Regimento interno CMS Raul Barroso 2013 atualizado

652 views

Published on

1 Comment
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
652
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
1
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Regimento interno CMS Raul Barroso 2013 atualizado

  1. 1. Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil Subsecretaria de Promoção, Atenção Primária e Vigilância em Saúde – SUBPAV Superintendência de Integração das Áreas de Planejamento – SIAPE Coordenadoria de saúde da AP 5.2 – CAP 5.2 REGIMENTO INTERNO DA UNIDADE DE SAÚDE
  2. 2. DA FAMÍLIA ILHA DE GUARATIBA 2013 CMS RAUL BARROSO
  3. 3. PERFIL DA UNIDADE A Unidade de Saúde da Família (USF) Ilha de Guaratiba iniciou suas atividades em setembro de 2003, inicialmente como Programa de Agentes Comunitários (PACS), sendo transformada em Programa de Saúde da Família (PSF) em novembro de 2007. A elaboração deste Regimento Interno foi solicitada pelo Subsecretário de Promoção, Atenção Primária e Vigilância, Dr. Daniel Soranz, no ciclo de debates da SUBPAV. A primeira versão deste regimento foi elaborada pelo Núcleo da Estratégia de Saúde da Família (NESF) da Coordenadoria de Saúde da Área Programática 5.2 (CAP 5.2), Supervisores de Território, Gerente Técnico e a partir de discussões prévias realizadas pela equipe de saúde da família. Consideramos a necessidade de uma revisão deste regimento nos próximos seis meses e uma revisão anual, devido a eventuais mudanças no quadro de funcionários, alterações na dinâmica comunitária e o advento das Organizações Sociais (OS). Esta unidade conta com quadro equipes e 01 Núcleo de Atenção à Saúde da Família (NASF). O Regimento Interno será apresentado aos funcionários antes da sua conclusão, a fins de avaliação, sugestões e aprovação. Área de abrangência: Estrada Roberto Burle Max até Morro Cavado População coberta: 12.270 habitantes Número de Famílias: 4830 EQUIPAMENTOS DE ÁREA ASSOCIAÇÃO DE MORADORES: 01 IGREJAS: CATOLICAS - 03 EVANGELICAS - 17 ESCOLAS:
  4. 4. MUNICIPAIS - 03 PARTICULAR - 06 CRECHE: CRECHES – 01 ( PARTICULAR ) ASILO: ASILOS - 0 CARACTERÍSTICAS DA ILHA DE GUARATIBA RUAS – Maior parte sem asfalto, porém apresenta 1/3 da região com asfalto, porém todas as equipes pegam as áreas correspondentes. Em épocas de chuva, devido às valas negra ocorrem inundações nestas áreas, tornando estas áreas intransitáveis, e após a baixa da água, as ruas permanecem com grande quantidade de lama, estas regiões corresponde à área de invasão, tendendo ao crescimento desorganizado. SANEAMENTO BÁSICO – A área da unidade básica não possui saneamento básico, existe um mangue onde é jogado o esgoto. Algumas ruas que não são asfaltadas possuem esgoto a céu aberto, que se misturam a inundação piorando a situação. Estas mesmas áreas possuem iluminação e abastecimento de água clandestina, outras possuem água tratada, de poço e nascente. LIXO – 1/3 da população que moram nas ruas asfaltadas tem coleta de lixo três vezes por semana e os 2/3 restantes que correspondem às áreas mais distantes alguns moradores desta região ainda assim optam por queimar seu lixo ou jogam nas ruas. PERFIL EPIDEMIOLÓGICO – O total populacional é de +/- 11500 habitantes. A maior parte de população é de crianças e idosos, ressaltando que a população
  5. 5. no local vem aumentando devido à migração de outros estados. Temos grande índice de gravidez na adolescência, principalmente na área da equipe 1 e 4. Alto índice de dermatoses, diabetes e hipertensão arterial. Poucos registros de TB e Hanseníase. CAPITULO I Identificação da unidade de Saúde da Família SMSDC PSF Ilha de Guaratiba – CAP 5.2 Município do Rio de Janeiro Estrada de Guaratiba, s/n – Ilha de Guaratiba CEP: 23020-230 Rio de Janeiro - RJ Tel : 3427-3148/3427-5907
  6. 6. RELAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO PSF ILHA DE GUARATIBA NOME CATEGORIA VÍNCULO Adriana de Azevedo ACS CLT Sergio Pereira da Costa AVS Estatutário Médica CLT Oficial de Farmácia CLT AVS CLT Administrativo CLT Amanda Aparecida Almeida da Silva ACS CLT Andrea Cristina Ribeiro da Silva ACS CLT Eli Antunes de Lemos AVS FUNASA Ana Priscila Monteiro Coelho AVS Estatutário Ariadne Verli Gonçalves ACS CLT Bárbara Ciricola Andrade ACS CLT Adriana Miwa Konishi Adriano Vallois de Menezes Marcus Vinícius dos Santos Leires Priscila Gama Carmem Elidia Isidoro Vivian Patricia Duarte Cintia Monteiro Machado de Oliveira Frederico Freitas Ramiro Cristiane de Jesus Santos Gama Auxiliar de Enfermagem ESTATUTÁRIA Farmacêutico CLT ACS CLT Educador Físico CLT ACS CLT
  7. 7. Danielli Pedro Ferreira Cirurgião Dentista CLT Gerente Tecnica CLT Deise Jorgeane Rodrigues ACS CLT Dayane Cristina Ribeiro da Silva ACS CLT Enfermeira CLT Francisco Monteiro do Nascimento ACS CLT Liliane Santos da Cruz ACS CLT Cirurgião Dentista ESTATUTARIA Ludmilla Pires Lopes ACS CLT Márcia Maria Bento Santiago ACS CLT Maria Gorete Fernandes da Silva ACS CLT Edilane dos Santos Rosa Edith do Nascimento Santos Oliveira Daniella Oliveira de Vasconcellos Maria Duarte Barreto Marcia Duque Estrada dos Santos da Silva Raquel Elisabet Vita de Draghi Raquel Pereira Lapa Marialva Rabelo Naide Correira Fermiano Rosangela de Farias Auxiliar de Enfermagem Estatutário ACS CLT Médica CLT ACS CLT Enfermeiro CLT Auxiliar de Enfermagem Estatutário Médico CLT ACS CLT Enfermeira CLT Sandra Pesente da Silva ACS CLT Marcelle Fernandes Almeida ACS CLT Enfermeira ESTATUTARIA Simone Bastos ACS CLT Sonia Simas da Silva de Jesus ACS CLT Médica CLT Simone Xavier de Andrade Ribeiro ASB CLT Edinéa Soares ASB CLT Vilma Teixeira da Silva ACS CLT Rosani Aparecida Alves Pereira da Costa Kelly Cristina da Silva Genésio Sigrid Moreira Lopes Tânia Maria Ponce Muhlhofer
