Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Escola Secundária Artística António Arroio Português  2010/2010 Andreia Pata Nº 6 11º K Caça às Bruxas
Introdução <ul><li>Iniciada no séc. XV, prolongou-se ainda pelos três séculos seguintes, praticada especialmente na Aleman...
Início da Caça <ul><li>No início do século XIV, começaram a surgir rumores e pânico sobre conspirações que estariam a tent...
Início da Caça <ul><li>Em 1550, com o fortalecimento dos estados protestantes a perseguição cresce vertiginosamente, ating...
A Bruxa Antiga <ul><li>Antigamente, era definida como bruxa ou feiticeira a pessoa com conhecimentos sobre o emprego de pl...
Crimes Inocentes <ul><li>As vítimas eram acusadas de praticar crimes sexuais contra os homens, tendo feito um “pacto como ...
Crimes Inocentes <ul><li>Alguns itens contidos no  Malleus Maleficarum  que tornavam as pessoas vulneráveis à acção da Inq...
Livro de Julgamento <ul><li>O Martelo das Bruxas (Malleus Maleficarum) foi o manual escrito por dois inquisidores dominica...
Livro de Julgamento <ul><ul><li>Ensinava os inquisidores a reconhecerem as bruxas nos seus múltiplos disfarces e atitudes;...
Condenações <ul><li>Os suspeitos, eram presos e considerados culpados até provarem a sua inocência  e o processo de acusaç...
 
Condenações <ul><li>Nos casos mais extremos, amarravam-se os suspeitos em cadeiras ou objetos de peso, atirando-os ao rio....
Conclusão  <ul><li>Apesar de todos este horrores, apenas em  1782  a última  fogueira foi acesa, na Suíça , três séculos d...
Bibliografia <ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Bruxaria </li></ul><ul><li>http://www.espacoacademico.com.br/053/53angel...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

