Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Artigo joão seixas público cidades 24 abril

847 views

Published on

artigo João Seixas - Público Cidades

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Artigo joão seixas público cidades 24 abril

  1. 1. 2 • Cidades • Domingo 24 Abril 2011 Tribuna Antes & Agora História do Espinheiro também se escr dos cidadãos O que fazer para evitar os estragos provocados pelos cães abandonados? A pergunta que quero fazer é a seguinte: o que fazer para evitar a invasão e os respectivos estragos nas vedações da minha moradia e outros prejuízos, provocados por cães vadios? Há longos meses que tenho vindo a alertar, repetidamente, a Junta da Freguesia de S. Paio de Oleiros: pessoalmente, por SMS e até por email, no próprio site da autarquia, 24.04.11 sendo objectivamente indicado onde se concentravam os animais e se multiplicavam, constituindo família. Quando é que vai ser possível resolver o problema? Maria Lucila Almeida, S. Paio de Oleiros Responde Emídio Sousa, vereador com o pelouro das Obras Municipais, Protecção Civil e Ambiente da Câmara Municipal de Santa Maria da João Seixas Feira A câmara municipal tem serviço de recolha de animais errantes A cidade da conquista ou abandonados, que actua conforme as situações de que tem a É delicioso saber que o nome conhecimento ou quando alertado Atenas provém de atenienses (os pelos munícipes. No entanto, este adoradores da deusa Athena) e não problema não é de fácil resolução, o contrário. Portanto, primeiro os porque, apesar de estarmos cidadãos. Conquistar a cidade para permanentemente disponíveis para o cidadão é aproximar a política da tratar destes problemas com os cidade. E vice-versa. Desde Platão donos dos animais que os queiram que deveríamos saber que a Polis – a entregar no canil, muitas pessoas cidade e a política – é, antes de tudo, optam por abandoná-los, sendo a cidadania. E desde Aristóteles que, em muitos casos, nem são que deveríamos saber que só residentes no município de Santa nos tornamos verdadeiramente Maria da Feira. humanos através da participação e A recolha dos animais abandonados da acção na comunidade. não é uma tarefa fácil, que se Com as suas mil redes e energias, agrava em situações de crise, onde as nossas cidades pulsam por entre os abandonos se multiplicam. A a esquizofrenia dos seus – e dos situação descrita será tratada nos nossos – caos, dos pequenos afectos moldes habituais. que nos salvam diariamente, das janelas das redes sociais e económicas, das estupefacções e desorientações da crise. A cidade é, mais que nunca, metáfora viva dos nossos paradoxos, dilemas e possibilidades. Dos nossos anseios e desejos. Muitas cidades foram, muitas vezes, conquistadas. Mas alguma vez pelos seus próprios cidadãos? O que significa conquistar uma cidade? Atrevimento revolucionário, acto isolado, ou atitude permanente? Estratégia esporádica ou espírito e princípio de construção e de longa aprendizagem? E possível, num país e sociedade centralista, atomista e redutora, nos territórios e espaços de poder, de cultura e de conhecimento? Sim, é possível. Mais que nunca, na verdade. Conquista assim a tua cidade, cidadão, por entre este caos. Cria e lança hipóteses, laços e A lenda na origem da construção guerras liberais (1828-1834). O regional de turismo, como o redes. Abre espaço público, outra deste convento de Évora relata Estado manteve a posse da igreja e melhor empreendimento turístico essência da cidade. Desmonta que a Virgem Maria apareceu vendeu o mosteiro a particulares do Alentejo. Transformado mitos, teias de aranha e injustiças; sobre um espinheiro em chamas. por uma quantia insignificante. num hotel de cinco estrelas, constrói propostas, novas e Em 1458, dada a importância A degradação tomou conta do o edifício mantém a mesma arrojadas. Refunda e qualifica a do local como destino de convento até que foi comprado traça arquitectónica, como própria República, tão necessitada. peregrinações, foi fundada por Manuel Gabriel Lopes, que se constata pela foto datada Descobrirás, com fascínio, que uma igreja e posteriormente o o restaurou quase na totalidade, de finais do século XIX e pela afinal não estarás propriamente mosteiro, que chegou a receber tornando-o habitável. A igreja, actual, respeitando a história de a conquistar a cidade – mas sim a visitas reais. onde descansa Garcia de Resende, muitos que ali encontraram a construir a cidade da conquista. De Durante quatro séculos, a sua era suportada por personalidades paz interior. A antiga adega deu direitos, oportunidades, inclusão e monumentalidade impôs-se nas locais que celebravam lugar a um restaurante gourmet, justiça. De democracia e de futuro. vastas planícies alentejanas, mas pontualmente festas religiosas. a cozinha antes utilizada pelos Escreva-nos para terminou com a extinção das O convento foi recentemente monges foi convertida num piano Geógrafo queixascidades@publico.pt ordens religiosas, no final das considerado, pela entidade bar e a cisterna gótica adaptada

×