  8. 8. Naruã Nogueira Seixas da Silva Pscicólogo CLT Paula Pastor Soares Assistente Social CLT Áurea Castro de Almeida Aux. Enfermagem Estatutária Deise Soares Aux. Enfermagem Estatutária Dirceléa Braga Pereira Aux. Enfermagem Estatutária Flávia Arruda Chagas Dermatologista Estatutária Enfermeira Estatutária Adriana Pizzo Fonoaudióloga Estatutária Cristina Daemon de Lima Ginecologista CLT Rafael de Carvalho Góes Nutricionista CLT Pediatra Estatutaria Denise Tavares Cézar de Almeida Gláucia Campello Gouveia Jorge ASG Fátima ASG Maria Auxiliadora ASG Antônio Vigia Gleyson Vigia João Vigia Joelson Vigia
  9. 9. ÁREA GEOGRÁFICA DE ABRANGÊNCIA A área geográfica de abrangência da Unidade de Saúde da Família Ilha de Guaratiba é constituída por uma população de 11.500 habitantes, cujas comunidades são: Ilha, Matriz, Tachas, Portinho, Grota Funda, Peito Roxo e Olaria. TERRITÓRIO GUARATIBA DISTRITO SANITÁRIO MONTEIRO - BARRA
  10. 10. Limites 1. Estrada Roberto Burle Max 2. Estrada das Tachas 3. Estrada do Morro Cavado 5. Avenida das Américas 6. Mangue Ruas TRAVESSA DO LISBOA CETEX CAMINHO DOS FERNANDES RUA SAMAÚMA RUA MANOEL VITORINO CONDOMINIO RECREIO DE GUARATIBA RUA SANTO ANTONIO DA BICA CONDOMINIO PEDRA BONITA GROTA FUNDA RETIRO CAMINHO DO MANGUE EST MORRO CAVADO RUA PROJETADA C EST DA ILHA RUA 659 RUA CAMINHO DO FERRADOR EST DO CACHIMBAU EST DA TACHAS CAMINHO DO BOQUEIRÃO CAMINHO PODER DA BOA VONTADE RUA VASCO DA GAMA RUA PROJ I RUA PROJ J RUA PROJ K RUA PROJ A RUA GASPAR DE LEMOS RUA BRANT HORA RUA CAMINHO DA ILHA RUA BECO DO OLARIA CAMINHO DO PORTINHO RUA DOS GUIMARAES ESTRADA TOCA GRANDE ESTRADA TOCA PEQUENA CAMINHO DO OLARIA CAMINHO DO PINHEIRO AV DAS AMERICAS EST ROBERTO BURLE MAX RUA GRAZIELE
  11. 11. CAMINHO DO MORGADO CAMINHO DO MORGADINHO Ruas CAMINHO MONTE SINAI RUA PROJETADA I 2 CAMINHO DO RAMALHO CAMINHO DA AUGUSTA CAMINHO DAS AGUAS CLARAS RUA DO PACHECO CAMINHO SÃO SEBASTIÃO RUA MANOEL FERRAZ DE ALMEIDA CAMINHO DO ALBINO CAMINHO DO VITAL RUA JOSE COTA CAMINHO DO POTREIRO RUA MANOEL VITORINO CONDOMINIO RECREIO DE GUARATIBA RUA SANTO ANTÔNIO DA BICA CONDOMINIO PEDRA BONITA ESTRADA ESTRELA DA TARDE ESTRADA TEODORETO DE CAMARGO RUA PEREZ EST. GROTA FUNDA À PARTIR DO N° 415 ESTRADA DA GROTA FUNDA ( DO INÍCIO ATÉ O N° 415) TRAVESSA JACY PEREIRA CAMPOS CAMIINHO DO CAFUÁ CAMINHO DAS LARANJEIRAS RUA SAMAÚMA TRAVESSA LISBOA CAMINHO JOSÉ HILÁRIO CAMINHO DOS FERNANDES CAMINHO DO POTREIRO EST. ROBERTO BURLE MARX ( DAS PROX. DO CAMINHO DO ABREU ATÉ CAM. DO POTREIRO , LD DIREITO SENTIDO CAMPO GRANDE) CAMINHO DO ABREU ( ANTIGO PASTO) RUA PROJETADA ( INÍCIO DA GROTA FUNDA , PRIMEIRA ESQUERDA) CAMINHO DA SERVIDÃO
  12. 12. EST. ROBERTO BURLE MARX (INÍCIO NAS PROX. DA RUA GRAZIELE ATÉ R. JOSÉ COTA , LD. ESQUERDO) RUA GRAZIELE RUA JOSÉ DA COSTA RUA DESCARTES EST. ROBERTO BURLE MARX (INÍCIO NAS PROX. DA R. JOSÉ COTA ATÉ PROX. DO CAM. DO VITAL) COND. GARGALHONE CAMINHO VITAL TRAVESSA VITAL COND. DOM VITAL EST. DA ILHA ( INICIO NAS PROX. DA EST. DA GROTA FUNDA ATÉ EST. PROF. BRANDT HORA, LD ESQUERDO) CAMINHO DA ILHA CAMINHO OLARIA CAMINHO ROSEIRAL CAMINHO PINHEIROS AV. DAS AMÉRICAS ( LD. DIREITO SENTIDO IGREJA TENDA) TRAVESSA NOSSA SENHORA DE FÁTIMA EST. ROBERTO BURLE MARX ( INÍCIO NO CAM. DOS PINHEIROS ATÉ PROX. DA EST. DA GROTA FUNDA, LD ESQUERDO) EST. PROF. BRANDT HORA, CAMINHO DO PORTINHO ESTR. DA ILHA (INICIO NO CAM. DO POTREIRO ATÉ CAM. DO PROTINHO) CAMINHO PROJETADA RUA PROF. BRANDT HORA CAMINHO DA MARÉ ESTR. DA ILHA ( PROX. DA EST. DO MORGADINHO ATÉ AV. GASPAR DE LEMOS, LD. DIREITO) CAMINHO DO LIVERPOOL AVENIDA GASPAR DE LEMOS ( DA ESTR. DA ILHA ATÉ PROX. DA RUA JACY PEREIRA CAMPOS, LD. DIREITO) CAMINHO DO PACHECO CAMINHO DAS ÁGUAS CLARAS ESTR. DA ILHA ( PROX. DA AV. GASPAR DE LEMOS ATÉ R. MANOEL FERRAZ, LD. DIREITO) CAMINHO DA AUGUSTA CAMINHO DO MANOEL FERRAZ AVENIDA GASPAR DE LEMOS ( DA ESTR. DA ILHA ATÉ PROX. DA RUA JACY PEREIRA CAMPOS, LD. ESQUERDO) CAMINHO DO RAMALHO CAMINHO DO VATINHO AVENIDA GASPAR DE LEMOS (DA RUA JACY PEREIRA CAMPOS ATÉ O FINAL, AMBOS OS LADOS) CAMINHO DO BOQUEIRÃO CAMINHO DO MORGADO
