Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
PROFESSORA CRISTINA SOARES
SÃO JOSÉ DOS CAMPOS
2013
AUTORITARISMO
 Regime político
 Princípio da autoridade
 Autoridade em detrimento das liberdades





individuais
A...
DEMOCRACIA
 Regime de governo
 Poder está com os cidadãos (povo)
 “Governo do povo para o povo”
 Se opõe às formas de ...
 Povo
 Quem terá direito ao voto?
 Como proteger os direitos das minorias?
 Como combater a tirania da maioria?
 Qual...
REPÚBLICA VELHA
1889-1930
 1889 – Golpe de Estado – fim da monarquia e





início da república no Brasil
Marechal De...
PRESIDENTES DA REPÚBLICA
 1910 – Mal. Hermes da
 1889 – Mal Deodoro da
VELHA
Fonseca
Fonseca
 1891 – Mal. Floriano Peix...
REVOLUÇÃO DE 1932
 Ocorrido em São Paulo
 CAUSAS:
 Demora na criação de nova Constituição
 Interventor em Pernambuco
...
A REVOLUÇÃO
 Manifestação em São Paulo em maio de 1932
 Morte de 4 manifestantes: Martim, Miragaia,
 Dráuzio e Camargo
...
CONSTITUIÇÃO DE 1937
 Outorgada em 10 de dezembro de 1937
 Redigida por Francisco Campos
 Baseada na Constituição Polon...
 Interventores nos estados
 Legislação trabalhista
 Eliminação da independência sindical
 Extinção dos partidos políti...
Interventores nos estados
POLÍTICA TRABALHISTA
 Controle do trabalhador
 Subordinação dos sindicatos ao Ministério do

Trabalho
 Proibição das gr...
 1943 – Consolidação das Leis de Trabalho – CLT
 Regulamentação das relações entre patrões e





empregados
Aproxim...
POLÍTICA ECONÔMICA
 Planejamento econômico
 Acelerou o processo de industrialização
 Criação de órgãos para políticas e...
POLÍTICA ADMINISTRATIVA
 Criação do DASP (Departamento de

Administração e Serviço Público)
 Criação do DIP (Departament...
FIM DO ESTADO NOVO
 1943 – Promessa de eleições diretas
 Manifesto dos Mineiros – redemocratização do





país
1945...
 Vargas apoia o Gal. Eurico Gaspar Dutra do PSD
 Eduardo Gomes – UDN
 Outro candidato era Yedo Fiúza do PCB (Partido

...
 Dezembro de 1945 – eleições – vence Dutra
 1946 – Nova Constituição
 Mais democrática
 Restauração dos direitos indiv...
JUSCELINO KUBITSCHEK
1956-1960
 1960 inauguração de Brasília
 Governo desenvolvimentista
 Avanços técnicos-industriais
...
JÂNIO QUADROS
1961
Membro da UDN
Pregava a moralização do país
Governo contraditório
Medidas polêmicas (lança perfume, bri...
 Tentativa de promover um autogolpe
 renunciar e voltar com plenos poderes
 Falhou
 Congresso aceitou sua renúncia
 J...
 Constantes problemas no governo
 Forte oposição dos militares
 Governo nacionalista
 Posições políticas radicais
 “N...
 Inflação alta
 Oposição das forças armadas
 Estagnação econômica
 Líderes do golpe: Carlos Lacerda (governador

do Ri...
DITADURA MILITAR
1964-1985
 Castelo Branco

Mandato: 15/04/1964 a 15/03/1967
Governo (realizações, acontecimentos, atos):
- cassações políticas
- fim...
Junta Governativa provisória
Mandato: 31/08/1969 a 30 de outubro de 1969
Formada por:
- Aurélio de Lira Tavares, ministro ...
Ernesto Geisel
Mandato: 15/03/1974 a 15/03/1979
Governo (realizações, acontecimentos, atos):
- propôs a abertura política ...
ATOS INTITUICIONAIS - AIs
 Os Atos Institucionais foram decretos emitidos durante os

anos após o golpe militar de 1964 n...
AI 1
 Redigido por Francisco dos Santos Nascimento ,

foi editado em 9 de abril de 1964 pela junta
militar. Passou a ser ...
AI 2
 Com 33 artigos, o ato instituiu a eleição indireta para

presidente da República, dissolveu todos os partidos
polít...
AI 3
Em 5 de fevereiro de 1966, o presidente Castelo Branco editou o Ato
Institucional Número Três, ou AI-3, que estabelec...
AI 4
 Editado por Castelo Branco em 7 de

dezembro de 1966, o Ato Institucional
Número Quatro, ou AI-4, convocou ao
Congr...
AI 5
 Em 1968, na cidade do Rio de Janeiro, 100 mil pessoas se

reuniram em protesto contra a ditadura militar e a morte ...
 reação do regime foi violenta: em 13 de dezembro de 1968, foi

baixado o Ato Institucional n° 5. O ato dava ao president...
 O Ato Institucional Número Cinco, ou AI-5, foi a contra-reação.

