Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
INTRODUÇÃO AO DIREITO Angélica Carlini [email_address] www.carliniadvogados.com.br /artigos
O DIREITO POSITIVO <ul><li>É o conjunto das normas jurídicas escritas e não-escritas (o costume jurídico), vigentes em det...
DIREITO OBJETIVO <ul><li>É o conjunto das normas jurídicas escritas e não-escritas,  independentemente do momento  do seu ...
DIREITO SUBJETIVO <ul><li>É uma prerrogativa colocada pelo direito objetivo, à disposição do sujeito do direito; </li></ul...
DEVER SUBJETIVO <ul><li>A norma jurídica existe para impor ações e comportamentos, e exige isso com a fixação de sanções, ...
DIVISÃO DO DIREITO POSITIVO <ul><li>Não obedece a um rigor lógico; </li></ul><ul><li>A divisão do direito positivo em DIRE...
DIREITO PÚBLICO <ul><li>Aquele que reúne as normas jurídicas que têm por matéria o Estado, suas funções e organização, a o...
DIREITO PRIVADO <ul><li>É o conjunto de normas jurídicas que têm por matéria os particulares, a vida privada, as relações ...
PUBLICIZAÇÃO DO DIREITO PRIVADO <ul><li>Também chamada de constitucionalização do direito civil; </li></ul><ul><li>Acontec...
DIREITO MISTO ou DIREITO SOCIAL <ul><li>Para o prof. Luis Rizzatto Nunes, existe um ramo de direito que pode ser chamado d...
DIVISÃO CLÁSSICA ADOTADA <ul><li>DIREITO POSITIVO divide-se em DIREITO PÚBLICO, DIREITO PRIVADO e DIREITO MISTO; </li></ul...
DIVISÃO CLÁSSICA ADOTADA <ul><li>DIREITO PRIVADO – APENAS DIREITO INTERNO DIVIDIDO EM DIREITO CIVIL E DIREITO COMERCIAL </...
DIREITO CONSTITUCIONAL <ul><li>Regido pelo princípio do Estado de Direito, todo o poder do Estado está subordinado ao dire...
DIREITO ADMINISTRATIVO <ul><li>Conjunto de normas jurídicas, conceitos e princípios que organizam administrativamente o Es...
DIREITO TRIBUTÁRIO <ul><li>Trata das normas jurídicas, conceitos e princípios voltados para a arrecadação de tributos, bem...
DIREITO PROCESSUAL <ul><li>Também é conhecido como DIREITO ADJETIVO, porque é um instrumento a serviço do DIREITO MATERIAL...
DIREITO PENAL <ul><li>Conjunto de normas jurídicas, conceitos e princípios que regulam os crimes e as penas aplicáveis; </...
DIREITO ELEITORAL <ul><li>Conjunto de normas jurídicas, conceitos e princípios que disciplinam a escola dos membros do Pod...
DIREITO PÚBLICO EXTERNO <ul><li>Direito Internacional Público </li></ul><ul><li>É composto pelas normas  e pelos costumes ...
DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO <ul><li>Os Estados que assinarem os tratados se obrigam a cumpri-los e podem ser punidos se ...
DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO <ul><li>O Estado pode também  denunciar o tratado , depois de haver aderido a ele; </li></ul...
RAMOS DO DIREITO PRIVADO <ul><li>DIREITO CIVIL e </li></ul><ul><li>DIREITO COMERCIAL ou EMPRESARIAL; </li></ul><ul><li>Na ...
DIREITO CIVIL <ul><li>Também é conhecido como direito comum; </li></ul><ul><li>Contém as normas jurídicas, os conceitos e ...
DIREITO COMERCIAL OU EMPRESARIAL <ul><li>Parte da legislação empresarial está no Código Comercial de 1850, mas apenas o ca...
DIREITO EMPRESARIAL <ul><li>Contem a legislação, conceitos e princípios de  direito empresarial que regulam a constituição...
OS RAMOS DO CHAMADO DIREITO MISTO: DIREITO DO TRABALHO <ul><li>Contém as normas jurídicas, conceitos e princípios que regu...
DIREITO PREVIDENCIÁRIO <ul><li>É o ramo do direito que engloba as normas, conceitos e princípios que regulam a Previdência...