  13. 13. CAMINHO DO ALBINO TRAVESSA DO RETIRO TRAVESSA SÃO LUCAS CAMINHO SÃO SEBASTIÃO RUA DOS GUIMARÃES (DA ESTR. DA ILHA ATÉ O FINAL ,LD ESQUERDO) RUA PROF. CASTRO REBELO ESTRADA DO MORGADINHO RUA SEIS DE JULHO ESTR. DA ILHA ( DA R. DOS GUIMARÃES ATE PROX. DA ESTR. DO MORGADINHO, LD. DIREITO) CAMINHO PEDRO PAES TRAVESSA ALZIRA NOGUEIRA TRAVESSA DOS GUIMARÃES RUA DOS GUIMARÃES (DA ESTR. DA ILHA ATÉ O FINAL ,LD DIREITO) ESTR. DA ILHA ( DO CAM. DO POTREIRO ATÉ R. DOS GUIMARÃES , LD DIREITO) TRAVESSA DOS GUIMARÃES ESTR. DO MORGADO CAMINHO DO BOSQUE ESTR. TOCA PEQUENA ESTR. TOCA GRANDE ESTR. DO MORGADINHO RUA PROJETADA RUA GASPAR DE LEMOS - BARREIRA RUA GASPAR DE LEMOS CAMINHO PODER DA BOA VONTADE (AMBOS OS LADOS ATÉ A R. VICENTE LEITE; DA R. VICENTE LEITE ATÉ ESTR. DA ILHA SOMENTE LD ESQUERDO) RUA PROJETADA M RUA PROJETADA J RUA PROJETADA I2 RUA VICENTE LEITE (LD. ESQUERDO SENTIDO CAMINHO PODER DA BOA VONTADE) CAMINHO DO FERRADOR AVENIDA DAS AMÉRICAS N° 29.470 - CETEX CAMINHO DO CACHIMBAU ESTR. DA ILHA ( DAS PROX. DA ESTR. DAS TACHAS ATÉ CAM. PODER DA BOA VONTADE LD DIREITO; DO CAM. PODER DA BOA VONTADE ATÉ PROX. DA TUPPERWARE AMBOS OS LADOS; DA TUPPERWARE ATÉ PROX. DA ESTR. DO MORRO CAVADO LADO DIREITO) ESTRADA DO MORRO CAVADO CAMINHO MONTE SINAI
  14. 14. RUA GASPAR DE LEMOS ESTR. DA ILHA( DA RUA GASPAR DE LEMOS ATÉ A ESTR. DAS TACHAS LADO ESQUERDO) CAMINHO PODER DA BOA VONTADE (LADO DIREITO SENTIDO ESTR. DA ILHA) RUA VASCO DA GAMA RUA PROJETADA I RUA PROJETADA C ESTR. (DAS PROX. DO CEMITÉRIO ATÉ ESTR. DAS TACHAS LADO ESQUERDO) ESTR. DAS TACHAS ATÉ O N° 814 ESTR. DAS TACHAS APÓS O N° 814 CAMINHO DO BOQUEIRÃO CAPITULO II Missão Diante do quadro que não nos permite dúvidas quanto a gravidade de saúde da população em geral e modelo assistencial que era proposto que não
  15. 15. deu resolução ao quadro, o PSF Ilha de Guaratiba tem por missão a prática de saúde de dar assistência dentro de uma metodologia de participação, envolvendo os usuários em um processo de capacitação de indivíduos para transformação desta realidade. Visão Dar assistência a uma população já adoecida e sem muitas referencias de saúde, porém com base na promoção de saúde, estimulando a organização da comunidade, para que possam conhecer a realidade e compreendê-la, fazendo assim de seus conhecimentos, instrumentos de mudanças sociais Valores Participação de todos, estimulando o envolvimento e espírito de equipe. CAPITULO III Estrutura Orgânica Gerência. Gerente Atribuições Auxiliar administrativo – Prestação de cuidados Atribuições comuns a todos os profissionais que integram as equipes: Conhecer a realidade das famílias pelas quais são responsáveis com ênfase nas suas características sociais, econômicas, culturais, demográficas e epidemiológicas;
  16. 16. Identificar os problemas de saúde e situações de risco mais comuns aos quais aquela população está exposta; Elaborar, com a participação da comunidade, um plano local para o enfrentamento dos problemas de saúde e fatores que colocam em risco a saúde; Executar, de acordo com a qualificação de cada profissional, os procedimentos de vigilância e de vigilância epidemiológica, nas diferentes fases do ciclo de vida; Valorizar a relação com o usuário e com a família, para a criação de vínculo de confiança, de afeto, de respeito; Realizar visitas domiciliares de acordo com o planejamento; Resolver os problemas de saúde do nível de atenção básica; Garantir acesso à continuidade do tratamento dentro de um sistema de referência e contra-refência para os casos de maios complexidade ou que necessitem de internação hospitalar; Prestar assistência integral à população adscrita, respondendo à demanda de forma contínua e racionalista; Coordenar, participar de e/ou organizar grupos de educação para a saúde; Promovendo ações intersetoriais e parcerias com organizações formais e informais existentes na comunidade para o enfretamento conjunto dos problemas identificados; Fomentar a participação popular, discutindo com a comunidade conceitos de cidadania, de direitos à saúde e suas bases legais; Incentivar a formação e/ou participação ativa da comunidade nos conselho locais de saúde e no conselho Municipal de Saúde; Auxiliar na implantação do cartão Nacional de Saúde. FUNÇÕES E ATRIBUIÇÕES DO GERENTE 1. Reportar-se ao supervisor da UBS da instituição parceira;
  17. 17. 2. Administrar a UBS conforme as diretrizes do SUS (equidade, integralidade, humanização do atendimento) do PSF e da SMSDC; 3. Administrar a UBS em estreita relação com a instituição parceira IABAS; 4. Administrar a UBS em estreita relação com a Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civií; 5. Articular a UBS com os outros níveis da SMSDC (Coordenação, Interlocutores NSF/AP5.2) e a parceira IABAS; 6. Identificar, manejar e resolver os conflitos e problemas pertinentes ao serviço; 7. Manter a instituição parceira informada sobre os problemas e encaminhamentos; 8. Facilitar a integração das equipes de PSF e demais profissionais de saúde da UBS com a comunidade; 9. Estimular as equipes a trabalharem conforme diretrizes do PSF (territorialização, cadastramento, diagnóstico de saúde, enfoque familiar, integralidade da assistência, trabalho em equipe, intersetorialidade, controle social, planejamento e avaliação e educação permanente); 10. Discutir os problemas e necessidades da UBS com o representante da parceira IABAS e Iníeríocutores NSF/CAP 5.2 atendendo ao que for recomendando nestes encontros; 11. Cumprir com atribuições e determinações propostas e pactuadas pela equipe de coordenação; 12. Repassar as informações de interesse do serviço para os profissionais de saúde da UBS; 13. Avaliar e monitorar as aíividades das equipes de PSF e dos demais profissionais de saúde da UBS; 14. Assegurar que as metas pactuadas pela SMSDC com a parceira sejam alcançadas; 15. Cooperar na elaboração de relatórios técnicos mensal e anual do PSF, descrevendo as principais atividades realizadas, identificando obstáculos e prover recomendações; 16. Utilizar os sistemas de informação de saúde disponíveis para monitoramento/ avaliação e planejamento das ações;
