Successfully reported this slideshow.

GESTÃO DO EMPREENDIMENTO CULTURAL E CRIATIVO - AULA 5

706 views

Published on

Aula 5 - Laboratório
Estudo de Caso: Claro Curtas
Desenhando Empreendimentos

  • Be the first to comment

GESTÃO DO EMPREENDIMENTO CULTURAL E CRIATIVO - AULA 5

  1. 1. Curso: Formação em gestão doempreendimento cultural e criativoAula 5: LaboratórioEstudo de caso: Claro CurtasDesenhando empreendimentosMinom Pinho
  2. 2. Laboratório de Design deEmpreendimentosCulturais e CriativosSustentáveis
  3. 3. Proposta do Laboratório – CONEXÃO TEORIA X PRÁTICA- gestão de empreendimentos culturais e criativos.- arranjos criativos locais;- agendas e políticas públicas nacionais, intergovernamentais eintersetoriais;- diversidade, diálogo e convivência;- redes colaborativas e co-empreendedorismo;- linguagens, instrumentos e conteúdos como meio de inovação;- gestão de patrimônio cultural e criativo;
  4. 4. Proposta do Laboratório - metodologia aplicada- 4 elementos: sentido, propósito, método, aprendizado- 7 contextos colaborativos- Desenhando empreendimentos culturais e criativos- Abordagem interdisciplinar e multidimensional:social, político, econômico e ambiental- Estudos de casos, exercícios práticos, pesquisa- Da idéia ao projeto
  5. 5. estudo de casoPLATAFORMA CLARO CURTAS- O EMPREENDIMENTO CULTURAL E CRIATIVO- SENTIDOS, PROPÓSITOS, MÉTODOS, APRENDIZADOS- DESENHO DO EMPREENDIMENTO CULTURAL E CRIATIVO- CONTEXTOS COLABORATIVOS
  6. 6. estudo de caso: claro curtas
  7. 7. CLARO CURTAS:Sentidos, propósitos, métodos e aprendizados
  8. 8. Lan çad o e m m arço d e 2009P r e m i s s a : As novas te cnologias faze m p arte d a vid a d as p e s s oas .M i s s ã o : D e s e nvolve r e d is s e m inar iniciativas qu e u tilizam te cnologias p ara trans form ar re alid ad e s s ociais , p or m e io d e p roj tos e e d u cacionais , cu ltu rais e am b ie ntais .
  9. 9. D ir e t r iz e s :• U s o d e novas te cnologias e s olu çõe s e m m ob ilid ad e• E s tím u lo ao e m p re e nd e d oris m o• Id e ntificação d e tale ntos• R e conh e cim e nto d e id e ias e p roj tos inovad ore s e• E s tím u lo ao volu ntariad o• Açõe s d e F orm ação e Mob ilização d a S ocie d ad e
  10. 10. CLARO CURTAS - SENTIDO:Abrir espaço para que o audiovisual e as Tecnologias da Informaçãoe da Comunicação(TICs) sejam incorporados aos mais diversosambientes educativos formais e não formais, criando novaspossibilidades de aprendizado, expressão e participação social.
  11. 11. CLARO CURTAS - PROPÓSITOS:- Valorizar e difundir a criação/produção audiovisual a partir das novastecnologias em espaços de aprendizado formal e não formal;- Ampliar as possibilidades de criação/produção/experimentação audiovisual apartir das novas tecnologias, bem como estimular o aprendizado e aparticipação de jovens a partir destas novas linguagens.- Aprimorar e qualificar a expressão e a fruição audiovisual, a acessibilidade, ainclusão e a diversidade destes conteúdos no Brasil.- Fomentar a criação, produção e difusão audiovisual, de forma livre ecolaborativa, a partir da apropriação da linguagem audiovisual e das novastecnologias da comunicação e da informação pela sociedade.
  12. 12. CLARO CURTAS - PROPÓSITOS:- Explorar novas potencialidades sociais, políticas e educativas do audiovisual apartir da recente democratização do acesso aos meios de produção e difusão;-Estabelecer espaços de reflexão e troca de conhecimentos, valorizando edifundindo boas práticas e contribuindo com agendas públicas locais enacionais nas área se educação, comunicação e cultura.- Atuação em rede para dinamizar possibilidades de criação, produção, difusãoe aprendizado audiovisual em todo o Brasil.
  13. 13. CLARO CURTAS - MÉTODOS:- Proposição de Festival de vídeos de curta duração feitos a partir de celulares,cameras digitais, webcams e outros dispositivos.- Realização de atividades complementares focadas no aprendizado audiovisual:kits educativos, oficinas, seminários, palestras, exibições e difusão de conteúdos econhecimentos.- Categorias de participação e premiação voltadas a ambientes educativos formaise não formais como meio de estimular/valorizar experiências envolvendoaudiovisual/novas tecnologias em todo o país.- Mobilização de redes de parceiros para difusão dos conteúdos e propostas -abrangência nacional / parcerias regionais.
  14. 14. CLARO CURTAS - MÉTODOS:- Plataformas virtuais - site, download de materiais educativos, redes sociais ecanais de difusão.- Reconhecimento do empreendedorismo das instituições e de novos talentosaudiovisuais - Premiação, difusão e valorização dos melhores vídeos produzidos edas instituições vinculadas a eles.- Valorização da produção regional com publicação dos vídeos semifinalistas efinalistas estimulando o intercâmbio de conteúdos audiovisuais que representema diversidade cultural brasileira.- Mapeamento e ativação de redes regionais envolvendo educação, cultura enovas tecnologias.
