Declaração do Secretariado de Coordenação Internacional da FLTICom a insurreição de massas, com suas milícias e uma heróic...
Khadafy. A rebelião em Misarrata era para opor-se a que o CNT o nomeie como chefe de segurança em Trípoli.Seu grito de gue...
A imprensa imperialista quer justificar agora a possibilidade de uma invasão por terra da OTAN e desuas burguesias lacaias...
Outros, não menos serventes do imperialismo, envenenam a consciência da classe operária fazendo-lheacreditar que há “revol...
nem muito menos que no Egito e na Tunísia se desarme à casta de oficiais e que se chegue tão longe como naLíbia para lutar...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Libia 31 08-2011

432 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
432
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
82
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Libia 31 08-2011

  1. 1. Declaração do Secretariado de Coordenação Internacional da FLTICom a insurreição de massas, com suas milícias e uma heróica guerra civil, os explorados estão esmagando aoregime de Khadafy, o mais fiel servente do imperialismo por mais de 40 anos… A queda de Khadafy, como ontem as de Mubarak e Ben Alí no Egito e na Tunísia, é um triunfo das massas exploradasNão permitamos que o imperialismo e seus lacaios expropriem a revolução em Líbia: Fora o CNT, com seus generais e políticos khadafistas assassinos!Eles, como ontem com Khadafy, vêm da mão da OTAN a aprofundar o saqueio do petróleo e o gás de Líbia por conta do imperialismo Começaram mobilizações armadas das massas revolucionárias em Misarrata contra os generais do CNT.Rebelam-se os que deram sua vida no campo de batalha ao grito de: Fora Shkal! Responsável pela segurançaem Trípoli nomeado pelo CNT, até poucas semanas um assassino e torturador do exército de Khadafy comogeneral da 32º brigada que esteve sob o comando do açougueiro Khamis, filho de Khadafy! Como gritam os milicianos: O sangue dos mártires não será negociada! Aos chefes e oficiais elegem-nos os que combatemos, as milícias dos trabalhadores e o povo pobre e os soldados rasos!Como declaram os insurrectos em Trípoli, que já começaram a enfrentar ao CNT e seus generais, até faz horas khadafistas, “a insurreição triunfou, mas a revolução recém começa” Fora a OTAN! As armas não se entregam! As milícias não se dissolvem! Por um governo provisório revolucionário das milícias operárias e populares, os comitês de soldados rasos e os comitês operários e populares de toda a Líbia que exproprie ao imperialismo e a burguesia! Uma só revolução socialista no Norte da África e Oriente Médio!A OTAN, as potências imperialistas e os generais khadafistas “passados” a último momento ao CNTestão em uma carreira a contra-relógio para instalar seu governo contra as massas, que são as únicasque deram suas vidas e combateram para esmagar a Khadafy. Mas, se é a OTAN e os velhos sócios deKhadafy, agora no CNT, os que o sustentaram durante décadas e o único que fizeram e fazem é negociarsua saída ordenada do poder! Hoje puseram uma recompensa por sua cabeça, porque temem que antes lhacortem as massas revolucionárias como um troféu que realmente só a elas lhes pertenceForam o imperialismo e a OTAN os que sustentaram a Khadafy, rearmando-o até os dentes, paramassacrar em Trípoli quando se sublevavam em fevereiro as massas revolucionárias de Bengasi e todaLíbia, que chegaram inclusive a queimar o palácio de governo na capital!Foi a OTAN a que sustentou a ofensiva contrarevolucionária das tropas de Khadafy nas portas deBengasi para aterrorizar às massas, para depois tentar controlá-las com “seu” CNT!Foram as tropas da OTAN, com seu “fogo amigo”, as que durante dois meses impediram que as milíciasavancem desde Misarrata a Trípoli!As heróicas milícias revolucionárias chegaram a Trípoli, apesar e na contramão da OTAN e o CNT. São elas asque desarmaram e destruíram os quartéis de Khadafy em toda Líbia e na capital. A milícia toma umacidade, desarma ao exército contrarevolucionário de Khadafy e arma às massas. A OTAN e o CNT só buscarãotomar o poder para desarmar às massas