Semiologia patologias da lingua

20,230 views

Published on

0 Comments
12 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
20,230
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
271
Comments
0
Likes
12
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Semiologia patologias da lingua

  1. 1. MARCOS LÍNGUA Órgão muscular revestido por papilas, relacionado ao sentido do paladar que fica localizado na parte ventral da boca da maioria dos animais vertebrados.- Essas papilas possuem terminações nervosas que, estimuladas por determinadas moléculas, conduzem informação ao cérebro a fim de reconhecer o gosto das coisas.
  2. 2. - Funções:- Ajudam a "processar" os alimentos.- Participa na formação dos fonemas da fala- Ajuda na limpeza dos dentes- Mantém os dentes em posição no arco dental, etc. É o único músculo voluntário do corpo humano que não fadiga.
  3. 3. LESÕES NA LÍNGUA• Existem uma série de patologias que podem acometer a língua humana. Sendo geralmente de etiologia obscura e incerta, porém normalmente as origens mas prováveis são, congênitas, psicogênicas, provocadas por traumas, e provocadas por bactérias (biofilme).
  4. 4. • Exemplos: Língua geográfica – provável origem psicogênica Língua pilosa – Origem incerta (causas extrínsecas especialmente cigarro associado a higiene deficiente)Língua saburrosa – Origem bacteriana ( placas bacterianas) formadas devido a higienização deficiente.Língua fissurada – Origem congênita
  5. 5. GREGORY LÍNGUA GEOGRÁFICAEtiologia:Também chamada de glossite migratória benigna oueritema migratório.- É uma condição de etiologia ainda obscura e de aspecto clínico multiforme.• Considerações de alguns autores quanto a etiologia:- Anomalia de desenvolvimento.- Origem psicogênica devido a: ser observada principalmente em crianças, sobretudo nas portadoras de alterações emocionais- Causa alérgica O fato desta lesão desaparecer de um lugar e aparecer em outro, invalida a princípio qualquer possibilidade de se tratar de anomalia de desenvolvimento, uma vez que estas não mudam sistematicamente de local.
  6. 6. • Tem se observado que um grande número de casos ocorre na primeira infância e tendem a desaparecer por volta do 7° ou 8º ano de vida.
  7. 7. Sintomas• Não comprometem o paladar• Permanecem ativas por períodos longos ou curtos• Regride espontaneamente• Pode reaparecer• São assintomáticas, porém alimentos condimentados, ácidos ou bebidas alcoólicas podem provocar ardência e queimação.
  8. 8. Características clinicas• As lesões se iniciam por erosões avermelhadas• A lesão gera o desaparecimento das papilas filiformes• Com bordas bem definidas e esbranquiçadas de aspecto circinado que se estendem formando lesões erosivas de diâmetro cada vez maior.• As áreas despapiladas persistem por pequeno período de tempo, normalizam e aparecem em outro local. Esse fato é que determina a denominação de migratória à condição.
  9. 9. Língua Geográfica
  10. 10. Diagnóstico• O diagnóstico é clínico e leva em consideração as características das lesões, que mudam de forma e de local. Em alguns casos, pode ser necessário realizar exames de cultura e biópsia. Diagnóstico Diferencial• Candidíase, líquen plano, psoríase, síndrome de Reiter, Placa Mucosa Sifilítica.
  11. 11. Tratamento• Língua geográfica é uma condição benigna para a qual não existe tratamento específico. A única medida terapêutica incide sobre os sintomas, quando eles se manifestam.• Recomendações:É muito importante que os portadores de línguageográfica saibam que:- Se trata de uma condição benigna, não contagiosa e queas lesões podem recidivar e desaparecer sem tratamento;- Evitem ingerir alimentos condimentados e muitoquentes para não provocar irritações desagradáveis.
  12. 12. Conclusões• A língua geográfica é uma alteração relativamente comum que compromete principalmente crianças em idade escolar;• A língua geográfica apresenta uma morfologia bastante variada;• A língua geográfica, não possui tratamento específico, apenas sintomático;• O paciente deve tomar ciência da característica benigna da anomalia;• A prevalência da alteração em relação ao sexo, não apresenta evidências significativas.
  13. 13. JEANCARLOS LÍNGUA PILOSA • Definição: Caracterizado pelo acumulo acentuado de ceratina nas papilas filiformes do dorso da língua resultando em uma semelhança com pelos.
  14. 14. Etiologia• Sua causa é incerta• A maioria dos pacientes afetados são os tabagistas crônicos.• Outros fatores:• Desabilitação oral• Higienização oral deficiente• Histórico de radioterapia de cabeça e pescoço.
