Conceição Rosa Pereira
Tarefa: Análise e uso prático do Rádio em aula
Características do rádio
O uso de rádio se propaga d...
“A cidade de São Paulo está com tudo travado em direção ao centro na região da
Paulista, Rebouças e também na Dr. Arnaldo....
conhecido fisicamente dos ouvintes) comenta, dá opinião sobre as músicas tocadas, pede
sugestões ao público ouvinte:
“Guil...
“É a Baleia”? NÃO!!!!
5 - Oferece mais algumas dicas e outras respostas errada, no máximo três vezes no total e
conta um p...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Uso de rádio em aula

375 views

Published on

Texto e projeto de uso de rádio online em projeto para crianças do ensino básico.

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
375
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
19
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Uso de rádio em aula

  1. 1. Conceição Rosa Pereira Tarefa: Análise e uso prático do Rádio em aula Características do rádio O uso de rádio se propaga diariamente devido principalmente às várias características que estão implícitas nos programas radiofônicos, onde os ouvintes podem ouvir em aparelhos portáteis, em veículos, celulares, GPS ou outros enquanto se dirige ao trabalho, trabalha, faz deveres domésticos, jardinagens etc. Enfim, é uma mídia imediatista que está presente em quase 100% dos lares e locais, seja em emissoras que transmitem programação segmentada ou eclética, o fato é que esta mídia diminui distâncias ao levar informações e distração e ao contrário das mais difundidas atualmente como tv, vídeo e computador com internet. O uso do rádio é viável, mas para que algum programa tenha a audiência almejada tornam-se mais importante as atitudes dos locutores sobre os ouvintes do que aos equipamentos tecnológicos necessários para desenvolver os programas. Dentre as diversas características que o rádio tem, destaca-se a versatilidade em que as notícias são veiculadas, pois é impressionante como os programas de noticiários atingem rapidamente o público, devido principalmente ao baixo custo de produção dos programas em relação à mídia televisiva ou outras que precisam de imagens, treino e outros atributos. Quando ocorre algum fato real e importante novo, geralmente param a programação, seja ela de qualquer classificação com flashes extras e simultâneos. Neste momento da interrupção o que importa é a narração do fato em questão, como por exemplo, a morte do presidente da América Latina Hugo Chaves nesta última semana, antes de chegar aos seus lares e ligar os telejornais, a notícia já havia sido noticiada pelo rádio: um ouvinte aumentou o som e todos passageiros no ônibus ouviram e espalharam a notícia de última hora através de mensagens via celular ou computador pessoal, sem exigir treino, apenas falando de modo natural ou com a entonação e interpretação do locutor que assim já o faz normalmente na emissora de rádio. Exemplificando a versatilidade do programa na 92.0 FM Rádio Sul América no programa “Sul América trânsito”, com informes esporádicos que ocorrem durante a programação musical da tarde de sábado, onde os ouvintes vão perguntando, pedindo ou enviando informações à locutora em tempo real:
  2. 2. “A cidade de São Paulo está com tudo travado em direção ao centro na região da Paulista, Rebouças e também na Dr. Arnaldo. O congestionamento já bateu no Jabaquara, reflexo em toda zona Sul, com alguns problemas sobre feridos enviados por nosso ouvinte, provavelmente entre torcedores de torcidas rivais”. Outra característica importantíssima é a difusão de cultura, geralmente ocorrendo mais em rádios universitárias, comunitárias, regionais ou AM, onde os contos, causos dos sertanejos, músicas de raiz, de festas juninas ou de Santo Reis, cantigas, rock de época, MPB, modinhas de viola e outros sobrevivem à modernidade mostrando ao público mais jovem a importância da preservação e propagação da cultura brasileira, principalmente em determinadas regiões longínquas. Nestes tipos de locução a entonação da voz, a dicção e o ritmo que acompanharam a sonoplastia fazem toda diferença, valoriza-se mais a arte de narrar e as sensações que provocam na mensagem enviada aos ouvintes do que ao programa em si. Não se esquecendo da motivação e integração social de moradores locais, seja do Norte ao Sul, pois cada região brasileira tem seus hábitos e costumes culturais que necessitam ser protegidos e como no rádio o apresentador que geralmente é também produtor deste tipo de programa não precisa