Successfully reported this slideshow.
TEATRO DE LEITORES- CONTRIBUIÇÃO SIGNIFICATIVA
PARA MELHORAR A FLUÊNCIA LEITORA1
Aneli Cordoba Lopes Guerreiro
Formadora d...
O TEATRO DE LEITORES – CONTRIBUIÇÃO SIGNIFICATIVA PARA MELHORAR A
FLUÊNCIA LEITORA
“O Teatro de Leitores promove a motivaç...
1
O conceito de fluência tem evoluído ao longo do tempo porque ele era considerado sinônimo de
automação da decodificação ...
2
os agrupamentos produtivos. Rasinsky (2000) identificou que os métodos mais eficazes são: o
Teatro de Leitores, a leitur...
3
PROJETO DIDÁTICO
TEATRO DE LEITORES
ORGANIZAÇÃO GERAL DO PROJETO
Etapas Atividades
1 Apresentação do projeto
Atividade 1...
4
ETAPA 1
Apresentação do projeto
Compartilhe com seus alunos o conteúdo do projeto e os objetivos pretendidos: diga a ele...
5
 Nessa atividade você conversará com a turma com o objetivo de contar o que será feito no
projeto, que textos serão lid...
6
 Exiba o vídeo de leitura dramática.
 Levante com os alunos o que viram, como fazem a leitura...
ATIVIDADE 2B – COMPAR...
7
ETAPA 3
Compreensão do texto- contexto de produção
A leitura compartilhada ou colaborativa - aquela em que alunos e prof...
8
Planejamento
 Como organizar os alunos? Em duplas.
 Quais materiais necessários? Cópias do texto para os alunos ( 1 po...
9
ATIVIDADE 3B – LEITURA BRANCA DE UM TEXTO DE TEATRO
Objetivo
 Aproximar os alunos do gênero.
Planejamento
 Como organi...
10
ETAPA 4
Seleção de textos teatrais
É comum nas bibliotecas/salas de leitura de algumas escolas, os livros de teatro fic...
11
Planejamento
 Como organizar os alunos? Coletivamente, organizados em um círculo.
 Quais materiais necessários? Para ...
12
ATIVIDADE 4C – SELEÇÃO DO TEXTO A SER TRABALHADO
Objetivo
 Selecionar um texto ( ou textos) para a realização da leitu...
13
Encaminhamento
 Distribua os textos para os alunos, explicando que deverão realizar uma leitura individual e
silencios...
14
Encaminhamento
 Explique aos alunos que agora terão que escolher o personagem que irão interpretar na
apresentação par...
15
ETAPA 6
Ensaios – estudo do texto
Os ensaios do Teatro de Leitores favorecem a confiança para ler.
Os ganhos de compree...
16
Encaminhamento
 Solicite que os alunos se organizem, da forma que considerarem melhor, para estudar o texto.
 Informe...
17
ATIVIDADE 6D - LEITURA FINAL PARA AJUSTES
Objetivo
 Ajustar a própria leitura e a leitura dos parceiros.
Planejamento
...
18
Encaminhamento
 Converse previamente com a direção da escola, para que disponibilizem o espaço e os
recursos existente...
19
 Qual a duração? Aproximadamente 50 minutos.
Encaminhamento
 Selecione previamente modelos de folders para apresentar...
20
 Informe que este ensaio será importante também para “ajustar” os recursos (áudio, figurino,
adereços, etc).
ATIVIDADE...
21
 Antes de iniciar a apresentação, explique aos pais o que é leitura dramática e o objetivo do
trabalho com essa modali...
22
Referências bibliográficas
BRÄKLING, Kátia Lomba. Sobre a leitura e a formação de leitores. São Paulo:SEE: Fundação
Van...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Projeto didatico teatro de leitores2

1,345 views

Published on

Ação para os alunos agrupados para Leitura Dramática

Published in: Education
  • Be the first to comment

Projeto didatico teatro de leitores2

  1. 1. TEATRO DE LEITORES- CONTRIBUIÇÃO SIGNIFICATIVA PARA MELHORAR A FLUÊNCIA LEITORA1 Aneli Cordoba Lopes Guerreiro Formadora do Programa Ler e escrever Município Parceiro- Bernardino de Campos Diretoria de Ensino da Região de Ourinhos Pólo de Presidente Prudente 1.Trabalho apresentado no Seminário de Boas Práticas Pedagógicas da SEE, em Serra Negra- SP em Outubro de 2013 e no Grupo de Tematização da Prática de Sala de Aula, sob a supervisão continuada do trabalho pedagógico por Telma Weisz, em Novembro de 2013. Versão Preliminar
  2. 2. O TEATRO DE LEITORES – CONTRIBUIÇÃO SIGNIFICATIVA PARA MELHORAR A FLUÊNCIA LEITORA “O Teatro de Leitores promove a motivação das crianças para a leitura e contribui significativamente para melhorar a fluência leitora, o que inclui precisão e exatidão da decodificação; identificação automática das palavras e expressão de acordo com as características prosódicas do texto”. O processo de leitura está constituído por múltiplos elementos que contribuem para que o leitor obtenha significados do texto. Entre os mais importantes destes elementos se contam: os conhecimentos prévios do leitor, sua capacidade para identificar palavras e sua fluência para ler o texto. A fluência leitora favorece a concentração do leitor em sua habilidade para extrair significados, já que ao utilizar seus conhecimentos semânticos e sintáticos pode passar do nível ótico ao de significado com maior eficiência. (Samuels, 2002). Até algumas décadas atrás, considerava-se que a leitura fluente era a capacidade de ler e decodificar e ler rapidamente, deixando de lado a compreensão do texto. Em 1985, Richard Allington notou a necessidade de estudar o desenvolvimento da fluência leitora e logo depois, Laberge e Samuels (1985) consideraram que quando uma pessoa automatiza a sua leitura, ela dedica menos atenção à informação visual e isto lhe permite ativar processos cognitivos mais complexos, como buscar significados ou refletir sobre as suas previsões a partir de seus esquemas mentais, o que favorece a compreensão do texto. Na busca de estratégias para alcançar a fluência leitora, Samuels (2002) notou o procedimento de releitura ou leituras repetidas como um método eficaz para esta finalidade. No entanto, devemos considerar que, quando as crianças realizam repetidas leituras, sem um motivo que as leve a interessar-se por compreendê-las, são capazes de aumentar a sua velocidade de leitura, porém não a compreensão do texto e muito menos o desenvolvimento do gosto por esta atividade. É por isso que os professores e pesquisadores têm se preocupado em desenvolver estratégias que levem os alunos a praticar a releitura, promovendo ao mesmo tempo a compreensão do texto. O estudo da fluência leitora Laberge e Samuels (1985) observaram que, quando se busca a automação, a atenção pode ativar seletivamente códigos em qualquer nível do sistema cognitivo; não só em níveis profundos de significado, mas também nos níveis visuais ou auditivos próximos à superfície sensorial. Sob um modelo interativo, Dechant (1991) sugeriu que o leitor utiliza todos os níveis de processamento simultaneamente e constrói o seu significado por um uso seletivo de informação a partir de muitos caminhos, sem aderir a uma ordem específica. Este modelo permite fundamentar a função e a importância da fluência leitora, pois quando um indivíduo alcança a fluência torna-se um leitor flexível e interativo, realizando paralelamente os processos de decodificação e compreensão. Sobre a investigação da fluência leitora, Goodman (1986) menciona que a leitura veloz está associada com uma maior compreensão. Ele argumenta que bons leitores não se distraem prestando atenção em informações irrelevantes do texto e utilizam índices perceptivos mínimos para ativar os seus esquemas.