  18. 18. 17. Atuar para garantir e melhorar a qualidade das informações de saúde; 18. Assegurar a aplicação dos programas e protocolos da SMSDC; 19. Incentivar as equipes de saúde da UBS a desenvolver ações de promoção 'a saúde e de cidadania; 20. Manter informadas a Coordenação Geral da IABAS e a CAP 5.2, sobre o desenvolvimento do PSF nas equipes e na unidade de saúde; 21. Representar a UBS em reuniões administrativas e técnicas junto a parceira e SMSDC, conselho gestor e/ou outras reuniões técnico científicas; 22. Respeitar o saber popular; 23. Incentivar a pesquisa e produção de trabalhos científicos; 24. Garantir que o gerente estimule a participação das equipes de PSF nas reuniões mensais com a comunidade; 25. Desenvolver outras atividades conforme for determinado e acordado. As atribuições dos profissionais das equipes de saúde da família, de saúde bucal e de ACS As atribuições globais abaixo descritas podem ser complementadas com diretrizes e normas da gestão local. 1 - SÃO ATRIBUIÇÕES COMUNS A TODOS OS PROFISSIONAIS: I - participar do processo de territorialização e mapeamento da área de atuação da equipe, identificando grupos, famílias e indivíduos expostos a riscos, inclusive aqueles
  19. 19. relativos ao trabalho, e da atualização contínua dessas informações, priorizando as situações a serem acompanhadas no planejamento local; II - realizar o cuidado em saúde da população adscrita, prioritariamente no âmbito da unidade de saúde, no domicílio e nos demais espaços comunitários (escolas, associações,entre outros), quando necessário; III - realizar ações de atenção integral conforme a necessidade de saúde da população local, bem como as revistas nas prioridades e protocolos da gestão local; IV - garantir a integralidade da atenção por meio da realização de ações de promoção da saúde, prevenção de agravos e curativas; e da garantia de atendimento da demanda espontânea, da realização das ações Programáticas e de vigilância à saúde; V - realizar busca ativa e notificação de doenças e agravos de notificação compulsória e de outros agravos e situações de importância local; VI - realizar a escuta qualificada das necessidades dos usuários em todas as ações, proporcionando tendimento humanizado e viabilizando o estabelecimento do vínculo; VII - responsabilizar-se pela população adscrita, mantendo a coordenação do cuidado mesmo quando esta necessita de atenção em outros serviços do sistema de saúde; VIII - participar das atividades de planejamento e avaliação das ações da equipe, a partir da utilização dos dados disponíveis; IX - promover a mobilização e a participação da comunidade, buscando efetivar o controle social; X - identificar parceiros e recursos na comunidade que possam potencializar ações intersetoriais com a equipe, sob coordenação da SMS; XI - garantir a qualidade do registro das atividades nos sistemas nacionais de informação na Atenção Básica; XII - participar das atividades de educação permanente; e XIII - realizar outras ações e atividades a serem definidas de acordo com as prioridades locais.
  20. 20. 2 - SÃO ATRIBUIÇÕES ESPECÍFICAS Além das atribuições definidas, são atribuições mínimas específicas de cada categoria profissional, cabendo ao gestor municipal ou do Distrito Federal ampliá-las, de acordo com as especificidades locais. Do Agente Comunitário de Saúde: I - desenvolver ações que busquem a integração entre a equipe de saúde e a população adscrita à UBS, considerando as características e as finalidades do trabalho de acompanhamento de indivíduos e grupos sociais ou coletividade; II - trabalhar com adscrição de famílias em base geográfica definida, a microárea; III - estar em contato permanente com as famílias desenvolvendo ações educativas, visando à promoção da saúde e a prevenção das doenças, de acordo com o planejamento da equipe; IV - cadastrar todas as pessoas de sua microárea e manter os cadastros atualizados; V - orientar famílias quanto à utilização dos serviços de saúde disponíveis; VI - desenvolver atividades de promoção da saúde, de prevenção das doenças e de agravos, e de vigilância à saúde, por meio de visitas domiciliares e de ações educativas individuais e coletivas nos domicílios e na comunidade, mantendo a equipe informada, principalmente a respeito daquelas em situação de risco; VII - acompanhar, por meio de visita domiciliar, todas as famílias e indivíduos sob sua responsabilidade, de acordo com as necessidades definidas pela equipe; e VIII - cumprir com as atribuições atualmente definidas para os ACS em relação à prevenção e ao controle da malária e da dengue, conforme a Portaria nº 44/GM, de 3 de janeiro de 2002. Nota: É permitido ao ACS desenvolver atividades nas unidades básicas de saúde, desde que vinculadas às atribuições acima.
