Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO/ SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS

3,449 views

Published on

power point

Published in: Education
  • Be the first to comment

ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO/ SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS

  1. 1. Entendendo o Atendimento Educacional Especializado - AEE
  2. 2. De acordo com a Secretaria de Educação Especial/ MEC o Atendimento Educacional Especializado, é uma política nacional de educação na perspectiva da educação inclusiva.
  3. 3. O Atendimento Educacional Especializado - AEE, é realizado dentro das Salas de Recursos Multifuncionais – SRM. As salas de recursos, são ambientes dotados de equipamentos, mobiliários, materiais didáticos e pedagógicos para acessibilidade. (Secretaria de Educação Especial/ MEC)
  4. 4.  O Atendimento Educacional Especializado, tem como objetivo possibilitar o desenvolvimento da aprendizagem e da convivência sem discriminação.  O AEE tem como função identificar, elaborar e organizar recursos pedagógicos e de acessibilidade que eliminem as barreiras para a plena participação dos alunos, considerando as suas necessidades específicas. (Secretaria de Educação Especial/ MEC)
  5. 5.  Esse atendimento educacional especializado é uma modalidade de acompanhamento que complementa ou suplementa a formação de alunos com deficiência, sendo ela não substitutiva à educação escolar regular.  As atividades não são substitutivas à escolarização, também não é reforço, são atividades para estimulação, de todo tipo de interação que possa beneficiar seu desenvolvimento cognitivo, motor e afetivo, diferentes daquelas ministradas pelo professor da classe comum. (Secretaria de Educação Especial/ MEC)
  6. 6.  Os alunos público alvo do AEE, são definidos da seguinte forma:  Alunos com deficiência – aqueles que têm impedimento ao longo prazo de natureza física, intelectual, mental ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, podem ter obstruído sua participação plena e efetiva na escola e na sociedade.  Alunos com transtornos globais do desenvolvimento – aqueles que apresentam um quadro de alterações no desenvolvimento neuro- psicomotor, comprometimento nas relações sociais, na comunicação, estereotipias motoras.  Alunos com altas habilidades ou superdotação – aqueles que apresentam um potencial elevado e grande envolvimento com as áreas do conhecimento humano, isoladas ou combinadas. (Secretaria de Educação Especial/ MEC)
  7. 7. A substituição da turma regular não pode ser admitida em qualquer hipótese, pois toda legislação tem que estar em conformidade com a Constituição Federal – Art. 208 § I determina que o acesso ao ensino fundamental é obrigatório.
  8. 8.  O AEE deve ser oferecido obrigatoriamente, mas o aluno não é obrigado a frequentar, por isso é necessário o apoio da família e autorização para a participação do aluno.  O AEE deve constar no Projeto Político Pedagógico da escola, para que tenha êxito.  O professor do AEE e o professor do ensino regular, devem trabalhar juntos, porque eles trabalham com o mesmo aluno, por esse motivo o planejamento precisa ser de forma articulada para que o atendimento nesse aluno seja completo e eficiente
  9. 9. Tecnologia Assistiva É um termo ainda novo, utilizado para identificar todo arsenal de recursos e serviços que contribuem para proporcionar ou ampliar habilidades funcionais de pessoas com deficiência e consequentemente promover vida independente e inclusão. (www.assistiva.com.br/tassistiva.html, 27 de agosto de 2015)
  10. 10. O que são as tecnologias assistivas? São recursos , próteses físicas que favorecem a adequação funcional, equipamentos que facilitem a vida desses alunos com necessidades especiais de modo geral, cadernos com linhas maiores, engrossamento do lápis, tesoura adaptada, teclado com colméia, recursos que aumente o tamanho da fonte, pranchas de comunicação, máquina brille, régua (reglete), lupa e muitos outros objetos que possam contribuir para a ampliação da participação ativa e autônoma da pessoa com deficiência, além das estratégias e metodologias.
  11. 11. Atribuições do professor de AEE: Atuar como docente nas atividades de complementação ou suplementação curricular; Atuar de forma colaborativa com o professor da classe comum para a definição de estratégias pedagógicas que favoreçam o acesso de alunos com necessidades educacionais especiais ao currículo e a sua interação no grupo;
  12. 12. Promover as condições para a inclusão dos alunos com necessidades educacionais especiais em todas as atividades da escola; Orientar as famílias para o seu desenvolvimento e a sua participação no processo educacional; Preparar materiais específicos para o uso dos alunos na sala de recursos;
  13. 13. Orientar a elaboração de materiais didáticos que possam ser utilizados pelos alunos nas classes comuns do ensino regular; Indicar e orientar o uso de equipamentos e materiais específicos e de outros recursos existentes na família e na comunidade.
  14. 14. Organização do atendimento: Alunos com a mesma deficiência podem necessitar de atendimentos diferenciados. Por isso o primeiro passo para se planejar o atendimento não é saber as causas e diagnósticos do aluno. Antes da deficiência, vem a pessoa, o aluno, sua história de vida, sua individualidade, seus desejos e diferenças. Há alunos que frequentarão o AEE mais vezes na semana que outros. Não existe um roteiro, um guia, uma fórmula de atendimento, assim sendo, cada aluno terá um tipo de recurso a ser utilizado, uma duração de atendimento, um plano de ação que garanta sua participação e aprendizagem nas atividades escolares. (A Escola Comum Inclusiva – MEC)
  15. 15. Desligamento do AEE: O professor seleciona e organiza o tipo de atendimento, separando materiais e recursos de modo que o aluno possa aprender à utiliza-los segundo suas habilidades e funcionalidades. O número de atendimentos semanais/mensais varia de acordo com cada caso. O professor vai prolongar o tempo ou antecipar o desligamento do aluno do AEE conforme sua evolução. (MEC/SEESP 2009)

×