Representou um significativo endurecimento do regime mi...
 O Ato Institucional Número Cinco foi o quinto de

uma série de decretos emitidos pelo regime militar
nos anos seguintes ...






TERCEIRO PERÍODO
DEMOCRÁTICO
Tancredo Neves – primeiro presidente civil
REDEMOCRATIZAÇÃO

eleito desde a ditadu...
GOVERNO DE SARNEY
 1986 – 1989
 “Plano Cruzado” (população = “fiscais do

Sarney”)

 Congelamento dos preços
 Contençã...
 “Plano Bresser” – novo congelamento de








preços
Volta da inflação
Bresser é substituído por Mailson da Nóbr...
ITAMAR FRANCO
 “Plano Real”
 Ministro da fazenda: Fernando Henrique

Cardoso
 Vários senadores eram ministros
FHC
 1994-2002
 Autor do Plano real
 Criou a Bolsa Escola
 Gasoduto Brasil –Bolívia
 Criação do FUNDEF (Fundo de

Des...
 Governo das privatizações
 Acabou com o monopólio estatal sobre o

petróleo
 Reforma da Previdência
 Leilão da Telebr...
LULA
LUIS INÁCIO (LULA) DA SILVA
 2002-2010
 PT – Partido dos Trabalhadores
 Campanha – “Fome Zero” – Bolsa Família
 “...
 Destaque no G20
 Presença no Haiti
 Expansão do Mercosul
 PAC (Programa de Aceleração do

Crescimento)
DILMA ROUSSEFF
 2011
 Continuação

da política de
Lula
 Primeira
mulher na
presidência do
Brasil
 Partido dos
Trabalha...
BIBLIOGRAFIA
 SOARES, Cristina – Apostila da Ágape –

Apoio Escolar, 2010 – São José dos Campos –
SP
 Raio-X das eleiçõe...
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Autoritarismo e democracia no brasil

1,880 views

Published on

Aula Fatorial

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Autoritarismo e democracia no brasil

