Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Manutencao de valvulas

880 views

Published on

Manutencao de valvulas

Published in: Engineering
  • Be the first to comment

Manutencao de valvulas

  1. 1. P E T R O B R A S A B A S T E C I M E N T O Válvulas Industriais 5353 OO Manutenção de válvulas Manutenção de válvulas PenseeAnotePenseeAnote s tipos mais comuns de válvulas usadas na indústria de petróleo são gaveta, globo, macho e retenção, sendo que as demais são de fabrica- ção especial e recebem manutenção específica. Antes de proceder à recuperação (manutenção) de uma válvula, deve ser feita a sua descontaminação em função do produto processado por ela. A não-descontaminação prévia pode provocar desprendimento de líqui- dos e vapores, por vezes nocivos, perigosos ou inflamáveis, no ambiente fechado que é a oficina. Generalidades Válvula gaveta Componentes A ilustração de uma válvula gaveta em corte é apresentada na Figura 50, na qual também são mostrados seus componentes principais. Dependen- do da bitola (tamanho), normalmente de 1/4" a 24", poderão ocorrer va- riações em detalhes. Entretanto, é mantido o esquema básico. Conheça profundamente os procedimentos de manutenção de válvulas. De sua correta aplicação depende o desempenho do processo e a segurança de muitas pessoas!
  2. 2. 5454 P E T R O B R A S A B A S T E C I M E N T O Válvulas Industriais Recuperação Dependendo do estado em que se encontra a válvula, pode ser conveni- ente jateá-la com areia para limpeza. Esta operação deve ser feita com a válvula fechada para evitar que o jateamento afete as sedes de vedação. Pense e Anote Pense e Anote VÁLVULA GAVETA FIGURA 50 Volante Haste Sobreposta (preme-gaxeta) Gaxeta Anel de lanterna Castelo Corpo Cunha Anéis de vedação Falhas As principais falhas que ocorrem em válvulas gaveta são: Folga entre a cunha e o anel. Corte na rosca do corpo ou no anel de vedação. Guias da cunha muito justas. Haste riscada, corroída ou empenada. Ressalto e/ou ranhuras dos flanges corroídos. ✔ ✔ ✔ ✔ ✔
  3. 3. 5555 P E T R O B R A S A B A S T E C I M E N T O Válvulas Industriais PenseeAnotePenseeAnote Limpeza e reparos Girar o volante até abrir totalmente a válvula. Retirar o volante. Soltar os parafusos que prendem a gaxeta. Retirá-la, contando o número de voltas que ela possui, para posterior montagem. ✔ ✔ ✔ Soltar o castelo. Retirar a haste. Retirar o anel de lanterna. Este anel tem por finalidade guiar a haste e permitir sua lubrificação através dos seus orifícios. Só as válvulas de alta pressão e as acima de 2" são dotadas de anel de lanterna. Retirar a cunha. Após o jateamento, passamos à desmontagem, que envolve as seguintes etapas: ✔ ✔ ✔ ✔ Desmontada a válvula, passa-se à fase de limpeza e inspeção de seus componentes: Limpar os anéis de vedação com lixa fina. Examinar os anéis, verificando a existência de corrosão ou cortes que possam impedir a vedação. Caso haja corrosão ou cortes, retirar os anéis para faceá-los no torno. Limpar e examinar as roscas do corpo e dos anéis. Para os casos de anéis soldados ou embuchados, há uma máquina retificadora de anéis no corpo. Reinstalar os anéis. Usar pasta adequada nas roscas do anel e do corpo e apertá-los bem, visando garantir a vedação. Lixar as faces da vedação da cunha até eliminar sinais de corrosão ou cortes. Reinstalar a cunha e verificar a existência de folga entre ela e os anéis. Caso haja folga, retirar novamente os anéis e calçá-los com uma junta de cobre recozido, eliminando a folga. Antes