e impor um “novo Khadafy” para seguir saqueando Líbia com duplascorrentes, ou dividi-la entre as diferentes potências imperialistas, desde que consigam esmagar a insurreição dasmassas revolucionárias.As milícias insurrectas não terminam ainda de enterrar a seus mortos do combate contra as forças khadafistas,enquanto a suas costas conspiram a OTAN, as potências imperialistas e seus serventes do CNT tentandoinstalar um governo ilegítimo.Em Misarrata uma mobilização armada de milicianos ganhou as ruas com suas armas ao grito de: Fora Shkal!,um velho oficial khadafista, chefe de operações da 32º Brigada, cujo comandante era o general Khamis, filho de
  2. 2. Khadafy. A rebelião em Misarrata era para opor-se a que o CNT o nomeie como chefe de segurança em Trípoli.Seu grito de guerra foi ”O SANGUE DOS MÁRTIRES NÃO SERÁ TRAÍDA”!As heróicas massas de Misarrata, as que combateram contra Khadafy e a OTAN, que foram as primeiras emchegar a Trípoli e que hoje estão cercando Sirte, já ameaçaram com desobedecer as ordens do CNT. Não permitamos que o imperialismo e seus lacaios do CNT agora expropriem a revolução em Líbia, que está esmagando ao regime khadafista! Fora a OTAN de Obama, Sarkozy e demais açougueiros imperialistas! Desconhecimento imediato de todo governo do CNT em Bengasi, Trípoli e toda Líbia! Desconhecimento de todos seus acordos secretos assinados com o imperialismo a costas das massas insurrectas!Fora os políticos burgueses e os chefes das “tribos” do governo e o regime açougueiro de Khadafy, hoje travestidos de “democráticos”!Fora os oficiais assassinos, que ontem sustentaram a Khadafy e hoje se organizaram como “cavalos de Tróia” para atacar pelas costas às massas insurrectas, sob as ordens dos açougueiros imperialistas da OTAN! Só os milicianos, os trabalhadores e os setores populares, que deixaram seus mártires por dezenas demilhares nas ruas, rotas e covas comuns do assassino Khadafy em Líbia, são os únicos que podem votar e eleger de forma direta a seus chefes e oficiais e destituir-lho em qualquer momento! Tribunais operários e populares para julgar e castigar ao assassino Khadafy, a todos os servidores públicos, ministros e oficiais de seu regime assassino, incluindo a todos os que hoje estão no CNT!Chegou a hora de que tomem o poder os que combateram contra Khadafy, o velho servente dos ianques, Sarkozy e todo o imperialismo europeu! Por um governo provisório revolucionário das milícias operárias e populares, os comitês de soldados rasos e os comitês operários e populares que estão surgindo em toda Líbia!As massas combateram em Líbia, como no Egito, Tunísia e todo o Norte da África e Oriente Médio, paraconquistar o pão e para terminar com as autocracias serventes do imperialismo.Lutamos e demos a vida pelo pão. Agora:Há que expropriar aos expropriadores e saqueadores da riqueza de Líbia!As petroleiras e os bancos devem ser expropriados sem pagamento e postos a funcionar sob controleoperário!Nem uma gota de petróleo, nem um centímetro cúbico de gás devem sair de Líbia se não é com aautorização de um governo provisório das milícias operárias, os comitês de soldados rasos e os comitêsoperários e populares!A burguesia e o imperialismo, agora com o CNT e a OTAN, buscarão desarmar às massas. Eles queremreconstituir a casta de oficiais assassina do regime khadafista, desta vez sob as ordens diretas da OTAN e seusserventes do CNTAs armas não se entregam! As milícias não se dissolvem! Por um congresso nacional das milícias operárias e populares, os conselhos dos bairros de Trípoli, Bengasi e Misarrata, dos comitês operários e os comitês de soldados rasos! Esse é o único poder com legitimidade da ampla maioria da classe operária e os explorados que combateram e estão derrotando a Khadafy nas ruas.A revolução no Norte da África e Oriente Médio, que se estende paraa Europa a Grécia, a Espanha e Inglaterra será operária e socialista, ou não será nada!A revolução líbia deve estar ao serviço de voltar a sublevar às massas do Egito e da Tunísia, e de lutar com os que combatem em Iêmen, na Síria, em Bahrein e na Palestina ocupada!