  3. 3. 1 O conceito de fluência tem evoluído ao longo do tempo porque ele era considerado sinônimo de automação da decodificação das palavras. (Moyer, 1982; Laberge e Samuels, 1985). Depois se reconheceram elementos como a precisão no reconhecimento das palavras e a velocidade na leitura (Rasinsky, Padak, Linek, e Sturtevant, 1994). Assim, se concebeu a fluência como um construto multidimensional (Rasinsky, 1990) associado à compreensão (Levy, Abello e Lysynchuk, 1997); (Reutzel e Hollingsworth, 1993). Atualmente, a definição de fluência inclui: leitura oral com velocidade, exatidão, características prosódicas apropriadas e compreensão e interpretação do texto (Blau, 2002, Kuhn e Stahl, 2003; Samuels, 2002; Digno e Broaddus, 2002 ). Para Srnith(1997), a fluência vai além da mera leitura oral: acredita que um leitor fluente é aquele que considera somente a informação relevante para os seus propósitos e consegue extrair dados do texto de maneira muito seletiva. Outros estudos têm reconhecido a importância da compreensão (Levy, AbeIIo e Lysyn-chuk,1997); Worthy e Broaddus, 2002. Kuhn e Sthal (2003) deduziram que existe uma relação importante entre a prosódia e a compreensão da leitura oral. Herman (1985) apontou que quando o leitor não tem que centrar sua atenção na decodificação, organiza suas respostas orais em uma frase significativa e faz pausas em unidades maiores de significado. Estes resultados demonstram que a fluência leitora é um elemento que contribui para melhorar a compreensão do texto e vice-versa. Coincidindo com vários autores (Goodman, 1986; Dowhower 1987, Cooper, 1990; Smith, 1997; Samuels, 2002), este estudo reconhece que a compreensão é a capacidade do leitor para interpretar o texto, construindo uma representação mental coerente e demonstrando o entendimento da expressão verbal e da leitura oral, por meio da utilização adequada das características prosódicas do texto. Portanto, o conceito de fluidez que aqui se adota é a capacidade do leitor para ler oralmente e compreender o texto simultaneamente, incluindo: a) precisão ou exatidão na decodificação, b) identificação automática das palavras e c) expressão de acordo com características prosódicas do texto (entoação e marcação das pausas em lugares estratégicos). Acredita-se que a compreensão favorece a fluência do leitor, que ao perceber a intenção do autor, lerá palavras sem entrecortá-la e expressará de maneira adequada os sinais de pontuação modulando sua voz e fazendo as pausas necessárias. Investigações sobre a releitura e a fluência Por mais de uma década, o procedimento de releitura tem sido amplamente utilizado nas escolas norte americanas para melhorar a fluência leitora das crianças (Levy, Abello e Lysynchuh 1997; Martinez, Roser, e Strecker, 1999; Raminsky, 1990 e 2000; Tyler e Chard, 2000). Também no México foram testados vários estratégias para melhorar a fluência leitora e se tem obtido resultados muito positivos (Moreno, 1999; Villegas, 1998). Por sua parte, Stewart (2002) afirmou que para se conseguir ler fluentemente é necessária a prática da leitura, da mesma forma que para aprender tocar instrumentos musicais. Por outro lado, Gallo (2006) demonstrou que, quando se analisa a estrutura de um texto e suas possíveis interpretações, as leituras repetidas são muito úteis para essa compreensão. Vários pesquisadores têm analisado comparativamente diversos métodos para melhorar a fluência leitora. Moyer (1982) concluiu que as leituras repetidas dentro de um contexto incrementam a precisão e a identificação das palavras. Mastropieri, Leinart e Scruggs (1999) constataram que os procedimentos mais efetivos foram as leituras repetidas, as orientações com colegas mediadores e
  4. 4. 2 os agrupamentos produtivos. Rasinsky (2000) identificou que os métodos mais eficazes são: o Teatro de Leitores, a leitura compartilhada e a leitura em pares. Afirma que tais procedimentos de leitura em voz alta contribuem para melhorar a fluência leitora sem descuidar da compreensão. Quanto aos tipos ideais de texto para desenvolver a fluência leitora, Rasinsky (2000) salientou a conveniência de usar textos curtos e completos, altamente previsíveis, que contenham rimas, que possam ser lidos em voz alta e que possibilitem ao leitor se colocar um propósito significativo e autêntico para ler. (Rasinsky, padak, Linek e Sturtevant, 1994). O Teatro de Leitores O Teatro de Leitores é uma atividade de leitura na qual cada aluno interpreta um personagem com a expressividade necessária para lhe dar vida. (Martinez, Roser, e Strecker, 1999). Como método de releitura proporciona um sentido para a repetição; concentra a atenção das crianças em torno dos significados e personagens do texto e propicia assim uma maior análise, com a finalidade de se conseguir uma interpretação oral diante de uma platéia. Deste modo, proporciona à criança um contexto sociocultural (quando se converte em ator e deve representar um personagem) para trabalhar com o texto (Cairney 1992). O Teatro de Leitores atende aos princípios da linguagem integral, pois é um evento de comunicação real, onde os alunos são encorajados a ler seus roteiros, porque desejam e podem fazer isso, e porque os outros estão interessados em ouvi-los (Rinehart, 1999). Os alunos e alunas interagem cooperativamente com seus pares, portanto não se sentem só quando lêem. Os roteiros são atraentes para as crianças e propiciam que os alunos estejam atentos à leitura para intervir no momento oportuno; os papéis variam em extensão e podem ser ajustados ao nível de leitura das crianças e de suas personalidades (Tyler e Chard, 2000). Worthy e Prater (2002) observaram que o Teatro de Leitores facilita o desempenho das crianças na leitura em voz alta, promove a auto-avaliação e aumenta a autoconfiança de seus leitores. A interpretação dos personagens que fazem as crianças constitui uma evidência de que compreenderam o que leram. Os exemplos, a orientação e o feedback são componentes naturais dos ensaios que favorecem a leitura (Grarnigna, 2005). Por outro lado, Obregón (2007) reconhece a importância de que os alunos tenham uma maior participação no seu próprio processo leitor e esta estratégia é um exemplo disso. Considerando todas estas idéias, o Teatro de Leitores proporciona um contexto ideal para evitar que os leitores iniciantes fiquem entediados com a leitura repetida de textos e permite que as crianças pratiquem essa leitura com um propósito atrativo de chegar à fluência.
