Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Portugal do seculo_xviii_ao_seculo_xix

240 views

Published on

ppt editora

Published in: Education
  • Be the first to comment

Portugal do seculo_xviii_ao_seculo_xix

  1. 1. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX 6º ano
  2. 2. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX PORTUGAL NA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XIX Como se encontrava Portugal no fim da primeira metade do século XIX? Acontecimentos que marcaram a primeira metade do século XIX, em Portugal 1807/1811 Invasões francesas. 1807 Saída da família real portuguesa para o Brasil. 1820 Revolução Liberal Portuguesa. 1822 Independência do Brasil. 1832/1834 Guerra civil entre absolutistas e liberais. No fim da primeira metade do século XIX, Portugal estava: - desorganizado, parcialmente destruído e empobrecido; - dependente das importações que fazia do estrangeiro, o que se traduzia numa grande dívida a alguns países europeus.
  3. 3. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX Qual foi a solução encontrada pelos governos liberais para tirar Portugal do estado de crise em que se encontrava? Era urgente modernizar o País e aproximá-lo dos restantes países europeus. Iniciou-se, então, uma modernização dos setores agrícola, industrial e dos meios de transporte e de comunicação, todos essenciais para o desenvolvimento da economia nacional. MOUZINHO DA SILVEIRA. AGRICULTURA INDÚSTRIA TRANSPORTES E MEIOS DE COMUNICAÇÃO FONTES PEREIRA DE MELO. PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX
  4. 4. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX O setor agrícola, apesar de empregar a maioria da população portuguesa, não era capaz de assegurar a quantidade de produtos de que o País precisava, porque os métodos, as técnicas e os instrumentos utilizados eram muito rudimentares. O setor agrícola através de um conjunto de medidas, como, por exemplo: • reduzir os impostos a que os agricultores estavam sujeitos; • retirar as terras ao clero e à nobreza e vendê-las a burgueses, interessados em rentabilizá-las; • acabar com os morgadios (isto é, só o filho mais velho tinha o direito de herança sobre as terras dos pais), permitindo, desta forma, aumentar o número de proprietários; • incentivar o aproveitamento dos terrenos baldios, aumentando as áreas cultivadas; • Dividir e entregar os terrenos baldios aos camponeses. Qual foi a solução encontrada por Mouzinho da Silveira? MODERNIZAR… PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX
  5. 5. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX MODERNIZAÇÃO ANTES DA MODERNIZAÇÃO • Extensa área em pousio. • Área cultivada com o mesmo tipo de produto. DEPOIS DA MODERNIZAÇÃO • Redução da área de pousio. • Alternância de culturas.
  6. 6. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX Quais foram, então, as mudanças produzidas na agricultura? Introdução de máquinas nos trabalhos agrícolas. Redução da área em pousio. Aproveitamento dos terrenos baldios. Aumento da produção para venda. Alternância de culturas (ex.: batata). Alternância de culturas (ex: milho grosso). Seleção de melhores sementes. Introdução de adubos químicos. No final do século XIX, Portugal tinha aumentado o nível de produtividade. Alguns produtos, como o vinho, a fruta e o azeite, começaram a ser exportados em maiores quantidades. PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX
  7. 7. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX PEQUENAS OFICINAS Em Portugal, até à segunda metade do século XIX, a atividade industrial era inexistente. Os artigos transformados eram importados, o que representava uma enorme despesa para os cofres do País. Trabalho realizado pelos artesãos, com recurso a ferramentas antigas. Utilização da força do vento para fazer mover, por exemplo, os moinhos. Artigo feito à mão, o que fazia aumentar o preço do produto final. Artigos produzidos em pouca quantidade. PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX
  8. 8. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX Qual foi a solução encontrada pelos governos liberais para ultrapassar esta situação de dependência? INVESTIMENTO NA MECANIZAÇÃO do setor transformador. Para o efeito, foi fundamental a utilização da máquina a vapor que permitiu: - reduzir a mão de obra; - reduzir o preço; - reduzir o tempo de fabrico. MÁQUINA A VAPOR. PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX
  9. 9. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX GRANDES FÁBRICAS A mecanização do processo reduziu a mão de obra e o tempo de fabrico dos artigos. Trabalho realizado pelos operários especializados numa só função. Artigos produzidos em grandes quantidades fez baixar o preço do produto final. No final do século XIX, Portugal já era um país industrializado, embora num nível muito distante do das grandes potências europeias. PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX Quais foram, então, as mudanças produzidas no setor transformador?