  3. 3. A imprensa imperialista quer justificar agora a possibilidade de uma invasão por terra da OTAN e desuas burguesias lacaias árabes de Bahrein ou Arábia Saudita. Rasgam-se “as vestiduras” ante o quedizem que é uma “crise humanitária”. Isso o afirma quando estão sendo esmagados Khadafy e seuscúmplices, e não quando eram martirizadas, exploradas, encarceradas as massas de Líbia e suasriquezas eram saqueadas.O cinismo do imperialismo não tem limites. Jamais lhes interessou a crise humanitária.As tropas da OTAN e o imperialismo são os que mandaram a Afeganistão e Iraque à idade média, comgenocídios e massacres, roubando o petróleo. Eles sustentam ao assassino de Assad na Síria, que secobra mais de 100 mortos por dia, bombardeando, com seu exército assassino, à população civilindefesa. Eles sustentam ao estado sionista fascista contrarevolucionário de Israel, que destruiu,demoliu e massacro Gaza e exproprio a terra da nação palestina. Viva a unidade internacionalista da classe operária e os povos do Norte da África, Oriente Médio e Europa!Líbia novamente é a avançada da revolução no Norte da África e Oriente Médio. Todas as forças do imperialismoe as direções traidoras se concentraram para estrangular-la e expropriar-la. Não o podemos permitir!Há que romper o cerco que lhe impuseram a Líbia as burguesias nativas, a OTAN e o imperialismo comas direções traidoras do proletariado mundial! No Egito e na Tunísia as revoluções que começaram com as derrotas de Mubarak e Ben Ali devem triunfar definitivamente. Abaixo o governo dos “notáveis” e dos generais assassinos do exército do Egito! Abaixo o “governo de transição” da Tunísia, continuador do saqueio e a repressão do governo assassino de Ben Ali! Como em Líbia: Há que esmagar aos regimes assassinos, sustentados pelo imperialismo, da Síria, Iêmen e Bahrein! O combate de Líbia deve incendiar Oriente Médio! Pela derrota militar das tropas imperialistas invasoras do Iraque e Afeganistão! Pela destruição do estado sionista fascista de Israel! Brigadas operárias do Egito e da Tunísia para entrar a combater com seus irmãos de Líbia, para terminar de esmagar ao regime de Khadafy, para sustentar ao governo dos insurgentes, para expulsar à OTAN de Obama, Sarkozy e demais açougueiros imperialistas, e a seus lacaios do CNT! Solidariedade internacional com os insurgentes de Líbia! Armas, medicamentos e alimentos, garantidos pelas organizações operárias européias e do mundo!Novos focos revolucionários estouram no planeta. Como nos 70, se pôs de pé a classe operária e a juventudechilena. Eles chamam a combater pela expropriação sem pagamento e sob controle operário do cobrepara ter trabalho, educação e saúde para todos. Esse é o caminho!Há que expropriar sem pagamento às transnacionais, aos banqueiros e ao imperialismo! Há queexpropriar sem pagamento a todas as petroleiras imperialistas que saqueiam o Norte da África e OrienteMédio!A classe operária européia e dos EUA deve parar a máquina de guerra da OTAN, e impedir que seus banqueirose suas transnacionais se roubem os 150 bilhões de dólares em reservas contantes e sonantes, provenientes dopetróleo produzido pelos trabalhadores e a nação líbia que ontem lhes entregara Khadafy!Viva a Grécia e a Espanha das massas exploradas indignadas!Viva a sublevação da juventude operária de Londres!Fora o assassino Obama, o verdadeiro representante de Wall Street que aplica o programa do Tea Party ea contrarevolução anglo-ianque!Fora Sarkozy, os borbons, Cameron, a coroa inglesa e Berlusconi! Morra Maastricht!Fora Piñera! Que viva a revolução operária e socialista em Chile!Fora os bolivarianos e o stalinismo, serventes de Khadafy, o lacaio do imperialismo por mais de 40 anos! Eles, enquanto se “rasgam as vestiduras” em Líbia, sustentam ao estado sionista-fascista de Israel e a Obama, o maior assassino contrarevolucionário do planeta, e entregam Cuba ao imperialismo, onde já começaram a demitir a um milhão de trabalhadores. Os bolivarianos e o Fórum Social Mundial posam de “antiimperialistas”, enquanto entregam o petróleo e o gás boliviano e venezuelano às transnacionais imperialistas, como em Líbia o fazia Khadafy e o seguirá fazendo o CNT. O governo do Partido Comunista e o CNA na África do Sul entregam-lhe todas as riquezas e minerais à Angloamerican, e sustentou até último momento ao sanguinário Khadafy.Os socialimperialistas, os renegados do trotskismo e o stalinismo, desde o Fórum Social Mundial, atiram-lhe terraaos olhos ao proletariado internacional. Dividiram-se as tarefas. Alguns sustentam ao assassino Khadafy, comofazem com Chávez, Morales, o governo Zuma da África do Sul e demais lacaios do imperialismo.
