Riscos profissionais

9,422 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
19 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
9,422
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
22
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
19
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Riscos profissionais

  1. 1. RISCOS PROFISSIONAIS
  2. 2. LOCAIS E POSTOS DE TRABALHO
  3. 3. Os fatores de risco estão associados a: • Locais e postos de trabalho, • Máquinas e equipamentos de trabalho, • Eletricidade, • Incêndio e explosão, • Ruído: causas, efeitos e prevenção, • Iluminação nos locais de trabalho, • Ambiente térmico: proteção contra o frio e o calor, • Substâncias químicas perigosas, • Movimentações manuais de cargas…
  4. 4. • Edifícios – Construção estável, – Isolamentos adequados, – Adequado às atividades. • Espaços: – Área mínima por trabalhador: 1,8 m2, – Espaço de circulação, – Bancadas de trabalho adequadas em altura, – Comandos a distâncias e ângulos adequados.
  5. 5. • Instalação elétrica: – Respeita as regras (legislação própria), – Sem risco de incêndio/explosão/contacto, – Cabos fora do acesso pedonal ou presos ao chão. • Vias de emergência / evacuação: – Devem estar desobstruídas e utilizáveis, – Devem conduzir ao exterior ou zonas de segurança, – Deve existir uma saída rápida e sempre sinalizada, – Deve existir iluminação de segurança, – As portas de emergência não devem ser fechadas à chave durante o horário de trabalho.
  6. 6. • Combate a incêndio: – Materiais acessíveis e em funcionamento, – Sinalização adequada, – Trabalhadores em número suficiente e bem treinados. • Ambiente: – Arejado (se locais fechados), – Concentração de substâncias tóxicas no ar abaixo dos limites legislados (a captação deve ser feita junto ao local de emissão), – Temperatura e humidade adequadas às tarefas.
  7. 7. • Iluminação: – De preferência natural, – A iluminação artificial deve garantir a segurança do trabalhador, – Deve ser homogénea e adequadas às tarefas, – Deve ser suficiente para identificar riscos como obstruções e derramamentos, – Se necessário, deve-se usar iluminação exterior.
  8. 8. • Pavimentos, divisórias, portas e escadas: – Pavimentos fixos e estáveis, – Pavimentos antiderrapantes (sinalização para pavimentos molhados), – Pavimentos sem inclinações perigosas e saliências ou cavidades, – Resistentes às substâncias usadas na atividade, – Divisórias transparentes assinaladas, – Portas de correr com dispositivos de segurança; – Escadas com corrimãos e antiderrapantes, – Marcações antiderrapantes nas esquinas dos degraus.
  9. 9. • Trabalhos em altura: – Uso adequado de andaimes e guardas, – Uso adequado de arnês e cordas de segurança, – Restrição do espaço e sinalização no solo.
  10. 10. MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS
  11. 11. Máquinas perigosas: • Máquinas de corte, – Guilhotinas, serras, rebarbadoras… • Máquinas de furar, • Ferramentas manuais, – Martelos, limas, chaves de fendas… • Máquinas de soldar, • Máquinas de vibração – Martelos pneumáticos…
  12. 12. Perigos e prevenção • Perigos: – Projeção de estilhaços, – Cortes, – Esmagamentos, – Morte… • Prevenção de perigos com ferramentas manuais: – Arrumação das peças em locais adequados, – Substituição das peças danificadas, – Utilização de sacos e malas próprias para o transporte e a arrumação das ferramentas.
  13. 13. Prevenção do trabalho com máquinas • Acertar os cortes, • Segurar o equipamento sempre com as duas mãos, • Fixar as peças de corte e de furar e retirá-las apenas com a máquina desligada, • Usar roupas justas, • Usar sempre proteção para os olhos e para os ouvidos, • Confirmar as garantias, • Não aproximar demasiado as mãos…
  14. 14. ELETRICIDADE
  15. 15. Perigos elétricos • O maior perigo é o da eletrocussão, que pode ser de dois tipos: – Direta –contato com as partes ativas da instalação; – Indireta – quando o contato se faz com massas metálicas. • Podem evitar-se estes contatos: – Afastando os cabos e ligações das zonas de passagem e de trabalho, – Cobrindo as partes elétricas com material isolante, – Através do uso de fios terra ou mesmo disjuntores diferenciais (pág. 39). Tarefa: realiza a ficha da pág. 39
  16. 16. Medidas de prevenção • Tarefas realizadas apenas por trabalhadores certificados, • Devem ser mantidas as distâncias de segurança, • Devem ser usados equipamentos e meios de proteção adequados, • Nos locais molhados, deve usar-se sempre aparelhos portáteis de tensão inferior ou igual a 24 volts e protegidos diferenciais por disjuntores