  21. 21. Do Enfermeiro do Programa Agentes Comunitários de Saúde: I - planejar, gerenciar, coordenar e avaliar as ações desenvolvidas pelos ACS; II - supervisionar, coordenar e realizar atividades de qualificação e educação permanente dos ACS, com vistas ao desempenho de suas funções; III - facilitar a relação entre os profissionais da Unidade Básica de Saúde e ACS, contribuindo para a Organização da demanda referenciada; IV - realizar consultas e procedimentos de enfermagem na Unidade Básica de Saúde e, quando necessário, no domicílio e na comunidade; V - solicitar exames complementares e prescrever medicações, conforme protocolos ou outras normativas técnicas estabelecida pelo gestor municipal ou do Distrito Federal, observadas as disposições legais da profissão; VI - organizar e coordenar grupos específicos de indivíduos e famílias em situação de risco da área de atuação dos ACS; e VII - participar do gerenciamento dos insumos necessários para o adequado funcionamento da UBS. Do Enfermeiro: I - realizar assistência integral (promoção e proteção da saúde, prevenção de agravos, diagnóstico, tratamento, reabilitação e manutenção da saúde) aos indivíduos e famílias na USF e, quando indicado ou necessário, no domicílio e/ou nos demais espaços comunitários (escolas, associações etc), em todas as fases do desenvolvimento humano: infância, adolescência, idade adulta e terceira idade; II - conforme protocolos ou outras normativas técnicas estabelecidas pelo gestor municipal ou do Distrito Federal, observadas as disposições legais da profissão, realizar consulta de enfermagem, solicitar exames complementares e prescrever medicações;
  22. 22. III - planejar, gerenciar, coordenar e avaliar as ações desenvolvidas pelos ACS; IV - supervisionar, coordenar e realizar atividades de educação permanente dos ACS e da equipe de enfermagem; V - contribuir e participar das atividades de Educação Permanente do Auxiliar de Enfermagem, ACD e THD; e VI - participar do gerenciamento dos insumos necessários para o adequado funcionamento da USF. Do Médico: I - realizar assistência integral (promoção e proteção da saúde, prevenção de agravos, diagnóstico, tratamento, reabilitação e manutenção da saúde) aos indivíduos e famílias em todas as fases do desenvolvimento humano: infância, adolescência, idade adulta e terceira idade; II - realizar consultas clínicas e procedimentos na USF e, quando indicado ou necessário, no domicílio e/ou nos demais espaços comunitários (escolas, associações etc); III - realizar atividades de demanda espontânea e programada em clínica médica, pediatria, ginecoobstetrícia, cirurgias ambulatoriais, pequenas urgências clínicocirúrgicas e procedimentos para fins de diagnósticos; IV - encaminhar, quando necessário, usuários a serviços de média e alta complexidade, respeitando fluxos de referência e contrareferência locais, mantendo sua responsabilidade pelo acompanhamento do plano terapêutico do usuário, proposto pela referência; V - indicar a necessidade de internação hospitalar ou domiciliar, mantendo a responsabilização pelo acompanhamento do usuário; VI - contribuir e participar das atividades de Educação Permanente dos ACS, Auxiliares de Enfermagem, ACD e THD; e VII - participar do gerenciamento dos insumos necessários para o adequado funcionamento da USF.
  23. 23. Do Auxiliar e do Técnico de Enfermagem: I - participar das atividades de assistência básica realizando procedimentos regulamentados no exercício de sua profissão na USF e, quando indicado ou necessário, no domicílio e/ou nos demais espaços comunitários (escolas, associações etc); II - realizar ações de educação em saúde a grupos específicos e a famílias em situação de risco, conforme planejamento da equipe; III - participar do gerenciamento dos insumos necessários para o adequado funcionamento da USF. Do Cirurgião Dentista: I - realizar diagnóstico com a finalidade de obter o perfil epidemiológico para o planejamento e a programação em saúde bucal; II - realizar os procedimentos clínicos da Atenção Básica em saúde bucal, incluindo atendimento das urgências e pequenas cirurgias ambulatoriais; III - realizar a atenção integral em saúde bucal (promoção e proteção da saúde, prevenção de agravos, diagnóstico, tratamento, reabilitação e manutenção da saúde) individual e coletiva a todas as famílias, a indivíduos e a grupos específicos, de acordo com planejamento local, com resolubilidade; IV - encaminhar e orientar usuários, quando necessário, a outros níveis de assistência, mantendo sua responsabilização pelo acompanhamento do usuário e o segmento do tratamento; V - coordenar e participar de ações coletivas voltadas à promoção da saúde e à prevenção de doenças bucais; VI - acompanhar, apoiar e desenvolver atividades referentes à saúde bucal com os demais membros da Equipe de Saúde da Família, buscando aproximar e integrar ações de saúde de forma multidisciplinar. VII - contribuir e participar das atividades de Educação Permanente do THD, ACD e ESF; VIII - realizar supervisão técnica do THD e ACD; e