A Caça às Bruxas

2,393 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

A Caça às Bruxas

  1. 1. Escola Secundária Artística António Arroio Português 2010/2010 Andreia Pata Nº 6 11º K Caça às Bruxas
  2. 2. Introdução <ul><li>Iniciada no séc. XV, prolongou-se ainda pelos três séculos seguintes, praticada especialmente na Alemanha, Suíça, França e Inglaterra. </li></ul><ul><li>Foi a maior perseguição feita pela igreja católica desde o tempo das cruzadas, onde todas as antigas religiões pagãs e matriarcas eram tidas como satânicas. </li></ul><ul><li>Todos aqueles que eram considerados como hereges eram presos, torturados e mortos, tendo o seu números ficado entre os 9 milhões de vítimas. </li></ul>
  3. 3. Início da Caça <ul><li>No início do século XIV, começaram a surgir rumores e pânico sobre conspirações que estariam a tentar destruir os reinos cristãos através de magia e envenenamento. </li></ul><ul><li>Depois da enorme devastação causada pela peste negra, esses rumores aumentaram e passaram a centralizar-se mais nas bruxas e nos &quot;propagadores de praga&quot;. </li></ul><ul><li>Os casos de processo por bruxaria foram aumentando de forma constante, até que os primeiros julgamentos em massa apareceram na segunda metade do século XV. </li></ul>
  4. 4. Início da Caça <ul><li>Em 1550, com o fortalecimento dos estados protestantes a perseguição cresce vertiginosamente, atingindo níveis alarmantes, especialmente no período que vai de 1550 a 1650. </li></ul><ul><li>A sua base ou lei fundamental era um excerto retirado do Antigo Testamento, êxodo (22,18) “Não deixarás viver a feiticeira”. </li></ul>
  5. 5. A Bruxa Antiga <ul><li>Antigamente, era definida como bruxa ou feiticeira a pessoa com conhecimentos sobre o emprego de plantas medicinais ou cura de doenças e epidemias. Estas mulheres eram, muitas vezes as parteiras, enfermeiras e assistentes, a única possibilidade de atendimento médico das comunidades em que viviam. </li></ul><ul><li>Porém, criou-se uma histeria generalizada na população, de forma que muitas das mulheres acusadas passavam a acreditar que eram mesmo bruxas e que possuíam um “pacto com o demónio”. </li></ul><ul><li>Em média, 20% das vítimas pertenciam ao sexo masculino e os restantes 80% ao feminino (crianças ou adultos ). </li></ul>
  6. 6. Crimes Inocentes <ul><li>As vítimas eram acusadas de praticar crimes sexuais contra os homens, tendo feito um “pacto como demónio”; </li></ul><ul><li>Eram culpadas por se organizarem em grupos – geralmente reuniam-se para trocar conhecimentos; </li></ul><ul><li>Outra acusação seria a posse de “poderes mágicos”, que provocavam problemas de saúde na população, problemas espirituais e catástrofes naturais; </li></ul><ul><li>Além disso, o facto dessas mulheres usarem os seus conhecimentos para a cura, despertava a ira da instituição médica masculina, que viu na Inquisição um bom método de eliminar a sua concorrência. </li></ul>
  7. 7. Crimes Inocentes <ul><li>Alguns itens contidos no Malleus Maleficarum que tornavam as pessoas vulneráveis à acção da Inquisição: </li></ul><ul><ul><ul><li>Difamação por várias pessoas que afirmassem que o acusado era bruxo (bastavam três); </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Se um bruxo desse testemunho de que o acusado também era bruxo; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Se o suspeito fosse filho, irmão, servo, amigo, vizinho ou antigo companheiro de um bruxo; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Se fosse encontrada a marca suspeita no acusado. </li></ul></ul></ul>
  8. 8. Livro de Julgamento <ul><li>O Martelo das Bruxas (Malleus Maleficarum) foi o manual escrito por dois inquisidores dominicanos e publicado em 1487, tendo como único propósito a perseguição das bruxas; </li></ul><ul><li>Foi considerado o tratado mais importante alguma vez publicado no que diz respeito à perseguição da bruxaria, que ensinava os juízes a julgarem e condenarem todos os suspeitos de feitiçaria, dando especial atenção às mulheres; </li></ul><ul><li>Era dividido em três partes, cada uma correspondente a uma área específica: </li></ul>
  9. 9. Livro de Julgamento <ul><ul><li>Ensinava os inquisidores a reconhecerem as bruxas nos seus múltiplos disfarces e atitudes; </li></ul></ul><ul><ul><li>Expunha todos os tipos de malefícios, classificando-os e explicando-os; </li></ul></ul><ul><ul><li>Explicava as formalidades para agir “legalmente” contra as bruxas, demonstrando como inquiri-las e condená-las. </li></ul></ul><ul><li>Além disso, continha explicações que iam desde a fundamentação teológica da inferioridade feminina até detalhes sobre como interrogar as bruxas para determinar a sua culpa também e instruções detalhadas de como torturar os acusados para que confessassem seus supostos crimes. </li></ul>
  10. 10. Condenações <ul><li>Os suspeitos, eram presos e considerados culpados até provarem a sua inocência e o processo de acusação, julgamento e execução era rápido, sem formalidades e sem direito a defesa. </li></ul><ul><li>Eram usados, entre outros, os métudos de: </li></ul><ul><ul><ul><li>Tortura </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Fogueira </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Enforcamento ou decapitação </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Afogamento </li></ul></ul></ul>
  11. 12. Condenações <ul><li>Nos casos mais extremos, amarravam-se os suspeitos em cadeiras ou objetos de peso, atirando-os ao rio. Se o acusado não afundasse, era a prova de que o Diabo o protegia, sendo entregue à fogueira; caso se afogasse, estaria antecipada a justiça divina; </li></ul><ul><li>Em várias cidades as escolas foram fechadas, com o pretexto de serem postos que serviam às crianças para trocarem conhecimentos mágicos proibidos entre si. </li></ul><ul><li>Os casos mais conhecidos foram de: </li></ul>Joana D'Arc Galileu Galilei
  12. 13. Conclusão <ul><li>Apesar de todos este horrores, apenas em 1782 a última fogueira foi acesa, na Suíça , três séculos desde o primeiro julgamento. </li></ul><ul><li>Durante quatro séculos inocentes foram executados pelas autoridades sedentas de sangue da Igreja, que ensinavam que seu Deus era um Deus de amor e compaixão. </li></ul><ul><li>Tendo um significado religioso, político e sexual, a caça às bruxas foi uma das maiores manchas na sociedade e religião da Europa. </li></ul>
  13. 14. Bibliografia <ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Bruxaria </li></ul><ul><li>http://www.espacoacademico.com.br/053/53angelin.htm </li></ul><ul><li>http://www.spectrumgothic.com.br/ocultismo/inquisicao.htm </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Bruxa </li></ul><ul><li>http://www.infoescola.com/historia/caca-as-bruxas/ </li></ul><ul><li>http://www.emporiowicca.com.br/fogueira.html </li></ul><ul><li>http://volperine.multiply.com/journal/item/81 </li></ul><ul><li>http://pt-br.policia.wikia.com/wiki/Santa_Inquisiçao%C3%A7%C3%A3o_-_vergonha_da_Igreja </li></ul><ul><li>http://marged.vilabol.uol.com.br/inquisicao.html </li></ul><ul><li> http--oqueacontecenasigrejas.blogspot.com-2011-02-fotos-de-instrumentos-de-tortura-de.html </li></ul>

×