  1. 1. PROFESSORA CRISTINA SOARES SÃO JOSÉ DOS CAMPOS 2013
  2. 2. AUTORITARISMO  Regime político  Princípio da autoridade  Autoridade em detrimento das liberdades     individuais Autoridade de instituição ou pessoa com excesso Uso e abuso de poder (despotismo) Vida nacional, familiar Poder financeiro, econômico ou pelo terror e coação
  3. 3. DEMOCRACIA  Regime de governo  Poder está com os cidadãos (povo)  “Governo do povo para o povo”  Se opõe às formas de ditadura e autoritarismo  2 tipos  Direta (pura) – voto indireto do povo em cada assunto  Representativa (democracia indireta) – expressão da vontade através da eleição de representantes eleitos
  4. 4.  Povo  Quem terá direito ao voto?  Como proteger os direitos das minorias?  Como combater a tirania da maioria?  Qual sistema deve ser usado para a eleição de representantes ou outros executivos?
  5. 5. REPÚBLICA VELHA 1889-1930  1889 – Golpe de Estado – fim da monarquia e     início da república no Brasil Marechal Deodoro da Fonseca Atraso econômico Mudança do nome do Brasil: ESTADOS UNIDOS DO BRASIL República do café com leite
  6. 6. PRESIDENTES DA REPÚBLICA  1910 – Mal. Hermes da  1889 – Mal Deodoro da VELHA Fonseca Fonseca  1891 – Mal. Floriano Peixoto  1894 – Prudente de Morais e     Barros 1898 – Manuel Ferraz de Campos Sales. 1902 – Francisco de Paula Rodrigues Alves 1906 – Afonso Augusto Moreira Pena 1906 – Nilo Procópio Peçanha  1914 – Venceslau Brás Pereira      Gomes 1918 –Delfim Moreira da Costa Ribeiro 1919 – Epitácio da Silva Pessoa 1922 - Artur da Silva Bernardes 1926 – Washington Luis Pereira de Souza (deposto pela revolução de 30) 1930 – Junta de governo; Gal Augusto Tasso, Gal. João de Deus B., Alm. Isaías de Noronha
  7. 7. REVOLUÇÃO DE 1932  Ocorrido em São Paulo  CAUSAS:  Demora na criação de nova Constituição  Interventor em Pernambuco  Tentativa de retomar o poder a oligarquia cafeeira  Apoio das camadas médias urbanas  Formação da Frente Única Paulista
  8. 8. A REVOLUÇÃO  Manifestação em São Paulo em maio de 1932  Morte de 4 manifestantes: Martim, Miragaia,  Dráuzio e Camargo  MMDC – virou símbolo da revolução  3 meses de combate  Forças leais à Vargas forçaram SP a se render  Eleições para a Assembleia Constituinte
  9. 9. CONSTITUIÇÃO DE 1937  Outorgada em 10 de dezembro de 1937  Redigida por Francisco Campos  Baseada na Constituição Polonesa      (Constituição Polaca) Aspectos fascistas Centralização política Fortalecimento do poder presidencial Extinção do poder legislativo Subordinação do poder judiciário
  10. 10.  Interventores nos estados  Legislação trabalhista  Eliminação da independência sindical  Extinção dos partidos políticos  Extinção da Associação da Imprensa Brasileira  Formação dos integralistas  Tentativa de golpe  Reação do governo
  11. 11. Interventores nos estados
  12. 12. POLÍTICA TRABALHISTA  Controle do trabalhador  Subordinação dos sindicatos ao Ministério do Trabalho  Proibição das greves  Concessões:  Salário mínimo  Semana de 44 horas  Carteira profissional  Férias remuneradas
  13. 13.  1943 – Consolidação das Leis de Trabalho – CLT  Regulamentação das relações entre patrões e     empregados Aproximação de Vargas com a classe trabalhadora Populismo Manipulação do trabalhador Controle ainda nas mãos da burguesia
  14. 14. POLÍTICA ECONÔMICA  Planejamento econômico  Acelerou o processo de industrialização  Criação de órgãos para políticas econômicas  Intervenção do governo na economia  Criação de empresas estatais  CSN  VALE DO RIO DOCE  HIDRELÉTRICA DO VALE DO RIO SÃO FRANCISCO  FÁBRICA NACIONAL DE MOTORES  FÁBRICA NACIONAL DE ÀLCALIS
  15. 15. POLÍTICA ADMINISTRATIVA  Criação do DASP (Departamento de Administração e Serviço Público)  Criação do DIP (Departamento de Imprensa e Propaganda) – controle dos meios de comunicação através da censura  Polícia Secreta - (Filinto Müller) – período de terror: prisões, repressão, exílio, torturas  Criação da Hora do Brasil
  16. 16. FIM DO ESTADO NOVO  1943 – Promessa de eleições diretas  Manifesto dos Mineiros – redemocratização do     país 1945 – Congresso Brasileiro de Escritores exigem liberdade de expressão e eleições Publicação do Ato Adicional Eleições presidenciais marcadas para dezembro de 1945 Surgimento da UDN – contra Vargas e o comunismo