ser famoso para fazer sucesso, os próprios conhecedores ou curiosos deste tipo de cultura poderá vir a ser um apresentador de histórias, apresentar Folia de Reis, Cantigas populares, MPB, Rock brasileiro (de décadas passadas) que estão sendo esquecidas ou que não sejam conhecidas atualmente. Há várias rádios AM e FM em minha região que fazem este resgate de cultura, mas devido à difícil sintonização de AM, vou citar duas FM que efetuam com alguma diferença este propósito: a Rádio FM 89.7 Nova Brasil toca músicas de MPB (música popular brasileira) durante as tardes de sábado e em outros horários também, tanto as melodias mais conhecidas que fizeram ou faz muito sucesso até as músicas mais desconhecidas do povo. Quase não há propaganda, apenas o refrão sobre a rádio que é falado, cantado entre as canções: “89.7, Nova Brasil FM, música brasileira de qualidade”. O problema é que nem os locutores, com vozes feminina e masculina e nem as músicas são nomeadas sempre, parecendo que não são importantes os nomes destas pessoas e sim as mensagens das músicas. Outra é a Rádio USP, emissora da Universidade em que os programas objetivam a educação além de diversão e neste programa específico, de rock brasileiro, principalmente com sucessos das décadas de 80 e 90, o produtor e apresentador Regis Tadeu (não muito
  3. 3. conhecido fisicamente dos ouvintes) comenta, dá opinião sobre as músicas tocadas, pede sugestões ao público ouvinte: “Guilherme Arantes acabou de tocar, o rock Brazuca retorna no próximo sábado, caros ouvintes, mandem seu recado e sugestões para os próximos programas e bom final de semana a todos de Regis Tadeu!” Portanto, há programas radiofônicos para todos os gostos, mas prefiro essencialmente os que além de informar e divertir os ouvintes ainda presta um serviço social ou cultural de grande valor para nosso cotidiano, onde a mensagem recebida tem propósitos explícitos e implícitos também, mas de qualidade e não almejando apenas ganhos financeiros com excesso de propagandas e comerciais em nossos ouvidos. - Apresentação de conteúdo para crianças – projeto rádio O conteúdo é sobre o projeto interdisciplinar BICHODÁRIO, que é desenvolvido com as crianças do 2º ano, englobando as características da linguagem oral e escrita (português), tabelas com dados numéricos sobre peso, idades e medidas (matemática), textos científicos para serem transformados em fichas técnicas do bicho escolhido (ciências) e aspectos sobre o modo de vida e seu habitat (geografia, história) e um pouco de artes também. Poderá ser necessário ter havido o estudo ou uma introdução sobre alguns bichos até mesmo separando em categorias, tais como domésticos, selvagens e outros tipos durante as aulas através de textos jornalísticos, imagens, dobraduras, conversas e pesquisas compartilhadas, para incentiva-los a conhecer o programa radiofônico gravado via WEB Rádio (rádio online), que é gratuita e pode ser feita por qualquer professor ou pessoa. Exemplificando o programa com um roteiro de planejamento: 1 - Gravar a introdução com vozes infantis repetindo animadamente e em vários ritmos o refrão: qual é o bicho, que bicho que é? 2 – Colocar alto a música das crianças e ir abaixando. 3 - O locutor vai falando frases com preguntas (curiosidades) sobre o bicho: “Este bicho é bem grandão...”. 4 – Coloca crianças dando sugestões e outras dizendo NÃO!!! Ou SIM!!!
  4. 4. “É a Baleia”? NÃO!!!! 5 - Oferece mais algumas dicas e outras respostas errada, no máximo três vezes no total e conta um poema ou musica da Arca de Noé de Vinicius de Moraes para contar qual é o bicho. 6 – Convida os ouvintes mirins para participar mandando e-mails, cartas ou telefonando para sugerir outros bichos para os próximos programas que podem ser semanais. Incentivar o uso de interatividade saudável e educativa para as crianças é um projeto que pode com certeza dar bons frutos na aprendizagem da leitura e escrita, na alfabetização dos pequenos, além de ser um modo de situá-los no mundo digital aos poucos, com responsabilidade e seriedade. Referências VALLE. Luciane Riveiro, Os diálogos mentais na comunicação radiofônica – possibilidades da linguagem radiofônica. UNIARA - Centro Universitário de Araraquara - Faculdades Hoyler – Hortolândia. CAMPELO. Wanir. Radio escola Ponto Com: Uma experiência extensionista. Intercom Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares – da Comunicação. XXXII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Curitiba, PR – 4 a 7 de setembro de 2009.

×