  5. 5. 3 PROJETO DIDÁTICO TEATRO DE LEITORES ORGANIZAÇÃO GERAL DO PROJETO Etapas Atividades 1 Apresentação do projeto Atividade 1A – Apresentação do Projeto. Material: Cartaz com todas as etapas do projeto e o produto final ( Leitura para um público definido : pais dos alunos da sala ) 2 Familiarização com o gênero e seu contexto de produção Atividade 2A – Exibição de vídeo de leitura dramática ( texto teatral) , para os alunos Material: Vídeo de uma situação de leitura dramática. Atividade 2B – Comparação pela diferença- Comparar diferenças entre texto narrativo e texto teatral (mesma história). Material: Cópias dos textos para os alunos. 3 Compreensão do texto(contexto de produção) Atividade 3A – Leitura Colaborativa de um texto narrativo. Material: Cópias do texto Atividade 3B – Leitura branca de um texto de teatro Material: Cópias do texto Atividade 3A – Leitura Colaborativa de um texto de teatro. Material: Cópias do texto 4 Seleção de textos teatrais Atividade 4A – Conhecendo o acervo da escola Material: Livros de textos teatrais Atividade 4B – Roda de Leitura Material: Livros lidos pelos alunos Atividade 4C – Seleção do texto a sertrabalhado pelos alunos. Material: Livros lidos pelos alunos 5 A escolha dos leitores Atividade 5A –– Leitura autônoma. Material: Cópias do texto selecionado Atividade 5B – Análise dos personagens Material: Cópias do texto selecionado. Atividade 5C- Definição dos personagens e parceiros. Material: Cópias do texto selecionado. Atividade 5D – Discussão dos procedimentos de estudo. Material: Cópias do texto, marca-texto, lápis, caneta... 6 Ensaios (estudo do texto ) Atividade 6A – Estudando o texto Material: Cópias do texto selecionado Atividade 6B – Passando o texto Material: Cópias do texto selecionado Atividade 6C –Leitura Geral Material: Cópias do texto selecionado Atividade 6D – Leitura final para ajustes Material: cópias do texto selecionado
  6. 6. 4 ETAPA 1 Apresentação do projeto Compartilhe com seus alunos o conteúdo do projeto e os objetivos pretendidos: diga a eles o que será feito e o produto que será realizado por todos. Ao envolvê-los no processo, você os ajuda a se concentrar no papel de leitor preocupado em garantir não só o próprio entendimento do texto, como também o entendimento por parte dos ouvintes. ATIVIDADE 1A – APRESENTAÇÃO DO PROJETO Objetivo  Desenvolver interesse e comprometimento com o projeto, conhecer o produto final que será produzido e a quem se destina, bem como as etapas necessárias para elaborar o produto final e o que aprenderão em cada uma delas. Planejamento  Como organizar os alunos? A atividade é coletiva e os alunos podem ficar em suas carteiras.  Quais os materiais necessários? Papel pardo, ou outro onde estarão registradas as etapas do projeto.  Qual a duração? Aproximadamente 40 minutos. Encaminhamento 7 Organização da Apresentação Atividade 7A –Discussão e organização do evento Material: Figurino, adereços, efeitos sonoros, visuais e demais recursos selecionados para a apresentação. Atividade7B – Elaboração dos convites Material: Modelos de convites, giz, lousa, papel, caneta, lápis, borracha,sulfite, impressora, tinta para imprimir. Atividade 7C – Elaboração de folder(texto informativo) Material: Modelos de folders, giz, lousa, papel, caneta, lápis, borracha, sulfite, impressora, tinta para imprimir. 8 Ensaio geral Atividade 8A – Ensaio geral Material: Cópias dos textos, adereços e recursos necessários para a apresentação. Atividade 8B- Preparação do ambiente Material: Figurino, adereços e demais recursos selecionados para a apresentação. 9 Apresentação Atividade 9A – Apresentação para os pais Material: Figurino, adereços e demais recursos selecionados para a apresentação. 10 Avaliação Atividade 10A – Avaliação do trabalho com o Projeto
  7. 7. 5  Nessa atividade você conversará com a turma com o objetivo de contar o que será feito no projeto, que textos serão lidos e qual será o produto final. Além disso, é interessante explicar o que poderão aprender em cada uma das etapas desenvolvidas.  Inicie a conversa com a retomada de projetos realizados em outros anos. Quais os projetos que fizeram? O que aprenderam? O que foi produzido no final?  Em seguida, pergunte aos alunos se eles já ouviram falar de leitura dramática. Caso tenham ouvido, incentive-os a dizerem o que sabem.  Explique que vocês iniciarão um projeto em que lerão vários textos de teatro e que um destes textos será selecionado para apresentar aos pais.  Leia para os alunos as etapas, explicando as atividades que realizarão em cada etapa e compartilhando o produto final.  Após a primeira explicação, pergunte aos alunos se tem dúvidas a respeito, esclarecendo-as e informando que o cartaz ficará afixado na sala, para que retomem as etapas sempre que necessário.  Organize um cronograma para a realização das atividades e conclusão do trabalho, mesmo que não seja rígido.  Deixe esse cartaz num local visível na classe. ETAPA 2 Familiarização com o gênero e seu contexto de produção Nesta etapa, é necessário realizar atividades para modelizar e aproximar os alunos do gênero ( texto teatral). Para isso assistirão um vídeo de leitura dramática e realizarão a leitura de textos narrativos e textos de teatro, comparando os dois textos e estabelecendo relações de semelhanças e diferenças. ATIVIDADE 2A – EXIBIÇÃO DE VÍDEO DE LEITURA DRAMÁTICA Objetivo  Modelizar a situação de leitura dramática. Planejamento  Como organizar os alunos? Coletivamente. Preparar um ambiente, onde haja equipamentos( televisão, dvd player, projetor de multimídia, caixas de som, etc.) para exibição do vídeo de leitura dramática.  Quais materiais necessários? Vídeo de leitura dramática, projetor de multimídia, caixa de som, computador, televisão, dvd player.  Qual a duração? Aproximadamente 50 minutos. Encaminhamento  Selecione um vídeo de leitura dramática previamente.
