Violencia contra crianças

1,877 views

Published on

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,877
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
56
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Violencia contra crianças

  1. 1. A violência contra a criança e o adolescente
  2. 2. O que é a violência ? Violência é um comportamento que causa intencionalmente dano ou intimidação moral a outra pessoa ou ser vivo. Tal comportamento pode invadir a autonomia, integridade física ou psicológica e até mesmo a vida de outro. É o uso excessivo de força, além do necessário ou esperado . O termo deriva do latim violência (que por sua vez o amplo, é qualquer comportamento ou conjunto de deriva de vis, força, vigor); aplicação de força, vigor, contra qualquer coisa.
  3. 3. Violência domestica contra a criança e o adolescente Todo ato ou omissão praticado por pais, parentes ou responsáveis contra crianças e/ou adolescentes que – sendo capaz de causar dano físico, sexual e/ou psicológico à vítima – implica, de um lado, numa transgressão do poder/dever de proteção do adulto e, de outro, numa coisificação da infância, isto é, numa negação do direito que crianças e adolescentes têm de ser tratados como sujeitos e pessoas em condição peculiar de desenvolvimento. Dra. Maria Amélia Azevedo e Viviane Guerra ( USP/SP. 1989)
  4. 4. Principais modalidades • Violência física • Violência psicológica • Negligência • Violência sexual
  5. 5. Violência física • Toda ação que causa dor física numa criança, desde um simples tapa até o espancamento fatal representam um só continuum de violência. http://www.cuida.org.br/violencia.html
  6. 6. Tapa no rosto de uma criança Rompimento do freio labial Queimadura na região genital e nádegas provocadas por imersão de algum liquido quente
  7. 7. Violência psicológica • Também designada como “tortura psicológica”, ocorre quando o adulto constantemente deprecia a criança, bloqueia seus esforços de auto aceitação, causando-lhe grande sofrimento mental. Ameaças de abandono também podem tornar uma criança medrosa e ansiosa, podendo representar formas de sofrimento psicológico. http://www.cuida.org.br/violencia.html
  8. 8. Violência por negligência • Representa uma omissão em termos de prover as necessidades físicas e emocionais de uma criança ou adolescente. Configura-se quando os pais (ou responsáveis) falham em termos de alimentar, de vestir adequadamente seus filhos, etc. e quando tal falha não é o resultado de condições de vida além do seu controle http://www.cuida.org.br/violencia.html
  9. 9. Perfil da criança • • • • • • • • Teme exageradamente os pais Baixa autoestima Falta constantemente a escola Criança nervosa e sempre em estado de alerta Pode apresentar comportamento agressivo Baixo aproveitamento escolar Depressiva , isolada, tímida e muito triste Crianças de tenra idade que chora de forma insistente e sem explicação á aproximação do pai , mãe , babá ou outro cuidador • Foge ou busca ficar longe de casa
  10. 10. Perfil do agressor • Vê a criança como um objeto que lhe pertence • Raramente vai a reunião escolares ou acompanha as campanhas de vacinação • Defende a ampliação de disciplina severa • Se irrita e tem pouca paciência com as crianças • Possui histórico de violência em sua própria família • Faz uso indevido de drogas • Mente sobre a causa de lesões da criança ou fala que foi besteira • Culpa a criança pelos problemas no lar • Temperamento autoritário e controlador
  11. 11. Violência sexual ‘’Uma satisfação em que a criança ou adolescente é usada para satisfação do adulto ou adolescente mais velho, responsável por ela ou que possua algum vinculo familiar , desde a prática de carícias até o ato sexual , sendo sempre presumida em menores de 14 anos’’. (Pfeiffer , salvagni)
  12. 12. Tipos de violência sexual • Abuso sexual intrafamiliar(incesto) • Abuso extrafamiliar (pessoas conhecidas , desconhecidas) • Exploração sexual
  13. 13. Comportamento dos agressores • É muito possesivo • Acusa a criança de promiscuidade • Crer que o contato sexual é forma de amor filial • Mente , quando descoberto aponta outros agressores • Abusa de drogas • Teme ser descoberto ou castigado , mas não sente culpa • São pessoas aparentemente normais , em alguns casos geralmente amável • Gosta de ficar com a criança longe da vigilância de outros adultos • Usa manipulação (presentes , privilégios ou até mesmo a violência para conseguir o que quer) . • Medo de relacionamento de intimidade com outros adultos • Pode ser doente mental e possuir problemas emocionais graves • Quando criança foi possivelmente , vitima de abuso
  14. 14. O que a criança pensa • A criança acha que oque está acontecendo naquela situação e normal • A criança se sente desprotegida pelo outro responsável , habitualmente a mãe ocasionando o silencio da criança • Envergonhada diante da situação • Ela fica com medo de contar a alguém , geralmente por alguma ameaça feita pelo agressor.
  15. 15. A mãe na maioria das vezes... • Tem uma participação muda • Emocionalmente fria e distante • Complexo feminino de inferioridade e com isso tenta manter uma estabilidade familiar • Conscientemente ou inconscientemente delega ao filho(a) a culpa • A uma dificuldade em reconhecer o incesto • Não acredita na criança quando ela conta a situação
  16. 16. Como se prevenir • Conscientizar a sociedade sobre a violência domestica • Trabalhar com as famílias que sofreram ou sofrem violência domestica • Ensinar outros meios de cuidar educar , as crianças e adolescentes , de maneira que não seja através da violência • Auxiliar educadores/professores a reconhecerem os sinais de violência em seus alunos • Fornecer atenção especial as crianças/adolescentes que apresentam sinais de violência
  17. 17. Como agir diante a violência • Busque institucionalizar o máximo a denuncia • Escola : tire fotografia e forneça relatório sobre a criança para o conselho tutelar • Conselho tutelar : IML para fazer a pericia na criança • Entreviste os pais separadamente (apurar contradições). • Jamais prometa , para criança . Presentes para que ela conte a verdade , incentive a criança contar por vontade própria
  18. 18. Algumas organizações contra a violência contra a criança e o adolescente
  19. 19. Alunos • Christyan de Jesus Oliveira • Eduardo Borges

×