Clima e tempo cap 14 15 16

419 views

Published on

tempo e clima

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Clima e tempo cap 14 15 16

  1. 1. Unidade V O tempo, o clima e as paisagens terrestres.
  2. 2. Tem diferença?
  3. 3. O tempo muda constantemente. Em um mesmo dia pode fazer calor, esfriar ou chover. Todos os dias, em cada local do planeta, cientistas estudam o tempo e anotam suas variações. Depois de muitos anos de observação eles concluíram que em alguns locais chove mais e em outros menos; alguns são mais frios e outros mais quentes. Os estudiosos passaram, então, a pesquisar os climas, que nada mais são do que o conjunto de características predominantes do tempo (ou da atmosfera) de cada região. Tempo e clima são, portanto, bastante diferentes. O tempo é o estado da atmosfera em um determinado momento. Ele muda continuamente. Já o clima é o resultado da sucessão habitual dos diferentes tipos de tempo por um determinado período. Estação meteorológica principal de Viçosa-MG (Vista parcial).
  4. 4. Esta figura representa clima ou tempo? Ao tempo. Perceba como ele muda durante o dia.
  5. 5. Tecnologi a na Previsão do Tempo
  6. 6. O desenvolvimento tecnológico proporcionou maior eficácia nos resultados da previsão do tempo. Os satélites artificiais garantiram maior precisão ao estabelecer as condições do tempo. Para se obter a previsão do tempo é necessário que ocorra o monitoramento das massas de ar durante 24 horas por dia. Informações sobre a temperatura, umidade, pressão do ar e velocidade do vento também são coletadas. Em seguida, todos esses dados são calculados em computadores modernos, estabelecendo a previsão do tempo com até 90% de precisão. Na imagem de satélite ao lado, 16 de maio, vemos a massa de ar polar chegando na região sul do Brasil.
  7. 7. O conhecimento das condições do tempo é fundamental para escolhermos roupas adequadas conforme a temperatura, além de auxiliar em viagens e passeios, de forma a evitar alguns ambientes durante períodos chuvosos. Algumas atividades econômicas também dependem do conhecimento do tempo. Na agricultura, por exemplo, é fundamental que se saiba os períodos de estiagem e os chuvosos, evitando, assim, perdas significativas na colheita. Essas informações também auxiliam na identificação antecipada de possíveis fenômenos atmosféricos que podem causar grandes danos, tais como furacões, chuvas de grande intensidade, nevascas, entre outros.
  8. 8. Temperatura Atmosférica
  9. 9. Como se forma o Granizo A formação do granizo se dá da seguinte forma: gotas de água evaporadas de rios, lagos, mares e também da superfície terrestre chegam às nuvens cumulonimbus, se deparando com uma temperatura abaixo dos -80°C. Com isto, o gelo se forma, e acaba ficando mais pesado, fazendo com que a nuvem não consiga sustentá-lo, dando início a uma chuva de granizo como estamos acostumados a presenciar nos dias mais quentes do verão brasileiro.
  10. 10. Em Vitória é possível ter neve? E Granizo?
  11. 11. Para descrever mais precisamente o clima de um lugar, são necessárias várias décadas de registro de dados (temperatura, umidade, ventos, pressão atmosférica, atuação das massas de ar, etc). Vários fatores podem influenciar o clima, tais como a altitude, a latitude, a maritimidade/continentalidade, o relevo, as massas de ar, correntes marítimas, as vegetações e as atividades humanas.
  12. 12.  Latitude As diferenças de latitude ou de localização das zonas climáticas podem alterar tanto a temperatura como a pressão atmosférica. Os raios do Sol não atingem igualmente toda a superfície da Terra. Se considerarmos apenas a Latitude, em qual ponto a temperatura é menor, no A, B ou C? maior latitude = menor temperatura menor latitude = maior temperatura
  13. 13.  Altitude Como os raios solares aquecem a atmosfera através das radiações pela Terra, à medida que estamos mais longe da superfície, menor é a temperatura. maior altitude= menor temperatura menor altitude = maior temperatura maior altitude= menor pressão menor altitude = maior pressão A pressão atmosférica é maior em lugares mais próximos do nível do mar, em virtude do maior volume de ar sobre a superfície da Terra.
  14. 14.  Maritimidade e a Continentalidade A influência do mar, ou maritimidade, é um importante regulador do clima das regiões litorâneas. Como as águas do mar se aquecem e se resfriam lentamente, essa regiões têm temperaturas mais amenas e com pequenas variações. Os ventos carregados de umidade vindos dos oceanos tornam essas regiões mais úmidas e chuvosas. As áreas situadas no interior dos continentes não têm essas características. As rochas se aquecem muito rápido, quando expostas ao Sol, mas também esfriam rapidamente, quando privadas de energia solar. Por isso, no interior dos continentes, a amplitude térmica aumenta e as chuvas diminuem, pois os ventos vão perdendo a umidade, à medida que penetram nos continentes. Maior Amplitude Térmica Menor Amplitude Térmica
  15. 15. É o caso do deserto de Atacama, no norte do Chile. A massa de ar quente e úmida que segue em direção ao continente, se resfria ao cruzar a corrente fria de Humboldt . A queda de temperatura do ar provoca a condensação e a formação de chuvas sobre o oceano Pacífico e a massa de ar perde toda a umidade antes de atingir o continente  As correntes marítimas As correntes quentes podem amenizar o clima (como a corrente do Golfo em relação ao clima da Europa ocidental). As correntes marítimas frias, além de resfriarem as regiões costeiras podem, em certas circunstâncias, impedir a penetração da umidade no continente e formar climas secos.