  17. 17. • As ligações devem ser feitas com materiais e conectores normalizados e periodicamente monitorizados, • Os equipamentos devem ser sempre desligados e não se deve puxar pelo cabo de alimentação…
  18. 18. INCÊNDIO E EXPLOSÃO
  19. 19. Condições para ocorrência • Existência de material combustível que arda (ex. gasóleo); • Existência de um comburente (por norma, o ar); • Existência de focos de energia (os mais comuns são os cigarros, as faíscas, o sol…); • Sobrecarga ou curto-circuito de instalações elétricas.
  20. 20. Normas de prevenção • Armazenas os produtos inflamáveis em locais adequados; • Utilizar sempre recipientes hermeticamente fechados; • Proibir o tabaco e a utilização de utensílios suscetíveis de gerar chamas e faíscas; • Não misturar substâncias químicas das quais não se conhece a reação; • Possuir um bom sistema de deteção, extinção e alarme.
  21. 21. SUBSTÂNCIAS PERIGOSAS
  22. 22. Prevenção (individual) • Uso de máscaras e luvas de proteção; • Conhecimento das regras e símbolos de segurança; • Ler sempre rótulos e instruções de manuseamento; • Verificar o prazo de validade das substâncias usadas; • Saber os procedimentos a tomar em caso de acidente.
  23. 23. RUÍDO
  24. 24. • Ruído - som indesejado e incómodo. A sua unidade de medição é o decibel (DB), medido por um equipamento a que se chama um sonómetro. • Acima dos 80 db deverá ser utilizado um protetor para os ouvidos, visto já oferecer riscos para a saúde. • Equipamentos ruidosos: – Máquinas de furar e de corte; – Martelos pneumáticos; – Motosserras…
  25. 25. • Riscos associados: – Perda de audição; – Aumento da fadiga; – Doenças do sistema nervoso; – Aumento dos acidentes de trabalho. • Prevenção: – Uso de aparelhos protetores para os ouvidos; – Fazer a revisão periódica das máquinas e equipamentos; – Cobrir ou isolar as partes mais ruidosas. TAREFA: realiza a ficha da pág. 47
  26. 26. ILUMINAÇÃO
  27. 27. • A iluminação deve ser, preferencialmente, natural; • Quando artificial, deverá estar adequada às funções realizadas; • A iluminação artificial pode ser com lâmpadas incandescentes ou florescentes. • Para evitar situações de fadiga visual, dores de cabeça e outros, deve ter-se sempre em conta: – A limitação da zona de encadeamento; – A distribuição conveniente das lâmpadas; – A harmonia entre as luzes artificiais e as cores do local de trabalho.
  28. 28. Prevenção de riscos • A rede de iluminação do local deve ser convenientemente planeada; • As lâmpadas devem ser periodicamente limpas; • Devem ser usados reguladores, difusores ou outros dispositivos que permitam regular a intensidade da luz; • Os locais de trabalho devem ser ventilados; • O ângulo de visão do trabalhador e dos focos de luz deverá ser superior a 30 graus. TAREFA: realiza a ficha da pág. 49
  29. 29. AMBIENTE TÉRMICO
  30. 30. • Para que uma atividade seja realizada em boas condições, esta deverá ser efetuada com condições de conforto térmico. • Riscos associados: Ambientes muito quentes Ambientes muito frios • Golpes de calor, • Hipotermia, • Dores de cabeça, • Diminuição da capacidade • Desmaios, motora, • Desidratação, • Perda da muscular… • Enregelamento, capacidade • Má circulação, • Congelação…
  31. 31. ERGONOMIA
  32. 32. • Ergonomia é a ciência que estuda a relação entre o Homem e o trabalho que este executa, de maneira a estabelecer uma integração perfeita entre as condições de trabalho, as capacidades e limitações físicas e psicológicas do trabalhador e a eficiência do sistema produtivo. • O seu grande objetivo é aumentar a segurança, conforto e produtividade do trabalhador, para assim aumentar a produtividade da empresa e os consequentes lucros. TAREFA: pág. 54/55
  33. 33. • A ergonomia permite: – Aumentar a eficácia do trabalhador, – Prevenir a fadiga, – Diminuir o número de acidentes de trabalho, – Diminuir a incidência de doenças profissionais. • Gestos e posturas a ter em conta: – Assentos adequados à função desempenhada, – Dimensões do mobiliário de acordo com o trabalhador, – Movimentação esporádica dos músculos…
  34. 34. MOVIMENTAÇÃO MANUAL DE CARGAS
  35. 35. • Sempre que um trabalhador movimenta cargas de forma manual, deverá observar alguns procedimentos: – Apoiar firmemente as duas pernas, – Manter uma distância entre pés de cerca de 50 cm; – Dobrar as ancas e os joelhos na descida e ao pegar a carga; – Levantar a carga sempre com as duas mãos e de forma gradual; – Manter sempre as costas direitas e a cabeça levantada; – Evitar espirrar, rir ou tossir, bem como movimentos de torção.
  36. 36. Conclusão… • É preciso ter sempre muito cuidado!

×