  10. 10. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX Sou Fontes Pereira de Melo, ministro das Obras Públicas Comércio e Indústria. Tenho um projeto para modernizar a rede de vias de comunicação e os transportes do Reino. Vou ordenar a ampliação da rede de estradas e caminhos de ferro e a construção de pontes e túneis.
  11. 11. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX A CONSTRUÇÃO DA REDE FERROVIÁRIA ENTRE 1856 E 1897. EVOLUÇÃO DA REDE DE ESTRADAS DURANTE O SÉCULO XIX 1835 437 1863 1769 1873 2417 1880 3756 1887 9282
  12. 12. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX Exemplos de iniciativas ao nível dos transportes e comunicação: • criação da mala-posta, uma diligência que transportava o correio entre Lisboa e Porto; • introdução do automóvel (1895); • construção de faróis nas zonas costeiras. FAROL DE AVEIRO, CONSTRUÍDO ENTRE 1885 E 1893. CARRUAGEM DA MALA-POSTA UTILIZADA ENTRE LISBOA E PORTO, ENTRE 1859 E 1864. PRIMEIRO AUTOMÓVEL A CIRCULAR NO PAÍS, EM 1895.
  13. 13. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX Exemplos de medidas tomadas pelos governos liberais na área da educação. Sou Passos Manuel ministro responsável pela modernização da educação em Portugal, na segunda metade do século XIX. Na educação é urgente reduzir o número de alfabetos e aumentar os conhecimentos da população.
  14. 14. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX Contudo, o sucesso não foi o esperado, pois a maioria da população portuguesa continuou analfabeta. As mulheres permaneciam no grupo menos letrado. PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX Exemplos de medidas tomadas pelos governos liberais na área da educação. Eis algumas das medidas introduzidas: • tornar o ensino primário obrigatório e gratuito; • criar escolas primárias por todo o país; • abrir liceus em todas as capitais de distrito; • promover o ensino técnico, através da criação de escolas direcionadas para as áreas práticas (escolas comerciais, industriais e agrícolas).
  15. 15. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX Ao nível da justiça, os governos liberais, defensores das ideias de liberdade e de igualdade, esforçaram-se para defender os direitos humanos. Vejamos alguns dos exemplos das medidas tomadas por estes governos. ABOLIRAM… • a pena de morte; • a roda dos enjeitados e criaram hospícios para receber as crianças; • a escravatura em todos os territórios portugueses; • os castigos corporais.
  16. 16. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX Os progressos alcançados ao nível da agricultura e da indústria proporcionaram melhores condições de vida às populações em geral. Assim, na segunda metade do século XIX verificou-se: • crescimento da população; • diminuição da mortalidade. EVOLUÇÃO DA POPULAÇÃO PORTUGUESA, NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX.
  17. 17. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX • melhoria na alimentação (através de uma maior produção agrícola e do consumo de milho, arroz e batata); • diminuição dos preços dos alimentos e facilidade na sua distribuição; • progressos na medicina, com a introdução de novas vacinas e medicamentos; • melhoria das condições de higiene, incluindo o uso de sabão, a construção de esgotos e o controlo sanitário sobre as águas potáveis.
  18. 18. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX A agricultura portuguesa desenvolveu-se, estimulada pelas medidas tomadas pelos governos liberais. Foram introduzidas máquinas na agricultura, o que fez reduzir a necessidade de mão de obra nos trabalhos agrícolas. Muitos camponeses, ao ficarem sem trabalho, saíram em direção às cidades, principalmente Lisboa e Porto. A este fenómeno de saída do campo para a cidade dá-se o nome de êxodo rural. DISTRIBUIÇÃO DA POPULAÇÃO PORTUGUESA NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX.
  19. 19. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX Um grande número de pessoas que não conseguiram encontrar trabalho nas cidades tiveram que emigrar. A grande maioria escolheu o Brasil como principal destino, porque aí se falava português. Muitos destes emigrantes, que saíram pobres de Portugal, regressaram com fortunas e mandaram construir belos palacetes no seu país. CASA DO BRASILEIRO (FAFE). PALACETE DA QUINTA DO REI DA FARINHA (SÃO JOÃO DA MADEIRA).
