Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Aula revolução industrial

6,135 views

Published on

Profº Paulo Eduardo, para os alunos do 2º médio Colégio Gênios

Published in: Education
  • Be the first to comment

Aula revolução industrial

  1. 1. A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
  2. 2. Conceito: Revolução Industrial Conceito: Revolução Industrial Conjunto de transformações técnicas, econômicas e sociais caracterizadas pela substituição da energia física pela mecânica, da ferramenta pela máquina e da manufatura pela fábrica iniciada na Inglaterra no século XVIII. Conjunto de transformações técnicas, econômicas e sociais caracterizadas pela substituição da energia física pela mecânica, da ferramenta pela máquina e da manufatura pela fábrica iniciada na Inglaterra no século XVIII.
  3. 3. A substituição das ferramentas pelas máquinas, da energia humana pela energia motriz e do modo de produção doméstico pelo sistema fabril constituiu a Revolução Industrial; revolução, em função do enorme impacto sobre a estrutura da sociedade, num processo de transformação acompanhado por notável evolução tecnológica. A substituição das ferramentas pelas máquinas, da energia humana pela energia motriz e do modo de produção doméstico pelo sistema fabril constituiu a Revolução Industrial; revolução, em função do enorme impacto sobre a estrutura da sociedade, num processo de transformação acompanhado por notável evolução tecnológica.
  4. 4. Da manufactura à maquinofactura. Publicada por Alexandra Vidal em ... osdetectivesdopassado.blogspot.com
  5. 5. Pioneirismo InglêsPioneirismo Inglês Causas:Causas:  Capitais acumulados (colônias, acordos comerciais naCapitais acumulados (colônias, acordos comerciais na Europa).Europa).  Disponibilidade de mão-de-obra (cercamento dosDisponibilidade de mão-de-obra (cercamento dos campos-“enclosures”).campos-“enclosures”).  Matéria prima disponível (reservasMatéria prima disponível (reservas de ferro e carvão e produção de lã – indústria têxtil).de ferro e carvão e produção de lã – indústria têxtil). Causas:Causas:  Capitais acumulados (colônias, acordos comerciais naCapitais acumulados (colônias, acordos comerciais na Europa).Europa).  Disponibilidade de mão-de-obra (cercamento dosDisponibilidade de mão-de-obra (cercamento dos campos-“enclosures”).campos-“enclosures”).  Matéria prima disponível (reservasMatéria prima disponível (reservas de ferro e carvão e produção de lã – indústria têxtil).de ferro e carvão e produção de lã – indústria têxtil).
  6. 6. Pioneirismo InglêsPioneirismo Inglês  Mercado consumidor (colônias, países europeus e assalariados).  Marinha mercante poderosa (Atos de Navegação – Oliver Cromwell).  Burguesia no poder (parlamento – Revolução Gloriosa 1688).  Ética protestante (estímulo ao lucro).  Mercado consumidor (colônias, países europeus e assalariados).  Marinha mercante poderosa (Atos de Navegação – Oliver Cromwell).  Burguesia no poder (parlamento – Revolução Gloriosa 1688).  Ética protestante (estímulo ao lucro).
  7. 7. Antes da Revolução IndustrialAntes da Revolução Industrial
  8. 8. Antes da Revolução IndustrialAntes da Revolução Industrial
  9. 9. pela força do homem •Até ao século XVIII, toda a energia era produzida
  10. 10. • Para tornar a produção mais rápida e lucrativa, os burgueses passaram a reunir os artesãos em galpões, fornecendo-lhes ferramentas e matéria prima. • Em troca, os artesãos recebiam um salário fixo. • Surgem assim as primeiras manufaturas – as primeiras unidades de produção capitalista, antecessoras à fábrica moderna.
  11. 11. Antes da Revolução IndustrialAntes da Revolução Industrial Artesanato (estágio primitivo da elaboração de artefatos) – não possuia divisão de trabalho; Manufatura ( estágio intermediário entre artesanato e indústria) - presença de algumas máquinas e divisão de trabalho – mas a produção depende mais da força humana; Artesanato (estágio primitivo da elaboração de artefatos) – não possuia divisão de trabalho; Manufatura ( estágio intermediário entre artesanato e indústria) - presença de algumas máquinas e divisão de trabalho – mas a produção depende mais da força humana;
  12. 12. MANUFACTURA MAQUINOFACTURA Unidade de produção: Oficina Unidade de produção: Fábrica Produção em pequena escala Produção em larga escala escala Predominância do trabalho manual Diversificação e especialização dos instrumentos de trabalho: introdução da máquina Especialização e qualificação do trabalho A máquina substitui a qualificação técnica do operário. Divisão do Trabalho Trabalhadores controlam os meios de produção O Patrão controla os meios de produção
  13. 13. A Industrialização do século XVIII, modificou toda a paisagem da Inglaterra
  14. 14. Era da maquinofatura Surge a máquina a vapor que foi aperfeiçoada por James Watt (1765) Principal industria do período é a têxtil
  15. 15. Máquina de fiar, que acelerou a fabricação de tecidos no início da Revolução Industrial Máquina de fiar, que acelerou a fabricação de tecidos no início da Revolução Industrial
