Produção de texto - Percursos da escrita - Texto argumentativo

14,191 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
14,191
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
7
Actions
Shares
0
Downloads
353
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Produção de texto - Percursos da escrita - Texto argumentativo

  1. 1. Percursos da escrita Ficha informativa1ª etapa: Planificação (a planificação exige um percurso com váriosmomentos)1º momentoEscolhido o assunto a desenvolver, deve registar todas as ideias que lhevierem à mente sem qualquer preocupação de ordenação. É uma listagemdesordenada.2º momentoReleia a listagem e, tendo em mente o assunto escolhido seleccione apenas asideias e as frases que são úteis, pondo de parte as inúteis e supérfluas. Nemtudo o que escreveu no primeiro momento interessa.3º momento Seleccionadas as ideias, há que colocá-las por uma determinada ordemporque um texto é um tecido ordenado. O caminho a seguir pode ser duplo: domais importante para o menos importante ou vice-versa. A ordenação deve servisível.4º momento Da posse dos dados anteriores, é a altura de traçar o plano do texto. Deforma geral, o texto deve ser estruturado nos três momentos clássicos:introdução, desenvolvimento e conclusão. A introdução deve indicar o assunto que vai ser desenvolvido e o plano quese vai seguir. Deve ocupar um ou dois parágrafos. O desenvolvimento retoma as ideias já seleccionadas, desenvolve-as, demodo que haja dinâmica e progressão, exemplifica para tornar mais evidente arealização do tema e estabelece as relações de semelhança ou de oposição,de causa ou consequência, ou outras, utilizando os conectores do discurso,indicados abaixo. A conclusão é importante porque deixa a última impressão.2ª etapa: a redacçãoÉ necessário recordar algumas normas.a) As frases devem ser completas.b) A cada ideia completa deve corresponder um parágrafo.c) Para a expressão lógica das ideias, é preciso utilizar com cuidado: • a coordenação e a subordinação. (O uso sistemático da coordenação, sobretudo da conjunção e, torna o discurso pobre e próximo da língua falada.) • os conectores ou os articuladores do discurso. Eis os principais.Para explicitar:isto é, ou antes, ou melhor, neste caso, sendo assim, por vezes, aliás, etc. Para provar:com efeito, sem dúvida, na verdade, deste modo, efectivamente, etc.Para exemplificar:por exemplo, importa salientar, assim, tome-se como exemplo, etc.Para reforçar ideias:além disso, como já foi dito, por esta razão, etc.Para atenuar, restringir ou opor ideias: mas, no entanto, pelo menos, todavia, contudo, ressalve-se, etc.Para concluir: 1
  2. 2. finalmente, em conclusão, consequentemente, etc.3ª etapa: a revisão Os grandes escritores confessam que revêem várias vezes os seusoriginais. Após ter escrito o seu texto, também vai ter necessidade de fazeruma revisão para corrigir determinadas faltas.a) A ortografia Há, por vezes, palavras mal escritas ou sobre as quais temos dúvidas. Seránecessário consultar um dicionário, se não formos capazes de as resolver.b) A acentuação Todas as palavras estão bem acentuadas? No caso de dúvida, consulte-seo dicionário.c) As repetições Quantas vezes se repetiu a mesma palavra? Como é que se podem evitaras repetições? Temos à mão os pronomes que podem substituir os nomes; temos à mão ossinónimos de palavras repetidas; por vezes, a omissão da palavra repetida é asolução. Lembremos o caso dos verbos que, em certos contextos, implicam osujeito não expresso.d) A pontuação É necessário dominar as regras da pontuação.e) O vocabulário Quando escrevemos um texto, devemos evitar dois defeitos: o uso depalavras banais e o uso de palavras ditas "difíceis". No primeiro caso, o textoserá muito pobre e poderá confundir-se com um texto oral; no segundo caso, éerrado pensar que o texto vale mais por conter palavras "difíceis". O melhormétodo é saber escolher os vocábulos mais adequados às ideias quequeremos exprimir. A revisão do texto escrito