  4. 4. Outros, não menos serventes do imperialismo, envenenam a consciência da classe operária fazendo-lheacreditar que há “revoluções democráticas” e “primavera dos povos”, e em todo momento e lugar propõem que asaída não é a tomada do poder senão “assembléias constituintes” ou eleições burguesas que expropriarão arevolução, como no Egito e na Tunísia. Alguns deles reconheceram, ainda antes que Sarkozy, ao CNT comogoverno legítimo das massas insurrectas, quando este não controlava nem podia manipular nem uma só patrulhadas milícias que destruíam ao exército de Khadafy e avançavam para Misarrata.Enquanto, seus outros sócios reformistas denigram aos heróicos combatentes líbios, denunciando-os como“agentes da CIA”, ou como “tropasterrestres da OTAN” que chegaram aTrípoli. Eles ficaram como as verdadeirastropas terrestres do imperialismo ao interiordo movimento operário mundial. Eles, a“nova esquerda” socialimperialista, têmestado até último momento sustentando aKhadafy. E enquanto sustentavam-no,chapinhavam em um mar de cadáveres amais de 50 mil que foram enterrados emcovas comuns quando foi esmagada emfevereiro a insurreição em Trípoli porKhadafy, sustentado por todo oimperialismo mundial. Seu objetivo era queos insurgentes de Bengasi e Misarrata nãochegassem ao mesmo momento a tomarTrípoli. O imperialismo mandou a Khadafy, Trípoli: Covas comuns onde se encontraram mais de 60 mil cadáveres dos explorados assassinados pelo regime pró-imperialista de Khadaffyseu agente fascista, até Misarrata eBengasi a pôr-lhe uma pistola na cabeçaàs massas para que estas se rendam ante seu outro agente “democrático”, o CNT, enquanto a OTAN com seusbombardeios impedia que as massas chegassem a Trípoli e tentava uma saída ordenada de Khadafy do poderem negociações com o CNT.Agora estes lacaios do imperialismo, da esquerda socialimeprialista se “rasgam as vestiduras” pelo peso do CNTe a OTAN, que por outra parte ainda não podem nem controlar, nem terminar de submeter às heróicas milíciasrevolucionárias que já ganham as ruas de Misarrata ao grito de “fora os generais khadafystas do CNT”. Elesapóiam aos governos de “notáveis” do Egito, ao Conselho Nacional de Transição da Tunísia e são os lacaios dasburocracias dos sindicatos do Norte da África e Europa que lhes dizem às massas insurrectas que todos seresolve votando em Assembléias Constituintes e nos parlamentos burgueses, com os que o imperialismo tentaestrangular e desviar as revoluções que começaram.Outras variantes destas correntes do FSM, não menos cínicas, lhe estão dizendo às massas que é a OTAN e osgenerais khadafistas passados a último momento ao CNT, os que desarmaram ao exército de Khadafy earmaram às massas. Isto é de um cinismo que já não tem limites. Como que os políticos burgueses e os generaiscontrarevolucionários que estão hoje no CNT vão armar às massas para derrotar ao governo do qual elesmesmos eram parte, o de Khadafy, isto é, da British Petroleum, da Total francesa, isto é da OTAN e de Obama?Faz o favor, burgueses armando operários, para que depois entrem ao outro dia a trabalhar em suas fábricasarmados. Nunca vimos tanto embelezamento da burguesia imperialista em sua fase de putrefação e decadência.Estes sem vergonha querem fazer-lhes acreditar ao proletariado mundial que estamos no século XVII, XVIII eXIX em que a burguesia armava aos camponeses e as massas para esmagar à nobreza. O único que arma aburguesia nesta fase imperialista e de bancarrota do sistema capitalista mundial são bandas fascistas ougenerais “democráticos” para romper-lhe a cabeça aos operários se estes não se desarmam.Querem fazer-lhe acreditar ao proletariado mundial que a OTAN armou às massas para combater contra Khadafye chamam a isto “primavera dos povos”. Assim não preparam às massas frente ao perigo de que desta vez sejaa OTAN e o CNT as que massacrem diretamente à vanguarda revolucionária pior que Khadafy, se esta não sedesarma.Quando isto passe, isto é quando o CNT e a OTAN tentem impor a sangue e fogo o desarmamento das massas,o proletariado mundial vai achar que aos que estão massacrando desde o CNT é à “CIA” ou a “as tropasterrestres da OTAN”. Eles estão enchendo de veneno à classe operária mundial para que esta deixe isolados aosheróicos combatentes de Misarrata e toda Líbia.Atuam assim, igual ou pior que o stalinismo na guerra civil espanhola. Este acusava aos melhores combatentesdo POUM e do CNT anarquista, que combatiam no campo batalha de Catalunha, como agentes de Franco paraque sua V Coluna os massacre pelas costas. Esta vez é a esquerda do FSM e os renegados do trotskismo, queatacando como “agentes da CIA” aos milicianos preparam o caminho para que seja o CNT quem os massacre senão entregam as armas e que estes fiquem isolados do apoio da classe operária mundial. É a velha e pérfidapolítica do stalinismo de fazer passar aos ALIADOS COMO INIMIGOS E AOS INIMIGOS COMO ALIADOS.Estas correntes opinam que há um “imperialismo democrático” que pode armar às massas para que derrubem àsautocracias, expandindo democracia, quando Obama, Sarkozy e demais açougueiros imperialistas foram os quesustentaram, durante anos, a estas autocracias. Falam de um suposto “imperialismo democrático” quando são osmaiores açougueiros do planeta, que massacraram no Iraque e Afeganistão, e sustentam ao estado sionista-fascista de Israel que com seus bombardeios mandou a Gaza à idade média.Há uma santa aliança para estrangular a revolução operária e socialista na Líbia para deixar isolada a suasheróicas massas revolucionárias. É que as lições de Líbia não podem ser generalizadas ao proletariado, nem noNorte da África nem a nível mundial. Por que? Porque como se propunha na Comuna de Paris, a primeira granderevolução operária de 1871, “o que tem as armas tem o pão”. A burguesia se aterroriza, e por isso manda a seuslacaios de esquerda para que Síria não seja um novo Bengasi, que destrua ao exército e ganhe com as massasinsurrectas aos soldados rasos e que os acompanhem a combater com eles ao governo assassino do Assad,
  5. 5. nem muito menos que no Egito e na Tunísia se desarme à casta de oficiais e que se chegue tão longe como naLíbia para lutar pelo pão.Por isso tanta concentração de forças contrarevolucionárias na Líbia. O imperialismo utilizou a todos seusagentes, a Khadafy e ao CNT, à esquerda pró-bolivariana e pró-CNT, todos concentrados para que Atenas,Madri, Inglaterra e Nova York não sejam um novo Bengasi.Os agentes do FSM, seus partidos da Nova esquerda, de ex trotskistas devindos em novos stalinistas, são osque isolaram e cercaram a Tunísia e o Egito; os que separaram o combate da classe operária grega do resto daEuropa como hoje o estão fazendo comInglaterra e Espanha que se sublevam; eagora se preparam para fazer o mesmo naLíbia, como ontem o fizeram com arevolução latino americana.Todos os lacaios de Obama da esquerdamundial se puseram no bando dos“indignados” do estado sionista, que paraconseguir moradias no estado de Israeldeclaram que há que expropriar mais terrasà nação palestina.São lacaios da