  24. 24. IX - participar do gerenciamento dos insumos necessários para o adequado funcionamento da USF. Do Técnico em Higiene Dental (THD): I - realizar a atenção integral em saúde bucal (promoção, prevenção, assistência e reabilitação) individual e coletiva a todas as famílias, a indivíduos e a grupos específicos, segundo programação e de acordo com suas competências técnicas e legais; II - coordenar e realizar a manutenção e a conservação dos equipamentos odontológicos; III - acompanhar, apoiar e desenvolver atividades referentes à saúde bucal com os demais membros da equipe de Saúde da Família, buscando aproximar e integrar ações de saúde de forma multidisciplinar. IV - apoiar as atividades dos ACD e dos ACS nas ações de prevenção e promoção da saúde bucal; e V - participar do gerenciamento dos insumos necessários para o adequado funcionamento da USF. Do auxiliar de Consultório Dentário (ACD): I - realizar ações de promoção e prevenção em saúde bucal para as famílias, grupos e indivíduos, mediante planejamento local e protocolos de atenção à saúde; II - proceder à desinfecção e à esterilização de materiais e instrumentos utilizados; III - preparar e organizar instrumental e materiais necessários; IV - instrumentalizar e auxiliar o cirurgião dentista e/ou o THD nos procedimentos clínicos; V - cuidar da manutenção e conservação dos equipamentos odontológicos; VI - organizar a agenda clínica; VII - acompanhar, apoiar e desenvolver atividades referentes à saúde bucal com os demais membros da equipe de saúde da família, buscando aproximar e integrar ações de saúde de forma multidisciplinar;
  25. 25. VIII - participar do gerenciamento dos insumos necessários para o adequado funcionamento da USF. Atribuições do Técnico de Farmácia nas Clínicas da Familía I – Efetuar o controle de estoque de medicamentos da farmácia, ter sempre a disposoção planilhas com dados como consumo mensal, estoque critico, estoque maximo para orientar os ajustes que se fizerem necessarios no estoque, como remanejamentos e solicitações esxtras. Verifiacar sempre as datas de vencimento dos medicamentos, de forma a não ter perda p principalmente por causa de vencimento. Comunicar ao farmacêuticoa presença de medicamentos com vencimento curto. II – Receber , conferir e acondicionar medicamentos e materiais – o recebimento implica em examinar os itens entregues verificando os seguintes aspectos: quantidade, qualidade e documentação e verificar se os itens entregues estão em conformidade com especificação constante na nota. Os medicamentos que necessitam de acondicionamento especial (como termolábeis e medicamentos sujeitos a controle especial) dever ser acondicionados imediatamente a entrega. III- Organizar e zelar pela conservação dos medicamentos – manter a Farmácia organizada. Os medicamentos devem ser organizados por ordem de validade (os medicamentos com vencimento mais curto devem ser mantidosa frente dos medicamentos com validade maior). Quanto a organização, as prateleiras devem ser organizadas de forma a facilitar o trabalho na farmácia, os medicamentos dever ser separados preferencialmente por forma farmacêutica e a organização deve ser feita de forma a evitar equívocos. IV-Solicitar reposição de medicamentos- os medicamentosque estiverem com osestoques próximos ao estoque crítico devem ser solicitados à CAP de forma a evitar desabastecimento. Essas solicitações devem ser feitas excepcionalmente, principalmente quando houver algum aumento de consumo devido a sazonalidades, por exemplo. As solicitações extras, se feitas de forma constante, significa que há algum equívoco na programação de medicamentos da unidade. V- Fornecer dados de consumo de medicamento-a farmácia deve dispor de meios para que se tenha um controle sobre os medicamentos dispensados diretamente, a quantidade dispensada de cada medicamento deve ser somada para que se tenham dados confiáveis
  26. 26. sobre o consumo médio mensal, pararealizar a programação de medicamentos de forma correta, minimizando as perdas e também o excesso de medicamentos na unidade de saúde. VI-Dispensar medicamentos,com a supervisão do farmacêutico – a dispensação é o ato de fornecer medicamentos mediante a apresentação de uma prescrição feita por proficional capcitado para tal. A dispensação deve ser feita com atenção e conferida de forma a evitar erros, quando o usuário apresentaralguma dúvida, o farmacêutico deve ser acionado. Em alguns casos, a dispensação será feita pelo farmaêutico, que verificará a necessidade de fornecer informações mais detalhadas ou realizar ações mais específicas. VII-Manter organizados os documentos (prescrições, notas de recebimento,entre outros) da unidade de dispensação – as prescrições dever ser arquivadas por dia e de forma que sejam encontardas prontamente, caso haja a necessidade. As notas também devem ser arquivadas em pastas para serem acessadas em caso de dúvidas. VIII-Comunicar ao farmacêutico responsável as intercorrências relativas a erros de dispensação e desvio da qualidade de medicamentos – qualquer dúvida apresentada pelo técnico deve ser comunicada ao farmacêutico, deve-se seguir uma regra importante:”na dúvida, não dispense”, deve-se procurar o prescrito e comunicar o que gerou a dúvida. No caso de suspeita de desvio de qualidade, o medicamento deve ser segreado deve ser segreado e o fato comunicado ao farmacêutico responsável. Serviços Gerais Responsáveis pela limpeza das salas, consultórios, responsáveis pela remoção do lixo infectado e lixo comum, limpeza geral da unidade. Portaria Vigilância Organização interna Sistema de informação Prontuário Eletônico Sistema de regulação
  27. 27. Sisreg Central de regulação – CAP 5.2 Comunicação interna Reuniões de equipes Reunião geral Quadro de Avisos e/ou Informativos Comunicação externa Cartazes nas associações de moradores, igrejas, escolas, divulgação de maneira geral dentro da comunidade de atividades da unidade de saúde. Sistema de ouvidorias Ouvidoria – SMSDC CAPITULO IV Compromisso assistencial Horário de funcionamento A unidade funciona de segunda a sexta de 08 as 20 h garantindo ao usuário acolhimento de enfermagem, odontologico e médico de segunda a sexta. Organização do serviço