  16. 16. Maquinário têxtil inglês: a automação crescente foi a marca da Revolução Industrial. Maquinário têxtil inglês: a automação crescente foi a marca da Revolução Industrial.
  17. 17. Primeira locomotiva a vapor, construída em1804 pelo engenheiro inglês Richard Trevithick. Primeira locomotiva a vapor, construída em1804 pelo engenheiro inglês Richard Trevithick.
  18. 18.  Empresas de pequeno ou médio porte, típico do capitalismo concorrência ou liberal  Principal fonte de energia era o carvão mineral.  Empresas de pequeno ou médio porte, típico do capitalismo concorrência ou liberal  Principal fonte de energia era o carvão mineral.
  19. 19. Dura realidade do sistema Capitalista Dura realidade do sistema Capitalista Muitos trabalhavam mais de 12h por dia, preferiam crianças e mulheres, para o trabalho pesado. Muitos trabalhavam mais de 12h por dia, preferiam crianças e mulheres, para o trabalho pesado.
  20. 20. As condições de trabalhoAs condições de trabalho Trabalhadoras na 1ª Fase da Rev. Industrial – eram vistas como mercadorias sem direitos trabalhistas.Não podiam se sentar
  21. 21. Exploração do trabalho infantil Exploração do trabalho infantil
  22. 22. Trabalhadores nas Minas de Carvão Mineral http://www.youtube.com/watch?v=jt-o3EBQPMUhistoriacolegiojk.blogspot.com
  23. 23. • Os capitalistas perceberam que a produtividade seria maior se cada artesão fosse responsável pela produção de uma parte da mercadoria e não do bem todo. A Divisão do Trabalho Linha de montagem da Ford no Brasil, em 1920, cada trabalhador em seu lugar para executar sua tarefa.
  24. 24. E o trabalhador ?E o trabalhador ? (NOVAES, Eduardo Novaes e RODRIGUES, Vilmar. Capitalismo para principiantes. São Paulo: Ática. p. 52)
  25. 25. • Consolidação do capitalismo e alteração profunda e definitiva das relações de trabalho e nas relações com o meio ambiente. •Separação definitiva entre capital e trabalho, a consolidação de relações assalariadas, o controle da burguesia sobre a produção, o surgimento do proletariado, o uso constante e a busca incansável por recursos naturais. Os desdobramentos da Revolução: impactos sociais...
  26. 26. • A vida cotidiana do homem pobre, inicialmente da Inglaterra e posteriormente de todos os confins tocados pela máquina, sofreu profunda e radical transformação. • Foi no contexto social que o sentido mais preciso da expressão revolução se fez valer: profundas e radicais transformações entraram em cena. • Aos ex-camponeses expulsos do campo e agora residentes em cortiços nas cidades, que inicialmente não passavam de aglomerados de casas, fábricas e pessoas, não restou outra alternativa a não ser oferecer-se como trabalhador nas indústrias. • Esses operários, no início não tinham qualificação profissional alguma, de maneira que o salário que lhes foi oferecido era insuficiente para a sobrevivência com dignidade. Os impactos sociais:
  27. 27. A produção em larga escala e dividida em etapas distanciou cada vez mais o trabalhador do produto final, já que cada grupo de trabalhadores domina apenas uma etapa da produção. O proletariado urbano surgiu como uma classe bem definida e submetida às péssimas condições de moradia (cortiços), salários irrisórios e com uma extensa jornada de trabalho diante da ausência de leis trabalhistas: 1780 – em torno de 80 horas por semana; 1820 – 67 horas por semana; 1860 – 53 horas por semana
  28. 28. O agravamento dos problemas sócio-econômicos com o desemprego e a fome, foram acompanhados de outros problemas, como a prostituição e o alcoolismo. O barulho e poluição passaram a fazer parte do cotidiano dos moradores dos centros urbanos. O desenvolvimento das ferrovias irá absorver grande parte da mão-de-obra masculina adulta, provocando, em escala crescente, a utilização de mulheres e crianças como trabalhadores nas fábricas têxteis e nas minas.
  29. 29. • Promulgar leis defendendo os seus interesses: Pena de morte para quem destruísse fábricas ou máquinas; pesadas multas pelo delito de greve; proibição aos operários de se organizarem em associações de defesa de seus interesses. Todas essas sanções visavam proteger o que mais preocupava os patrões: seus bens materiais e o montante de seus lucros. Ora, só ameaçando o capital os operários teriam algum poder para negociar seus direitos com a burguesia. Para tanto, porém, precisavam se organizar. As preocupações burguesas:
  30. 30. • Não demorou muito para os operários começarem a se manifestar. O movimento ludista, por exemplo, incentivava os operários a quebrarem as máquinas, pois acreditavam que elas eram as culpadas pela exploração e pelo desemprego. Já o movimento cartista, organizado pela Associação dos Operários, lutava por melhores condições de trabalho. • Lentamente, foram surgindo os primeiros sindicatos e através deles, melhores condições de trabalho, salários mais justos e outras garantias foram sendo conquistadas. No entanto, esse é um tema que ainda, no mundo contemporâneo, exige por parte dos sindicatos, uma atuação mais vigorosa, muito embora as políticas neoliberais tenham neutralizado sobremaneira tais ações. A resistência dos operários:
  31. 31. Fases da RevoluçãoFases da Revolução

×