  8. 8. 6  Exiba o vídeo de leitura dramática.  Levante com os alunos o que viram, como fazem a leitura... ATIVIDADE 2B – COMPARAÇÃO PELA DIFERENÇA Objetivos  Comparar dois textos (narrativo e teatral), estabelecendo relações de semelhanças e diferenças entre os gêneros.  Aproximar os alunos do gênero ( textos de teatro). Planejamento  Como organizar os alunos? Em duplas  Quais materiais necessários? Uma cópia por dupla dos textos ( narrativo e teatral), caneta, lápis, borracha, marca- texto, bloco de flip-chart , papel pardo, cartolina...  Qual a duração? 2 horas/aulas Encaminhamento  Selecione dois textos ( mesma história): um narrativo e um teatral.  Informe aos alunos que receberão cópias de partes (da mesma história) de dois textos- um narrativo e um de teatro.  Explique que a leitura deverá ser feita pela dupla de um dos textos primeiro e depois do outro.  Após terminarem a leitura, explique que deverão ler novamente, agora comparando os dois textos buscando semelhanças e diferenças entre eles .  Informe que neste momento poderão fazer anotações, sublinhar ou usar marca-texto em suas cópias.  Registre em um cartaz as anotações feitas pelos alunos e afixe na sala, para que os alunos possam consultá-lo sempre que necessário. COMPARANDO DOIS GÊNEROS TEXTUAIS NARRATIVO/TEATRAL SEMELHANÇAS DIFERENÇAS
  9. 9. 7 ETAPA 3 Compreensão do texto- contexto de produção A leitura compartilhada ou colaborativa - aquela em que alunos e professor lêem juntos um mesmo texto e apresentam suas ideias e impressões acerca do que foi lido - tem como finalidade, segundo Kátia Bräkling, em Sobre a leitura e a formação de leitores, "ensinar a ler, ou seja, criar condições para que as estratégias de atribuição de sentido (sejam relativas à mobilização de capacidades de leitura, ou utilização de determinados procedimentos e desenvolvimento de comportamentos leitores) sejam explicitadas pelos diferentes leitores, possibilitando, dessa forma, que uns se apropriem de estratégias utilizadas por outros, ampliando e aprofundando sua proficiência leitora pessoal". Ao lermos, fazemos usos de algumas estratégias que precisam ser consideradas no processamento de sentido dos textos. Essas estratégias referem-se à capacidade:  De ativarmos o conhecimento prévio que temos sobre os aspectos envolvidos na leitura – conhecimento sobre o assunto, sobre o gênero, sobre o portador onde foi publicado o texto ( jornal, revista, livro, folder, panfleto, folheto,etc); sobre o autor do texto, sobre a época em que o texto foi publicado, quer dizer, sobre as condições de produção do texto a ser lido – para selecionar as informações que possam criar o contexto de produção da leitura, garantindo a fluência da mesma.  De anteciparmos informações que podem estar contidas no texto a ser lido;  De realizarmos inferências quando lemos, quer dizer, lermos para além do que está nas palavras do texto, ler o que as palavras nos sugerem;  De localizarmos informações presentes no texto;  De conferirmos as inferências e antecipações ao longo do processamento do texto, de forma a poder validá-las ou não;  De irmos sintetizando as informações dos trechos do texto;  De estabelecermos relações entre os diferentes segmentos do texto;  De estabelecermos relações entre tudo o que o texto nos diz e o que outros textos já nos disseram, e o que sabemos da vida, do mundo e das pessoas. ATIVIDADE 3A –LEITURA COLABORATIVA DE UM TEXTO NARRATIVO Objetivos  Modelizar comportamento leitor;  Estudar o texto para compreendê-lo;  Tematizar as respostas, voltando ao texto para buscar justificativas para as respostas dadas.  Discutir os recursos discursivos (coerência, coesão, uso adequado de pontuação e organização de informações)
  10. 10. 8 Planejamento  Como organizar os alunos? Em duplas.  Quais materiais necessários? Cópias do texto para os alunos ( 1 por dupla)  Qual a duração? Aproximadamente 50 minutos. Encaminhamento ANTES DA LEITURA:  Analise o texto destacando questões que provavelmente serão observadas pelos alunos e aquelas que serão importantes apontar e discutir com o grupo.  Estabeleça aproximação entre os alunos e texto a ser lido apresentando o texto, se possível no portador, e levantando questionamentos como: 1 - Já conhecem o (a) autor(a)? 2 - Já leram ou ouviram alguma coisa escrita por ele(a)? 3 – Comentar sobre o(autor(a). 4 - Pelo título do texto dá para se saber do que vai tratar a história? 5 - Com um título assim, que final pode-se esperar? 6 – Levante algumas possíveis questões para discussão com os alunos durante a leitura. DURANTE A LEITURA:  Realize uma primeira leitura do texto na íntegra;  Interrompa a leitura para indicar mudanças de parágrafo. Esse procedimento auxilia os alunos que se perderam a se localizar, para que realmente acompanhem o texto em suas cópias. Além disso, dessa forma podem ser dadas dicas da função dos parágrafos num texto. Faça o mesmo quando mudar de página.  Após a primeira leitura incentive os alunos a comentar a história e indicar partes que tenham gostado e elementos que não agradaram.  Após a leitura do texto todo, peça a alguns alunos ( com leitura mais fluente) que façam a leitura, agora por parágrafos. A medida que forem lendo, interrompa a leitura para levantar questões que possam ajudá-los na compreensão do texto. Assim, terão a oportunidade de manifestar sua opinião e o que compreenderam da história. Ao fazer isso, estão aprendendo a colocar-se frente ao texto e assumir uma postura crítica, importante aprendizado na formação de um leitor. APÓS A LEITURA:  Levante questões a respeito das características do texto lido, para que eles possam colocar em jogo o que aprenderam na atividade anterior (comparação de gêneros).