  28. 28. Diariamente são realizadas as seguintes atividades dentro da equipe: Atendimento à pacientes agendados (médico ou enfermeira) de acordo com os programas estabelecidos (PH, PD, PN, PUERICULTURA, SAÚDE DA MULHER); Atendimento à pacientes com outras patologias que estão agendados; Atendimento à porta de entrada após avaliação da enfermeira da equipe; Atendimento domiciliar (VD) - feita pelo o médico, a enfermeira ou auxiliar de enfermagem juntamente com o agente comunitário de saúde de acordo com cada microarea, priorizando os pacientes acamados, cadeirantes, hipertensos ou diabéticos, puericultura, gestante, puérpera, acolhimento mãe e bebê, dentre outras necessidades de acordo com a busca ativa de cada agente comunitário de saúde; Realização de curativos, administração de vacinas (conforme calendário do MS), feitos pela a enfermeira ou auxiliar de enfermagem da equipe; Realização da coleta de material (histopatológico) para prevenção do câncer de colo uterino, assim como coleta de descarga papilar conforme necessidade- feita pela a enfermeira da equipe semanalmente; Busca ativa (ex tuberculose) diariamente na área de atuação por parte de todos os agentes comunitários de saúde da equipe Reunião semanal com a equipe para planejamento das atividades desenvolvidas; Visita domiciliar do ACS para cadastramento de novas famílias; Promoção de Saúde; Acolhimento É realizado pelo agente comunitário de saúde na entrada da unidade, priorizando viabilizar o acesso do usuário aos serviços da unidade, identificando se é consulta agendada com os profissionais da assistência ou porta de entrada,em caso de porta direciona para o enfermeiro da equipe realizar a classificação de risco, verificando a possibilidade de resolução da queixa do usuário, necessidade de atendimento médico imediato ou agendamento para consulta. Porta de entrada Realizada a qualquer instante pelos profissionais da assistência, médicos, enfermeiros, dentistas, técnicos de enfermagem, técnicos de saúde bucal e auxiliar de saúde bucal, priorizando o acolhimento de forma resolutiva e humanizada com o usuário. Imunização Realizado pelo técnico de enfermagem da equipe do usuário em uma sala destinada apenas a este procedimento. Usuário no balcão de entrada será acolhido pelo agente
  29. 29. comunitário de sua equipe e direcionado para esta sala, o mesmo agente irá informar ao técnico de enfermagem que normalmente fica na sala de procedimentos. Curativos. Realizado em sala própria destinada somente a este procedimento, o usuário é acolhido pelo agente comunitário de saúde no balcão de entrada da unidade e direcionado para esta sala, o mesmo agente comunitário de saúde irá avisar ao técnico de enfermagem que normalmente fica na sala de procedimentos. Sala de procedimentos Local destinado a realização de procedimentos técnicos como coleta de sangue (08:00 às 11:00 h), aplicação de medicações injetáveis, aferição de pressão, glicemia, nebulização e pacientes que necessitem permanecer em observação. Os pacientes que realizam mapa de pressão e glicemia serão acolhidos no call center na entrada da unidade e direcionados para a sala de procedimentos para que possam ser atendidos pelo técnico de enfermagem de sua equipe. Esterilização Realizado em sala própria com autoclave hospitalar – material odontológico é lavado e embalado e esterilizados pelos auxiliares de saúde bucal, e o material médico cirúrgico é lavado e embalado pelos técnicos de enfermagem. Eletrocardiograma Realizado na sala de procedimento, paciente normalmente esta agendado, ou a critério médico. É realizado pelo técnico de enfermagem da equipe do usuário. Sala da Mulher Escala de consultas de preventivo por equipe. Consultas As consultas de enfermagem, médicas e odontológicas são realizadas com horários agendados, e os usuários de porta de entrada são avaliados e acolhidos de forma humanizada pelo médico, dentista ou enfermeiro que avaliam a necessidade de atendimento no mesmo dia ou agendar consulta. Normalmente as consultas médicas e de enfermagem priorizam agendar os turnos de atendimento de acordo com os programas de saúde. Em casos de necessidade são realizado consultas conjuntas, dependendo do caso é solicitado ao NASF da região o profissional assistente social,
  30. 30. psicólogo, nutricionista ou fisioterapeuta para capacitar a equipe a dar prosseguimento ao caso em questão. A unidade ainda não realiza interconsulta. VISITAS DOMICILIARES Médico realiza 02 turnos por semana Enfermeiro realiza 03 turnos por semana Dentista realiza 01 turnos por semana Técnico de enfermagem realiza 2 por semana Técnico de saúde bucal realiza 2 turnos por semana Agente comunitário de saúde realiza 06 turnos por semana CONSUL TAS DOMICILIARES Todos os profissionais em casos de necessidade realizam consultas domiciliares e acompanhamento de pacientes acamados. MARCAÇÃO DE CONSULTAS É realizado pelo agente comunitário de saúde na própria casa do usuário , por telefone ou na unidade, dependendo do caso. REFERENCIAÇÕES Alguns exames são marcados pela central de regulação da CAP 5.2 e outros pela central de regulação do município através do SISREG. RELATÓRIOS DE ATIVIDADES Os relatórios de atividades são realizados e enviados para CAP 5.2 através de estatísticas, PMA2 e SSA2.
  31. 31. CEP N AP 1 5.2 2 5.2 3 5.2 4 5.2 5 5.2 6 5.2 7 5.2 8 5.2 9 5.2 10 5.2 11 5.2 BAIRRO_IBGE ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA BAIRRO COM AJUSTE USAR ESTE! ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA CEP NOVO Nome da equipe de referencia (equipe de referencia) Numero da area de referencia (equipe de referencia) Numero da microarea de referencia (Variação de 1 a 6) C GUARATIBA 23030220 EQUIPE 1 5236 1 GROTA FUNDA EST GUARATIBA 23030220 EQUIPE 1 5236 1 TIP O LOGRADOURO SERVIDAO BAIRRO CORREIOS PROJETADA R GUARATIBA 23030220 EQUIPE 1 5236 1 JACY PEREIRA CAMPOS R GUARATIBA 23030220 EQUIPE 1 5236 1 LARANJEIRAS C GUARATIBA 23030220 EQUIPE 1 5236 1 CAFUA C GUARATIBA 23030220 EQUIPE 1 5236 1 PROFESSOR BRANT HORA R GUARATIBA 23020180 EQUIPE 1 5236 2 MARE C GUARATIBA 23020190 EQUIPE 1 5236 2 ILHA C GUARATIBA 23020200 EQUIPE 1 5236 2 ESTRELA DA TARDE EST GUARATIBA 23020430 EQUIPE 1 5236 3 23020260 EQUIPE 1 5236 3 JOSE HILARIO C GUARATIBA
