Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Riscos profissionais

16,144 views

Published on

Published in: Education

Riscos profissionais

  1. 1. RISCOS PROFISSIONAIS
  2. 2. LOCAIS E POSTOS DE TRABALHO
  3. 3. Os fatores de risco estão associados a: • Locais e postos de trabalho, • Máquinas e equipamentos de trabalho, • Eletricidade, • Incêndio e explosão, • Ruído: causas, efeitos e prevenção, • Iluminação nos locais de trabalho, • Ambiente térmico: proteção contra o frio e o calor, • Substâncias químicas perigosas, • Movimentações manuais de cargas…
  4. 4. • Edifícios – Construção estável, – Isolamentos adequados, – Adequado às atividades. • Espaços: – Área mínima por trabalhador: 1,8 m2, – Espaço de circulação, – Bancadas de trabalho adequadas em altura, – Comandos a distâncias e ângulos adequados.
  5. 5. • Instalação elétrica: – Respeita as regras (legislação própria), – Sem risco de incêndio/explosão/contacto, – Cabos fora do acesso pedonal ou presos ao chão. • Vias de emergência / evacuação: – Devem estar desobstruídas e utilizáveis, – Devem conduzir ao exterior ou zonas de segurança, – Deve existir uma saída rápida e sempre sinalizada, – Deve existir iluminação de segurança, – As portas de emergência não devem ser fechadas à chave durante o horário de trabalho.
  6. 6. • Combate a incêndio: – Materiais acessíveis e em funcionamento, – Sinalização adequada, – Trabalhadores em número suficiente e bem treinados. • Ambiente: – Arejado (se locais fechados), – Concentração de substâncias tóxicas no ar abaixo dos limites legislados (a captação deve ser feita junto ao local de emissão), – Temperatura e humidade adequadas às tarefas.
  7. 7. • Iluminação: – De preferência natural, – A iluminação artificial deve garantir a segurança do trabalhador, – Deve ser homogénea e adequadas às tarefas, – Deve ser suficiente para identificar riscos como obstruções e derramamentos, – Se necessário, deve-se usar iluminação exterior.
  8. 8. • Pavimentos, divisórias, portas e escadas: – Pavimentos fixos e estáveis, – Pavimentos antiderrapantes (sinalização para pavimentos molhados), – Pavimentos sem inclinações perigosas e saliências ou cavidades, – Resistentes às substâncias usadas na atividade, – Divisórias transparentes assinaladas, – Portas de correr com dispositivos de segurança; – Escadas com corrimãos e antiderrapantes, – Marcações antiderrapantes nas esquinas dos degraus.
  9. 9. • Trabalhos em altura: – Uso adequado de andaimes e guardas, – Uso adequado de arnês e cordas de segurança, – Restrição do espaço e sinalização no solo.
  10. 10. MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS
  11. 11. Máquinas perigosas: • Máquinas de corte, – Guilhotinas, serras, rebarbadoras… • Máquinas de furar, • Ferramentas manuais, – Martelos, limas, chaves de fendas… • Máquinas de soldar, • Máquinas de vibração – Martelos pneumáticos…
  12. 12. Perigos e prevenção • Perigos: – Projeção de estilhaços, – Cortes, – Esmagamentos, – Morte… • Prevenção de perigos com ferramentas manuais: – Arrumação das peças em locais adequados, – Substituição das peças danificadas, – Utilização de sacos e malas próprias para o transporte e a arrumação das ferramentas.
  13. 13. Prevenção do trabalho com máquinas • Acertar os cortes, • Segurar o equipamento sempre com as duas mãos, • Fixar as peças de corte e de furar e retirá-las apenas com a máquina desligada, • Usar roupas justas, • Usar sempre proteção para os olhos e para os ouvidos, • Confirmar as garantias, • Não aproximar demasiado as mãos…
  14. 14. ELETRICIDADE
  15. 15. Perigos elétricos • O maior perigo é o da eletrocussão, que pode ser de dois tipos: – Direta –contato com as partes ativas da instalação; – Indireta – quando o contato se faz com massas metálicas. • Podem evitar-se estes contatos: – Afastando os cabos e ligações das zonas de passagem e de trabalho, – Cobrindo as partes elétricas com material isolante, – Através do uso de fios terra ou mesmo disjuntores diferenciais (pág. 39). Tarefa: realiza a ficha da pág. 39
  16. 16. Medidas de prevenção • Tarefas realizadas apenas por trabalhadores certificados, • Devem ser mantidas as distâncias de segurança, • Devem ser usados equipamentos e meios de proteção adequados, • Nos locais molhados, deve usar-se sempre aparelhos portáteis de tensão inferior ou igual a 24 volts e protegidos diferenciais por disjuntores
  17. 17. • As ligações devem ser feitas com materiais e conectores normalizados e periodicamente monitorizados, • Os equipamentos devem ser sempre desligados e não se deve puxar pelo cabo de alimentação…
