A teoria da aprendizagem de Ausubel e a produção de hipertextos didáticos

8,997 views

Published on

Oficina apresentada na UNISUL, em Florianópolis, SC, Brasil, em 29 e 30/03/2007.

1 Comment
5 Likes
Statistics
Notes
  • Obrigado, Mylena, pelo interesse!
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
8,997
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
275
Actions
Shares
0
Downloads
323
Comments
1
Likes
5
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A teoria da aprendizagem de Ausubel e a produção de hipertextos didáticos

  1. 1. A teoria da aprendizagem de Ausubel e a produção de hipertextos didáticos Carlos Alberto dos Santos
  2. 2. Sumário <ul><li>Ciência, Pedagogia e Filosofia </li></ul><ul><li>Fundamentos da Teoria de Ausubel </li></ul><ul><li>A Teoria de Ausubel & outras Teorias </li></ul><ul><li>Estrutura Cognitiva e Mapas conceituais </li></ul><ul><li>Mapas Conceituais, Hipertextos e Objetos de Aprendizagem </li></ul>
  3. 3. epistemologia teorias da aprendizagem
  4. 4. mas . . .
  5. 5. e . . .
  6. 6. no entanto . . .
  7. 7. Joseph D. Novak <ul><li>In contrast to my work in science and social sciences, I found my studies in education courses to be deeply troubling. These courses lacked viable theories and principles (…) </li></ul><ul><li>In: Mintzes, Wandersee, Novak (Eds.) </li></ul><ul><li>Teaching Science for Understanding </li></ul><ul><li>A Human Constructivist View </li></ul>e mais . . .
  8. 8. <ul><li>Bright and distinguished as they were, I could not buy what they were selling. My experiences in the Botany laboratories did not square with their ideas; “truth” or “proof” appeared very illusive at best, and again I wondered why smart people could believe these things. </li></ul>
  9. 9. Ausubel + estrutura cognitiva + escalonamento multidimensional = mapeamento cognitivo mas, logo depois . . .
  10. 10. voltei, sabendo que . . .
  11. 11. senão . . .
  12. 12. portanto . . .
  13. 14. Sumário <ul><li>Ciência, Pedagogia e Filosofia </li></ul><ul><li>Fundamentos da Teoria de Ausubel </li></ul><ul><li>A Teoria de Ausubel & outras Teorias </li></ul><ul><li>Estrutura Cognitiva e Mapas conceituais </li></ul><ul><li>Mapas Conceituais, Hipertextos e Objetos de Aprendizagem </li></ul>
  14. 15. Há trinta anos . . .
  15. 16. Fundamentos da Teoria de Ausubel aprendizagem mecânica aprendizagem significativa
  16. 17. formalizando . . .
  17. 18. Informação / conceito subsunçor subsunçor modificado pela informação mapeando . . .
  18. 19. CMap tools
  19. 20. Curso de termodinâmica <ul><li>Tradicional </li></ul><ul><li>Descrições macro e micro; lei zero; calor; primeira lei; aplicações da primeira lei. </li></ul><ul><li>Gás ideal, macro e micro; pressão; temperatura; forças intermoleculares; calor específico; equipartição da energia. </li></ul><ul><li>Transformações reversíveis e irreversíveis; ciclo de Carnot; segunda lei; escala termodinâmica de temperatura; entropia. </li></ul><ul><li>Ausubeliano </li></ul><ul><li>Física clássica, moderna e contemporânea; conceitos em física; conceitos de temperatura e calor, entropia; primeira lei; segunda lei. </li></ul><ul><li>Gás ideal macro; equação de estado; gás ideal micro; teoria cinética; temperatura; pressão; calor específico; equipartição da energia. </li></ul><ul><li>Aplicações. </li></ul>
  20. 21. Avaliação: estrutura cognitiva <ul><li>Testes de associação de conceitos (TANC / TAEC) </li></ul><ul><li>Análise de agrupamentos hierárquicos (AAH) – Hierarchical Clustering Schemes </li></ul><ul><li>Escalonamento multidimensional (EMD) – Multidimensional Scaling </li></ul>
  21. 22. <ul><li>Conceito </li></ul><ul><li>-------------- </li></ul><ul><li>-------------- </li></ul><ul><li>-------------- </li></ul><ul><li>-------------- </li></ul><ul><li>-------------- </li></ul><ul><li>-------------- </li></ul>
  22. 24. Antes da instrução Após a instrução Q F E E  E LF R I V  C  B B F B R I V  E Q E F E  F B B LF  B C
  23. 26. S ET T VE w U Q C S VE T ET C W U Q
  24. 27. Sumário <ul><li>Ciência, Pedagogia e Filosofia </li></ul><ul><li>Fundamentos da Teoria de Ausubel </li></ul><ul><li>A Teoria de Ausubel & outras Teorias </li></ul><ul><li>Estrutura Cognitiva e Mapas conceituais </li></ul><ul><li>Mapas Conceituais, Hipertextos e Objetos de Aprendizagem </li></ul>
  25. 28. A Teoria de Ausubel & outras Teorias <ul><li>Comportamentais (Thorndike, Pavlov, Skinner) </li></ul><ul><li>Cognitivistas (Piaget, Ausubel) </li></ul><ul><li>Construtivistas (Piaget, Bruner, Vigotsky ) </li></ul>