  11. 11. 9 ATIVIDADE 3B – LEITURA BRANCA DE UM TEXTO DE TEATRO Objetivo  Aproximar os alunos do gênero. Planejamento  Como organizar os alunos? Em duplas.  Quais materiais necessários? Cópias do texto para os alunos ( 1 por dupla)  Qual a duração? Aproximadamente 50 minutos. Encaminhamento  Distribua cópias do texto para os alunos ( 1 por dupla)  Solicite que façam uma primeira leitura do texto.  Peça que leiam novamente, desta vez, anotando dúvidas, tanto quanto à organização(características) do texto, quanto à compreensão.  Informe que na próxima atividade, realizarão a leitura compartilhada, para que possam socializar as dúvidas. ATIVIDADE 3C – LEITURA COLABORATIVA DE TEXTO DE TEATRO Objetivos  Conhecer as características do gênero;  Observar os elementos prosódicos, como entonação, ênfase, ritmo, apreensão de unidades sintáticas; Planejamento  Como organizar os alunos? Em duplas.  Quais materiais necessários? Cópias do texto para os alunos ( 1 por dupla)  Qual a duração? Aproximadamente 50 minutos. Encaminhamento  Retome com os alunos, algumas semelhanças e diferenças que observaram entre o texto narrativo e o texto de teatro.  Explique aos alunos que você fará a leitura do texto por partes, interrompendo para que eles possam socializar as dúvidas. Tematize as respostas para ajudá-los a compreender o texto e colocar em jogo o que já aprenderam sobre as características do gênero.
  12. 12. 10 ETAPA 4 Seleção de textos teatrais É comum nas bibliotecas/salas de leitura de algumas escolas, os livros de teatro ficarem num segundo plano, guardados em caixas em cima dos armários. As crianças normalmente não demonstram interesse por esses livros, talvez por desconhecerem os procedimentos envolvidos na leitura destes textos e não verem uma finalidade para essa leitura: ler para quê? Nesta etapa, os alunos terão oportunidade de conhecer os livros de teatro do acervo da escola, atribuindo sentidos a essa atividade : conhecerem o acervo da escola para selecionarem um livro, levar pra casa, ler e depois realizar a indicação para os colegas numa roda de leitura. E dentre estes livros deverão ainda, selecionar pelo menos um, para realizarem a leitura dramática para os pais. ATIVIDADE 4A –CONHECENDOO ACERVO DA ESCOLA. Objetivos  Conhecer o acervo de livros de teatro da escola.  Selecionar um livro para fazer a indicação na roda de leitura. Planejamento  Como organizar os alunos? Coletivamente.  Quais materiais necessários? Livros de teatro do acervo da escola.  Qual a duração? Aproximadamente 50 minutos. Encaminhamento  Selecione previamente os livros de teatro da biblioteca/sala de leitura.  Disponibilize os livros na sala de aula ( no mínimo 1 por aluno).  Oriente os alunos para que manuseiem os livros e selecionem um para ser lido.  Informe que o livro escolhido será levado para casa, para que leiam e tragam na semana seguinte para a roda de leitura. ATIVIDADE 4B –RODADE LEITURA Objetivos  Compartilhar experiências leitoras;  Confrontar interpretações;  Ampliar os conhecimentos a cerca do gênero;  Estabelecer relações com outros textos.  Apropriação de comportamentos leitores.