de proceder à montagem, deve ser verificada a folga da cunha. Se a cunha correr muito justa nas guias, poderá provocar um desvio na sua penetração. Elimina-se esta falha alargando os rasgos existentes nas laterais da cunha. Isto pode ser feito numa plaina limadora, ou mesmo manualmente com uma lima. Havendo cortes, corrosão acentuada ou empenamento na haste, deve-se usiná-la, cuidando para que não fique muito grande a folga entre a haste e o anel de lanterna. Caso os resultados e ranhuras dos flanges não estejam bons, usiná-los, cuidando para que não ultrapassem as espessuras mínimas. ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ Desmontagem
  4. 4. 5656 P E T R O B R A S A B A S T E C I M E N T O Válvulas Industriais Pense e Anote Pense e Anote Ajustagem Montagem Teste Inicialmente, testar a válvula com ar comprimido a uma pressão de 100psi. Para isso, submergir a válvula em água. Após o teste pneumático, fazer um teste hidrostático. A Tabela 2 mostra a orientação especificada pelo American Petroleum Institute (API) Consiste em movimentar as faces da cunha de acordo com os anéis de vedação em presença de uma pasta abrasiva. Montada a cunha, instalar a haste no encaixe dela. Untar as faces de vedação com carborundum grosso, ou material equivalente. Preparar um dispositivo dotado de alavancas que permita bater a cunha contra os anéis até que a marca dos anéis nas faces de vedação da cunha seja homogênea e esteja isenta de pequenas superfícies mais altas. Dependendo do tamanho da válvula e, portanto, do peso da cunha, este dispositivo pode ser dispensável. ✔ ✔ A montagem segue a ordem inversa da desmontagem, observados os seguintes aspectos: Usar pasta adequada para facilitar a vedação das juntas. Apertar os parafusos que ligam o corpo ao castelo em cruz, evitando apertos desiguais ao longo da secção circular. Ao montar o anel de lanterna, montar também as primeiras gaxetas, ficando as demais para a fase final. Antes de iniciar a montagem, examinar a bucha, e verificar se ela permite o engaxetamento com a válvula em operação. No engaxetamento, após a escolha da gaxeta, cortá-la com o comprimento da circunferência da haste. Lubrificar e colocar a gaxeta na câmara, cuidando para que as emendas fiquem opostas pelo diâmetro até encher a câmara de gaxetas. Apertar a sobreposta e repetir a operação até não caberem mais anéis de gaxeta. ✔ ✔ ✔ ✔ ✔
  5. 5. 5757 P E T R O B R A S A B A S T E C I M E N T O Válvulas Industriais Materiais das válvulas Mesmo para as válvulas classificadas como de aço-carbono, alguns com- ponentes são de materiais mais nobres. Os anéis de vedação são de aço-liga, e a haste e buchas internas, de inoxidável, conforme recomendado pela norma ABNT. As gavetas das vál- vulas de 150 libras são de aço-carbono para 300 libras e 600 libras e po- dem ser de aço-carbono ou aço-liga. Engaxetamento em operação Durante a operação, acontecem vazamentos pela gaxeta das válvulas. Neste caso, proceder da seguinte forma: Pense eAnotePense eAnote PRESSÃO DE TESTE (LIBRAS) Cunha CorpoClasse (libra) PRESSÃO DE TESTE DE VÁLVULA GAVETA E RETENÇÃO Abrir a válvula tanto quanto possível até a vedação da haste encontrar a contravedação. Forçar o volante no sentido de abrir a válvula, visando ao maior aperto de contravedação. Soltar a sobreposta lentamente, observando se não há pressão na câmara de gaxetas. Não havendo, soltar a sobreposta e proceder ao engaxetamento. Repetir em sentido contrário esta seqüência. ✔ ✔ O engaxetamento em operação nem sempre é uma operação segura. A sua execução deve ser analisada cuidadosamente, com participação da manutenção, da operação e da segurança industrial. ✔ ✔ TABELA 2 150 300 600 300 750 1.500 425 1.100 2.175