  16. 16.  Relevo As formas de relevo podem facilitar ou dificultar a circulação das massas de ar, influenciando na temperatura. Veja o caso do Sertão Nordestino:
  17. 17.  Massa de Ar O Brasil possui massas Equatoriais e Tropicais (quentes) e uma Polar (fria) Apenas uma massa brasileira é seca, a MTC (Massa Tropical Continental) pois sua origem carrega ventos de espaços secos como a Patagônia e os Chacos. Durante o verão as massas quentes (equatoriais e tropicais) ganham força e aumentam a área de atuação, assim como durante o inverno a massa polar ganha força e aumenta o seu alcance. Fonte: http://soumaisenem.com.br/geografia/atmosfera/clima-massas-de-ar-e-climas-do-brasil
  18. 18. Climas do Brasil
  19. 19. Acontece que em alguns dias, com mais frequência durante o inverno quando as noites são mais longas e a umidade cai, a superfície da terra sobre alguns locais resfria muito rápido criando uma camada de ar frio abaixo da primeira camada de ar quente. O ar frio, como é mais denso tende a ficar retido pela camada de ar quente que está acima dele e a reter todos os poluentes consigo, uma vez que o ar não circula mais. Assim, temos uma inversão térmica que costumamos ver sob a forma de uma faixa cinza alaranjada no horizonte. O problema da inversão térmica é que quando ela está associada a altas concentrações de poluentes, pode provocar ou agravar problemas de saúde, principalmente respiratórios.
  20. 20. EFEITO ESTUFA
  21. 21. Chuva Ácida
  22. 22. O Aquecimento Global O aquecimento global é fenômeno caracterizado pelas alterações climáticas e o aumento da temperatura média do planeta, por fatores naturais ou antrópicos, já tem desencadeado vários desastres ambientais. As consequências do aquecimento global são diversificadas e complexas, podendo gerar danos irreversíveis à humanidade. Uma das consequências mais notáveis é o degelo. As regiões mais afetadas são o Ártico, a Antártida, a Groelândia e várias cordilheiras. O derretimento dessas geleiras gera transtornos ambientais e sociais. Esse fenômeno altera a temperatura dos oceanos, causando um desequilíbrio ambiental e atingindo principalmente as espécies marinhas. Desertificação Inundações
  23. 23. Furacões Outras consequências do aquecimento global são a desertificação, alteração do regime das chuvas, intensificação das secas em determinados locais, escassez de água, abundância de chuvas em algumas localidades, tempestades, furacões, inundações, alterações de ecossistemas, redução da biodiversidade, perda de áreas férteis para a agricultura, além da disseminação de doenças como a malária, esquistossomose e febre amarela. Portanto, o aquecimento global tem consequências extremamente negativas para a vida de todas as espécies do planeta. Sendo assim, são necessárias medidas para amenizar o processo de alteração climática, como, por exemplo, a redução da emissão de gases responsáveis pela intensificação do efeito estufa, garantindo, assim, uma relação harmoniosa entre homem e natureza.
  24. 24. Como reduzir a poluição do arExistem inúmeras dicas corretivas e preventivas para tentar amenizar esse problema, dentre elas: • Estipular limites dos níveis de poluição nos ambientes urbanos e rurais. • Critérios rigorosos quanto às normas de emissão de gases. • Monitoramento periódico das fontes poluidoras. • Incentivar o uso de tecnologias menos poluentes. • Uso de equipamentos que reduzem os níveis de gases emitidos, dos quais podemos citar: catalisadores automotivos, filtros despoluidores nas chaminés das indústrias, além de outros. • Monitorar constantemente lugares onde são depositados resíduos sólidos, para que não haja incêndios. • Controle diário da qualidade do ar. • Promover o reflorestamento de áreas degradadas. • Elaboração de projetos de caráter preventivo contra possíveis poluições atmosféricas de grande proporção. • Controlar as queimadas (lavouras, pastagens e florestas). • Evitar o uso de agrotóxicos, dando preferência para o controle biológico. • Preservação de florestas naturais. • Implantação de sistema de transporte coletivo de qualidade, etc.
  25. 25. Por que, quanto mais alto subimos, mas frio faz, apesar de estarmos mais perto do Sol? É porque no alto o ar é mais rarefeito. O ar é uma combinação de gases feitos de partículas muito pequenas, chamadas moléculas. Quando as moléculas são atingidas pela luz do Sol, elas vibram. E é essa vibração que chamamos de calor. Quanto mais alto se está menor é o número de moléculas no ar, e como há menos moléculas vibrando, o calor fica menor e sentimos mais frio. FONTE: Jornal ‘Espalha Fatos’ – Ano 2, Nº17, Setembro de 2013.
  26. 26. (ENEM - 2001) A adaptação dos integrantes da seleção brasileira de futebol à altitude de La Paz foi muito comentada em 1995, por ocasião de um torneio, como pode ser lido no seguinte texto: “A seleção brasileira embarca hoje para La Paz, capital da Bolívia, situada a 3.700 metros de altitude, onde disputará o torneio Interamérica. A adaptação deverá ocorrer em um prazo de 10 dias, aproximadamente. O organismo humano, em atitudes elevadas, necessita desse tempo para se adaptar, evitando-se, assim, risco de um colapso circulatório”. (Fonte: Placar, edição fev.1995.) A adaptação da equipe foi necessária principalmente porque a atmosfera de La Paz, quando comparada à das cidades brasileiras, apresenta: a) menor pressão e menor concentração de oxigênio. b) maior pressão e maior quantidade de oxigênio. c) maior pressão e maior concentração de gás carbônico d) menor pressão e maior temperatura. e) maior pressão e menor temperatura.
  27. 27. Professora Christie

×