DIREITO ECONÔMICO <ul><li>É o ramo do direito que contém as normas, princípios e conceito que regulam a produção e a circu...
DIREITO DO CONSUMIDOR <ul><li>É, com certeza, o ramo do direito que mais cresce e adquire importância no Brasil contemporâ...
DIREITO AMBIENTAL <ul><li>É outro importante ramo do direito na sociedade contemporânea, suscitando inúmeras polêmicas sob...
DIREITO INTERNACIONAL PRIVADO <ul><li>É o ramo do direito que cuida das relações privadas no âmbito internacional; </li></...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Aula Direito Objetivo Subjetivo

53,962 views

Published on

AULA DA PROF.DRA.ANGELICA CARLINI - DIREITO OBJETIVO SUBJETIVO

Published in: Education

Aula Direito Objetivo Subjetivo

  1. 1. INTRODUÇÃO AO DIREITO Angélica Carlini [email_address] www.carliniadvogados.com.br /artigos
  2. 2. O DIREITO POSITIVO <ul><li>É o conjunto das normas jurídicas escritas e não-escritas (o costume jurídico), vigentes em determinado território e também no plano internacional, na relação entre diferentes Estados; </li></ul><ul><li>O direito positivo é normalmente dividido em dois elementos: direito objetivo e direito/dever subjetivo. </li></ul><ul><li>É a soma do direito objetivo com o direito e o dever subjetivos. </li></ul>
  3. 3. DIREITO OBJETIVO <ul><li>É o conjunto das normas jurídicas escritas e não-escritas, independentemente do momento do seu exercício e aplicação concreta; </li></ul><ul><li>Corresponde à norma jurídica em si, enquanto comando que se pretende ver aplicado a uma dada sociedade, independentemente do momento de seu uso e exercício. </li></ul>
  4. 4. DIREITO SUBJETIVO <ul><li>É uma prerrogativa colocada pelo direito objetivo, à disposição do sujeito do direito; </li></ul><ul><li>Essa prerrogativa nada mais é do que a possibilidade de uso e exercício efetivo do direito posto à disposição do sujeito; </li></ul><ul><li>É o exercício e a potencialidade de exercício do direito; </li></ul><ul><li>Um direito subjetivo só pode ser exercido por seu titular, por isso é um direito dele decidir se o exerce ou não. </li></ul>
  5. 5. DEVER SUBJETIVO <ul><li>A norma jurídica existe para impor ações e comportamentos, e exige isso com a fixação de sanções, que serão aplicadas àqueles que não cumprirem as condutas determinadas; </li></ul><ul><li>Para todo direito protegido pela lei positivada existe também um dever, que consiste sempre em fazer, não fazer ou deixar de fazer. </li></ul>
  6. 6. DIVISÃO DO DIREITO POSITIVO <ul><li>Não obedece a um rigor lógico; </li></ul><ul><li>A divisão do direito positivo em DIREITO PÚBLICO e DIREITO PRIVADO obedece mais a uma tradição histórica, que teve início no direito romano; </li></ul><ul><li>Essa é uma divisão de caráter didático, porque na realidade ela não nunca aparece claramente definida. </li></ul>
  7. 7. DIREITO PÚBLICO <ul><li>Aquele que reúne as normas jurídicas que têm por matéria o Estado, suas funções e organização, a ordem e segurança internas, com a tutela do interesse público, tendo em vista a paz social, o que se concretiza com a elaboração e distribuição dos serviços públicos por meio dos recursos financeiros indispensáveis para sua execução. </li></ul><ul><li>É também do direito público a incumbência de cuidar das relações internacionais, de um Estado com os outros. </li></ul>
  8. 8. DIREITO PRIVADO <ul><li>É o conjunto de normas jurídicas que têm por matéria os particulares, a vida privada, as relações que se estabelecem entre os particulares, tanto no plano patrimonial como no plano extrapatrimonial; </li></ul><ul><li>Durante muito tempo o direito privado foi a maior expressão do direito no Brasil. Na atualidade, vivemos um processo de publicização do direito privado. </li></ul>