  13. 13. 11 Planejamento  Como organizar os alunos? Coletivamente, organizados em um círculo.  Quais materiais necessários? Para o aluno: Livros escolhidos de acordo com critérios pessoais de cada um. Para o professor: Livro selecionado para ser apresentado para a classe.  Qual a duração? Aproximadamente 50 minutos. Encaminhamento  Solicite que os alunos se organizem em um círculo e que tenham os livros que escolheram à mão.  Apresente a consigna da atividade, que deve ter como finalidade: comentar com os demais alunos os livros lidos, pontuando critérios de escolha, aspectos interessantes da obra, de modo que a classe se informe a respeito das obras que estão disponíveis para leitura na biblioteca/sala de leitura.  Para poder observar os comportamentos leitores apropriados pelos alunos, é necessário oferecer referências aos alunos a respeito de quais comportamentos são esperados de um leitor em uma socialização de leituras realizadas, que é o que acontecerá na Roda de Leitores. Assim sendo, no caso da roda de leitura não ser uma atividade permanente na rotina da sala, o professor deverá iniciar a Roda apresentando um livro lido e pontuando: 1- Porque escolheu aquele livro para apresentar à classe; 2- Se tomou como referência o autor e porquê (já havia lido obras do mesmo e as apreciou); 3- Se tomou como referência o tema ou o gênero, sempre explicando suas razões e relacionando com a possibilidade de os alunos virem a gostar também da obra em questão; 4- Se tomou como referência a editora ou a ilustração, também explicando os motivos; 5- Se gostou de algum trecho em particular, lendo-o para os alunos; 6- Se apreciou o jeito como o autor escreve, apresentando alguns recursos que ele utiliza; 7- Se o livro apresenta alguma maneira diferente de organização (como o livro "O mistério da Feiurinha", que tem um jeito todo especial de denominar os capítulos da obra, por exemplo); entre outros aspectos possíveis.  Solicite a alguns alunos que apresentem a obra que leram, procurando fazer comentários como os que você fez. Informe que nem todos os alunos comentarão a obra lida naquele dia, mas que nas próximas Rodas os demais irão se manifestando, aos poucos.  Enquanto os alunos forem apresentando, vá, por um lado, observando quais comportamentos foram apropriados e por outro, vá fazendo perguntas relativas a comentários que os alunos não realizaram, tanto para explicitar a necessidade deles à classe ao informar os demais alunos sobre a obra, quanto para que, ao responderem as questões, você possa analisar se são capazes de realizar aquele comentário - e, portanto, se já se trata de comportamento leitor possível de ser realizado com ajuda - ou não. Nesse processo, os comentários realizados autonomamente, revelam procedimentos autônomos; os que necessitarem do apoio do professor para serem feitos, ainda estão em construção.
  14. 14. 12 ATIVIDADE 4C – SELEÇÃO DO TEXTO A SER TRABALHADO Objetivo  Selecionar um texto ( ou textos) para a realização da leitura dramática.. Planejamento  Como organizar os alunos? Coletivamente.  Quais materiais necessários? Livros do acervo da escola.  Qual a duração? Aproximadamente 50 minutos. Encaminhamento  Informe aos alunos que nesta atividade eles selecionarão o texto para a realização da leitura dramática.  Explique que poderão escolher no máximo dois textos para a apresentação para os pais e que, neste caso, serão formados dois grupos.  Caso haja impasse na seleção dos textos, explique que o texto será escolhido por votação. ETAPA 5 A escolha dos leitores Ler em voz alta deve ser uma oportunidade a mais para ler, não uma situação escolar privilegiada ou de avaliação. Para que isto aconteça, as situações de leitura em voz alta devem ser práticas carregadas de sentido, com propósitos claros e destinatários reais. A escola tem a função especifica de conseguir que os alunos tenham consciência do que sabem. Neste sentido é fundamental que o professor, como parceiro mais experiente, estimule os alunos a participarem, ainda que demonstrem dificuldades para ler em voz alta. Uma possibilidade para esses alunos, é permitir que fiquem com os personagens que tenham as falas mais curtas, ou que tenham menor participação, para que se sintam mais confortáveis e eficientes na sua leitura. ATIVIDADE 5A - LEITURA AUTÔNOMA DO TEXTO SELECIONADO Objetivos  (Re) construir os significados do texto;  Identificar as palavras e expressões de acordo com as características prosódicas do texto. Planejamento  Como organizar os alunos? Individualmente.  Quais materiais necessários? Texto selecionado para a leitura dramática.  Qual a duração? Aproximadamente 50 minutos.
  15. 15. 13 Encaminhamento  Distribua os textos para os alunos, explicando que deverão realizar uma leitura individual e silenciosa.  Ao finalizarem a leitura faça perguntas sobre o texto, levando-os a identificarem sua estrutura e as características prosódicas, os sentidos do texto... ATIVIDADE 5B - ANÁLISE DOS PERSONAGENS Objetivos  Enfatizar a necessidade de compreensão do que os personagens sentem ao longo do texto, pois isso permite “dar vida” aos mesmos.  Resgatar as características prosódicas dos personagens.  Identificar-se com algum personagem. Planejamento  Como organizar os alunos? Individualmente/coletivamente.  Quais materiais necessários? Cópias do texto selecionado.  Qual a duração? Aproximadamente 50 minutos. Encaminhamento  Solicite que os alunos leiam individualmente o texto novamente, analisando os personagens, resgatando suas características e procurando se identificar com algum deles.  Após a leitura, solicite que cada aluno socialize com qual personagem se identificou.  Pergunte o que fariam para parecer-se com o personagem e peça que “deem vida a ele”, lendo um trecho do texto.  Incentive os mais retraídos e os que tenham dificuldades para compreender e expressar-se e elogie os que tomarem iniciativa. ATIVIDADE 5C - DEFINIÇÃO DOS PERSONAGENSE PARCEIROS Objetivo  Definir ( eleger) os personagens. Planejamento  Como organizar os alunos? Coletivamente.  Quais materiais necessários? Cópias do texto selecionado.  Qual a duração? Aproximadamente 50 minutos.
  16. 16. 14 Encaminhamento  Explique aos alunos que agora terão que escolher o personagem que irão interpretar na apresentação para os pais.  Faça intervenções junto àqueles alunos que têm mais dificuldade ao ler, e que porventura se recusarem a participar, motivando-os e orientando-os a ficar com os diálogos mais curtos, para que se sintam mais confortáveis e eficientes na sua leitura.  Faça a mediação na escolha dos personagens, no caso de haver impasse quanto à escolha. ( Se dois alunos quiserem interpretar o mesmo personagem, por exemplo). ATIVIDADE 5D - DISCUSSÃO DOS PROCEDIMENTOS DE ESTUDO Objetivo:  Aprender procedimentos de leitor em situação de estudo (grifar, sublinhar, anotar) Planejamento  Como organizar os alunos? Grupos /Coletivamente.  Quais materiais necessários? Cópias do texto selecionado, lápis, borracha, marca-texto, caneta)  Qual a duração? Aproximadamente 50 minutos. Encaminhamento  Solicite que os alunos leiam o texto em grupos, grifando (sublinhando, usando marca- texto) suas falas, as falas dos colegas, anotando as caracteristicas dos personagens, o nome do colega na frente do personagem que este interpretará, etc..  Instigue os alunos, fazendo perguntas como: Como podemos fazer para sabermos, no momento da leitura, quando é a nossa fala? Há outras maneiras para não nos perdermos durante a leitura? Por que alguns trechos aparecem entre parênteses (rubricas ou didáscalias)? Eles devem ser lidos na apresentação?  Oriente-os que deverão estudar em casa e trazer para a sala as dificuldades encontradas, para que possam saná-las.  Ofereça um guia “ Para melhorar a representação do meu personagem!”