  17. 17.  Vargas apoia o Gal. Eurico Gaspar Dutra do PSD  Eduardo Gomes – UDN  Outro candidato era Yedo Fiúza do PCB (Partido     Comunista Brasileiro) 1945 – “Queremismo” – Queremos Getúlio Vargas 29 de outubro de 1945 – Golpe por Goés Monteiro e Dutra Deposição de Vargas Governo dado a José Linhares – Supremo Tribunal Federal
  18. 18.  Dezembro de 1945 – eleições – vence Dutra  1946 – Nova Constituição  Mais democrática  Restauração dos direitos individuais  1950 – Retorno de Vargas  Criação da Petrobrás  Má condução do governo  Pressões  1954 – Suicídio (24 de agosto)  Assume o vice Café Filho
  19. 19. JUSCELINO KUBITSCHEK 1956-1960  1960 inauguração de Brasília  Governo desenvolvimentista  Avanços técnicos-industriais  “50 anos em 5”  Plano de metas
  20. 20. JÂNIO QUADROS 1961 Membro da UDN Pregava a moralização do país Governo contraditório Medidas polêmicas (lança perfume, briga de galo)  Condecoração de Che Guevara  Aproximação com bloco socialista  Acusado de apoiar o comunismo    
  21. 21.  Tentativa de promover um autogolpe  renunciar e voltar com plenos poderes  Falhou  Congresso aceitou sua renúncia  João Goulart (vice) assume Rejeição dos militares “ameaça comunista” Ex-ministro trabalhista Encontrava-se na China Parlamentarismo no Brasil 1963 recupera o governo
  22. 22.  Constantes problemas no governo  Forte oposição dos militares  Governo nacionalista  Posições políticas radicais  “Na lei ou na marra”  “Terra ou Morte” (Reforma Agrária)  Marcha da Família com Deus pela Liberdade  1 de abril de 1964 – Golpe Militar  Jango se refugia no Uruguai
  23. 23.  Inflação alta  Oposição das forças armadas  Estagnação econômica  Líderes do golpe: Carlos Lacerda (governador do Rio de Janeiro), Magalhães Pinto (Minas Gerais) e Adhemar de Barros (São Paulo).  Novo presidente escolhido: General Castelo Branco
  24. 24. DITADURA MILITAR 1964-1985
  25. 25.  Castelo Branco Mandato: 15/04/1964 a 15/03/1967 Governo (realizações, acontecimentos, atos): - cassações políticas - fim da eleição direta para presidente, criação do bipartidarismo - limitação de direitos constitucionais - suspensão da imunidade parlamentar Arthur da Costa e Silva Mandato: 15/3/1967 a 31/8/1969 Governo (realizações, acontecimentos, atos): - Ato Institucional nº 5 (AI-5) - política econômica voltada para o combate da inflação e expansão do comércio exterior. - investimentos nos setores de transporte e comunicações - reforma administrativa
  26. 26. Junta Governativa provisória Mandato: 31/08/1969 a 30 de outubro de 1969 Formada por: - Aurélio de Lira Tavares, ministro do Exército; - Augusto Rademaker, ministro da Marinha, e - Márcio Melo, ministro da Aeronáutica. Emílio Garrastazu Médici Mandato: 30/10/1969 a 15/3/1974 Governo (realizações, acontecimentos, atos): - repressão política; "Anos de Chumbo" - exílios, tortura, prisões, desaparecimento de pessoas, combate aos movimentos sociais e censura. - "Milagre Econômico" - forte crescimento do PIB - propaganda patriótica
  27. 27. Ernesto Geisel Mandato: 15/03/1974 a 15/03/1979 Governo (realizações, acontecimentos, atos): - propôs a abertura política desde que fosse "lenta, gradual e segura" - aumentou o mandato de presidente de 5 para 6 anos - criação do senador biônico - alta da inflação e dívida externa - restauração do habeas corpus e fim do AI-5 João Baptista Figueiredo Mandato: 15/03/1979 a 15/03/1985 Governo (realizações, acontecimentos, atos): - início da transição para o sistema democrático - restabelecimento do pluripartidarismo - crise econômica, greves, protestos sociais - restabelecimento das eleições diretas para governadores dos estados
  28. 28. ATOS INTITUICIONAIS - AIs  Os Atos Institucionais foram decretos emitidos durante os anos após o golpe militar de 1964 no Brasil. Serviram como mecanismos de legitimação e legalização das ações políticas dos militares, estabelecendo para eles próprios diversos poderes extra-constitucionais. Na verdade os Atos  Institucionais eram um mecanismo para manter na legalidade o domínio dos militares. Sem este mecanismo, a constituição de 1946 tornaria inexecutável o regime militar, daí a necessidade de substituí-la por decretos mandados cumprir. Entre 1964 a 1969 foram decretados 17 atos institucionais regulamentados por 104 atos complementares.  O governo divulgou que seu objetivo era combater a "corrupção e a subversão".