  6. 6. 5858 P E T R O B R A S A B A S T E C I M E N T O Válvulas Industriais A válvula globo tem seu fechamento por meio de um tampão cônico que encontra um anel (sede inferior), geralmente em posição paralela ao sen- tido do fluxo do produto. O tampão cônico da válvula globo pode trabalhar em qualquer posi- ção, caracterizando-se uma válvula de regulagem. Seu fechamento é me- lhor que o das válvulas gaveta, o que permite uma vedação estanque. Sua recuperação é mais simples que a da válvula gaveta, não só por- que a ajustagem é mais fácil, mas pela possibilidade de confecção, se necessário, de peças de substituição (sedes inferiores, superior e haste). Componentes Uma válvula globo tem basicamente um corte, conforme mostra a Figura 51, na qual estão assinalados seus componentes principais. De acordo com a bitola (dimensão), poderão ocorrer variações em de- talhes. Entretanto, é mantido o esquema básico. Falhas Pense eAnotePense eAnote Válvula globo As principais falhas que ocorrem em válvulas globo são: Corte ou corrosão numa das sedes (superior ou inferior). Vazamento entre a sede inferior e o corpo da sede através da rosca. ✔ ✔ Recuperação A montagem da válvula globo é semelhante à da válvula gaveta, e a ajus- tagem, nesse caso, é bem mais simples. Retirar a sede inferior (anel) do corpo da válvula. Usinar o anel, dando a mesma inclinação na usinagem que a da sede superior. Reinstalar a sede inferior. Normalmente, ao apertar, ocorre uma defor- mação na sede inferior, sendo necessária uma ajustagem que restabe- leça a mesma inclinação que a sede superior. Usinar uma peça que encaixe na sede inferior, com a mesma inclina- ção da sede superior, para ajustar a sede inferior. ✔ ✔ ✔ ✔
  7. 7. 5959 P E T R O B R A S A B A S T E C I M E N T O Válvulas Industriais PenseeAnotePenseeAnote VÁLVULA GLOBO FIGURA 51 Volante Tampa Sobreposta (preme-gaxeta) Gaxeta Haste Disco (sede superior) Anel (sede inferior) A montagem da válvula globo tem seqüência inversa à da desmontagem, Deve-se, entretanto, cuidar para que a sede superior fique solta na haste, permitindo girar livremente. Com o auxílio da pasta carborundum ou equivalente, friccionar a peça usinada na sede inferior, visando eliminar as irregularidades existentes. Ainda com o auxílio da pasta carborundum ou equivalente,,,,, girar a sede superior sobre a inferior, pressionando até que a marca de uma sede na outra fique homogênea. Este movimento deve ser feito com o eixo da sede superior na posição vertical. ✔ ✔ Corpo
  8. 8. 6060 P E T R O B R A S A B A S T E C I M E N T O Válvulas Industriais Permite passagem em um só sentido, fechando automaticamente pela própria pressão do fluido, se houver possibilidade de inversão no fluxo. Componentes Pense e Anote Pense e Anote Válvula de retenção As Figuras 52 e 53 dão uma idéia dos componentes dessas válvulas e do seu funcionamento. VÁLVULA DE RETENÇÃO/PORTINHOLA FIGURA 52 Tampa Eixo Braço Anel Portinhola Corpo Basicamente, há três tipos de válvulas de retenção: De levantamento Na qual o fechamento é feito por um tampão (disco) cuja haste corre em uma guia interna. De portinhola Na qual o fechamento é feito por uma portinhola articulada que se assenta no orifício (sede) da válvula. De esfera Semelhante à de levantamento, tem, porém, uma esfera no lugar do tampão.
