Modelo romano parte 1

27,849 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
47 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
27,849
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
204
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
47
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Modelo romano parte 1

  1. 1. MÓDULO 1: RAÍZESMEDITERRÂNICAS DACIVILIZAÇÃO EUROPEIAUnidade 1. O modelo romano
  2. 2. Níveis de desempenho• Descrever o movimento expansionista romano• Analisar o papel politico-cultural da urbe no império romano• Caracterizar os elementos de unidade no vasto império romano• Relacionar a evolução das estruturas político-administrativas romanas com o alargamento do espaço territorial• Demonstrar a originalidade da cultura romana• Reconhecer as influências e sínteses de outras culturas• Valorizar o contributo romano para a civilização ocidental• Aplicar corretamente os conceitos
  3. 3. Conceitos• Aculturação • Ordem equestre• Culto imperial • Ordem senatorial• Cidade • Pax romana• Direito • Plebe• Fórum • Pragmatismo• Império • Realismo• Liberto • Romanização• Magistratura • Senado• Monumentalidade • Urbe• Município • Urbanismo
  4. 4. Roma, cidade ordenadora de um império urbano
  5. 5. Localização Temporal : Séc. VIII a. C a séc. VLocalização EspacialPenínsula Itálica
  6. 6. O nascimento de Roma Três povos marcaram a civilização romana no seu início:• Etruscos - um povo originário da Etrúria ou Lácio (região da Itália situada na Toscana);• Gregos;• Cartagineses - descendentes dos colonizadores fenícios da colónia de Cartago. O nascimento de Roma situa-se (segundo a lenda) entre 753/750 a.C. Teriam sido dois irmãos (Rómulo e Rémulo) os seus fundadores. Tanto quanto sabemos, nos meados do séc. XVIII a.C. existiam várias aldeias nas sete colinas, que mais tarde irão fazer parte da cidade de Roma.
  7. 7. Evolução política de Roma
  8. 8. Fatores da formação do império Roma terá começado por ser apenas mais uma aldeia igual às outras. Mas,devido às suas condições geográficas especiais, cedo se desenvolveu acabando pordominar as localidades à sua volta, devido a :• Necessidade de segurança da cidade de Roma face aos seus inimigos;• Orgulho das suas vitórias;• Desejo de poder e autonomia;• Cobiça e ambição (pelas novas riquezas).
  9. 9. Características do império• Extenso (mais de 10.000 Km de fronteiras);• Urbano (cidades construídas segundo o modelo de Roma);• Centrado no Mediterrâneo;• Unido por uma extensa rede viária.
  10. 10. Um mundo de cidades O Império romano está profundamente ligado à cidade, que funciona comoverdadeira célula administrativa. Tal deve-se à:• Conquista de regiões de grande tradição urbana;• Introdução dos hábitos das regiões conquistadas;• Influência das cidades-estado gregas;• Construção de novas cidades para facilitar a romanização;• Construção das cidades em locais estratégicos (para defesa e comércio);• Desenvolvimento urbano em zonas de grande tráfico comercial.• Roma era a urbe por excelência .
  11. 11. A cidade de Roma 1. Teatro de Pompeio 2. Odeón 3. Panteão 4. Teatro de Marcelo 5. Templo de Júpiter Optimus Maximus 6. Templo de Juno Moneta 7. Coluna Trajana 8. Basílica Julia 9. Forum Romano 10. Cúria (Sede do Senado) 11. Basílica Emília 12. Forum dos Imperadores 13. Templo de Vesta 14. Basílica de Majencio e Constantino 21. Templo ao Divino Cláudio 15. Circus Maximus 22. Arco de Constantino 16. Monte Palatino 23. Colosso de Nero 17. Templo de Heliogábalo 24. Coliseu (Anfiteatro Flavio) 18. Templo de Venus e Roma 25. Escola de gladiadores 19. Septizonium (Erigido por Septimo Severo) 26. Termas de Tito 20. Aqua Claudia