permite a selecção do melhorvocabulário.f) A expressividade Na alínea anterior já se evidenciou a necessidade de saber usar umvocabulário preciso. Agora insiste-se na expressividade, isto é, numa qualidade que torna o textomais belo. Não se pedem textos de nível literário, mas que sejam usadosalguns recursos já conhecidos, como, por exemplo, a personificação, acomparação, a metáfora, etc. A expressividade resulta da conjugação de vários factores, desde ovocabulário com maior capacidade de significação, a combinação dacoordenação e da subordinação, até às figuras de estilo, usadas commoderação e saber. A título de exemplo, vejamos uma frase de Miguel Torgausada no conto Natal (Novos Contos da Montanha): "Agora albergar o corpo e matar o sono naquele santuário colectivo da fome,podiam" Não é difícil destacar a expressividade do vocabulário; mas o que chama deimediato a nossa atenção é a rica expressão "santuário colectivo da fome".Com palavras simples, Miguel Torga exprimiu a ideia da pobreza de toda agente de uma forma extremamente bela. É necessário usar a nossa imaginação e a nossa criatividade.g) A caligrafia 2
  3. 3. Nunca é de mais salientar a necessidade de escrever de forma legível. Quemá impressão nos causa uma caligrafia tosca, mal desenhada, por vezesindecifrável! Parece que já não se aprende a desenhar as letras correctamente.Quem lê manuscritos antigos não deixa de se deleitar com a beleza de umacaligrafia com requinte de arte. O que se pede é que se escreva de forma bemlegível.Os Cinco Pecados da Composição • Ordenação de ideias: A falta do hábito de escrever, leva a que muitas vezes o texto fique sem encadeamento e pode ficar incompreensível. O que sucede é que o aluno parte de uma ideia para outra sem critério, sem ligação. • Coerência e coesão: A falta de coerência ocorre com frequência nos textos dos alunos. Apresentam um argumento para contradizê-lo mais adiante. Já a redundância denuncia outro erro bastante comum: falta de coesão. O aluno dá voltas ao assunto, sem acrescentar dado novo. É típico de quem não tem informação suficiente para compor o texto. • A inadequação: É um tipo de erro capaz de aparecer inclusive em textos correctos na gramática e ortografia e coerentes na estrutura. Nesse caso, os alunos costumam fugir ao tema proposto, escolhendo outro argumento, com o qual tenham maior afinidade. O distanciamento do assunto pode custar pontos importantes na avaliação • Estrutura dos parágrafos: Normalmente os alunos têm dificuldades em organizar o texto em parágrafos. Sem a definição de uma ideia em cada parágrafo, o texto fica mal estruturada. Um erro muito comum é cortar a ideia num parágrafo para a concluir no seguinte. Muitas vezes deixam o pensamento sem conclusão. • Estrutura das frases: Erros de concordância nos tempos verbais, fragmentação da frase, separar o sujeito de predicado, utilização incorrecta de verbos no gerúndio e particípio são algumas das falhas mais comuns nos textos dos nossos alunos. Esses erros comprometem a estrutura das frases e prejudicam a compreensão do texto.Dissertação Consiste numa exposição e desenvolvimento de ideias a respeito de umdeterminado assunto. É preciso dominar o assunto, possuir argumentosfundamentados e uma boa colocação de ideias. Baseia-se na argumentação; é um texto argumentativo. Parte de umaideia, tema. Tem como dever: expor, analisar, explicar, criticar, classificar,defender. Dissertação: uma tarefa difícil? Tipos de raciocínio num texto argumentativo: indutivo do particular para o geral dedutivo do geral para o particular ( hipotético dedutivo...) 3
