Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Estremoz poster 2018.1.

187 views

Published on

New dinosaur tracksite from upper Jurassic praia do Salgado

Published in: Science
  • Be the first to comment

Estremoz poster 2018.1.

  1. 1. Jazida da praia do Salgado – pegadas de “galinhas com dentes”? Grupo de Paleontologia (GP) – 2018 Agrupamento Escolas Paço de Arcos A jicnoazida da Praia do Salgado foi descoberta em 1996 por colegas do GP, depois de terem encontrado nesse ano a jazida de Famalicão da Nazaré, acerca de 4 km de distância. As pegadas surgem em três estratos calcários na zona sul da praia do Salgado, concelho de Alcobaça, datados do Jurássico superior (transição Oxfordiano – Kimmeridgiano - cerca de 155 M.a.). Os colegas procederam aos trabalhos de limpeza, remoção de pedras, mapeamento, recolha fotográfica e descreveram a amostra. . Estas pegadas foram atribuídas a dinossáurios bípedes (terópodes e ornitópodes) e a quadrúpedes (saurópodes). Em 2018, voltámos ao local, para verificar o estado da amostra, inferir o habitat frequentado pelos produtores das pegadas e reanalisar as conclusões dos colegas. Os dinossáurios visitavam ambientes com bastantes árvores, encharcados, com aportes de água doce / salobra. Os corais encontrados nos estratos sobrejacentes sugerem transgressão por águas marinhas, pouco profundas e bem agitadas, sempre em clima tropical. A comparação entre as pegadas descobertas em 1996 com os exemplares que observámos em 2018 sugere que a influência dos agentes erosivos no desgaste dos icnitos foi pouco significativa. As pegadas mais salientes dos bípedes (pistas a vermelho e azul) são tridátilas, com comprimento e largura de 33 cm e 31,5 cm, ângulo de divergência II – IV de 91º. Os dígitos (II e IV com comprimentos idênticos) terminam por impressões de garras aguçadas, sem impressões de almofadas falangeais e são muito estreitos. A velocidade é elevada - para uma passada média de 2,7m (SL), a velocidade rondava os 11 km/h - apesar do ângulo (PA) de passo ser baixo (144º). Estas caraterísticas levaram os colegas a atribuírem as pegadas a dinossáurios terópodes, provavelmente aves. 1996 2018 (I) Inês Amaral, Manuel Cabrita, João Cazalta, Beatriz Lory

×