  32. 32. 12 5.2 13 5.2 14 5.2 15 5.2 16 5.2 17 5.2 18 5.2 19 5.2 20 5.2 21 5.2 22 5.2 23 5.2 24 5.2 25 5.2 26 5.2 27 5.2 ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA THEODORETO DE CAMARGO R GUARATIBA 23020440 EQUIPE 1 5236 3 ABREU C GUARATIBA 23020240 EQUIPE 1 5236 3 ILHA DE GUARATIBA EST GUARATIBA 23020230 EQUIPE 1 5236 3 ROBERTO BURLE MARX EST GUARATIBA 23020240 EQUIPE 1 5236 4 ROSEIRAL C GUARATIBA 23020240 EQUIPE 1 5236 4 PINHEIROS C GUARATIBA 23020240 EQUIPE 1 5236 4 OLARIA C GUARATIBA 23020240 EQUIPE 1 5236 4 OLARIA B GUARATIBA 23020490 EQUIPE 1 5236 4 ILHA C GUARATIBA 23020200 EQUIPE 1 5236 4 ROBERTO BURLE MARX EST GUARATIBA EQUIPE 1 5236 5 EQUIPE 1 5236 5 AMERICAS AV GUARATIBA 23020240 23020470 23032050 23020420 NOSSA SENHORA DE FATIMA TV GUARATIBA 23020470 EQUIPE 1 5236 5 ABREU C GUARATIBA 23020420 EQUIPE 1 5236 6 BARBOSA DE SA C GUARATIBA 23020240 EQUIPE 1 5236 6 PINHEIROS C GUARATIBA 23030000 EQUIPE 1 5236 6 MORGADO EST GUARATIBA 23020050 EQUIPE 2 5237 1
  33. 33. 42 5.2 ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA 43 5.2 44 5.2 ILHA DE GUARATIBA ILHA DE ILHA DE GUARATIBA ILHA DE 28 5.2 29 5.2 30 5.2 31 5.2 32 5.2 33 5.2 34 5.2 35 5.2 36 5.2 37 5.2 38 5.2 39 5.2 40 5.2 41 5.2 MORGADINHO EST GUARATIBA 23020070 EQUIPE 2 5237 1 C GUARATIBA 23020710 EQUIPE 2 5237 1 ILHA DE GUARATIBA EST GUARATIBA 23020230 EQUIPE 2 5237 2 R GUARATIBA 23020230 EQUIPE 2 5237 2 MORGADINHO EST GUARATIBA 23020070 EQUIPE 2 5237 2 PROFESSOR CASTRO RABELLO EST GUARATIBA 23020090 EQUIPE 2 5237 2 ILHA DE GUARATIBA EST GUARATIBA 23020230 EQUIPE 2 5237 3 TOCA PEQUENA GRAZIELE GUIMARAES R GUARATIBA 23020230 EQUIPE 2 5237 3 6 DE JULHO R GUARATIBA 23020110 EQUIPE 2 5237 3 ALZIRA NOGUEIRA R GUARATIBA 23020130 EQUIPE 2 5237 3 GUIMARAES TV GUARATIBA 23020130 EQUIPE 2 5237 3 ILHA DE GUARATIBA EST GUARATIBA 23020230 EQUIPE 2 5237 4 POTREIRO C GUARATIBA 23020230 EQUIPE 2 5237 4 GUIMARAES R GUARATIBA 23020140 EQUIPE 2 5237 4 ILHA DE GUARATIBA EST GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ( RUA PROJETADA ) EST GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ( RUA EST GUARATIBA 23020230 EQUIPE 2 5237 6 23020230 23020230 EQUIPE 2 EQUIPE 2 5237 5237 6 5/6
  34. 34. 45 5.2 46 5.2 47 5.2 48 5.2 49 5.2 50 5.2 51 5.2 52 5.2 53 5.2 54 5.2 55 5.2 56 5.2 57 5.2 58 5.2 59 5.2 60 5.2 GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE PROJETADA ATRAS DA RODOPEÇAS ) PROFESSOR BRANT HORA R GUARATIBA 23020180 EQUIPE 2 5237 5 PORTINHO C GUARATIBA 23020170 EQUIPE 2 5237 5 TACHAS ATE N°520 EST GUARATIBA 23020010 EQUIPE 3 EQUIPE 3 5238 5238 1 EQUIPE 3 5238 EQUIPE 3 5238 EQUIPE 3 5238 EQUIPE 3 5238 EQUIPE 3 5238 EQUIPE 3 5238 EQUIPE 3 5238 EQUIPE 3 5238 EQUIPE 3 5238 EQUIPE 3 5238 EQUIPE 3 5238 EQUIPE 3 5238 MANUEL FERRAZ DE ALMEIDA VATINHO RAMALHO AUGUSTA GASPAR DE LEMOS R GUARATIBA C GUARATIBA C GUARATIBA C GUARATIBA AV GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA EST GUARATIBA PACHECO R GUARATIBA 23020000 23202110 23020110 23020230 23020110 23020230 23020000 GASPAR DE LEMOS AV GUARATIBA 23020110 AGUAS CLARAS C GUARATIBA 23020100 RETIRO MORGADO SEBASTIAO ALBINO C GUARATIBA C GUARATIBA C GUARATIBA C GUARATIBA 23020110 23020060 23020040 23020110 1 1 1 1 1 1 1 2 2 2 2 2 2
  35. 35. GUARATIBA 61 5.2 62 5.2 63 5.2 64 5.2 65 5.2 66 5.2 67 5.2 68 5.2 69 5.2 70 5.2 71 5.2 72 5.2 73 5.2 74 5.2 75 5.2 76 5.2 GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE ILHA DE GUARATIBA (LADO ESQUERDO) EST GUARATIBA GASPAR DE LEMOS ( ANTIGO CAMINHO DO MANGUE) AV GUARATIBA VASCO DA GAMA (CAMINHO PODER DA BOA VONTADE R GUARATIBA EQUIPE 3 5238 EQUIPE 3 5238 EQUIPE 3 5238 23020230 3 23020110 3 23020230 3 GASPAR DE LEMOS VITAL R GUARATIBA AV GUARATIBA C GUARATIBA TOCA GRANDE EST GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA (LADO DIREITO E ESQUERDA) EST GUARATIBA 23020110 23020230 23020050 5238 EQUIPE 3 5238 EQUIPE 3 5238 EQUIPE 3 5238 EQUIPE 3 23020230 EQUIPE 3 5238 EQUIPE 3 5238 EQUIPE 3 PROJETADA A 5238 EQUIPE 3 5238 EQUIPE 4 EQUIPE 4 5239 5239 EQUIPE 4 5239 EQUIPE 4 5239 EQUIPE 4 5239 23020230 JOSE COTA R GUARATIBA 23020590 JOSE COTA R GUARATIBA 23020050 MATRIZ EST GUARATIBA 23020715 PROJETADA INACIO MUNIZ PROJETADA PEDRO ALVES CABRAL COVANCA R GUARATIBA R GUARATIBA C GUARATIBA R GUARATIBA 23020710 23020630 23020620 23020610 4 4 5 5 23020710 MORGADO EST GUARATIBA 3 5 5 5 1 1 1 1 2
  36. 36. 77 5.2 78 5.2 79 5.2 80 5.2 81 5.2 82 5.2 83 5.2 84 5.2 85 5.2 86 5.2 87 5.2 88 5.2 89 5.2 90 5.2 91 5.2 92 5.2 GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA PROJETADA PROJETADA A PROJETADA B R GUARATIBA R GUARATIBA R GUARATIBA ILHA DE GUARATIBA EST GUARATIBA MATRIZ EST GUARATIBA MORRO CAVADO EST GUARATIBA FERRADOR 23030610 23030610 23030610 23020230 23020715 23020600 C GUARATIBA 23020230 TACHAS EST GUARATIBA 23020010 CAXIMBAU EST GUARATIBA GASPAR DE LEMOS AV GUARATIBA 23020540 23020110 PODER DA BOA VONTADE C GUARATIBA 23020230 PROJETADA I¹ R GUARATIBA 23020230 PROJETADA I² PROJETADA C PROJETADA J PROJETADA M R GUARATIBA R GUARATIBA R GUARATIBA R GUARATIBA 23020230 23020230 23020230 23020230 EQUIPE 4 5239 EQUIPE 4 5239 EQUIPE 4 5239 EQUIPE 4 5239 EQUIPE 4 5239 EQUIPE 4 5239 EQUIPE 4 5239 EQUIPE 4 5239 EQUIPE 4 5239 EQUIPE 4 5239 EQUIPE 4 5239 EQUIPE 4 5239 EQUIPE 4 5239 EQUIPE 4 5239 EQUIPE 4 5239 EQUIPE 4 5239 2 2 2 3 3 3 3 4 4 4 5 5 5 5 5 5

×