  9. 9. PUBLICIZAÇÃO DO DIREITO PRIVADO <ul><li>Também chamada de constitucionalização do direito civil; </li></ul><ul><li>Acontece principalmente no plano dos contratos, da vontade livre de contratar e se estende para o direito de propriedade, para as relações de consumo entre outros; </li></ul><ul><li>Vivemos uma época em que o Estado intervém cada vez mais na órbita privada, inclusive para rever cláusulas contratuais, anular pactos, modificar instrumentos, entre outros. </li></ul>
  10. 10. DIREITO MISTO ou DIREITO SOCIAL <ul><li>Para o prof. Luis Rizzatto Nunes, existe um ramo de direito que pode ser chamado de misto ou híbrido, porque relaciona interesses públicos e privados; </li></ul><ul><li>Autores como Dimitri Dimoulis negam a existência dessa categoria, até porque discutem se a divisão entre público e privado deveria continuar sendo utilizada. </li></ul>
  11. 11. DIVISÃO CLÁSSICA ADOTADA <ul><li>DIREITO POSITIVO divide-se em DIREITO PÚBLICO, DIREITO PRIVADO e DIREITO MISTO; </li></ul><ul><li>DIREITO PÚBLICO pode ser interno e externo; </li></ul><ul><li>INTERNO – direito constitucional, direito administrativo, direito tributário, direito processual, direito penal e direito eleitoral; </li></ul><ul><li>EXTERNO – Direito Internacional Público. </li></ul>
  12. 12. DIVISÃO CLÁSSICA ADOTADA <ul><li>DIREITO PRIVADO – APENAS DIREITO INTERNO DIVIDIDO EM DIREITO CIVIL E DIREITO COMERCIAL </li></ul><ul><li>DIREITO MISTO – DIVIDE-SE EM DIREITO INTERNO E EXTERNO. </li></ul><ul><li>Misto Interno – direito do trabalho, direito previdenciário, direito econômico, direito do consumidor, direito ambiental. </li></ul><ul><li>Misto Externo – direito internacional privado. </li></ul>
  13. 13. DIREITO CONSTITUCIONAL <ul><li>Regido pelo princípio do Estado de Direito, todo o poder do Estado está subordinado ao direito; </li></ul><ul><li>Engloba as normas jurídicas constitucionais em toda a sua amplitude, incluindo os princípios; </li></ul><ul><li>São as normas contidas na Constituição Federal de 1988. </li></ul>
  14. 14. DIREITO ADMINISTRATIVO <ul><li>Conjunto de normas jurídicas, conceitos e princípios que organizam administrativamente o Estado, fixando os modos, os meios e a forma de ação para a consecução de seus objetivos; </li></ul><ul><li>Essas normas estruturam as atividades dos diferentes órgãos da Administração Pública, bem como as autarquias, as empresas públicas, etc; </li></ul><ul><li>Também envolve as regras do Poder de Polícia do Estado, que se referem à segurança pública e a fiscalização, conservação e controle dos bens públicos. </li></ul>
  15. 15. DIREITO TRIBUTÁRIO <ul><li>Trata das normas jurídicas, conceitos e princípios voltados para a arrecadação de tributos, bem como para a atividade financeira do Estado, regulando receitas e despesas; </li></ul><ul><li>O direito tributário assumiu enorme importância na atualidade, porque o Estado está cada vez mais presente no âmbito do domínio econômico. </li></ul>
  16. 16. DIREITO PROCESSUAL <ul><li>Também é conhecido como DIREITO ADJETIVO, porque é um instrumento a serviço do DIREITO MATERIAL (que também é chamado de direito substantivo); </li></ul><ul><li>Regula o processo judicial e a organização judiciária; </li></ul><ul><li>Quando o indivíduo resolve exercer o direito subjetivo por meio de uma ação judicial, necessita das regras do direito processual para fazê-lo de forma correta. </li></ul><ul><li>Pode ser dividido em direito processual civil, do trabalho, penal, lei das execuções penais e juizado especial civil e criminal. </li></ul>
  17. 17. DIREITO PENAL <ul><li>Conjunto de normas jurídicas, conceitos e princípios que regulam os crimes e as penas aplicáveis; </li></ul><ul><li>Também regula as contravenções penais (condutas com menor potencial ofensivo) e as penas aplicáveis; </li></ul><ul><li>O Código Penal e a Lei das Contravenções Penais são seus principais instrumentos, além de outros como a Lei Maria da Penha, a nova lei de punição do assédio sexual contra menores, entre outras leis esparsas mas nem por isso, menos importantes. </li></ul>
