Apresentação da minha qualificação

14,938 views

Published on

Apresentação da minha qualificação

Published in: Technology, Education

Apresentação da minha qualificação

  1. 1. Apresentação de Carlos Nepomuceno para banca de qualificação do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, como requisito parcial para a obtenção do grau de Doutor em Ciência da Informação
  2. 2. TÍTULO PROPOSTO: AMBIENTES COLABORATIVOS DE CONHECIMENTO: A RUPTURA DO CONTROLE DA INFORMAÇÃO COMO ALTERNATIVA PARA O EQUILÍBRIO SISTÊMICO
  3. 3. RELEVÂNCIA DO TEMA – FATO 1: 07/07/2009
  4. 4. RELEVÂNCIA DO TEMA – FATO 1: PLATAFORMA LATTES – OBJETO DE ESTUDO DA TESE O usuário insere automaticamente seus dados. Como fazer o controle? E evitar o problema similar da Dilma?
  5. 5. RELEVÂNCIA DO TEMA – FATO 2: 24/11/2009
  6. 6. RELEVÂNCIA DO TEMA – FATO 2: WIKIPEDIA – OBJETO DE ESTUDO DA TESE Como manter o usuário colaborando? E evitar o problema do Wikipedia?
  7. 7. RELEVÂNCIA DO TEMA – FATO 3: WIKIPEDIA – POST NO MEU BLOG 25/11/09
  8. 8. Objetivo geral - Propor nova visão sobre o fenômeno dos ambientes colaborativos do conhecimento, enquadrando-os como um fenômeno natural na evolução cíclica da sociedade, em função da crescente demanda informacional.
  9. 9. Objetivos específicos: Servir de balizamento teórico para a atuação de profissionais e pesquisadores nestes ambientes colaborativos de conhecimento; Caracterizar em detalhes os novos modelos de conhecimento colaborativos; Destacar as suas diferenças e seus reais impactos práticos e teóricos no presente e futuro.
  10. 10. HIPÓTESE: É possível apresentar um panorama de ambientes colaborativos de conhecimento na Internet, ou mesmo fora dela, de tal forma que indiquem mudanças sistêmicas. Estas mudanças visam trazer equilíbrio em determinadas situações de explosão informacional, caracterizando nova ambiência para a geração e uso de informação, através de uma nova forma de inclusão e controle do acervo.
  11. 11. HIPÓTESES COMPLEMENTARES: Comprovar que a inclusão de registros feita diretamente pelos usuários nos sistemas colaborativos cria um novo modelo de ambiente de conhecimento com regras próprias; De que este novo modelo tem como característica principal a passagem do controle dos registros pelo gestor para o controle da conduta de inclusão de dados pelos usuários, que passam a alimentar praticamente sozinhos o acervo, através de determinadas regras pré-estabelecidas;
  12. 12. HIPÓTESES COMPLEMENTARES: Que este novo formato é fruto da ruptura que visa, basicamente, solucionar determinada crise sistêmica para manter o equilíbrio entre a oferta e a demanda de informação; fundamentalmente a procura de mais velocidade de atualização, devido a aceleração e o aumento do volume informacional em torno destes ambientes; E, por fim, presumimos que essa é a expressão de um movimento cíclico, que se repetiu e se repetirá em ambientes de conhecimento ao longo da história, sempre que estivermos diante de situações, crises e rupturas similares.
  13. 13. A analogia destes conceitos ao crescimento dos estoques de memória leva a crer que estas estruturas de armazenagem tendem a crescer em volume periódico [1] e cumulativamente e terão em um determinado momento [2] que enfrentar um problema de forma e conteúdo. A menos que existam estratégias de adaptação, os estoques tenderão a quebrar por seu próprio peso; transformar-se em agregados inúteis de informação por terem um exagerado excedente de informação não relevante. (BARRETO, 2007) MARCO TEÓRICO: Decisão teórica 1: visão sistêmica No primeiro aspecto, justifica-se tal escolha da visão sistêmica por considerarmos que, apesar de concordarmos que não podemos analisar a Internet sem o aprofundamento do conceito de rede, esta não deixa de ser rede por estar em um sistema, nem o sistema deixa de ser sistema por estar em rede. Há uma boa base teórica do estudo sistêmico, dentro e fora da Ciência da Informação e, principalmente, de suas rupturas que não deve ser abandonada ao se estudar a Internet.
  14. 14. A analogia destes conceitos ao crescimento dos estoques de memória leva a crer que estas estruturas de armazenagem tendem a crescer em volume periódico [1] e cumulativamente e terão em um determinado momento [2] que enfrentar um problema de forma e conteúdo. A menos que existam estratégias de adaptação, os estoques tenderão a quebrar por seu próprio peso; transformar-se em agregados inúteis de informação por terem um exagerado excedente de informação não relevante. (BARRETO, 2007) MARCO TEÓRICO: Decisão teórica 2: sistemas de conhecimento O autor defende a necessidade de ampliar a visão do campo de ação da Ciência da Informação, mudando o foco central dos Sistemas de Recuperação de Informação (Information Retrieval System), pois os sistemas de recuperação da informação, de certa forma, “obedecem a um rígido formalismo técnico e reducionista, que serviu aos propósitos de gerenciamento e controle da informação em determinada situação” (BARRETO, 1997).