  29. 29. AI 1  Redigido por Francisco dos Santos Nascimento , foi editado em 9 de abril de 1964 pela junta militar. Passou a ser designado como Ato  Institucional Número Um, ou AI-1 somente após a divulgação do AI-2. Com 11 artigos, o AI-1 dava ao governo militar o poder de alterar a constituição, cassar mandatos legislativos, suspender direitos políticos por dez anos e demitir, colocar em disponibilidade ou aposentar compulsoriamente qualquer pessoa que tivesse atentado contra a segurança do país, o regime democrático e a probidade da administração pública.
  30. 30. AI 2  Com 33 artigos, o ato instituiu a eleição indireta para presidente da República, dissolveu todos os partidos políticos, aumentou o número de ministros do Supremo Tribunal Federal de 11 para 16, reabriu o processo de punição aos adversários do regime, estabeleceu que o presidente poderia decretar estado de sítio por 180 dias sem consultar o Congresso, intervir nos estados, decretar o recesso no Congresso, demitir funcionários por incompatibilidade com o regime e baixar decretos-lei e atos complementares sobre assuntos de segurança nacional.  O Ato Complementar (AC) nº 1, também em 27 de outubro, estabeleceu as sanções a serem estabelecidas contra as pessoas com direitos políticos cassados que se manifestassem politicamente, o que passou a ser qualificado como crime.
  31. 31. AI 3 Em 5 de fevereiro de 1966, o presidente Castelo Branco editou o Ato Institucional Número Três, ou AI-3, que estabelecia eleições indiretas para governador e vice-governador e que os prefeitos das capitais seriam indicados pelos governadores, com aprovação das assembleias legislativas. Estabeleceu o calendário eleitoral, com a eleição presidencial em 3 de outubro e para o Congresso, em 15 de novembro.  Com a pressão do governo, somada às cassações de deputados estaduais, a ARENA elegeu 17 governadores. No dia 3 de outubro foi eleito o marechal Artur da Costa e Silva, ministro da Guerra de Castelo Branco, e para vice, Pedro Aleixo, deputado federal eleito pela UDN e então na Arena. O MDB se absteve de votar nas eleições em protesto.  No dia 12 de outubro foram cassados , por um periodo de dez anos , 6 deputados do MDB, entre os quais Sebastião Pais de Almeida, do antigo PSD, e Doutel de Andrade, do antigo PTB.  No dia 20 de outubro, foi editado o AC 24 estabelecendo recesso parlamentar até 22 de novembro. Em 15 de novembro foram feitas as eleições legislativas, ficando a Arena com 277 cadeiras contra 132 do (MDB). 
  32. 32. AI 4  Editado por Castelo Branco em 7 de dezembro de 1966, o Ato Institucional Número Quatro, ou AI-4, convocou ao Congresso Nacional para a votação e outorga de 1967|Projeto de Constituição, que revogaria definitivamente a Constituição de 1946.
  33. 33. AI 5  Em 1968, na cidade do Rio de Janeiro, 100 mil pessoas se reuniram em protesto contra a ditadura militar e a morte do estudante Edson Luís, morto acidentalmente por uma bala perdida disparada pela polícia militar na tentativa de debelar um protesto movido por estudantes e ativistas políticos nas imediações do antigo restaurante Calabouco próximo ao Centro do Rio.  Em dezembro, um discurso do deputado Márcio Moreira Alves, chamou os quartéis militares de "covis de torturadores", pediu à população que boicotasse os desfiles de 7 de setembro e, às moças, que não dançassem com os cadetes nos bailes dos clubes militares.
  34. 34.  reação do regime foi violenta: em 13 de dezembro de 1968, foi baixado o Ato Institucional n° 5. O ato dava ao presidente o poder de cassar mandatos, intervir em estados e municípios e suspender direitos políticos. Além disso, a tortura foi praticamente instituída.  Em 1968 reações mais significativas ao regime militar começaram a surgir. Vários emissários foram então enviados a Brasília para dialogar com as autoridades. Um grupo de pensadores e intelectuais foram recebidos pelo Presidente Costa e Silva no Palacio do Planalto. Esse acontecimento importante figura de maneira proeminente no livro "1968, o ano que não acabou", do jornalista, professor e intelectual Zuenir Ventura, que relata inclusive, em seu livro, como um dos participantes na reunião acaba por ofender o marechal presidente com a aspereza do tom em que se dirigiu a ele, o que acarretou o imediato encerramento do encontro por parte do incumbente do poder, sem que fossem discutidas as reivindicacões dos participantes. O escritor também lamenta a evidente ausência de planos concretos, estrategias ou mesmo coerência por parte das muitas oposições ao Regime Militar, que se perdiam em grupos e subgrupos beligerantes entre sí.