  9. 9. 6161 P E T R O B R A S A B A S T E C I M E N T O Válvulas Industriais Pense eAnotePense eAnote VÁLVULA DE RETENÇÃO/DISCO FIGURA 53 Recuperação A recuperação do tipo de levantamento é semelhante à da válvula globo, com a vantagem de a desmontagem ser mais simples, uma vez que o nú- mero de peças é menor. Falhas Remover o anel (sede rosqueada no corpo). Usinar o anel e reinstalá-lo no corpo. Usar pasta adequada e apertar bem. Usinar a portinhola (sede). Examinar o eixo. Havendo folga, embuchá-lo ou fazer outro novo. Ajustar ambas as sedes, friccionando a portinhola no anel. Usar pasta O tipo de portinhola é de recuperação um pouco mais complexa. carborundum ou equivalente. Continuar a ajustagem até a marca de uma sede na outra ser homogênea. Verificar o estado dos flanges, no que se refere a ressalto e ranhuras. Se necessário, refazê-los no torno. Se possível, lubrificar internamente antes de fechar a válvula. ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ Tampa Guia Anel Disco Corpo As principais falhas que ocorrem são: Cortes ou corrosão nas sedes. Emperramento do eixo, dificultando a abertura e o fechamento da portinhola. Desgaste do eixo, provocando folgas e fazendo com que a portinhola se apóie fora da sede. ✔ ✔ ✔
  10. 10. 6262 P E T R O B R A S A B A S T E C I M E N T O Válvulas Industriais Teste O teste da válvula de retenção é semelhante ao da válvula gaveta, de acor- do com a Tabela 2, apresentada anteriormente. Pense e Anote Pense e Anote Válvula macho Na válvula, o fechamento é feito pela rotação de uma peça (macho) na qual há um orifício bloqueado no interior do corpo da válvula. É uma válvula de fechamento rápido porque fecha com 1/4 de volta do macho ou da haste. Componentes A Figura 54 mostra um esquema geral da válvula macho e seus compo- nentes principais. Falhas Recuperação As principais falhas que ocorrem são: Corrosão no macho ou na camisa. Emperramento por falta de lubrificação. ✔ ✔ A desmontagem é simples, e a recuperação consiste na usinagem do macho e da camisa, mantendo a mesma conicidade. Para a ajustagem unta-se o macho com pasta abrasiva, colocando-o na camisa e girando-o para friccionar as faces. Continuar esta operação até obter um contato homogêneo em toda a extensão das superfícies. A montagem também é simples, devendo, entretanto, cuidar-se para não ocorrer falta de lubrificação.
  11. 11. 6363 P E T R O B R A S A B A S T E C I M E N T O Válvulas Industriais PenseeAnotePenseeAnote As válvulas de segurança são usadas em equipamentos pressurizados e que devem ser protegidos. Sua finalidade é aliviar a pressão quando esta ul- trapassar um limite especificado, protegendo os equipamentos, as linhas e as pessoas. Sua manutenção, portanto, deve ser rigorosa, o que exige precisão e especialização de quem a faz. Existem diversos tipos de válvulas de segurança. Basicamente, há válvu- las de segurança automáticas, as quais só abrem quando atingida a pres- são de abertura, e conjugadas,,,,, que, além de atuarem como no caso ante- rior, também abrem acionadas manualmente por meio de uma alavanca. Componentes Um corte de válvula de segurança do tipo mais comum (standard) tem os componentes a seguir. VÁLVULA MACHO FIGURA 54 Válvulas de segurança Sobreposta (preme-gaxeta) Gaxeta Tampa Macho Corpo
  12. 12. 6464 P E T R O B R A S A B A S T E C I M E N T O Válvulas Industriais Pense e Anote Pense e Anote VÁLVULA DE SEGURANÇA FIGURA 55 Falhas Corte ou corrosão nas sedes superior e inferior. Impurezas que ficam entre as duas sedes por ocasião da abertura e do fechamento da válvula. Sede superior presa, com travamento da válvula. Haste empenada. Fadiga da mola. Parafuso de regulagem com o ponto de apoio fora de centro. Guia de orifício desalinhada, resultante de aperto irregular dos parafusos entre o corpo e o castelo. As falhas mais comuns das válvulas de segurança são: ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ Porca hexagonal Eixo de campo Campo Porca de teste da haste Capa Contraporca do parafuso de regulagem Alavanca de teste Parafuso da capa Porca hexagonal Junta da capa Parafuso de regulagem Guia da mola Castelo Mola Guia da mola Parafuso do corpo Porca hexagonal Guia de orifício Juntas do corpo Haste Junta universal Suporte da sede superior Sede superior Parafuso de trava Junta do parafuso de trava Pino do parafuso Anel de regulagem Bocal Furo de drenagem Corpo Junta do bocal