  18. 18. DIREITO ELEITORAL <ul><li>Conjunto de normas jurídicas, conceitos e princípios que disciplinam a escola dos membros do Poder Executivo e do Poder Legislativo; </li></ul><ul><li>Essas normas fixam os critérios para a realização de uma eleição totalmente legal, e vão desde as condições necessárias para que alguém seja eleitor, até as condições legais para ser candidato, para realizar a campanha, para criação e funcionamento de partidos, para a escolha de candidatos pelos partidos, entre outros inúmeros detalhes estabelecidos na legislação eleitoral. </li></ul>
  19. 19. DIREITO PÚBLICO EXTERNO <ul><li>Direito Internacional Público </li></ul><ul><li>É composto pelas normas e pelos costumes jurídicos internacionais; </li></ul><ul><li>As normas são os tratados internacionais, que também poderão ser chamados de convenções, pactos, convênios ou acordos; </li></ul><ul><li>Tratado é o acordo realizado por Estados independentes, para solução de temas de interesse comum; </li></ul><ul><li>Eles são recepcionados pela legislação interna de cada um dos Estados e se tornam normas jurídicas. </li></ul>
  20. 20. DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO <ul><li>Os Estados que assinarem os tratados se obrigam a cumpri-los e podem ser punidos se não o fizerem; </li></ul><ul><li>Assinar, ou ratificar, o tratado é livre escolha do Estado, mas depois de cumprida a formalidade é deve observar todos os aspectos que o compõem; </li></ul><ul><li>O Estado pode, no entanto, aderir a um tratado com reservas , ou seja, ressalvando por escrito, de forma expressa e específica, que não concorda com determinadas cláusulas e não vai cumpri-las. </li></ul>
  21. 21. DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO <ul><li>O Estado pode também denunciar o tratado , depois de haver aderido a ele; </li></ul><ul><li>Na denúncia o Estado entrega a todos os outros Estados que são parte no tratado um documento no qual expressa que não vai mais observar as cláusulas e normas nele contidas, explicitando as razões que justificam a adoção dessa medida. </li></ul>
  22. 22. RAMOS DO DIREITO PRIVADO <ul><li>DIREITO CIVIL e </li></ul><ul><li>DIREITO COMERCIAL ou EMPRESARIAL; </li></ul><ul><li>Na atualidade se encontram praticamente reunidos na legislação civil, porque o Código Civil de 2002 promoveu uma unificação legal que abrangeu quase todos os aspectos do antigo Código Comercial de 1850; </li></ul><ul><li>Para efeito de estudo, continuam sendo independentes, embora expressiva parcela da legislação seja a mesma. </li></ul>
  23. 23. DIREITO CIVIL <ul><li>Também é conhecido como direito comum; </li></ul><ul><li>Contém as normas jurídicas, os conceitos e princípios que regem a capacidade da pessoa para os atos da vida civil, a definição de pessoa física e de pessoa jurídica, regula a vida da pessoa física do nascimento até a morte, as relações de parentesco, o casamento, a filiação, a sucessão hereditária, o pátrio poder, bem como as relações patrimoniais e obrigacionais (posse, propriedade, compra e venda, todos os contratos entre particulares, entre outros) </li></ul>
  24. 24. DIREITO COMERCIAL OU EMPRESARIAL <ul><li>Parte da legislação empresarial está no Código Comercial de 1850, mas apenas o capítulo II está em vigor, que trata do Comércio Marítimo; </li></ul><ul><li>Os capítulos I e III foram substituídos pelo Código Civil e por legislação especial, respectivamente; </li></ul><ul><li>O Código Civil trata principalmente da definição da atividade empresarial e regula a atividade das sociedades empresariais, principalmente a sociedade limitada; </li></ul><ul><li>A legislação esparsa trata de temas fundamentais, como a legislação sobre sociedade anônima, recuperação de empresa, falência, mercado de capitais, entre outras. </li></ul>