OTAN, da ONU, da Mossade do sionismo, os masacradores dasmassas de Oriente Médio!O CNT e a OTAN estão a ponto de expropriar a revolução operária na Líbia, porque eles submeteram à classeoperária latino americana aos bolivarianos de Chávez, Morales e demais lixo burguês do continente latinoamericano, serventes do imperialismo e durante décadas ao assassino Khadafy.Estas correntes estranham-se que a OTAN e o CNT possam manipular às massas, quando eles chamaram aapoiar a Obama contra Bush e depois a Obama contra o Tea Party. Quando foram eles os que chamaram“vândalos” aos operários imigrantes que se sublevavam, como nas cités de Paris ou em Londres, tratando-osinclusive pior que a OTAN e o CNT desde seus luxuosos escritórios dos sindicatos das aristocracias eburocracias operárias. Negaram-se a chamar a uma greve revolucionária em toda Europa e a se tomar os portospara paralisar a maquinaria de guerra assassina da OTAN de Obama e demais açougueiros imperialistas.Estas correntes são as responsáveis, como serventes da OTAN, que as massas líbias fiquem isoladas, cercadase não possam fazer-se do poder.Mas na Líbia, revolução e contrarevolução vêem-se a cara. Apesar e na contramão de todas as direções, asmassas brigam firmemente pelo pão e não se desarmam. É necessário que o proletariado mundial mude dedireção e tire de em cima aos lacaios da burguesia, que o submetem ao imperialismo e a seus serventes dasburguesias nativas.Uma ação decidida da classe operária da Europa e mundial destruiriam de um só golpe a tentativa de expropriar-lhe às massas sua revolução.Basta de jogar-lhe a culpa às massas das traições de suas direções! Abaixo o Fórum Social Mundial! Fora darevolução líbia os traidores da aristocracia e a burocracia operária e os partidos socialimperialistas, queliquidaram o internacionalismo proletário e renegaram de todo combate ativo para disputar-lhe, desde as ruas daEuropa e Nova York, a direção da guerra civil à OTAN e ao CNT!A verdadeira crise e “debilidade” das massas insurrectas de Líbia e da classe operária mundial é a covardia, ocinismo e o servilismo à burguesia das direções traidoras que estas têm a sua frente. Para conduzir umainsurreição vitoriosa que exproprie à burguesia e expulse ao imperialismo há que pôr em pé um partidorevolucionário internacional em Líbia, em todo o Norte da África, na Europa e a nível mundial. Partidorevolucionário internacional que veja e que atue na revolução líbia, como um elo de uma só revolução socialistano Norte da África e Oriente Médio. Revolução esta que só triunfará definitivamente se triunfa como revoluçãooperária e socialista no coração da besta imperialista, nos Estados Unidos, Europa e Japão.Por uma conferência internacional das forças sãs do movimento trotskista principista e as organizaçõesoperárias revolucionárias, sem lacaios das burguesias nativas, nem de Obama, nem das forçascontrarevolucionárias da burguesia, para centralizar, coordenar e sincronizar o combate da classeoperária do Norte da África, do Oriente Médio e da Europa, para tomar o poder.A única “primavera dos povos” é e será a expropriação do imperialismo e os expropriadores, é a ditadurado proletariado contra a ditadura do capital. OU REVOLUÇÃO SOCIALISTA OU MAIS BARBARIE CAPITALISTA! Para o triunfo da revolução socialista internacional há que lutar por refundar a IV Internacional!Pelos estados unidos socialistas da Europa!Por uma federação de repúblicas operárias e socialistas do Norte da África e Oriente Médio! SCI da FLTI 31 de Agosto de 2011

×