  18. 18. INCÊNDIO E EXPLOSÃO
  19. 19. Condições para ocorrência • Existência de material combustível que arda (ex. gasóleo); • Existência de um comburente (por norma, o ar); • Existência de focos de energia (os mais comuns são os cigarros, as faíscas, o sol…); • Sobrecarga ou curto-circuito de instalações elétricas.
  20. 20. Normas de prevenção • Armazenas os produtos inflamáveis em locais adequados; • Utilizar sempre recipientes hermeticamente fechados; • Proibir o tabaco e a utilização de utensílios suscetíveis de gerar chamas e faíscas; • Não misturar substâncias químicas das quais não se conhece a reação; • Possuir um bom sistema de deteção, extinção e alarme.
  21. 21. SUBSTÂNCIAS PERIGOSAS
  22. 22. Prevenção (individual) • Uso de máscaras e luvas de proteção; • Conhecimento das regras e símbolos de segurança; • Ler sempre rótulos e instruções de manuseamento; • Verificar o prazo de validade das substâncias usadas; • Saber os procedimentos a tomar em caso de acidente.
  23. 23. RUÍDO
  24. 24. • Ruído - som indesejado e incómodo. A sua unidade de medição é o decibel (DB), medido por um equipamento a que se chama um sonómetro. • Acima dos 80 db deverá ser utilizado um protetor para os ouvidos, visto já oferecer riscos para a saúde. • Equipamentos ruidosos: – Máquinas de furar e de corte; – Martelos pneumáticos; – Motosserras…
  25. 25. • Riscos associados: – Perda de audição; – Aumento da fadiga; – Doenças do sistema nervoso; – Aumento dos acidentes de trabalho. • Prevenção: – Uso de aparelhos protetores para os ouvidos; – Fazer a revisão periódica das máquinas e equipamentos; – Cobrir ou isolar as partes mais ruidosas. TAREFA: realiza a ficha da pág. 47
  26. 26. ILUMINAÇÃO
  27. 27. • A iluminação deve ser, preferencialmente, natural; • Quando artificial, deverá estar adequada às funções realizadas; • A iluminação artificial pode ser com lâmpadas incandescentes ou florescentes. • Para evitar situações de fadiga visual, dores de cabeça e outros, deve ter-se sempre em conta: – A limitação da zona de encadeamento; – A distribuição conveniente das lâmpadas; – A harmonia entre as luzes artificiais e as cores do local de trabalho.
  28. 28. Prevenção de riscos • A rede de iluminação do local deve ser convenientemente planeada; • As lâmpadas devem ser periodicamente limpas; • Devem ser usados reguladores, difusores ou outros dispositivos que permitam regular a intensidade da luz; • Os locais de trabalho devem ser ventilados; • O ângulo de visão do trabalhador e dos focos de luz deverá ser superior a 30 graus. TAREFA: realiza a ficha da pág. 49
  29. 29. AMBIENTE TÉRMICO
  30. 30. • Para que uma atividade seja realizada em boas condições, esta deverá ser efetuada com condições de conforto térmico. • Riscos associados: Ambientes muito quentes Ambientes muito frios • Golpes de calor, • Hipotermia, • Dores de cabeça, • Diminuição da capacidade • Desmaios, motora, • Desidratação, • Perda da muscular… • Enregelamento, capacidade • Má circulação, • Congelação…
  31. 31. ERGONOMIA
  32. 32. • Ergonomia é a ciência que estuda a relação entre o Homem e o trabalho que este executa, de maneira a estabelecer uma integração perfeita entre as condições de trabalho, as capacidades e limitações físicas e psicológicas do trabalhador e a eficiência do sistema produtivo. • O seu grande objetivo é aumentar a segurança, conforto e produtividade do trabalhador, para assim aumentar a produtividade da empresa e os consequentes lucros. TAREFA: pág. 54/55
  33. 33. • A ergonomia permite: – Aumentar a eficácia do trabalhador, – Prevenir a fadiga, – Diminuir o número de acidentes de trabalho, – Diminuir a incidência de doenças profissionais. • Gestos e posturas a ter em conta: – Assentos adequados à função desempenhada, – Dimensões do mobiliário de acordo com o trabalhador, – Movimentação esporádica dos músculos…
  34. 34. MOVIMENTAÇÃO MANUAL DE CARGAS
  35. 35. • Sempre que um trabalhador movimenta cargas de forma manual, deverá observar alguns procedimentos: – Apoiar firmemente as duas pernas, – Manter uma distância entre pés de cerca de 50 cm; – Dobrar as ancas e os joelhos na descida e ao pegar a carga; – Levantar a carga sempre com as duas mãos e de forma gradual; – Manter sempre as costas direitas e a cabeça levantada; – Evitar espirrar, rir ou tossir, bem como movimentos de torção.
  36. 36. Conclusão… • É preciso ter sempre muito cuidado!

×