  13. 13. 6565 P E T R O B R A S A B A S T E C I M E N T O Válvulas Industriais Pense eAnotePense eAnote Recuperação Teste inicial Teste de recepção na oficina para observação do comportamento da mola. Desmontagem Após o teste de recepção, a válvula deverá ser desmontada com apoio de seu desenho, conforme o roteiro apresentado a seguir: Remover o parafuso de trava. Girar o anel de regulagem no sentido anti-horário, contando as voltas até o anel encostar no suporte da sede superior. Anotar o número de voltas para usar na montagem. Remover a capa. Medir a altura livre de regulagem para usar esse valor na montagem. Soltar a contraporca do parafuso de regulagem. Soltar o parafuso de regulagem, descomprimindo a mola. Soltar os parafusos que prendem o castelo, de forma alternada. Remover o castelo, puxando-o para cima. Cuidado para não virar o castelo para nenhum lado antes de a haste estar fora do corpo. Segurando a haste, remover o conjunto de haste, mola, guias de mola, guias de orifício, suporte da sede superior, junta universal e a sede superior. Para soltar a sede superior, puxá-la e girá-la para a esquerda (sentido anti-horário). Para soltar a haste, utilizar o mesmo procedimento adotado para soltar a sede superior. Retirar (basta puxar) a mola e suas guias da haste. Apoiar o suporte da sede superior num plano e puxar a guia de orifício para cima. Para remover a junta universal, usar uma chave na parte hexagonal da peça, na parte inferior do suporte da sede superior. Remover o anel de regulagem. Desenroscar o bocal, para removê-lo. ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔
  14. 14. 6666 P E T R O B R A S A B A S T E C I M E N T O Válvulas Industriais A seqüência a seguir é utilizada para sedes muito riscadas. Conforme cada caso, as primeiras etapas podem não ser necessárias. Colocar uma placa de vidro (com aproximadamente 25cm de diâmetro e 5mm de espessura) em uma superfície plana (desempeno). Colocar uma lixa fina sobre o vidro e lixar as sedes; este lixamento deve ser feito com movimentos rotativos numa só direção, evitando o aparecimento de cortes transversais nas sedes. Tirar a lixa e espalhar abrasivo grosso sobre o vidro. Fazer o mesmo movimento feito sobre a lixa, agora sobre o vidro untado com o abrasivo grosso. Remover o abrasivo grosso. Limpar o vidro e espalhar abrasivo mais fino. Novamente fazer movimentos rotativos das sedes sobre o abrasivo. Esta operação deve continuar até não se notarem riscos nas sedes. Limpar o vidro do abrasivo fino e espalhar abrasivo de polimento. Tornar a passar a sede sobre o abrasivo, ainda com movimentos rotativos em um único sentido, porém mais rápidos e com alguma pressão para baixo. Continuar esta operação até as superfícies se apresentarem espelhadas, o que permitirá vedação da válvula. ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ Pense eAnotePense eAnote Limpeza Após a desmontagem da válvula de segurança, todas as peças devem ser limpas para permitir a inspeção quanto a trincas, corrosão etc. Ajustagem A usinagem e ajustagem das sedes é um dos aspectos mais importantes na manutenção da válvula. Uma das principais causas de vazamento é a sujeira vinda das linhas que se depositam entre as sedes, causando riscos ou pequenos furos nas sedes. É muito importante que, antes de se iniciar a ajustagem, se proceda à limpeza cuidadosa das peças; qualquer sujeira poderá causar risco na sede em ajustagem, pondo a perder todo o serviço.