  35. 35.  O Ato Institucional Número Cinco, ou AI-5, foi a contra-reação. Representou um significativo endurecimento do regime militar e segundo observadores refletiu a resposta do governo militar ao assassinato a sangue frio do general norte-americano Chandler em plena luz do dia em rua do Rio de Janeiro. O grupo terrorista que expressamente assumiu o atentado - informação depois contestada por outros grupos - incorporava a suposta participação de uruguaios ou argentinos.  O Ato Institucional nº 5 foi editado no dia 13 de dezembro, uma sexta-feira que ficou marcada para a história contemporânea brasileira. Este ato incluía a proibição de manifestações contra a natureza política, além de vetar o "habeas corpus" para crimes contra a segurança nacional (ou seja, crimes políticos). Entrou em vigor em 13 de dezembro de 1968.  O Ato Institucional Número Cinco (Ai5), concedia ao Presidente da Republica enormes poderes, tais como: fechar o Congresso Nacional; demitir, remover ou aposentar quaisquer funcionários; cassar mandatos parlamentares; suspender por dez anos os direitos políticos de qualquer pessoa; decretar estado de sítio; julgamento de crimes políticos por tribunais militares, etc.
  36. 36.  O Ato Institucional Número Cinco foi o quinto de uma série de decretos emitidos pelo regime militar nos anos seguintes ao Golpe militar de 1964 no Brasil. Redigido pelo Presidente Artur da Costa e Silva em 13 de dezembro de 1968, veio em resposta a um episódio menor: um discurso do deputado Márcio Moreira Alves pedindo ao povo brasileiro que boicotasse as festividades do dia 7 de setembro. Mas o decreto também vinha no correr de um rio de ambições, ações e declarações pelas quais a classe política fortaleceu a chamada linha dura do regime instituído peloRegime Militar. O Ato Institucional Número Cinco, ou AI-5, foi um instrumento de poder que deu ao regime poderes absolutos e cuja primeira e maior consequência foi o fechamento do Congresso Nacional por quase um ano.
  37. 37.      TERCEIRO PERÍODO DEMOCRÁTICO Tancredo Neves – primeiro presidente civil REDEMOCRATIZAÇÃO eleito desde a ditadura Eleições indiretas Não chegou a assumir Operado na véspera da posse (14 /03/1985) Assume o Vice José Sarney
  38. 38. GOVERNO DE SARNEY  1986 – 1989  “Plano Cruzado” (população = “fiscais do Sarney”)  Congelamento dos preços  Contenção da inflação     PMDB – vence eleições estaduais Plano Cruzado 2” - liberação dos preços Inflação alta, crise econômica Moratória – Brasil deixa de pagar a dívida externa
  39. 39.  “Plano Bresser” – novo congelamento de        preços Volta da inflação Bresser é substituído por Mailson da Nóbrega “Plano Verão” – Cruzado Novo 1989 – Fernando Collor de Melo é eleito novo presidente (eleições diretas) 1992 – renúncia para fugir do empeachment Denúncias em esquemas de corrupção “Revolução Democrática” dos jovens
  40. 40. ITAMAR FRANCO  “Plano Real”  Ministro da fazenda: Fernando Henrique Cardoso  Vários senadores eram ministros
  41. 41. FHC  1994-2002  Autor do Plano real  Criou a Bolsa Escola  Gasoduto Brasil –Bolívia  Criação do FUNDEF (Fundo de Desenvolvimento do Ensino Fundamental)  Código de Trânsito Brasileiro  Lei de Responsabilidade Fiscal
  42. 42.  Governo das privatizações  Acabou com o monopólio estatal sobre o petróleo  Reforma da Previdência  Leilão da Telebrás
  43. 43. LULA LUIS INÁCIO (LULA) DA SILVA  2002-2010  PT – Partido dos Trabalhadores  Campanha – “Fome Zero” – Bolsa Família  “Mensalão”  Inflação contida  “Primeiro Emprego”  ENEM - PROUNI
  44. 44.  Destaque no G20  Presença no Haiti  Expansão do Mercosul  PAC (Programa de Aceleração do Crescimento)
  45. 45. DILMA ROUSSEFF  2011  Continuação da política de Lula  Primeira mulher na presidência do Brasil  Partido dos Trabalhadores
  46. 46. BIBLIOGRAFIA  SOARES, Cristina – Apostila da Ágape – Apoio Escolar, 2010 – São José dos Campos – SP  Raio-X das eleições 2010. UOL (31/10/2010). Página visitada em 16/2/2011.

×