  17. 17. 15 ETAPA 6 Ensaios – estudo do texto Os ensaios do Teatro de Leitores favorecem a confiança para ler. Os ganhos de compreensão leitora ficam evidentes quando as crianças são capazes de ler seus diálogos, fazendo uso apropriado das características prosódicas necessárias para a representação do personagem.Nos ensaios se possibilita que os alunos sejam capazes de controlar sua execução, uma vez que percebem o erro e tem o apoio da professora e dos colegas , que por sua vez servem de modelos de leitura fluente. ATIVIDADE 6A - ESTUDANDO O TEXTO Objetivo  Estudar o texto selecionado. Planejamento  Como organizar os alunos? Grupos/Coletivamente  Quais materiais necessários? Texto selecionado para a leitura dramática.  Qual a duração? Aproximadamente 50 minutos. PARA MELHORAR A REPRESENTAÇÃO DO MEU PERSONAGEM 1 – Escolher o texto. 2 – Observar as ilustrações e os personagens. 3 – Ouvir a leitura da obra pela professora. 4 –Ler o roteiro em silêncio. 5 – Buscar o significado das palavras que não conheço. 6 – Compartilhar com os meus colegas o que aprendi. 7 – Analisar as características dos diferentes personagens. 8 – Escolher o personagem que melhor se adapte às minhas características. 9 – Identificar e destacar os diálogos do meu personagem no roteiro. 10 – Ler a obra em conjunto com os colegas. 11 – Cada um lê em voz alta o diálogo do personagem que escolheu ( em ordem de aparecimento) e ouve atentamente a leitura dos demais personagens. 12 – Cada um pratica seus diálogos para conseguir representar bem os personagens. 13 – Providenciar os recursos e adereços que serão usados na apresentação.
  18. 18. 16 Encaminhamento  Solicite que os alunos se organizem, da forma que considerarem melhor, para estudar o texto.  Informe que esta será uma primeira leitura “coletiva” do texto, para que possam se avaliar e avaliar o colega. ( Se está faltando ler mais o texto em casa, se estão conseguindo localizar suas falas e as do colega no texto,dando sugestões de como melhorar o desempenho, etc).  Oriente o(os) grupo(s), oferecendo feedback e encorajando as crianças. ATIVIDADE 6B - PASSANDO O TEXTO Objetivo  “Passar” o texto selecionado. Planejamento  Como organizar os alunos?Coletivamente/ Grupos  Quais materiais necessários? Texto selecionado para a leitura dramática.  Qual a duração? Aproximadamente 50 minutos. Encaminhamento  Solicite que os alunos se organizem para passar o texto.  Peça que leiam o texto escolhido, lembrando-os que deverão obedecer os turnos de fala e os elementos prosódicos(entonação, ritmo, marcação do tempo etc.).  Fique atenta à leitura, fazendo comentários sobre a performance dos atores. ATIVIDADE 6C - LEITURA GERAL Objetivos  Ler o texto na íntegra, sem paradas nem interrupções (dos colegas, do professor). Planejamento  Como organizar os alunos? Coletivamente  Quais materiais necessários? Texto selecionado para a leitura dramática, filmadora.  Qual a duração? Aproximadamente 50 minutos. Encaminhamento  Oriente os alunos que nesta atividade, eles deverão realizar a leitura do texto na íntegra, sem pausas nem interrupções, (dos colegas, do professor)  Informe que agora farão a leitura geral do texto escolhido e que a leitura será gravada, para que depois assistam e possam se auto- avaliar e avaliar a performance dos colegas.
  19. 19. 17 ATIVIDADE 6D - LEITURA FINAL PARA AJUSTES Objetivo  Ajustar a própria leitura e a leitura dos parceiros. Planejamento  Como organizar os alunos? Coletivamente.  Quais materiais necessários? DVD player, Tv, Projetor de Multimidia, caixa de som, etc.  Qual a duração? Aproximadamente 50 minutos. Encaminhamento  Informe aos alunos que assistirão o vídeo gravado na atividade anterior tendo, assim, a oportunidade de analisar suas performances e a dos colegas, ajustando o que for necessário.  Exiba o vídeo.  Após a exibição do vídeo, converse com os alunos sobre as observações feitas na sua leitura e na leitura dos colegas, dizendo o que podem melhorar e dando sugestões para a melhora da performance dos colegas. ETAPA 7 Organização do evento Nesta etapa, as crianças deverão se ocupar com a organização do evento. Terão que discutir sobre tudo que precisa ser providenciado com antecedência: local da apresentação,recursos e adereços que utilizarão, convites, etc. Apesar da escrita não ser o foco, produzir o convite e um texto informativo para elaboração do folder, por exemplo, podem fazer parte do projeto. ATIVIDADE 7A - DISCUSSÃO DA ORGANIZAÇÃO DO EVENTO Objetivo  Discutir a organização do evento: montagem ( digitação ) e distribuição dos convites e folders, definição do local da apresentação, adereços, recursos, etc. Planejamento  Como organizar os alunos? Coletivamente  Quais materiais necessários? Recursos e adereços disponíveis na escola.  Qual a duração? Aproximadamente 50 minutos.
