host. a (d) Retorna a porta da conex˜o UDP do host. a (e) Traduz o endere¸o IP de um hospedeiro para um nome de dom´ c ınio na Internet.
  33. 33. 65. Um dos mecanismos de congestionamento na rede ´ o que utiliza temporizadores de e transmiss˜o e duas vari´veis chamadas de: Janela de Congestionamento e Patamar. A a a Janela de Congestionamento imp˜e um limite a quantidade de tr´fego que um host pode o ` a enviar dentro de uma conex˜o. O Patamar ´ uma vari´vel que regula o crescimento da a e a Janela de Congestionamento durante as transmiss˜es daquela conex˜o. o a Assinale a alternativa correta: (a) A quantidade de mensagens n˜o confirmadas na transmiss˜o, num dado instante, a a deve ser superior ao m´ınimo entre a Janela de Congestionamento e a Janela de Recep¸ao desta conex˜o. c˜ a (b) A Janela de Congestionamento dobra de tamanho (cresce exponencialmente) quando a confirma¸ao das mensagens enviadas ocorre antes dos temporizadores c˜ de retransmiss˜o se esgotarem (time-out), at´ o limite do Patamar. a e (c) Ap´s exceder o valor de Patamar ainda sem esgotar os temporizadores, a janela o decresce linearmente. (d) Quando excede o valor de Patamar e esgotam os temporizadores, a janela decresce exponencialmente. (e) Todas as alternativas est˜o corretas. a66. Algoritmos de roteamento s˜o o meio que um roteador utiliza para encaminhar men- a sagens na camada de rede. Assinale a alternativa incorreta. (a) Nos algoritmos de roteamento est´ticos as rotas s˜o determinadas via tabelas a a definidas a priori e fixadas para o roteador, em geral manualmente. (b) No roteamento de Estado de Enlace (Link State), os valores dos enlaces s˜o cal- a culados pelo projetista da rede e os roteadores atualizam suas tabelas por estes valores. (c) No roteamento por Vetor de Distˆncia (Distance Vector), as tabelas de roteamento a definidas pelos roteadores vizinhos s˜o repassadas periodicamente a cada roteador a para obten¸ao de sua pr´pria tabela. c˜ o (d) Algoritmos de roteamento buscam estabelecer o caminho de menor custo entre dois hosts atrav´s do c´lculo dos custos acumulados m´ e a ınimos entre os enlaces dispon´ ıveis, dada a topologia da rede. (e) O OSPF ´ um exemplo de protocolo de roteamento baseado em Estado de Enlace e e o BGP ´ um exemplo de protocolo de roteamento baseado em Vetor de Distˆncias. e a
  34. 34. 67. Sejam as afirma¸oes: c˜ (I) O HTTP e o FTP s˜o protocolos da camada de aplica¸ao e utilizam o protocolo a c˜ de transporte TCP. (II) Ambos (HTTP e FTP) utilizam duas conex˜es TCP, uma para controle da trans- o ferˆncia e outra para envio dos dados transferidos (controle fora da banda). e (III) O HTTP pode usar conex˜es n˜o persistentes e persistentes. O HTTP/1.0 usa o a conex˜es n˜o persistentes. O modo default do HTTP/1.1 usa conex˜es persistentes. o a o Dadas estas trˆs afirma¸oes, indique qual a alternativa correta: e c˜ (a) (I), (II) e (III) s˜o verdadeiras. a (b) Somente (I) e (II) s˜o verdadeiras. a (c) Somente (I) ´ verdadeira. e (d) Somente (I) e (III) s˜o verdadeiras. a (e) (I), (II) e (III) s˜o falsas. a68. Segundo o W3C (World Wide Web Consortium), um Servi¸o Web ´ um sistema de c e software projetado para permitir a intera¸ao entre m´quinas numa rede. Selecione a c˜ a afirma¸ao incorreta sobre Servi¸os Web: c˜ c (a) A interface do Servi¸o Web ´ descrita em WSDL. c e (b) A representa¸ao dos dados ´ feita em XML. c˜ e (c) O transporte das mensagens ´ feito tipicamente pelo HTTP. e (d) Pode-se compor Servi¸os Web atrav´s de orquestra¸ao de servi¸os. c e c˜ c (e) Cliente e Servidor devem ser escritos na mesma linguagem de programa¸ao. c˜
  35. 35. frag replacements M´quina Cliente a Media Player Buffer 69. Considere o diagrama espa¸o-tempo da Figura 2; ele representa uma computa¸ao dis- c c˜ Marcador ´ tribu´ de Agua Baixo ıda onde os eventos de cada processo s˜o rotulados por rel´gios l´gicos que aten- a o o dem (MAB) a defini¸ao de rel´gio l´gico realizada por Leslie Lamport. Cada processo imple- ` c˜ o o menta o seu rel´gio l´gico e usa um incremento diferente do usado pelos demais; os o o Marcador ´ incrementos de Agua Alto utilizados por P0 , P1 e P2 podem ser determinados a partir dos r´tulos o dos (MAA) eventos rotulados que aparecem na Figura 2. Qual das alternativas apresenta os tempos l´gicos para os eventos n˜o rotulados de cada processo?M´quina Servidora a o a 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 MediaP0 Server 0 7 P1 (I) (II) (III) P2 (IV) 0 5 10 15 20 25 30 35 Figura 2: Diagrama espa¸o-tempo. c (a) P1 (14, 21, 28, 35, 42, 49, 56, 63, 70) P2 (40, 45, 50) (b) P1 (14, 21, 28, 35, 42, 67, 74, 81, 88) P2 (40, 79, 84) (c) P1 (8, 15, 22, 29, 36, 61, 68, 75, 88) P2 (40, 69, 74) (d) P1 (8, 15, 22, 29, 36, 43, 50, 57, 64) P2 (40, 45, 50) (e) P1 (8, 15, 22, 29, 36, 49, 56, 63, 70) P2 (40, 45, 50)
  36. 36. 70. A abordagem geral para tolerˆncia a falhas ´ o uso de redundˆncia. Considere as a e a afirma¸oes a seguir: c˜ (I) Um exemplo de redundˆncia de informa¸ao ´ o uso de bits extras para permitir a c˜ e a recupera¸ao de bits corrompidos. c˜ (II) Redundˆncia de tempo ´ util principalmente quando as falhas s˜o transientes ou a e´ a intermitentes. (III) Um exemplo de redundˆncia f´ a ısica ´ o uso de processadores extras. e (IV) O uso de processadores extras pode ser organizado com replica¸ao ativa ou backup c˜ prim´rio. a Est˜o corretas: a (a) Somente as afirma¸oes (I),(II) e (III). c˜ (b) Somente as afirma¸oes (I), (II) e (IV). c˜ (c) Somente as afirma¸oes (I), (III) e (IV). c˜ (d) Somente as afirma¸oes (II), (III) e (IV). c˜ (e) Todas as afirma¸oes. c˜

×