Dengue 5º c

5,032 views

Published on

Published in: Health & Medicine, Travel
  • Be the first to comment

Dengue 5º c

  1. 1. Escola Municipal Coronel Antonino Campo Grande-MS 2011
  2. 2. 5º ano C matutino. 2º bimestre Sob a responsabilidade da Professora Maria Aparecida Diniz Medeiros Trabalho elaborado pelos alunos PCTE: Sueli de Souza Machado
  3. 3. INTRODUÇÃO <ul><li>O risco de uma epidemia de dengue vem aumentando a cada ano, o que leva a um problema de saúde pública. </li></ul><ul><li>Para combater essa doença faz-se necessário uma mudança de comportamento e uma efetiva participação da população, adotando medidas que levem a eliminação dos criadouros do mosquito transmissor. </li></ul>
  4. 4. O que é a dengue? A dengue é uma doença causada pela picada do mosquito Aedes aegypti , que também está infectado pelo vírus Em todo o mundo, existem quatro tipos de dengue, já que o vírus causador da doença possui quatro sorotipos: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4
  5. 5. O mosquito Aedes aegypti , é o causador de muitas doenças e já está no nosso pais a muito tempo. Acredita-se que ele veio da África nos navios negreiros. Uns dos primeiros registro da doença é de 1685 na cidade de Recife
  6. 6. Dengue clássica: Os sintomas são mais leves. O doente tem febre alta, dores de cabeça, nas costas e na região atrás dos olhos. A febre começa a baixar a partir do quinto dia e os sintomas, a partir do décimo dia. Na forma clássica, dificilmente ocorrem complicações, porém alguns doentes podem apresentar quadros de hemorragias leves na boca e também no nariz.  Dengue hemorrágica: (ocorre quando a pessoa pega a doença por uma segunda vez) Neste caso a enfermidade apresenta-se de forma mais grave. Nos cinco dias iniciais, os sintomas são semelhantes ao do tipo clássico. Contudo, a partir do quinto dia, alguns doentes podem apresentar hemorragias (sangramentos) em vários órgãos do corpo e choque circulatório. Podem ocorrer também vômitos, tontura, dificuldades de respiração, dores abdominais fortes e contínuas e presença de sangue nas fezes. Não acontecendo um acompanhamento médico e tratamento adequado, a pessoa doente pode falecer. 
  7. 7. <ul><li>O mosquito </li></ul><ul><li>  típicos de regiões urbanas de clima tropical e subtropical (com presença de calor e chuvas) Não conseguem viver em regiões frias. </li></ul><ul><li>É de tamanho pequeno, possuindo, em média, 0,5 cm de comprimento. </li></ul><ul><li>Possui cor preta com manchas (riscos) brancos no dorso, pernas e cabeça. </li></ul><ul><li>O ruído deste mosquito é muito baixo, sendo que o ser humano não consegue ouvir. </li></ul><ul><li>O mosquito macho alimenta-se de frutas ou outros vegetais adocicados. Porém, a fêmea alimenta-se de sangue animal (principalmente humano). No momento que está retirando o sangue, a fêmea contaminada transmite o vírus  da dengue para o ser humano. Na picada, ela aplica uma substância anestésica, fazendo com que não haja dor na picada. </li></ul><ul><li>As fêmeas costumam picar o ser humano na parte do começo da manhã ou no final da tarde. Picam nas regiões dos pés, tornozelos e pernas. Isto ocorre, pois costumam voar a uma altura máxima de meio metro do solo. </li></ul><ul><li>A fêmea deposita seus ovos em locais com água parada (limpa ou pouco poluída) </li></ul><ul><li>As larvas são brancas quando nascem, mas tornam-se negras depois de algumas horas. </li></ul><ul><li>Pode ser encontrado em várias regiões da África e América do Sul, inclusive no Brasil. </li></ul>