  15. 15. CLARO CURTAS - MÉTODOS:- Oferta dos acervos temáticos e livres com os vídeos finalistas apresentando umpanorama da produção e a diversidade das expressões audiovisuais em ambienteseducativos formais e não formais.- Acessibilidade, inclusão e diversidade como premissa de todas açõesempreendidas pela plataforma CLARO CURTAS.- Envolvimento de todos os setores da sociedade.- Governança, transparência nos processos empreendidos.
  16. 16. CLARO CURTAS - APRENDIZADOS:- Comunicação dialógica e aprendizado colaborativo em rede envolvendogoverno, empresas, entidades civis e sociedade;- Governança nas tomadas de decisão - comissões internas e externas, consultorese parceiros;- Avaliação de processos e resultados para melhoria contínua das açõesempreendidas.- Sistematização e difusão dos conhecimentos e conteúdos produzidos.
  17. 17. sentidopropósito sentido propósito aprendizado método
  18. 18. C la r o C u r t a s 3 ªE d iç ã o S IT E
  19. 19. C L A R O C U R T A S : In s c r iç ã o L e i R oua ne tÁ r e a : A u d io v is u a lApresentação / Resumo / Sinopse (O que é?) O FESTIVAL NACIONAL DE CURTISSÍMA METRAGEM 4a Edição é uma iniciativa de valorização e incentivo da produção audiovisual em curtos formatos (curtas-metragens com duração entre 30 e 90 segundos). O projeto realizará festival com inscrições abertas via site para todo o Brasil e um seminário aberto ao público em São Paulo.
  20. 20. OBJETIVOS GERAIS (O que pretende)- Oferecer espaço e oportunidade para que mais pessoas explorem as possibilidades para criação de conteúdos audiovisuais;- Promover discussão e debate sobre audiovisual em ambientes educativos e culturais;- Promover debate sobre as novas tecnologias que possibilitam ações de democratização do audiovisual;- Ativar, por meio de oferta de espaços de difusão e valorização, redes audiovisuais atuantes no estado de São Paulo e demais estados brasileiros: ONGs, pontos de cultura, empreendedores independentes;- Permitir a democratização do acesso e o aperfeiçoamento técnico da criação e da produção audiovisual periférica e regional.
  21. 21. OBJETIVOS ESPECIFICOS (o que pretende)- Realização da 4a Edição do FESTIVAL NACIONAL DE CURTÍSSIMA METRAGEM, com premiação em equipamentos e barras de ouro para os vencedores da Comissão Julgadora e do Júri Popular para cada uma das quatro categorias do Festival: alunos de ensino médio, universitários, ongs e realizadores independentes.- Criação de PORTAL NA INTERNET para o recebimento das inscrições do festival, articulação de parceiros em rede e disponibilização gratuita deconteúdo audiovisual.- Realização de seminário de encerramento do projeto para 150 pessoas, dividido em 2 dias e aberto ao público, que pretende ser espaço de difusão de idéias e tendências das áreas do audiovisual e das mídias móveis.
  22. 22. ETAPASETAPA I – 2 MESES – Jan/ Fev 2012- Contratação de equipe;- Elaboração de termos e contratos;- Definição de jurados;- Pesquisa de mapeamento organizações sociais para estabelecer parceria (ongs, pontos de cultura, centros de formação, produtores culturais, associações, etc)- FESTIVAL – Definições: tema, criação de regulamento e metodologia;- FESTIVAL / PORTAL: Elaboração sistema digital de inscrição/seleção de curtas;- PORTAL – Desenho programação visual PORTAL - projeto do portal (produção de textos, produção de conteúdo, ilustrações, designer)- Elaboração de programação visual - logo, banners, selo, portal.- Alinhamento Assessoria de imprensa e lançamento do FESTIVAL
  23. 23. ETAPA II – 4 MESES - Março/Abril/Maio/Junho 2012- Abertura das inscrições- Acompanhamento de inscrições, atendimento via fale conosco do site, atendimentoao usuário.- Reforço da divulgação em REDES DE PARCEIROS EM AUDIOVISUAL - boletinsinformativos digitais, divulgação do portal/plataforma- Curadoria de Seminário (formato evento, convite de palestrantes, envio de convites)- Definição do local de Seminário e premiação SP FESTIVAL- Encerramento das Inscrições - Junho 2012
  24. 24. ETAPA III – 2 MESES - Julho/Agosto 2012SEMINÁRIO: - Produção seminário em São Paulo - translado de passagem e hospedagem jurados efinalistas, mestre de cerimônia, execução de mesas de debates/exibição de finalistas,cenografia, RP, Mailings, convites, equipamentos, receptivo do evento, etc.FESTIVAL:- Processo de Pré-Seleção- Divulgação dos semifinalistas- Finalização e tratamento vídeos finalistas inserção de acessibilidade (libras eaudiodescrição)- Processo de Seleção Final (vencedores por categoria)- Realização do evento final seminário / premiação
  25. 25. ETAPA IV – 2 MESES - Setembro/Outubro 2012Elaboração de relatório finalPrestação de contasEnvio ao MINC
  26. 26. EXERCICIO EXTRA-CLASSE 1 - PRAZO DE ENVIO 27/03DESENHANDO OS EMPREENDIMENTOS EM GRUPO• Quem faz? [proponentes/histórico]• O que é? [apresentação]• O que pretende? [objetivo geral / objetivos específicos]• Por que é importante? [justificativa• Para quem? [público direto e indireto]• O que apresenta? [programação]• Quem apresenta? [atores, artistas, gestores, parceiros, etc]• Como se estrutura? [formato]• Onde? [abrangência]• Etapas? [cronograma]• Parceiros? [mapeamento / plano de parceria]
  27. 27. DICASNÃO DUVIDEM, EXERCITEM....ENERGIA NISTO E BOA SORTE!!!MINOM

×