  4. 4. Técnicas argumentativas 1. Argumentos sustentados por uma citação de alguém que jáescreveu sobre o assunto. 2. Argumentos por comprovação, que são sustentados por factos reais ou dados competentes. 3. Argumentos por raciocínio lógico, que são sustentados por uma relação de causa e consequência; tentam persuadir o leitor a partir da relação entre as ideias. 4. Argumentos por comparação e/ou contraste. Elementos qualificadores do texto dissertativo • Concisão O texto conciso é aquele que transmite um máximo de informações com um mínimo possível de palavras sem prejuízo da compreensão. • Coesão União entre as partes de um todo, conexão. • Coerência • Resultado da presença de coesão entre as ideias expressas no texto e da perfeita ligação entre a ideia principal e as secundárias. • Unidade Elemento que garante a lógica entre as partes. Para fazer um texto dissertativoDeve-se percorrer três etapas para fazer o texto dissertativo.A primeira é definir um ponto de vista sobre o tema proposto. Ou seja,identificar claramente o que pensa a respeito do assunto.A partir daí, é preciso pensar em argumentos capazes de sustentar a ideia.O último passo é a escolha de uma experiência pessoal que ilustre aargumentação apresentada no texto. – O exemplo é extraído da realidade,enquanto o argumento é obtido por meio do raciocínio.Como se constrói um texto argumentativo?I - Estrutura do texto / Progressão temática1. Introdução: Parágrafo inicial no qual se apresenta a proposição (tese, opinião,declaração).Deve ser apresentada de modo afirmativo, claro e bem definido, sem referir aindaquaisquerrazões ou provas.2. Desenvolvimento: Análise/explicitação da proposição apresentada; apresentaçãodosargumentos que provam a verdade da proposição: factos, exemplos, citações,testemunhos,dados estatísticos.3. Conclusão: Parágrafo final, no qual se conclui com uma síntese da demonstraçãofeita nodesenvolvimento. 4
  5. 5. II - Escolha e ordenação dos argumentosPara uma correta construção argumentativa, é fundamental a escolha dos argumentosquesuportam a demonstração da verdade da tese. Eles devem ser pertinentes ecoerentes, apresentados de forma lógica e articulada. Assim deve-se:• encontrar os argumentos adequados;• recorrer, sempre que possível e desejável, à exemplificação, à citação, à analogia, àsrelaçõescausa-efeito;• organizar os argumentos por ordem crescente de importância, do menos para o maisimportante.III - Adequação do texto ao objetivo e ao destinatárioA construção de um texto argumentativo deve ter em conta a sua finalidade e tambémoleitor/ouvinte ao qual se destina (para informar, convencer, emocionar). Deve, pois:• usar um registo adequado à situação e ao destinatário;• utilizar referências de conteúdo que o destinatário possui, de forma a que este opossa interpretar corretamente.IV - Articulação e progressão do discursoO texto deve apresentar-se como um todo coeso e articulado, através doestabelecimento de umarede de relações lógicas entre as palavras, as frases, os períodos e os parágrafos queo constituem. Deve, além disso, recorrer a processos de substituição, usando palavrasou expressões no lugar de outras usadas anteriormente. Deve igualmentecorresponder à construção de um raciocínio que se vai desenvolvendo gradualmente.Estas características são conseguidas através da correta utilização e combinação doselementos linguísticos do texto:• correta estruturação e ordenação das frases;• uso correto dos conectores do discurso;• respeito pelas regras de concordância;• uso adequado dos pronomes que evitam as repetições do nome;• utilização de um vocabulário variado, com recurso a sinónimos, antónimos,hiperónimos ehipónimos.A progressão e articulação do texto é conseguida sobretudo através do uso deconectores ouarticuladores do discurso que vão fazendo progredir o texto de uma forma coerente earticulada.Conectores do discursoVimos que, para cumprir o seu objetivo - persuadir - o texto argumentativo deveapresentar-se como uma construção lógica, na qual o raciocínio é apresentado deforma progressiva e articulada. Para isso, é fundamental uma boa utilização dosarticuladores ou conectores do discurso - advérbios, locuções adverbiais,conjunções, locuções conjuncionais e mesmo orações completas. Alguns desses 5
  6. 6. articuladores, utilizados em qualquer tipo de texto, são recorrentes no textoargumentativo. 6

×