  8. 8. A transmissão da dengue é feita através da picada do mosquito Aedes aegypti  ou  Aedes albopictus . No Brasil, ocorre com mais freqüência o  Aedes aegypti . Ela se dá pela picada do mosquito que ficou infectado porque picou uma pessoa doente. Durante a picada, a saliva do mosquito mistura-se com o sangue humano, ocorrendo a infecção do hospedeiro humano. A proliferação do mosquito se dá próxima a casas e habitações onde tenham água limpa e parada (local ideal para sua reprodução). Locais que acumulam água, como pneus velhos, garrafas de bebidas, caixas d’água destampadas, bromélias, pratos de vasos de plantas, etc, são depósitos de larvas do mosquito. Não há transmissão direta de um doente para uma pessoa sadia, assim como não há transmissão através da água, alimentos ou objetos ou de um mosquito para outro.
  9. 9. <ul><li>dor de cabeça, </li></ul><ul><li>dor atrás dos olhos, </li></ul><ul><li>dores musculares, </li></ul><ul><li>dores nas juntas, </li></ul><ul><li>prostração </li></ul><ul><li>vermelhidão no corpo. </li></ul><ul><li>Infecção Inaparente </li></ul><ul><li>A pessoa está infectada pelo vírus, mas não apresenta nenhum sintoma da dengue. </li></ul>
  10. 10. O  tratamento da dengue  requer bastante repouso e a ingestão de muito líquido, como água, sucos naturais ou chá. No tratamento, também são usados medicamentos anti-térmicos que devem recomendados por um médico. É importante destacar que a pessoa com dengue   NÃO pode tomar   remedio a base de Ácido Acetil Salicílico , como AAS, Melhoral, Doril, Sonrisal, Alka-Seltzer, Engov, Cibalena, Doloxene e Buferin. Como eles têm um efeito anticoagulante, podem promover sangramentos.
  11. 11. A prevenção é simples, pois consiste em ações que a população deve tomar, eliminando os criadouros do mosquito. As medidas de combate exigem a participação e a mobilização de toda a comunidade a partir da adoção de medidas simples, visando a interrupção do ciclo de transmissão e contaminação. Caso contrário, as ações isoladas poderão ser insuficientes para acabar com os focos da doença. LIXO PLANTAS E JARDINS CAIXAS D’AGUA, CALHAS E LAJES TÓNEIS E DEPÓSITOS DE ÁGUA
  12. 12. Mato Grosso do Sul apresenta um alto índice de contagio da dengue, em 2011 é notificado um novo caso de dengue a cada 20 minutos . Por hora, são três registros; por dia, 72,6, segundo o boletim epidemiológico da doença, o sexto do ano, divulgado nesta quinta-feira (17/02/2011), pela SES (Secretaria Estadual de Saúde). A Secretaria de Estado de Saúde (SES), divulga o Boletim de Resposta Coordenada no Monitoramento da Dengue. (Dados semanais do período de 01 a 21 de maio de 2011). com a contribuição das secretarias municipais de Saúde dos vinte municípios prioritários em relação à dengue, sendo eles: Anastácio, Aquidauana, Bataguassu, Bonito, Campo Grande, Cassilândia, Corumbá, Coxim, Dourados, Ivinhema, Jardim, Naviraí, Nova Alvorada do Sul, Nova Andradina, Paranaíba, Ponta Porã, Rio Verde de Mato Grosso, São Gabriel do Oeste, Sidrolândia e Três Lagoas
  13. 13. <ul><li>Os casos de dengue no Brasil mostram números assustadores que crescem a cada mês, assim o ministério da saúde reúne parceiros para reforçar ações de combate à dengue. </li></ul><ul><li>O ministro da Saúde em janeiro de 2011 apresentou algumas ações : </li></ul><ul><li>estabelecer parcerias nos diversos setores que estão diretamente ligados a população: supermercados, mídias, empresas áreas, construção civil, alimentos, entre outros. </li></ul><ul><li>divulgação de informações sobre sinais e sintomas da doença e como eliminar criadouros do mosquito transmissor. </li></ul><ul><li>  promover uma ação integrada de prevenção e promoção da saúde.  </li></ul><ul><li>• Notificação de casos de dengue; </li></ul><ul><li>• Investigação epidemiológica de casos notificados, surtos e óbitos por </li></ul><ul><li>dengue; </li></ul><ul><li>• Busca ativa de casos de dengue nas unidades de saúde; </li></ul><ul><li>• Coleta e envio aos Laboratórios Centrais de material de suspeitos de dengue para diagnóstico e/ou isolamento viral, conforme Guia de Vigilância Epidemiologia da Dengue; </li></ul><ul><li>• Levantamento de índice de infestação; </li></ul>

×