  25. 25. DIREITO EMPRESARIAL <ul><li>Contem a legislação, conceitos e princípios de direito empresarial que regulam a constituição de empresas, sua administração, a relação entre empresários, os contratos empresariais (compra e venda, leasing, franchising, agência, corretagem, entre outros), a falência da empresa, o pedido de recuperação de empresa, as sociedades anônimas e sua complexa formação e administração, entre outros muitos aspectos da vida empresarial contemporânea; </li></ul><ul><li>Além da legislação, os costumes têm grande força no mundo do direito empresarial. </li></ul>
  26. 26. OS RAMOS DO CHAMADO DIREITO MISTO: DIREITO DO TRABALHO <ul><li>Contém as normas jurídicas, conceitos e princípios que regulam as relações entre empregadores e empregados, principalmente pertinentes ao contrato de trabalho, o registro de empregado, a rescisão, a despedida, as verbas rescisórias, os salários e seus reajustas, a duração da jornada de trabalho, as condições de trabalho e, atualmente, o assédio moral e sexual no ambiente do trabalho; </li></ul><ul><li>Contém também as normas coletivas. </li></ul>
  27. 27. DIREITO PREVIDENCIÁRIO <ul><li>É o ramo do direito que engloba as normas, conceitos e princípios que regulam a Previdência Privada e seus órgãos, INSS, IAPAS, etc; </li></ul><ul><li>Regula os benefícios, sua concessão, formas de concessão, duração, regramento da aposentadoria, entre outros; </li></ul><ul><li>Seu principal instrumento é a Consolidação das Leis da Previdência. </li></ul>
  28. 28. DIREITO ECONÔMICO <ul><li>É o ramo do direito que contém as normas, princípios e conceito que regulam a produção e a circulação de produtos e serviços no país, visando dar integral cumprimento aos princípios constitucionais da livre iniciativa, da livre concorrência e da intervenção do Estado para garantir que isso ocorra; </li></ul><ul><li>Na área da fiscalização da livre concorrência esse ramo do direito assume cada vez maior importância na sociedade brasileira contemporânea. </li></ul>
  29. 29. DIREITO DO CONSUMIDOR <ul><li>É, com certeza, o ramo do direito que mais cresce e adquire importância no Brasil contemporâneo, ao lado do direito econômico com o qual tem profunda relação; </li></ul><ul><li>Regula a proteção ao consumidor , e não as relações de consumo; </li></ul><ul><li>Tem na lei 8.078/90 seu principal texto, uma lei principiológica que nasce da Constituição Federal, no capítulo destinado à proteção aos direitos individuais. </li></ul><ul><li>A entrada em vigor do CDC – Código de Defesa do Consumidor foi um marco na história recente do mercado de consumo brasileiro, provocando intensas mudanças na forma de organização da atividade empresarial. </li></ul>
  30. 30. DIREITO AMBIENTAL <ul><li>É outro importante ramo do direito na sociedade contemporânea, suscitando inúmeras polêmicas sobre sua utilização; </li></ul><ul><li>Tem uma dimensão penal que igualmente tem provocado grande polêmica; </li></ul><ul><li>É regido por leis, princípios e conceitos que cuidam da proteção ao meio ambiente em geral, matas, florestas, animais, sistemas, controle de poluição ambiental, controle de lixo urbano, industrial, tóxico, hospitalar, construções que possam impactar a natureza, entre outros inúmeros aspectos. </li></ul>
  31. 31. DIREITO INTERNACIONAL PRIVADO <ul><li>É o ramo do direito que cuida das relações privadas no âmbito internacional; </li></ul><ul><li>É regulado pela chamada Lei de Introdução ao Código Civil – Decreto-Lei 4.657, de 1942; </li></ul><ul><li>Regula as questões pertinentes à família, obrigações, sucessão por mote ou ausência, jurisdição, produção de provas dos fatos ocorridos em países estrangeiros, limites de aplicação da lei estrangeira, entre outros aspectos. </li></ul><ul><li>Tem sido cada vez mais importante em um mundo globalizado como o que vivemos na atualidade. </li></ul>

×