  15. 15. A analogia destes conceitos ao crescimento dos estoques de memória leva a crer que estas estruturas de armazenagem tendem a crescer em volume periódico [1] e cumulativamente e terão em um determinado momento [2] que enfrentar um problema de forma e conteúdo. A menos que existam estratégias de adaptação, os estoques tenderão a quebrar por seu próprio peso; transformar-se em agregados inúteis de informação por terem um exagerado excedente de informação não relevante. (BARRETO, 2007) MARCO TEÓRICO: Decisão teórica 3: história das rupturas sistêmicas Também na área do conhecimento e da informação é possível identificar, ao longo da história, momentos de ruptura e normalidade, de mudanças radicais ou incrementais, e mesmo de cortes epistemológicos na evolução dos sistemas de conhecimento. Briggs e Burke, por exemplo, ao analisarem a história da mídia, afirmam que a mídia dever ser vista como um sistema, e que estes estão em contínua mudança, existindo neles “elementos diversos desempenham papéis de maior ou menor grau” (BRIGGS; BURKE, 2006).
  16. 16. A analogia destes conceitos ao crescimento dos estoques de memória leva a crer que estas estruturas de armazenagem tendem a crescer em volume periódico [1] e cumulativamente e terão em um determinado momento [2] que enfrentar um problema de forma e conteúdo. A menos que existam estratégias de adaptação, os estoques tenderão a quebrar por seu próprio peso; transformar-se em agregados inúteis de informação por terem um exagerado excedente de informação não relevante. (BARRETO, 2007)
  17. 17. A analogia destes conceitos ao crescimento dos estoques de memória leva a crer que estas estruturas de armazenagem tendem a crescer em volume periódico [1] e cumulativamente e terão em um determinado momento [2] que enfrentar um problema de forma e conteúdo. A menos que existam estratégias de adaptação, os estoques tenderão a quebrar por seu próprio peso; transformar-se em agregados inúteis de informação por terem um exagerado excedente de informação não relevante. (BARRETO, 2007)
  18. 18. A analogia destes conceitos ao crescimento dos estoques de memória leva a crer que estas estruturas de armazenagem tendem a crescer em volume periódico [1] e cumulativamente e terão em um determinado momento [2] que enfrentar um problema de forma e conteúdo. A menos que existam estratégias de adaptação, os estoques tenderão a quebrar por seu próprio peso; transformar-se em agregados inúteis de informação por terem um exagerado excedente de informação não relevante. (BARRETO, 2007) Objetos de estudo: Lattes: Globo on-line: Overmundo: Wikipedia português: Rádio Eldorado:
  19. 19. A analogia destes conceitos ao crescimento dos estoques de memória leva a crer que estas estruturas de armazenagem tendem a crescer em volume periódico [1] e cumulativamente e terão em um determinado momento [2] que enfrentar um problema de forma e conteúdo. A menos que existam estratégias de adaptação, os estoques tenderão a quebrar por seu próprio peso; transformar-se em agregados inúteis de informação por terem um exagerado excedente de informação não relevante. (BARRETO, 2007) Questões da pesquisa – visão geral: Que modelos de ambientes colaborativos podem ser caracterizados a partir dos projetos estudados? Que tipo de problema estes ambientes vieram resolver e com que eficácia, do ponto de vista de seus gestores, têm obtido resultados? Os modelos estudados apresentam soluções viáveis para atender determinadas entropias sistêmicas similares? Caso sim, que tipo de entropias?
  20. 20. A analogia destes conceitos ao crescimento dos estoques de memória leva a crer que estas estruturas de armazenagem tendem a crescer em volume periódico [1] e cumulativamente e terão em um determinado momento [2] que enfrentar um problema de forma e conteúdo. A menos que existam estratégias de adaptação, os estoques tenderão a quebrar por seu próprio peso; transformar-se em agregados inúteis de informação por terem um exagerado excedente de informação não relevante. (BARRETO, 2007) Questões da pesquisa – visão geral: Estas soluções sistêmicas colaborativas podem ser vistas como uma nova lógica de rupturas cíclicas, a procura de equilíbrio sistêmico? É possível criar um conjunto lógico de problemas que possa caracterizar uma dada situação de crise informacional que nos leve a novas rupturas como essa no futuro?
  21. 21. A analogia destes conceitos ao crescimento dos estoques de memória leva a crer que estas estruturas de armazenagem tendem a crescer em volume periódico [1] e cumulativamente e terão em um determinado momento [2] que enfrentar um problema de forma e conteúdo. A menos que existam estratégias de adaptação, os estoques tenderão a quebrar por seu próprio peso; transformar-se em agregados inúteis de informação por terem um exagerado excedente de informação não relevante. (BARRETO, 2007) Questões da pesquisa – visão geral: Com esse resultado, acreditamos que haverá mais facilidade para a compreensão do momento presente, da expansão dos sistemas de colaboração, como também, de forma mais científica, conseguir prever, com menor margem de erro, os movimentos futuros dos novos sistemas informacionais pós-Internet.
  22. 22. A analogia destes conceitos ao crescimento dos estoques de memória leva a crer que estas estruturas de armazenagem tendem a crescer em volume periódico [1] e cumulativamente e terão em um determinado momento [2] que enfrentar um problema de forma e conteúdo. A menos que existam estratégias de adaptação, os estoques tenderão a quebrar por seu próprio peso; transformar-se em agregados inúteis de informação por terem um exagerado excedente de informação não relevante. (BARRETO, 2007) Prazo de entrega da tese: Março de 2011. Obrigado!

×