  20. 20. 18 Encaminhamento  Converse previamente com a direção da escola, para que disponibilizem o espaço e os recursos existentes na escola, tanto para impressão dos convites e folder, quanto para a apresentação.  Selecione e separe o que será usado e solicite que a direção da escola deixe reservado para a apresentação.  A turma pode fazer uma lista de tudo o que deverá ser providenciado, para que possam consultá-la e verificar o que já foi providenciado e o que ainda falta providenciar. ATIVIDADE 7B - ELABORAÇÃO DOS CONVITES Objetivo  Produzir o convite para a apresentação. Planejamento  Como organizar os alunos? Coletivamente.  Quais materiais necessários? Modelos de convites ( pelo menos 3), giz, lousa, papel, lápis , borracha,etc.  Qual a duração? Aproximadamente 50 minutos. Encaminhamento  Selecione previamente modelos de convites para apresentar às crianças.  Informe que deverão selecionar o modelo que mais se aproxima para este evento e fazer as adequações.  Atue como escriba ou escolha um aluno para registrar o texto na lousa.  Solicite que um aluno copie o texto para que possa ser digitado. ( Neste caso, uma alternativa seria solicitar o auxilio do professor(a) de informática, para que possam digitar (configurar) na sua aula. ATIVIDADE 7C - ELABORAÇÃO DO FOLDER (TEXTO INFORMATIVO) Objetivo  Produzir um texto com informações a respeito desta modalidade de leitura. Planejamento  Como organizar os alunos? Coletivamente.  Quais materiais necessários? Modelos de folders ( pelo menos 3), giz, lousa, papel, lápis , borracha,etc.
  21. 21. 19  Qual a duração? Aproximadamente 50 minutos. Encaminhamento  Selecione previamente modelos de folders para apresentar às crianças.  Informe que deverão selecionar o modelo que mais se aproxima para este evento e fazer as adequações.  Atue como escriba ou selecionar um aluno para registrar o texto na lousa.  Solicite que um aluno copie o texto para que possa ser digitado. ( Neste caso, uma alternativa seria solicitar o auxilio do professor(a) de informática, para que possam digitar (configurar) na sua aula. ETAPA 8 Ensaio Geral Nesta etapa as crianças deverão realizar o ensaio geral, já com todos os recursos que serão utilizados na apresentação, e prepararão o ambiente para a apresentação. ATIVIDADE 8A – ENSAIO GERAL Objetivo  Realizar os ajustes finais ( leitura/performance).  Realizar o ensaio com os recursos selecionados para a apresentação (áudio, figurino, adereços,etc) Planejamento  Como organizar os alunos? Coletivamente.  Quais materiais necessários? Recursos e adereços que serão utilizados na apresentação.  Qual a duração? Aproximadamente 50 minutos. Encaminhamento  Solicite junto à direção da escola os recursos e adereços que foram reservados para a apresentação.  Oriente os alunos que neste momento eles realizarão o ensaio geral e será o último antes da apresentação.  Lembre-os das observações feitas após terem assitido o video da leitura geral, ajustando suas leituras, para melhorar a performance.
  22. 22. 20  Informe que este ensaio será importante também para “ajustar” os recursos (áudio, figurino, adereços, etc). ATIVIDADE 8B – PREPARAÇÃO DO AMBIENTE Objetivo  Realizar os preparativos finais para a apresentação. Planejamento  Como organizar os alunos? Coletivamente.  Quais materiais necessários? Recursos e adereços que serão utilizados na apresentação.  Qual a duração? Aproximadamente 50 minutos. Encaminhamento  Solicite junto à direção da escola os recursos e adereços que foram reservados para a apresentação.  Informe aos alunos que neste momento, eles irão preparar o local para a apresentação, deixando os recursos e adereços que irão usar “arrumados”, bem como as acomodações para o público. ETAPA 9 Apresentação Ler fluentemente responde às necessidades das crianças de transmitir uma mensagem a um público formado por pessoas importantes para elas. A apresentação para os pais é, portanto, uma tarefa relevante, focada no sentido do que se deseja comunicar, exemplo claro da linguagem integral. ATIVIDADE 9A - APRESENTAÇÃO Objetivo  Apresentar a leitura dramática para os pais. Planejamento  Como organizar os alunos? Coletivamente.  Quais materiais necessários? Texto selecionado para a leitura dramática, recursos e adereços  Qual a duração? Aproximadamente 50 minutos. Encaminhamento
  23. 23. 21  Antes de iniciar a apresentação, explique aos pais o que é leitura dramática e o objetivo do trabalho com essa modalidade de leitura.  Oriente os alunos para inciair a apresentação.. ETAPA 10 Avaliação Nesta etapa, é o momento de avaliar tudo o que foi aprendido. ATIVIDADE 10A– AVALIAÇÃO Objetivo  Dar-se conta de tudo o que aprenderam ao longo do projeto. Planejamento  Como organizar os alunos? Semi-círculo.  Quais materiais necessários? O cartaz com as etapas do projeto.  Qual a duração? Aproximadamente 50 minutos. Encaminhamento  Organize os alunos num semi-circulo.  Explique aos alunos que irão conversar a respeito do projeto e sobre o que aprenderam durante sua realização.  Mostre o cartaz com as etapas do projeto, deixando que falem sobre essa experiência.  Oriente a discussão fazendo questionamentos e comentários que os induzam a dizer: - Qual foi a etapa que mais gostaram. - Quais acharam mais difíceis. - Se achavam, que para ler em voz alta, seria necessário ler o texto tantas vezes, fazer tantos ensaios.  Valorize o trabalho de todo o grupo, destacando o fato de terem conseguido uma ótima performance na apresentação.
  24. 24. 22 Referências bibliográficas BRÄKLING, Kátia Lomba. Sobre a leitura e a formação de leitores. São Paulo:SEE: Fundação Vanzolini.2004. BATISTA, Antônio Augusto Gomes. Alfabetização, leitura e ensino de Português: desafios e perspectivas curriculares. Belo Horizonte: Anais do I Seminário Nacional Currículo em Movimento- Perspectivas atuais, novembro de 2010. KUPERMAN, Cinthia. Ensenãr lengua em La escuela primaria- Serie respuestas- vários autores. Ed. Tinta Fresca. Proposta preliminar elaboradas pelas DERs Avaré, Piraju, municípios conveniados de Sarutaiá, Óleo e Manduri e formadora do Ler e Escrever. Março/Junho de 2012. Material organizado por Elenita Beber e Rosa Maria Antunes de Barros a partir das contribuições das PCs dos municípios de Itapetininga, Lins, Piracicaba, Jacareí, Piracicaba, Bragança Paulista e da SUL 3 em São Paulo em agosto de 2012.

×