  15. 15. Características Clínicas• São mais comuns na linha média anterior as papilas circunvaladas.• As papilas alongadas geralmente são amareladas, acastanhadas e enegrecidas.• Pode envolver maior parte do dorso da língua• Sua pigmentação decorre do uso de tabaco e alimentos.• Pode ser fonte de halitose. Pode ser confundido com leucoplasia pilosa.
  16. 16. Histopatológico• É caracterizado pelo alongamento pronunciado e hiperceratose das papilas filiformes.
  17. 17. Tratamento• São condições benignas onde não trazem sequelas. Seu tratamento pode ser estético e possivelmente relacionado a halitose.• Pode ser feito a descamação das papilas ceratóticas com raspagem periódica, limpeza com escova de dente ou raspador de língua.Podofilina: agente ceratolítico tem sidoutilizado, porem por motivo de segurança nãoé recomendado.
  18. 18. JEANPATRICK LÍNGUA SABURROSA • Definição: A Saburra lingual, também conhecida por Biofilme lingual, Língua branca, Língua esbranquiçada ou Língua saburrosa. É uma placa bacteriana esbranquiçada, podendo ainda ter a coloração amarelada ou amarronzada, que se forma na parte posterior (fundo) da língua.
  19. 19. • Causas: Esta placa é originada quando: - Ocorre diminuição da produção de saliva - Uma descamação epitelial da mucosa bucal (minúsculos pedacinhos de pele que se desprendem dos lábios e bochechas) acima dos limites normais (ou fisiológicos) ou; - em ambas as situações. Atualmente, a saburra lingual é reconhecida como a maior responsável pelo mau hálito (ou halitose).
  20. 20. • Agente causadores:• A descamação excessiva de células que facilita a formação da saburra lingual pode ser causada por inúmeros fatores, como:- a respiração bucal- o ronco- o uso de enxaguatórios com álcool- uso de aparelhos ortodônticos- hábitos de mordiscamento dos dedos, lábios e bochechas, entre muitos outros.
  21. 21. Tratamento• Existem meios de diminuir a formação da saburra lingual como, por exemplo:• Aumentando o fluxo salivar, se houver necessidade• Ou diminuindo a descamação excessiva de células da mucosa bucal, através do tratamento de suas causas.• No entanto, estes métodos podem demorar a ter resultados, ou ainda, ter resultados parciais.• Evidente que o sucesso no tratamento do mau hálito é diretamente ligado ao efetivo controle da saburra lingual.• Desta forma, torna-se fundamental uma técnica de limpeza da língua que seja eficiente, pois ela é o principal passo para o controle satisfatório da halitose, sendo a remoção diária da saburra lingual um procedimento essencial à manutenção de um hálito agradável.
  22. 22. Superfície lingualSuperfície lingual após correta com saburra higienização
  23. 23. FERNANDO Língua Fissurada • Também conhecida por língua escrotal, • Etiologia: - É a anomalia congênita mais prevalente na cavidade bucal, estando presente em quase 6,0% da população. - apresenta fissuras em parte ou em toda a sua superfície.
  24. 24. • Características clinicas:- O número, profundidade e dimensões dos sulcosna língua variam muito, porém, são em geralsimétricos.- Em grande número dos casos, o paciente nãopercebe a alteração, a não ser que devido à infecção,o caso chame sua atenção.
  25. 25. Diagnóstico• Anamnese- Pelo caráter hereditário, é muito comum outro membro da família apresentar um quadro semelhante. Logo, a anamnese constitui um dos principais métodos para a condução do diagnóstico final.
  26. 26. Tratamento• Por se tratar de uma patologia benigna e sem maiores consequências, não há necessidade de tratamento específico, nem intervenção médica.• Mas recomenda-se uma boa higienização na língua, para evitar que aqueles alimentos alojados nas fissuras possam fermentar e provocar inflamações, irritações, dor e ardência.
  27. 27. CONCLUSÃO FINAL Diante da sistemática das patologias da língua apresentadas, é preciso que o profissional Cirurgião Dentista entenda alguns princípios básicos para diagnosticar a patologia e orientar o tratamento do paciente, dentre estes princípios estão: Dar a devida atenção a cada caso Executar os procedimentos clínicos necessários para um diagnóstico seguro Entender a etiologia da patologia Lançar mão de exames auxiliares quando necessário Depois de diagnosticada a patologia, orientar o paciente quanto a higienização adequada e necessidade de acompanhamento profissional, procurando sempre acalmá-lo Prescrever-lhe fármacos que traga alivio aos sintomas expressados pela patologia Fazer um prognóstico sensato e compatível Fazer a proservação.

×