  26. 29. Comportamentalismo  
  27. 30. Comportamentalismo & E@D <ul><li>Estudantes devem ser informados sobre os objetivos. </li></ul><ul><li>Estudantes devem ser testados para avaliar consecução dos objetivos. </li></ul><ul><li>Materiais instrucionais devem ser sequenciados apropriadamente, de modo a favorecer a aprendizagem. </li></ul><ul><li>Estudantes devem ter a oportunidade de auto-avaliação. </li></ul>
  28. 31. Cognitivismo & Construtivismo  
  29. 32. Silveira et. al.
  30. 33. Espaço [email_address] comportamentais construtivistas cognitivistas
  31. 34. Conditions of Learning <ul><li>Cinco níveis de aprendizagem. </li></ul><ul><li>Cada um exige um tipo de instrução </li></ul><ul><li>Informação verbal </li></ul><ul><li>Habilidade intelectual </li></ul><ul><li>Estratégias cognitivas </li></ul><ul><li>Habilidade motora </li></ul><ul><li>Atitudes </li></ul>Gagne, R. (1962). Military training and principles of learning. American Psychologist, 17, 263-276. Gagne, R. (1985). The Conditions of Learning (4th ed.). New York: Holt, Rinehart & Winston .
  32. 35. Constructivist Theory <ul><li>1. Instrução deve abordar experiências e contextos que torne o estudante desejoso e habilitado para aprender </li></ul><ul><li>2. Instrução deve ser estruturada de modo que possa ser facilmente compreendida pelo estudante (organização em espiral) </li></ul><ul><li>3. Instrução deve ser planejada para facilitar extrapolação e, ou preencher lacunas na estrutura do conhecimento (indo além da informação dada) </li></ul>Bruner, J. (1960). The Process of Education. Cambridge, MA: Harvard University Press. Bruner, J. (1966). Toward a Theory of Instruction. Cambridge, MA: Harvard University Press.
  33. 36. Genetic Epistemology   <ul><li>1. Diferentes estágios do desenvolvimento cognitivo </li></ul><ul><li>2. O desenvolvimento cognitivo é facilitado quando atividades exigem engajamento e adaptação do estudante (i.e., assimilação e acomodação) </li></ul><ul><li>3. Os materiais instrucionais e as atividades devem envolver atividades apropriadas aos níveis motor e mental da criança; evitar tarefas que estão além da capacidade cognitiva do estudante </li></ul><ul><li>4. Usar métodos de ensino que envolvam ativamente os estudantes e apresente desafios </li></ul>Piaget, J. (1929). The Child's Conception of the World. NY: Harcourt, Brace Jovanovich. Piaget, J. & Inhelder, B. (1969). The Psychology of the Child. NY: Basic Books. Estrutura cognitiva mas . . .
  34. 37. <ul><li>Ninguém sabe como isso funciona. </li></ul><ul><li>Quer ver? </li></ul>
  35. 38. <ul><li>Educação a Distância em Universidades Brasileiras: Desafios e Perspectivas </li></ul>EDUB EDUBRA EaDUBRA [email_address] EDIBRA EDIESB
  36. 40. Sumário <ul><li>Ciência, Pedagogia e Filosofia </li></ul><ul><li>Fundamentos da Teoria de Ausubel </li></ul><ul><li>A Teoria de Ausubel & outras Teorias </li></ul><ul><li>Estrutura Cognitiva e Mapas conceituais </li></ul><ul><li>Mapas Conceituais, Hipertextos e Objetos de Aprendizagem </li></ul>
  37. 41. Estrutura Cognitiva e Mapas conceituais
  38. 42. Cornerstone
  39. 43. CMap Tools
  40. 44. Sumário <ul><li>Ciência, Pedagogia e Filosofia </li></ul><ul><li>Fundamentos da Teoria de Ausubel </li></ul><ul><li>A Teoria de Ausubel & outras Teorias </li></ul><ul><li>Estrutura Cognitiva e Mapas conceituais </li></ul><ul><li>Mapas Conceituais, Hipertextos e Objetos de Aprendizagem </li></ul>
  41. 45. Mapas Conceituais, Hipertextos e Objetos de Aprendizagem
  42. 46. Silveira et. al.
  43. 47. Silveira et. al.
  44. 48. Bibliografia <ul><li>Mintzes, J.J., Wandersee, J.H., Novak, J.D. (Eds.) Teaching Science for Understanding. Elsevier (2005). </li></ul><ul><li>Soderston, C., Kleid, N., Crandell, T. Concept Mapping: A Job-performance Aid for Hypertext Developers. Disponível em portal.acm.org/ft_gateway.cfm?id=238271&type=pdf&coll=&dl=ACM&CFID=15151515&CFTOKEN=6. </li></ul><ul><li>Wallace, J.D., Mintzes, J.J. The Concept Map as a Research Tool: Exploring Conceptual Change in Biology. J. Res. Sci. Teaching, 27 (1990) 1033. </li></ul><ul><li>Wandersee, J.H. Concept Mapping and the Cartography of Cognition. J. Res. Sci. Teaching, 27 (1990) 923. </li></ul><ul><li>Willerman, M., Harg, R.A.M. The Concept Map as an Advance Organizer. J. Res. Sci. Teaching, 28 (1991) 705. </li></ul>
  45. 49. <ul><li>Mintzes, J.J., Wandersee, J.H., Novak, J.D. (Eds.) Teaching Science for Understanding. Elsevier (2005). </li></ul>

×