  12. 12. As novas urbes Nas regiões que conquistam, os romanos vão criando comunidades com mais oumenos regalias, consoante a sua importância estratégica. Assim existem: • Colónias: cidades habitadas por cidadãos romanos; • Municípios: cidades habitadas por naturais da região, mas com direitos de cidadãos romanos; • Cidades de direito latino: cidades de indígenas e onde apenas os governadores têm direito a cidadania romana; • Cidades aliadas: podiam, em caso de necessidade, pedir ajuda a Roma e vice- versa. Estavam sujeitas ao pagamento de impostos.
  13. 13. As instituições Republicanas
  14. 14. As instituições Imperiais
  15. 15. O poder imperial (do “Princeps” ou Imperador)
  16. 16. A unidade do mundo imperial
  17. 17. Fatores de união do império• Língua oficial (latim);• Lei (direito romano);• Chefe político (Imperador);• Exército (legiões);• Organização urbana;• Cultura;• Comunidade de cidadãos com igualdade de direitos (após 212 com Caracala);• Religião (politeísmo, culto ao imperador e, mais tarde, Cristianismo).
  18. 18. O culto a Roma e ao imperador• Octávio César é divinizado em 27 a.C. (“Augusto”);• É o escolhido dos Deuses – tem uma missão divina;• Chefe dos áugures, sacerdotes do culto imperial;• Associado ao culto à Deusa Roma;• Após a sua morte é declarado deus (diius) – surgem os Augustais;• No séc. I o culto alarga-se a toda a família imperial: • Torna-se um fator de união entre os povos romanos; • Reforça o poder do estado e serve de propaganda ao Imperador.
  19. 19. A codificação do direito• O Direito foi também um aspeto importante na civilização romana pois, para administrar um território tão grande, era necessário um conjunto de regras bem elaboradas e que regulassem a vida em sociedade.• Criam-se códigos relacionados com todos os aspetos do quotidiano e da vida política, ligados ao direito: - Privado: as leis sobre os casamentos, divórcios, contratos e testamentos; - Público: as leis ligadas à organização e funcionamento do estado; - Internacional: as leis que estabeleciam as relações entre os vários povos do Império.
  20. 20. A codificação do direito• As leis romanas eram leis: – Racionais; – Pragmáticas; – Diversificadas (de acordo com as zonas do Império).• Fontes do direito romano: - Consuetudinárias; - Lei das XII Tábuas (séc. V a.C.); - Senatus consulta (leis promulgadas pelo senado); - Jurisconsultos (pareceres especializados); - Decretos imperiais.
  21. 21. A administração do direito• Durante a república: – Pretores em Roma; – Propretores nas províncias;• Durante o império: - Princeps (Imperador); - Funcionários imperiais.• Direito de apelação (para todos os cidadãos): tribunais do senado e Imperador,• O direito foi um dos mais importantes legados para o futuro.
  22. 22. A sociedade romana• A sociedade romana estava organizada de forma complexa.• Existiam dois grandes grupos: - Os homens livres; - Os homens não livres (escravos).
  23. 23. A sociedade da Roma Republicana
  24. 24. A sociedade da Roma Imperial
  25. 25. A progressiva extensão de cidadania• O conceito de cidadania implicava determinados direitos e deveres cívicos e políticos: - Contrair matrimónio, - fazer contratos, - possuir terras, - votar e ser eleito…; - Servir no exército, - pagar impostos.
  26. 26. A progressiva extensão de cidadania• Inicialmente restrita aos cidadãos de Roma, a cidadania plena estende-se a toda a Itália em 49 a.C. e é concedida excecionalmente a algumas cidades e seus habitantes;• Em 212, com Caracala, estende-se a todos os homens livres do Império.• A extensão da cidadania: • Harmoniza a diversidade civilizacional, diminuindo as tensões e injustiças. • Estabelece a igualdade entre todos, garantindo a coesão social e a unidade do império.

×