  15. 15. 6767 P E T R O B R A S A B A S T E C I M E N T O Válvulas Industriais PenseeAnotePenseeAnote A operação de montagem obedece à seqüência inversa da desmontagem. Entretanto, algumas precauções devem ser adotadas. Recomenda-se estudar um desenho de corte da válvula. Tomar o máximo cuidado para não ofender as sedes durante sua manipulação. Qualquer risco ou batida poderá causar vazamento no teste. Mais uma vez, recomenda-se limpar todas as peças antes de montá-las. O uso de graxas é aconselhável em todas as roscas e partes móveis, desde que não prejudique o desempenho da válvula (produto processado pela linha ou equipamento de válvula). Verificar o estado das juntas para permitir melhor vedação. Na instalação do anel de regulagem, girá-lo até que ele encoste no final da rosca do bocal. Depois que a mola já estiver com algum aperto (já montada), colocar o anel de regulagem na posição em que estava antes da desmontagem (foi anotada anteriormente). Apertar bem o parafuso de regulagem. Cuidado para não girar os anéis internos da válvula durante a montagem da mola e do castelo. Apertar os parafusos do castelo alternadamente. Dar aperto na mola igual ao anterior à desmontagem. Para tanto, a altura livre do parafuso de regulagem deve ter sido medida. Só depois disso, apertar a contraporca do parafuso de regulagem. ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ Montagem
  16. 16. 6868 P E T R O B R A S A B A S T E C I M E N T O Válvulas Industriais Pense e Anote Pense e Anote As válvulas de segurança de fabricação Farris, referência para este curso, têm um único anel de regulagem. Há válvulas de outras marcas que possuem dois. O anel de regulagem tem por finalidade ajustar o “aviso” (pequeno vazamento inicial que antecede o estouro), a intensidade do estouro e o tempo de descarga. O anel de regulagem somente tem utilidade para produtos compressíveis (vapor, gás, ar). Para líquidos, ele é inútil, não necessitando de regulagem. Neste caso, deixá-lo bem baixo, junto ao fim da rosca do bocal. A regulagem do anel deve ser feita com a trava solta. Para diminuir o “aviso” e obter um estouro mais seco, deslocar o anel para cima (girar no sentido anti-horário). Paralelamente, isto causará uma descarga mais longa. Para diminuir o tempo de descarga, deslocar o anel para baixo (girar no sentido horário). À medida que o anel for baixando, a descarga continuará a diminuir até atingir o mínimo, após o que, se o anel continuar baixando, provocará um aumento do “aviso” e uma diminuição do estouro. Se o anel descer demais, não haverá estouro. Uma calibração ideal na bancada de teste deverá ter um “aviso” menor que 3% da pressão de ajustagem. Qualquer deslocamento, seja para cima, seja para baixo, não deve ultrapassar dois dentes de cada vez. A cada vez que se mudar o anel de regulagem, reinstalar o parafuso de trava (o parafuso deve entrar entre dois dentes do anel e nunca fazer pressão sobre qualquer dente). Apertar a porca de trava antes de ocorrer descarga de válvula, para evitar movimentos de vibração. Durante o teste, tomar cuidado para não permitir que ferrugem, sujeira ou mesmo poeira afetem as sedes. Manter a máquina de teste sempre bem limpa. Transportar as válvulas de segurança com muito cuidado, evitando quedas ou pancadas. ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ Teste Regras gerais
  17. 17. 6969 P E T R O B R A S A B A S T E C I M E N T O Válvulas Industriais PenseeAnotePenseeAnote Procedimento A calibração e o teste de uma válvula de segurança são tarefas delicadas e que exigem do operador longa prática, conhecimento do funcionamento da válvula e das máquinas de teste. A seqüência abaixo serve de exemplo de calibração de uma máquina por meio do flange de entrada das válvulas. Regulagem da abertura Colocar o anel de regulagem em sua posição mais inferior. Colocar o parafuso de regulagem na posição em que estava antes da desmontagem. Ligar o compressor da máquina e aguardar a abertura da válvula. Observar a pressão de abertura e, conforme o caso, apertar ou soltar o parafuso de regulagem sucessivas vezes até que a pressão de abertura seja a desejada. Regulagem da descargaaaaa Colocar o anel de regulagem na posição em que estava antes da desmontagem. Carregar a válvula até uma pressão de cerca de 10% menor que a pressão de abertura. Fechar a válvula (tipo macho) da ligação do reservatório da máquina de teste com a entrada da válvula de segurança. Deixar a pressão do reservatório atingir o dobro da pressão de abertura da válvula. Desligar a máquina de teste. Abrir rapidamente a válvula de passagem (válvula macho), provocando uma sobrecarga na válvula de segurança que abrirá com um estouro. Isso alivia a pressão e o fechamento posteriormente. Observar a pressão de fechamento no manômetro. Caso esteja fora dos limites permitidos, repetir a operação, baixando a posição do anel de regulagem tantas vezes quantas forem necessárias. Reguladas as pressões de abertura e fechamento, fechar o dreno e o parafuso para testar vazamentos. Colocar graxa no flange de saída e colar uma folha de papel impermeável na graxa. Dar novamente pressão na entrada da válvula. Se houver vazamento, será facilmente identificado. ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ ✔ Calibração/Teste – Procedimento

×