  20. 20. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX A sociedade e a vida quotidiana nas cidades e no campo Com a legislação dos governos liberais, que puseram fim aos privilégios de nascimento, a nobreza e o clero foram perdendo privilégios. Em contrapartida, a modernização do País e os estímulos à indústria e ao comércio proporcionaram a ascensão de um novo grupo social – a burguesia. No entanto, o povo, apesar de ter adquirido a igualdade de direitos e deveres perante a lei, continuava a viver com sérias dificuldades. BURGUESIA. POVO.
  21. 21. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX A vida nas cidades Nas cidades viviam muitos burgueses que ocupavam importantes funções na administração pública ou exerciam atividades de prestígio que davam emprego a vendedores ambulantes, operários fabris, da construção civil e criados domésticos.
  22. 22. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX Como se vivia nas cidades? As famílias mais abastadas da nobreza e da burguesia habitavam em palacetes cheios de conforto, ricamente decorados e rodeados de jardins. No seu interior, a decoração era cuidada com tapeçarias, quadros e mobílias criteriosamente escolhidas. Outros burgueses, não tão ricos, viviam em andares cómodos e em bairros bem localizados. MUSEU ROMÂNTICO, PORTO.
  23. 23. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX E a alimentação dos mais abastados, como era? A alimentação dos grupos sociais mais ricos era variada e abundante. Geralmente faziam quatro refeições: pequeno-almoço, almoço, lanche/merenda e jantar. Frequentavam cafés e pastelarias e consumiam doces, salgados, cafés, bebidas e, claro, o chá. A HORA DO CHÁ.
  24. 24. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX Como se vestiam? A alta burguesia buscava inspiração na moda francesa para saberem as tendências dos países europeus.
  25. 25. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX E os tempos livres, como eram passados? • Passeios nos jardins ou de bicicleta; • Idas ao teatro à ópera e às touradas; • Bailes particulares; • Equitação; • Vela.
  26. 26. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX E as classes populares, como viviam? Habitavam em bairros miseráveis, nas periferias das cidades. As habitações e os espaços envolventes não tinham condições de higiene nem de segurança. BAIRRO DE LATA EM LISBOA.
  27. 27. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX E as classes populares, como viviam? Nas fábricas trabalhavam homens, mulheres e crianças com horários de 10 a 14 horas por dia e salários muito baixos. Não existia qualquer proteção social ou assistência médica. GREVE DE OPERÁRIOS DA CUF, NO BARREIRO, NO INÍCIO DO SÉCULO XX. A luta por melhores condições de trabalho fazia-se através de manifestações e greves.
  28. 28. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX A vida no campo A vida no campo era dura e difícil. Os camponeses trabalhavam ao sol, à chuva, com neve ou ao calor, tinham que tratar dos animais, das sementeiras e fazer a safra.
  29. 29. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX INTERIOR DE UMA CASA DE CAMPONESES NO SÉCULO XIX (RECONSTITUIÇÃO). PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX Como eram as habitações no campo? As casas dos camponeses eram pequenas e simples. A divisão principal era a cozinha com a sua indispensável lareira, para cozinhar e fornecer aquecimento. Eram construídas com materiais diferentes, de acordo com a região do País em que se situavam.
  30. 30. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX De que se alimentava esta população do campo? Quase sempre do que ela própria produzia e, de vez em quando, de um ou outro produto que tinham comprado. Mas, basicamente, a alimentação era constituída por: • pão de milho ou centeio; • batatas; • azeitonas; • legumes; • vinho; • toucinho; • sardinhas salgadas; • carne de porco. Tudo em doses muito reduzidas devido à pobreza.
  31. 31. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX Como se vestiam os camponeses? O vestuário dos camponeses dependia de região para região e da tarefa a que se dedicavam. De uma forma geral eram muito simples e feitos com tecidos grosseiros, por serem mais baratos.
  32. 32. PORTUGAL DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XIX PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX Como se divertiam os camponeses? Os momentos de diversão do povo estavam associados aos trabalhos agrícolas e a festas religiosas. […] E as festas do ano nos seus dias certos: as feiras e os mercados, os bailes se alguém casava; os serões pelo inverno fora – e aos domingos à tarde, em frente à igreja, o jogo da barra e do fito, enquanto em cima, no campanário, repicavam os sinos a algum batizado. Trindade Coelho, Os Meus Amores, Século XIX (adaptado). ROMARIA DO SENHOR DA SERRA, EM SINTRA. PAUSA À PORTA DE UM LAGAR.

×